Início » Gadgets » Padrão 802.3bz atinge 5 Gb/s com o mesmo cabo de rede que você já tem

Padrão 802.3bz atinge 5 Gb/s com o mesmo cabo de rede que você já tem

Até que demorou

Paulo Higa Por

É estranho saber que você pode (se tiver muito dinheiro) comprar roteadores domésticos que alcancem velocidade de múltiplos gigabits por segundo no Wi-Fi, enquanto a transmissão por cabo continua limitada ao Gigabit Ethernet. Mas o padrão 802.3bz vai mudar isso: a novidade permite taxas de transferência de até 5 gigabits por segundo. O mais legal: não precisa trocar nenhum cabo.

Segundo o Ars Technica, o padrão IEEE 802.3bz permite que cabos de rede de categoria 5e cheguem a 2,5 Gb/s, enquanto os de categoria 6 alcançam os 5 Gb/s — é quase certeza que sua rede tenha, no mínimo, uma instalação Cat 5e (dá uma olhada no cabo). Essas velocidades são aplicáveis para cabos com até 100 metros de comprimento.

cabo-rede-internet-banda-larga-ethernet-conexao-5

Já existe um padrão mais rápido, chamado 10 Gigabit Ethernet, que (adivinha!) alcança taxas de 10 Gb/s, mas exige cabos de rede especiais (Cat 6a ou 7). A principal diferença é que o 802.3bz tem espectro de banda de 100 ou 200 MHz, contra os 400 MHz do padrão 10GBASE-T. Por isso, não é necessário ter um cabo caro, com blindagem melhor, para conseguir aproveitar os 2,5 ou 5 Gb/s da nova especificação.

E talvez você não se importe muito com a vantagem de não precisar trocar cabos, já que seus outros equipamentos precisarão ser atualizados de qualquer forma, mas a novidade deve ser útil especialmente em casas e empresas maiores, uma vez que os cabos Cat 6a ou Cat 7 ainda são muito raros — eles representam apenas 10% dos cabos instalados nas empresas. Nem sempre é barato (e simples) trocar vários metros de cabos escondidos em canaletas.

Com as unidades de armazenamento cada vez mais rápidas (talvez até a memória flash do seu celular tenha velocidade de leitura acima de 1 gigabit por segundo), o padrão atual já é um gargalo há muito tempo. Resta saber quando os roteadores domésticos e as placas de rede vão suportar o 802.3bz.

Mais sobre: ,

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Renan Rufino
Excelente explicação Zanac
Renan Rufino
Mas isso são conceitos diferentes Paulo. Claro que se as taxas fossem iguais tudo seria muito melhor e mais rápido mas isso pra empresas e até quem tem aqueles mini-servers em casa pode trazer uma diferença gigante.
Fernando
Muito bem ponderado Zanac, muito bom. O custo de fabricação em elevadas frequências, ASICs e etc, é elevadíssimo... para, no fim, as massas comprarem o que atende elas por ora.
ochateador
2)Aí chega o chefe e diz. Passa um CAT5 que é tudo igual esses cabos, só muda a cor....
Alberto Prado
Sim, concordo. Mas um router soho não tem toda essa complexidade.
Dá uma olhada em alguns datasheets de alguns quando tiver um tempo só por curiosidade. Os melhores (fora os novos que vem com padrão AC e milhões de antenas) até outro dia tinham um proc mips que mal alcançam 500 Mhz. Eles são vendidos a quilo a preço de banana e não é de agora.
Separando um pouco a situação do Gbit para do 10Gb (que realmente foi bem complexa a padronização, pois tinha duas empresas brigando para que a sua tec fosse aceita e ambas eram soluções custosas); o Gbit não teve mudança tão drástica (pelo menos na questão de cabeamento e interface) com relação ao Fast como o Gbit anda tendo para o 10Gbit. Por isso ficaram no caminho como 5 Gbit mesmo para tentar baratear ela.
Mas enfim, torço para que empresas chinesas de equip de telecom continuem evoluindo para entregar os mesmo cada vez mais baratos para força a queda de preço das europeias e americanas que eu aprecio mais.
Zanac_Compile
Pois é, não sei... complexo achar o motivo kkkk

Ainda sou inclinado a achar que é a complexidade de ter a rede toda em velocidade alta. A gente pensa muito só na ponta, na estação do usuário.

Mas tem que pensar em tudo:

1) Um Switch com 12 portas 1Gbps tem que ter uma estupidez de backplane pra dar vazão a isso tudo ao mesmo tempo, ainda mais full-duplex. Não é a placa Ethernet que sai caro, mas sim o barramento todo do Switch, dai tu embute VLANs, QoS, Autentitcação, Filtros de regras, camada 3 com roteamento. Tudo isso com 12 porta a 1Gbps ?!!?? Haja processador ! E o preço do Switch vai nas alturas.... É uma cascata de coisas que deixa o equipamento caro. Não é a interface ethernet em si o caro. E se for levar pra 10Gbps isso vai nas alturas.

2) O cabeamento precisa ser mais cuidadosamente instalado para garantir 1Gbps, de preferência CAT6. Isso também é um fator que dificulta mais a dissiminação pra valer dessa rede. E se for levar pra 10Gbps, nem com o cabo CAT6 vai funcionar direito e o CAT8 é uma fortuna.

3) Pensando em uma placa 10Gbps, mesmo sendo estação de trabalho, ou mesmo servidor, só ela já exige dissipador de calor, uma fonte de energia da máquina dimensionada para aguentar essa placa. O mesmo cuidado que temos com uma placa de vídeo porrada tem que ser planejado com uma placa Ethernet de 10Gbps pra cima.

