Início » Computador » Eu compraria um Chromebook

Eu compraria um Chromebook

Samsung Chromebook 3 é um notebook barato e compacto com muita bateria

Paulo Higa Por
Nota Final 7

Os Chromebooks chegaram ao Brasil em 2014, mas ainda têm presença tímida. Enquanto os norte-americanos possuem acesso a mais de vinte modelos, por aqui apenas dois são vendidos nas lojas, ambos da Samsung. O mais recente é o Chromebook 3, um notebook básico que custa em torno de 1.000 reais e promete aguentar muito tempo fora da tomada.

Com hardware simples, o Chromebook 3 é uma máquina compacta, com peso de apenas 1,1 kg e tela de 11,6 polegadas. Será que é uma boa opção de compra?

Design e tela

O Chromebook 3 é um notebook acessível e não foge do padrão da categoria. Com plástico rígido por todo canto, ele possui uma textura na tampa que me lembra os laptops da Acer e uma moldura em volta da tela que adora impressões digitais. Nesse sentido, o design parece um retrocesso em comparação com o antecessor que, acusações de cópias à parte, tinha um visual bem agradável.

Mas é importante ressaltar a mobilidade: é difícil encontrar um notebook mais leve na mesma faixa de preço. Parece besteira, mas quando troquei uma máquina de 1,35 kg por uma de 2,06 kg, senti muita diferença — a verdade é que, quando se carrega não apenas um laptop, mas também câmera, fones de ouvido, cabos, fonte de alimentação e vários outros itens, qualquer grama a mais é sentido nas costas.

chromebook-3-3

chromebook-3-5

Um dos itens mais afetados nos notebooks mais simples é a tela, e a Samsung realmente economizou no Chromebook 3. Com proteção antirreflexo, a definição é ok, com 1366×768 pixels distribuídos em 11,6 polegadas, mas a qualidade do painel deixa muito a desejar: as cores são lavadas demais, o preto é quase cinza e o ângulo de visão é tão limitado que qualquer mexida na tela é suficiente para causar grandes variações nas cores.

É claro que não dá para esperar uma tela de altíssima qualidade num notebook de entrada, mas a Samsung deveria colocar uma tela minimamente apresentável. Em várias situações, o Chromebook 3 foi ruim até para digitar textos, já que o baixo contraste do painel dificultava a visualização de letras mais claras. Como o Chrome OS não permite ajustes mais finos na tela, não dá muito para fugir do problema.

Teclado

Embora tenha algumas escolhas questionáveis, como o estreito botão Enter e os sinais de barra e ponto de interrogação nas teclas Q e W (sério, quem inventou isso?), o teclado do Chromebook 3 cumpre bem a proposta: a digitação é um pouco ruidosa, mas confortável, e bastam algumas horas para se acostumar com as teclas baixinhas.

Ele tem layout ABNT2 e a típica disposição dos Chromebooks, com botões dedicados para navegação em vez das teclas F1 a F12. Não existe a tecla Caps Lock, então ele pode ser uma opção interessante para aquele parente que ainda não se acostumou com a internet e fica GRITANDO no Facebook — no lugar dela, há uma tecla de busca, que abre um pop-up para fazer uma pesquisa ou abrir um aplicativo.

chromebook-3-teclado

Software

O Chrome OS não é muito mais do que um sistema operacional que só roda um navegador, mas não há problema nisso — e a intenção do Google não parece ser substituir seu notebook com Windows, macOS ou Linux. Ele supriu muito bem minhas necessidades básicas como “segundo notebook” na faculdade e no trabalho, já que a maioria das minhas tarefas, de qualquer forma, é feita no navegador.

