Depois que você sai do ensino médio e vai para o ensino superior, teoricamente tem mais liberdade dentro da sala de aula. Não precisa mais pedir para ir no banheiro ou ficar com o celular guardado o tempo inteiro. Quando eu comecei a faculdade, aproveitei da liberdade maior para usar o notebook para fazer anotações na aula. Odeio escrever à mão.

Papel e caneta

Como esperado, houve pouquíssima reação dos professores. A maioria nem ligava, outros até pediam para a gente pesquisar algo no meio da aula, e poucos proibiam aparelhos eletrônicos. Em uma sala de 50 pessoas na Unesp, minha faculdade no Brasil, praticamente só eu usava o notebook para fazer anotações. Até que esse número começou a aumentar a um pouco menos de 10% da sala.

Por ser ideal para estudo, achei que não ia ter problemas com o Inspiron aqui no Canadá. A tela tem um bom tamanho para deixar o notebook compacto o suficiente para não me atrapalhar nem em cadeiras apertadas. Também achei que ia ver bastante gente com notebook, por esse equipamento ser mais acessível por aqui e até por questões de segurança. Ledo engano. A proporção, de 10%, se manteve a mesma. E o pior: mais professores implicavam com o uso do notebook na aula.

Pode ter sido azar meu, mas duas professoras das cinco matérias que eu peguei praticamente advogavam para você não usar o notebook na sala. Uma foi menos radical, mencionou esse estudo do MIT na primeira aula e pronto. Outra disse que “desencoraja fortemente” o uso de notebooks e que as pessoas que quisessem ficar com o laptop deveriam sentar na última fileira para não “atrapalhar a concentração dos outros”. Ok, né.

photo-2

O argumento principal, muito bem detalhado neste post do Alecrim, é que, ao digitar, você tende a anotar o máximo de conteúdo que puder, por vezes escrevendo palavra por palavra o que o professor fala. Como à mão você não tem essa capacidade, a sua concentração melhora (até pela falta de notificações e mais distrações) e você anota o que te ajuda a lembrar da aula e fixar o conteúdo.

Mas acho que tem outra perspectiva aqui. Temos uma tendência a anotar mais coisas digitando, sim. E a se desconcentrar. Assim como temos uma tendência a ficar checando o celular toda hora quando estamos entediados, ou evitando fazer algo. Mas algumas práticas de auto-controle podem te ajudar a se concentrar.

Acho que esse seja o caso aqui. Pessoalmente, eu faço as anotações no notebook de forma semelhante como se estivesse fazendo à mão. Raramente tendo a copiar tudo o que eu ouço e normalmente funciona bem — pelo menos no Brasil, consigo ir muito bem nas provas.

Se você preferir, também pode deixar o Inspiron no modo tablet e usar a stylus, embutida no produto, como uma caneta. Com uma pitada de auto-controle e organização, cada um pode criar o próprio método de estudo e usar o método de anotação que lhe serve melhor.

O que você gosta de usar na sala de aula?

Conteúdo oferecido pela Dell. Este post é o sexto de uma série de artigos sobre como a tecnologia pode ser uma grande aliada nos estudos e nas viagens. Confira os outros!

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

PabloRDinella
Eu não gosto de escrever também. Mesmo com notebook, nunca deu muito certo pra mim. Mas depois que comecei a usar o mindmup.com, comecei a achar que fazer anotações num formato diferente é o que funciona pra mim
Thiago Sabaia
comecei fazer isso no ultimo ano do Ensino Médio, alguns professores de de pirraça pedia para da um visto no caderno. Eu malandramente, colocava para imprimir na impressora da direção e descia em seguida para pegar a folha e prender no fichário. Eu fazia parte do grêmio estudantil, ai tinha certas liberdades dentro da escola e confiança. Por isso conseguia usar a impressora e imprimir pela rede. Quando entrei na faculdade nem caderno eu comprei, usava apenas o iPad. Resolvi vender o iPad e atualmente uso meu Note 3, estou no último período da faculdade sem precisar de caderno. Um ou outro professor na faculdade chegou a falar que eu não estava prestando atenção na aula, apenas levantei o celular virando a tela para ele e caminhei na direção dele, sem encostrar na tela, depois dessa, esse professor nunca mais tocou no assunto e não reclama de ninguém na sala com celular.
Fenmarel
Para mim a melhor maneira de estudar é gravando a aula (somente áudio) e ouví-la novamente depois, revisando minhas anotações (sempre à mão) enquanto o faço. Simples e prático. Você pode ouvir enquanto está no ônibus ou no metrô.
Felipe Martins

cada um faz o que quer! Temos que ter um país livre!!! fala serio!