4) São milhares de fabricantes de interfaces Ethernet, muito, mas muito mais que de memória RAM. É mais difícil chegarem num cartel de preços. Vai no site do IEEE e olha a quantidade de empresas registrando blocos de endereços MAC.



Enfim... igual me surpreende com algo de 1998 ainda não tem um custo benefício melhor.... mas não dá pra descartar estes motivos que citei.
Alberto Prado
Mas justamente por ser um padrão aberto e qualquer um poder fabrica é que não faz sentido os preços continuarem altos mesmo hoje. Vê a dualidade da coisa, hehehe.
Tirando a questão da padronização, vc lembra do cartel de memórias RAM? Muitas empresas participaram dela, o que em teoria dificultaria tb essa regulagem de preço.
Zanac_Compile
10Gb é para um servidor que recebe milhares de requisições por segundo e tem uma mídia de armazenamento de alta performace e nas pontas, nas estações, estará os 1Gb bombando. Um HD tem fácil a taxa de 1Gbps (BITS e não bytes por segundo).
Zanac_Compile
Mas veja bem...
O Ethernet é um padrão aberto, homologado pelo IEEE, qualquer um pode fabricar. É complexo regular tão forte os preços. Uma política de preço em um padrão aberto é impraticável.
Islan Oliveira
Eu tinha um Notebook que era 2 portas 3.0 e 1 porta 2.0, tive que trocar e embora eu realmente não saiba, suspeito que esse novo tenha só 1 porta 3.0...
LekyChan
essa materia não é sobre internet, mas sim sobre rede interna
Alberto Prado
Sinceramente eu acredito mais em uma política de preços do que o custo de se implementar ser tão caro. São quase 20 anos. O P/D do hardware e o maquinário já deve ter se pagado várias vezes a muito tempo.
Paulo Higa
Um HD baratinho hoje atinge uns 100 MB/s de leitura/escrita sequencial (ou seja, 800 Mb/s). Mesmo para máquinas com disco rígido, Gigabit já é gargalo.
ochateador
Mas se olhar bem, não adianta merda nenhuma ter uma placa de rede 10Gb e o HD malemá atingir 100Mbps na leitura...
Paulo Boa Sorte
Novo padrão atinge até 5Gb/s.Hum,legal! Minha net é de 10Mb.Ah,moro no Brasil.
Marcelo
Igual USB 3.0... porra, até hoje vendem note sem porta 3.0...e quando vendem, vem tipo 1 3.0 e 2 2.0

Não consigo entender isso... não é possível que depois de anos, uma atualização simples dessas tenha algum impacto no preço...e se tem, deve ser no máximo na casa dos centavos...
Cristiano Hahn
verdade kkkk
Burnerman_X
Se até hoje tem um monte de roteadores com suas centenas de mbps no wifi mas só tem portas 10/100, quem vai dizer esse novo padrão....
Maico Andrade
Interessante, uma novidade ao apresentar a escolha de mudar td para o cat6 na empresa! ^^
Zanac_Compile
Exatamente. Que bom! Pra mim foi surpresa.

Eu esperava que a próxima evolução fosse pular de 100Gb para 1Tb Ethernet. Mas não, retrocederam, e criaram uma velocidade intermediária. De qualquer forma, não vou trocar o AirPort que tenho de 2014 que vem com GigaBit tão cedo, até essa tecnologia chegar nos novos modelos de roteadores dos fabricantes, chegar nos notebooks, ainda demora uns 5 anos. Em 2025 calculo que tenha ela em casa :)

Não adianta a tecnologia dar saltos de velocidade gigantescos se o custo não compensa!
Zanac_Compile
Ethernet segue um rumo no mercado bastante curioso...

GIGABit Ethernet está no mercado desde ***1998***, são DÉCADAS. E mesmo assim até hoje, somente de pouco tempo pra cá ficou mais comumente integradas a placas mães de notebooks e desktops. Um switch ou roteador com Gigabit ainda é caro... O negócio é de 1998 e demora este tempo todo para ter um bom custo benefício no mercado.

De 1998 pra cá, já chegamos a anos no 40Gb e 100Gb Ethernet. Isso é mais curioso. De 1998 a tecnologia segue evoluindo a passos largos. Já temos a anos o 100Gb no mercado, mas ainda é algo muito astronomicamente caro.

Seguindo essa linha, talvez em 2030 ou 2040 o teremos 100Gb na estação de trabalho, mas a tecnologia até lá já vai ter evoluído para o 1000Tb Ethernet, apesar de nada acessível para o usuário...

E tem os cabos... Isso que é complexo. Tem a placa de rede, tem o Switch, tem o roteador, tem o cabeamento... tudo tem que estar alinhado.... Isso é um dos motivos para o negócio não emplacar tão rápido.
Zanac_Compile
Existe já a bastante tempo 100Gbps Ethernet, mas de fato o uso é bem limitado com cabos metálicos e caro com fibra óptica.

Bom saber dessa nova abordagem, não conhecia !
Julian Leno
Queria que nossa conexão de internet acompanhasse essa evolução...
Paulo Higa
Gigabit vai acabar virando o novo Fast, e 802.3bz vai virar o novo Gigabit. Mas já é alguma coisa. :)
Alberto Prado
As empresas que fazem os routers SOHO dificilmente colocam chips para Gbit Ethernet neles (e quando o fazem pedem preços absurdos como se fossem uma tecnologia alien) imagina coloca chips que suporte o padrão IEEE 802.3bz.