A simplicidade significa que você não se distrairá com aplicativos roubando sua atenção e contribui muito com a duração da bateria, como explicarei adiante. Ainda assim, o Chrome OS é capaz de rodar alguns softwares portados do Android, como o Evernote e o cliente de e-mail CloudMagic. Isso também significa que o Chrome OS continua bastante funcional mesmo sem acesso à internet: além dos aplicativos de Android, dá para editar textos ou planilhas na suíte offline do Google Drive.

chromebook-3-software

Só senti falta de um editor de imagens melhorzinho; a Adobe fez alguns testes rodando o Photoshop por streaming nos Chromebooks, mas aparentemente o projeto não avançou. O jeito foi recorrer às opções limitadas da Chrome Web Store ou apelar para webapps, como o Pixlr Editor, que permite fazer somente ajustes simples nas fotos.

De forma geral, o sistema operacional do Google me acompanhou muito bem durante a semana de testes. Se eu utilizasse o Chromebook 3 como único notebook, os poucos problemas se limitariam às transações no internet banking (não é possível instalar o plugin de segurança do banco) e burocracias do governo baseadas em Java, não disponível para Chrome OS.

Hardware e bateria

A primeira impressão do Chromebook 3 engana. Por ter um sistema operacional simples e armazenamento em flash, tudo parece muito rápido nos primeiros minutos. O Chrome abre rapidamente e os aplicativos não demoram para aparecer na tela. Só que, depois de abrir algumas abas no navegador, os 2 GB de RAM começam a mostrar suas limitações.

Por várias vezes, eu tive que fechar abas para conseguir abrir outras — ou pior, matar processos travados que estavam consumindo memória demais, algo que nunca se deveria exigir do usuário. Fica a impressão de que os problemas não aconteceriam num modelo com 4 GB de RAM (que, aliás, é vendido nos Estados Unidos). Afinal, se o Chrome é inutilizável numa máquina com Windows e 2 GB de memória, no Chrome OS ele até quebra o galho.

Além disso, o processador dual-core Intel Celeron N3050 de 1,6 GHz causou algumas lentidões chatas, embora esperadas, ao acessar páginas mais complexas ou reproduzir vídeos mais pesados, como arquivos *.mkv em 1080p, o que é uma pena, já que a qualidade do alto-falante é bem decente.

chromebook-3-bateria

Se o desempenho é frustrante, a bateria foi uma grata surpresa. O Chrome é bastante conhecido por chupar a bateria do notebook de canudinho, mas por algum motivo isso não ocorreu no Chromebook 3. Com brilho em torno de 60% e acesso a redes sociais, e-mails, digitação de textos e edição de imagens, sempre com cinco ou seis abas abertas, a bateria sempre durou entre 7 e 9 horas, uma marca bem impressionante para um notebook de baixo custo — e suficiente para um dia de trabalho.

Conclusão

A maioria dos Chromebooks foca na portabilidade, na simplicidade, na duração de bateria e no preço acessível. Eles não vão atender todo mundo, mas são máquinas extremamente interessantes para alguns grupos.

De cabeça, posso citar jornalistas (quase nunca existe uma tomada por perto em coletivas) e estudantes (a bateria é suficiente para dois dias de aula e você leva um teclado decente, um navegador completo e tudo o que precisa para tomar notas). Há quem defenda a compra de um tablet, mas você teria uma tela pequena e um desempenho tão limitado quanto; ou um notebook comum, mas você carregaria um trambolho de 15 polegadas e mais de 2 kg. E também há quem cite a fala de Steve Jobs sobre netbooks, desconsiderando que existe uma diferença entre 1.000 e 7.000 reais.

chromebook-3-4

Infelizmente, o Chromebook 3 tem problemas que prejudicam bastante o uso, notavelmente a tela de baixa qualidade (que pode dificultar tarefas como edição de imagens) e o desempenho limitado pela RAM, que exige que o usuário gerencie as abas abertas a todo instante. Ainda assim, para tarefas básicas, é uma máquina que serve muito bem e pode ser uma compra a se considerar — especialmente com a alta nos preços dos notebooks com Windows.