se eu quiser levar uma tábua de cortar carne apra anotar, que me deixe! sou livre!

estoudegreve
cada um faz o que quer! Temos que ter um país livre!!! fala serio! se eu quiser levar uma tábua de cortar carne apra anotar, que me deixe! sou livre!
Diego Coenga
Kkkkk com ctz deve ser o melhor, mas o valor é extratosferico. Inviável.
Juan
Recomento altamento o IPAD PRO 12.9 com a apple pencil. Usando o aplicativo Nebo a experiência é perfeita. Melhor que QUALQUER outro tablet
Juan
Use o Nebo com a apple pencil. Experiência PERFEITA de caderno
abraaocaldas
Tive vários professores que proibiam anotar qualquer coisa enquanto eles estivessem falando, davam pausas de 2 - 5 minutos se você quisesse anotar algo, a aula flui muito melhor!
Henrique Carvalho

Sou estudante de Direito, estou no 8 período. Utilizo um SMARTPHONE para anotar o quadro ou as pontuações que cada professor faz. Utilizo o Google Drive para organizar cada cadeira, em cada período, divido em sub-pastas de exercícios ou aulas ministradas. É uma excelente forma também de passar o conteúdo pros amiguinhos que faltam, e eu, que falto bastante, utilizo a função de scanner do DOCS, pra poder gerar um PDF das páginas dos cadernos dos colegas.
Mas na hora de escrever meu nome, sai tudo torto.
AUHAUHAU

Henrique
Sou estudante de Direito, estou no 8 período. Utilizo um SMARTPHONE para anotar o quadro ou as pontuações que cada professor faz. Utilizo o Google Drive para organizar cada cadeira, em cada período, divido em sub-pastas de exercícios ou aulas ministradas. É uma excelente forma também de passar o conteúdo pros amiguinhos que faltam, e eu, que falto bastante, utilizo a função de scanner do DOCS, pra poder gerar um PDF das páginas dos cadernos dos colegas. Mas na hora de escrever meu nome, sai tudo torto. AUHAUHAU
Bruno B.
É de se pensar. A agilidade e a praticidade que o digitar nos traz pode ser mais eficiente do que o escrever à mão, visto que na sala de aula não se estuda, somente anota o que o professor está passando ou falando, ou seja, não é ali que o conhecimento vai se gravar no hipotálamo, é depois quando está estudando em casa. No momento da aula o que vale é a praticidade mesmo!
Diego Coenga
Eu tiro foto para estudar depois, é que tem muitos professores que ainda não adotaram o uso de slides para nos enviar depois por email, então tenho que tirar foto do que escrevem no quadro. E geralmente tiro foto e faço anotações ao lado, rascunho.
Keaton
Curiosidade, tirar foto do quadro serve para alguma coisa ou só para copiar mais tarde? (Eu uso para copiar mais tarde, minha vista é uma m...)
Keaton
Mesmo com os argumentos apresentados (e não levando em conta que é post com conteúdo oferecido pela Dell, fabricante de notebooks e computadores), ainda sou daqueles que acredita que escrever manualmente (independente se com caneta e caderno ou com stylus e tablet/note/phablet/fone - desde que não tenha distrações ao mesmo tempo) e não simplesmente digitar ajuda a fixar melhor o conteúdo. O problema da digitação é que ela NÃO requer atenção e com o tempo vira um processo automático. E isso acaba atrapalhando e muito o aprendizado pois você acaba se distraindo com bobagem enquanto digita. Manuscrever, como foi dito, não é tão rápido quanto digitar, porém requer mais concentração e você acaba fixando melhor os conteúdos.
Exibir mais comentários