Depois de perder o bonde dos smartphones e continuar insistindo na arquitetura x86, sem sucesso, a Intel anunciou na terça-feira (16) que fechou um acordo para produzir chips ARM em suas fábricas. Com a nova estratégia, a Intel vai fornecer processadores para outras empresas de hardware, passando a competir diretamente com nomes como Samsung e TSMC.

A ARM, empresa britânica que foi comprada recentemente pela SoftBank por US$ 32 bilhões, não fabrica chips. Em vez disso, ela licencia sua arquitetura para outras empresas, como a Qualcomm, que aproveita as especificações da ARM como base para os chips Snapdragon. Outros clientes da ARM incluem a Samsung, Apple, MediaTek, Nvidia, AMD (para servidores) e… Intel.

intel-processador-cpu-chip

Algumas empresas que licenciam a tecnologia ARM também fabricam seus próprios processadores, como a Samsung. Outras desenvolvem os chips, determinando as especificações e fechando parcerias com empresas de smartphones, mas não têm fábrica própria, caso da MediaTek.

Pelo acordo, a Intel pode fabricar chips ARM de 64 bits em suas linhas de produção. Um dos primeiros clientes será a LG, que vai utilizar chips com sua própria marca nos smartphones, mas fabricados pela Intel, de acordo com o Recode. A chinesa Spreadtrum, que não possui fábrica própria, também deve confiar seus chips à Intel. Os chips mais avançados terão fabricação em 10 nanômetros, o que deve trazer boas expectativas com relação à eficiência energética.

Mas a notícia reacendeu uma velha discussão. Faz tempo que existem rumores de que a Apple estava conversando com a Intel para produzir chips para iPhones e iPads, como aponta o The Verge. Só que os gadgets têm chips ARM, e a Intel só trabalhava com x86 até então. Agora, não existem mais empecilhos para as duas fecharem parceria — o que pode ser um duro golpe para Samsung e TSMC, que fabricam os chips desenvolvidos pela Apple. Com mais de 1 bilhão de iPhones vendidos, é desnecessário dizer que a Apple é um cliente bem interessante para qualquer um.

As vendas de computadores estão caindo, e os chips ARM podem ser o futuro da Intel: a arquitetura está presente em nada menos que 95% dos smartphones (!!) e 35% de todos os dispositivos eletrônicos (!!!), entre câmeras, roteadores, impressoras e qualquer outra coisa que você possa imaginar. Nada menos que 86 bilhões de chips ARM já foram produzidos no mundo.

Sempre dá para mudar de ideia, né?

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Pedro Neto

ela reinava e reina até hj no mercado de PCs meu amigo. Isso significa menos de 10% dos sistemas computacionais. Existem dezenas de empresas de semicondutores além das conhecidas pelo público (Intel e AMD). NXP, Qualcomm, Nvidia, Texas Instruments, Analog Device, STmicroeletronics, Renesas, MIPS-Imagination Tecnologies (semelhante à ARM só licencia, aliás o PowerVR da Apple é da Imagination Tecnologies)... Atmel, PIC, Infineon, On Semicondctor, Freescalo agora incorporada à NXP,Micron, Semikron, SUN, Toshiba, NEC, etc etc etc etc ... a maioria fornece para a industria de sistemas embarcados que hj já representa mais de 90% do mercado de sistemas computacionais. AH, ESQUECENDO DA IBM COM SEUS POWER ARCHITETURE. quantas as arquiteturas existem dezenas. ARM, MIPS, PIC, AVR, SH, SPARC, PARISC, C51, COLDFIRE - 68K, POWER - POWER PC, POWER 7 8 9..., POWER ARCHITETURE, S8, ETC, ETC, ETC...quanto ao s sistemas operacionais nem vou listar, pois são dezenas. Hj em dia praticamente todos os fabricantes de processadores em o ARM em suas linhas de produtos

fausto atilio

Pois bem...com a Terra gira né amigo ? Ano que vem teremos Windows 10 rodando em processadores ARM, como foi vimos na Demo na China dia desses. Muitos dos computadores do futuro breve (telas pequenas, grandes, médias, etc) estarão justamente rodando com processamos ARM feitos por quem, fora a Qualcomm ?

Douglas Teles

Nunca os chips ARM vão substituir os x86, é errado pensar que o futuro da Intel serão os ARM

@Sckillfer

Eu achei que ela ia lançar chips proprios usando ARM, isso de fabricar para outras empresas já foi noticiado há uns dois anos (só não sei se ela adiou a execução e só vai ser pra valer agora).