Esta foi minha primeira experiência longa com um Chromebook; até então, eu tive apenas contatos rápidos com o Chrome OS, que não duraram mais que um dia. E o que mais me impressionou é que os pontos positivos me despertaram um grande interesse pela plataforma. Penso seriamente em ter uma máquina simples, leve e com bateria decente para me acompanhar no trabalho e na faculdade, e um Chromebook parece a solução mais próxima da ideal.

Eu compraria um Chromebook. Não esse, mas compraria.

Prós

  • Bateria que dura um dia inteiro de trabalho
  • Leve, fino e compacto
  • Teclado confortável e touchpad decente

Contras

  • Desempenho limitado pela RAM de apenas 2 GB
  • Tela de baixa qualidade, com baixo ângulo de visão e cores lavadas
Nota Final 7
Design
8
Tela
6
Teclado
7
Touchpad
Desempenho
5
Bateria
9
Software

Especificações técnicas

  • Armazenamento: memória flash eMMC de 16 GB;
  • Bateria: até 11 horas de duração;
  • Câmera frontal: 720p;
  • Conectividade: Wi-Fi 802.11ac e Bluetooth 4.0;
  • Dimensões: 28,9 x 20,4 x 1,79 cm;
  • Memória RAM: 2 GB LPDDR3 de 1.600 MHz;
  • Peso: 1,15 kg;
  • Portas: HDMI, USB 2.0, USB 3.0, leitor de microSD, fone de ouvido e energia;
  • Processador: dual-core Intel Celeron N3050 de 1,6 GHz;
  • Teclado: ABNT2;
  • Tela: LCD de 11,6 polegadas com resolução de 1366×768 pixels e revestimento antirreflexo.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tori
Uma coisa, apesar de a notícia ser de 1 mês atrás. Chromebooks rodam aplicativos android através do ARC Welder, um programa beta da Google para fazer aplicativos serem convertidos a apps chrome. Isso funciona em qualquer plataforma com o Chrome Os novos chromebooks (samsung chromebook 3 ^) terão suporte nativo a Google Play Store atráves do Kernel 4.X e o container do Android.
Tori
tem uma lista de chromebooks que irão aguentar o container novo do Android/Kernel Linux 4 Chromebooks antigos como o meu (Samsung Chromebook ARM) não terão suportes ao mesmo. apenas chromebooks intel e que tenham sido lançados recentemente.
Letícia
eu estou comentando isso por um chromebook igual ao que foi mostrado e eu consigo abrir mais de 10 abas sem muitos problemas... não achei tão ruim assim
Daniel Bonato
Ótima matéria. Tenho esse post salvo nos favoritos. Talvez sirva pra alguem tbm... http://tableless.com.br/comprei-um-chromebook-e-agora/
AdvogadoDoBem
Vejo que além de sua mãe continuar se prostituindo, vendendo aquela carne velha, enrugada e apodrecida, para continuar a pagar as contas de casa, haja vista a falta de formação, o senhor continuará nas trevas do desconhecimento "doando" seu ânus em troca de crack. Certamente o senhor deveria se preocupar em fazer uma perine para reconstruir seu canal anal, totalmente destruído e dilacerado depois de tantas "doações". Sugeri ao senhor sair daqui e estudar e ficou todo "estouradinho", agora sugiro-lhe sair daqui e ir chupar uma membro masculino, tal qual o senhor faz todas as noites. Talvez agora esteja mais feliz, não? É incrível que além de burro, o senhor seja insociável, dê o seu cagador que sua raiva passa
AdvogadoDoBem
O senhor deveria ter vergonha do lixo que é, volte para o útero de sua mãe, seu resto de punheta, sua mãe deve ter tentado abortá-lo, por isso sua revolta.
Macaquinho feio do bananal
você se preocupa d+ com o dinheiro dos outros. e eu vou fazer o mesmo, ei amigo, para de dar * tanto assim, pq o rasgo já da pra ver da esquina.
AdvogadoDoBem
Não se ofenda, otário, lamento por vc ter gasto seus parcos recursos financeiros em um lixo inútil. ?
Rica dos Santos
Acabei de comprar um chomebook da HP, estou precisando de um Pc e como opcao mais em conta fui no PY com 179 U$, na MEga Eletronicos levei um modelo 14 G4 resolvi encarar essa porra nova de tecnologia, desde o momento que se liga o aparelho precisa conectar a uma conta google e a internet, agora ja faz umas 4 horas tentando instalar um app de editor de texto, a primeira vez coloquei uma conta ja antiga do google que eu tinha, mostrava que estava vinculado ao meu aparelho de smarthfone que estava conectado e quando baixava o app instalava no celular, milhares de tentativas para localizar o Chomebook que estava usando para instalar o APP e nda de localizar, fui la e restaurei e coloquei um dono do aparelho novo com conta nova e tmb nda de localizar o ChomeBook para instalar o editor de texto, as opçoes de ajuda levam a paginas que ainda estao em cosntruçao ou que não oferecem o serviço no Brasil, querem saber esse serviço do Google ainda ta muito incompleto os caras controlam tudo dentro da plataforma mas falta muita coisa pra ser resolvida.
Jamis Casusa