F. S.
Eu achei que ela ia lançar chips proprios usando ARM, isso de fabricar para outras empresas já foi noticiado há uns dois anos (só não sei se ela adiou a execução e só vai ser pra valer agora).
JosiasD
Ah, e ainda faltou o problema da implantação de átomos dopantes para criar os semicondutores P e N, que também sofrem com a redução da escala, e cai no mesmo problema. Pense que em tecnologias como 180, 90nm se faltar um ou dois átomos após o processo de implantação, frente a uma implantação ~150 a 75 átomos (não me recordo agora de cabeça os números exatos, teria que pesquisar nos meus materiais aqui), é menos de 3% de erro. Agora em processos de 14, 10nm, isso cai para uns 20 atomos implantados na difusão (pois ela se tornou muito pequena), se faltarem 2 átomos, são 10%, o que diminui a mobilidade dos eletrons, reduzindo a capacidade semicondutora. . O troço é bem complicado =/
JosiasD
Não é tão simples. Pelo menos nas últimas vezes que acompanhei os papers e o estado da industria de semicondutores enquanto as pesquisas para 14nm, o Yield ainda era baixo para tornar competitivo. Existe um problema complexo com a camada de oxido, o Hi-K apesar de ser um isolante muito superior que o SiO2 apresenta maior dificuldade em obtenção de uma camada uniforme, e a densidade de erros (variância) no processo sobe muitos porcento além do que se obtinha com o SiO2. Esse problema já era visto nas tecnologias anteriores (desde a adoção do Hi-K, na realidade), porém a espessura do oxido se tornou tão delgada para 14/10nm que os erros se multiplicaram, aumentando a variância do processo e caindo o Yield. Em resumo, a espessura do isolante esta na faixa dos 2-3nm para essas últimas tecnologias, isso é muito delgado, e qualquer átomo que falte significa uma variação de mais de 10% no isolante, causando um grande aumento nas correntes de fuga por tunelamento o que pode inviabilizar alguns circuítos lógicos. Este é o motivo de a Intel ter mudado seu RoadMap (o tic-tock), realizando a troca do processo de fabricação a cada 3 anos, e não mais a cada 2 anos como era anteriormente. Estamos chegando no limite do silício, e as regras de design para Circuítos Integrados em tecnologia abaixo de 90nm já são um inferno, quanto mais reduz a escala, pior tem ficado para os projetistas, inclusive.
Johnny Walker

além do mais, com isto você transfere o custo de P&D de processos de fabricação, pois isto demanda uma enorme quantidade de dinheiro, sai mais barato ser fabless e terceirizar o serviço.
Aliás uma que terceiriza a fabricação de seus produtos é a sugar, seus produtos são fabricados na China e levam apenas sua marca.

Johnny Walker Junior
além do mais, com isto você transfere o custo de P&D de processos de fabricação, pois isto demanda uma enorme quantidade de dinheiro, sai mais barato ser fabless e terceirizar o serviço. Aliás uma que terceiriza a fabricação de seus produtos é a sugar, seus produtos são fabricados na China e levam apenas sua marca.
Johnny Walker

10nm já está no forno amigo, acredito mais que o que está pegando são os 7nm, coisa que a IBM já tem um processo que já funciona e está em testes, Intel está atrasada neste quesito.
À medida que o processo vai diminuindo vai aumentando os custos para se chegar nesta tecnologia, IBM se juntou a um consórcio para desenvolver o processo e amortizar os custos, já a Intel faz seu P&D sozinha, não deve estar sendo fácil para ela, pois o mercado de cpus está diminuindo e não mais é o que era.

Johnny Walker Junior
10nm já está no forno amigo, acredito mais que o que está pegando são os 7nm, coisa que a IBM já tem um processo que já funciona e está em testes, Intel está atrasada neste quesito. À medida que o processo vai diminuindo vai aumentando os custos para se chegar nesta tecnologia, IBM se juntou a um consórcio para desenvolver o processo e amortizar os custos, já a Intel faz seu P&D sozinha, não deve estar sendo fácil para ela, pois o mercado de cpus está diminuindo e não mais é o que era.
Johnny Walker

Esqueceu que AMD utiliza ARM e foi a primeira a acreditar na arquitetura, portanto a AMD jamais pensou em colocar um x86 num mobile. Intel, por outro lado, queria abocanhar sozinha este mercado, tentando acabar com a concorrência, só não conseguiu por causa do tipo de licença da ARM, caso tivesse o mesmo modelo da Intel, teria caído com toda a certeza.

Johnny Walker Junior
Esqueceu que AMD utiliza ARM e foi a primeira a acreditar na arquitetura, portanto a AMD jamais pensou em colocar um x86 num mobile. Intel, por outro lado, queria abocanhar sozinha este mercado, tentando acabar com a concorrência, só não conseguiu por causa do tipo de licença da ARM, caso tivesse o mesmo modelo da Intel, teria caído com toda a certeza.
Dalton Felipe Gomes
Nada, o problema não esta no GPS... Ingress, outro jogo da Niantic também usa gps e não esquenta 10% do que Pokemon Go esquenta.
Breno
E qual o motivo de não chegar agora? Anos anteriores essa tecnologia não estava disponível.
Exibir mais comentários