Tenho um Asus que é assim também. É um saco comentar uma linha no VS

Felipe

Eu já estou usando um destes a um bom tempo. Eu alterno com um ultrabook da ASUS (um ASUSPRO) e um Macbook Pro Retina. Até então, o Macbook era o mais prático para usar apenas para navegar. Mas, ele é mais pesado e esquenta. Acabei comprando este Chromebook 3 exatamente para não usar o Macbook para uma tarefa tão simples.

Ele tem um ótimo trackpad. Não soa como uma gambiarra que de vez em quando (sendo bem amigo) buga (no caso do modelo da ASUS com o Windows 10). Ele é bem preciso, incorporado ao SO, e extremamente prático para se usar para navegar. Tão bom quanto o trackpad do Macbook.

Você nem sente falta do mouse, e para se usar longe de uma mesa, hoje, é um recurso obrigatório.

Acho que, antes de citarem modelos de valor similar que possa parecer superior, seria melhor rever o foco. A pessoa quer um PC para usar em uma mesa (como muitos fazem com Notebooks), ou um netbook para usar em qualquer lugar, de preferência bem distante de uma mesa e tomada?

Sinceramente, eu não lembro de nenhum modelo (não importando a plataforma) na mesma faixa de preço, que possa entregar uma experiência equivalente (somando um bom teclado, ótimo trackpad, boa performance, e com uma excelente autonomia de bateria).

Felipe

Este cretino muito provavelmente usava Macbook e por isso, não viu problema algum.

Detalhe, você tem que manter esta tecla pressionada para desligar.

Felipe

Várias fabricantes adotaram esse layout. Principalmente aqui no Brasil. Quanto ao acento, até a linha VAIO usava, da mesma forma como os modelos da ASUS.

Felipe

É completamente relativo ao que você está acessando. Páginas pesadas com vídeos ou com muitas imagens podem gerar um peso alto. Mas páginas simples, como os de webmails, hangouts, e similares, não possuem quase peso.

Eu cheguei a usar com mais de 8 abas e não tive problemas. Mas claro, dependendo do que você for usar, pode ser que valha a pena fechar o que não é mais necessário.

Big Joe

Fui testar um e realmente achei fraco. E o triste dessa história de só ter 2GB de RAM é que custaria uma merreca para a Samsung dobrar e colocar 4GB. Por que não lançam só de 4GB e pronto? Uma telinha melhor e... Sucesso! Miopia corporativa é foda. O conceito acho muito bom, mas esses aparelhos pé-quebrado que colocam no mercado queimam o filme.

Exibir mais comentários