Início » Jogos » FIFA 17 traz modo “A Jornada” e eu não estou conseguindo parar de jogar

FIFA 17 traz modo “A Jornada” e eu não estou conseguindo parar de jogar

Por
3 anos atrás

9-29-2016_1-58-39_pm

FIFA 17 foi oficialmente lançado no dia 27 de setembro. E desde então eu não consigo parar de jogar. E é tudo culpa do modo A Jornada. Se você não sabe do que se trata, recomendo a leitura deste texto, publicado aqui no Tecnoblog há vários meses, no qual eu fiz várias previsões sobre o game. Muitas delas, já adianto, se concretizaram.

Sobre o modo A Jornada, especificamente, assista ao vídeo abaixo e ative as legendas:

Pois é! Desenvolvida com a tecnologia Frostbite, esta modalidade permite que você escreva seu nome na história do futebol, dentro e fora de campo, como Alex Hunter, um craque em ascensão na Premier League. Todo o projeto foi feito em 18 meses, com a ajuda de jogadores reais como James Rodriguez, Harry Kane e Anthony Martial. Além disso, esse modo inédito é a primeira experiência de história na franquia do FIFA.

PS: daqui para baixo talvez eu deixe escorregar um ou outro spoiler, portanto siga por sua conta e risco.

Começo de carreira

Essa empreitada futebolística virtual começa com um breve aprofundamento nos personagens principais: os laços amorosos entre Alex e sua mãe, seu avô, além do complexo relacionamento com seu pai, um frustrado ex-jogador de futebol que teve que abandonar sua carreira por causa de uma lesão.

Seu avô, inclusive, também foi uma lenda do futebol inglês na sua época. Daqueles que vão parar em cards colecionáveis, com atributos na pegada Super Trunfo.

Além deles, o game deixa evidente a forte ligação entre Alex Hunter e seu amigo de infância Gareth Walker, com quem ele sempre jogou futebol e que, depois de testes e peneiras, acaba sendo contratado pelo mesmo clube no decorrer da jornada.

fifa-17-alex-hunter-gareth-walker

A vida no clube

Maravilha, você chegou à primeira divisão inglesa? Sonho realizado, começo de uma carreira promissora e meteórica? Não é bem assim.

Existe um problema: os dois amigos jogam na mesma posição e começam a desenvolver uma forte rivalidade interna. E isso só se acentua com o tempo. Chegando a um ponto em que Walker se torna o preferido do técnico, o que força o clube a emprestar Alex Hunter para um time da segunda divisão.

xbox-game-dvr

Nesse ponto do jogo você percebe que Alex está completamente frustrado, evidentemente. Mas como ele é um atleta jovem e inexperiente, de fato a melhor coisa seja ir para um time mais fraco para pegar ritmo e desenvolver habilidades.

Percebe que até aqui eu não falei da jogabilidade? Isso porque até esse momento, estive completamente imerso no enredo proposto pelos roteiristas da EA. Mais que um game de futebol, você se vê em meio a uma trama, um filme, uma obra cinematográfica interativa.

Mas é necessário falar desse ponto. Existem algumas coisas muito legais por trás da mecânica do jogo. Por exemplo, em entrevistas coletivas e diálogos, você vai moldando a personalidade do jogador, deixando ele mais esquentadinho ou arrogante, ou mais centrado e humilde, ou mais frio e metódico. Isso impacta diretamente sua relação com a torcida e seu técnico:

Além disso, ser mais polêmico ajuda a conseguir mais seguidores na rede-social-igual-ao-Twitter-só-que-diferente. E mais seguidores resulta e mais patrocínios e mais rendimentos financeiros.

9-29-2016_2-00-35_pm

Nota rápida: é bem legal isso de acompanhar a reação dos torcedores nas redes sociais, os trolls, as alfinetadas e indiretas para C-E-R-T-A-S P-E-S-S-O-A-S, mas depois de um tempo alguns dos tweets, digo, mensagens, começam a se tornar repetitivas. Taí uma coisa que a EA pode melhorar no futuro.

Avaliação de performance e evolução de atributos

Aqui é onde o game fica mais burocrático. Não ruim, mas foge um pouco daquilo que eu disse sobre ser uma experiência cinematográfica e volta a ser somente um game de futebol como FIFA sempre foi. Por exemplo, sua performance em campo decide quão rápido seus atributos vão evoluir:

9-29-2016_2-00-11_pm

9-29-2016_2-00-19_pm

9-29-2016_2-00-26_pm

Outra coisa importantíssima que impacta a evolução do personagem e a relação de confiança com o técnico é quão bem você se sai nos treinamentos entre um jogo e outro. E não é a coisa mais divertida do mundo.

Isso porque repetir mil vezes o mesmo treinamento se torna enfadonho. A ponto de me fazer passar a simular treinamentos em vez de executá-los, o que invariavelmente resulta em performance abaixo da que você mesmo teria.

9-29-2016_2-00-42_pm

9-29-2016_2-00-50_pm

Entendo que esse treinamento é necessário e faz parte da mecânica básica do game. Mesmo no antigo modo carreira já era assim. E, bem, é chato, mas você de fato treina suas habilidades dentro do jogo, como criação de jogadas, defesa, cobranças de falta, e certamente você vai usar isso em campo. E por você, eu não quero dizer só o Alex Hunter, me refiro a você jogador, com o controle em mãos.

FIFA 17 dentro de FIFA 17?

A franquia FIFA costuma “premiar” os melhores jogadores da semana, na vida real, inserindo-os em um “Time da Semana”, dentro do game. Então jogadores que, numa partida real, arrebentaram dentro de campo, estarão disponíveis para os gamers na semana seguinte.

E já que essa é uma simulação da vida real, por que não presentear uma excelente performance de Alex Hunter com um lugar neste time virtual? FIFA 17 encontra Inception.

Considerações finais

Apesar do incômodo com os treinamentos, o enredo foi feito de forma a te envolver completamente. Até para escrever este post foi complicado, porque eu não conseguia parar de jogar. Mentira. Mas quase.

Mais que um game de futebol, A Jornada faz de FIFA 17 uma obra única, com seu roteiro surpreendente, fidelidade ao mundo real, gráficos de tirar o fôlego e a promessa de agradar até a quem não gosta muito de games de esporte.

Agora, se vocês me dão licença, eu tenho um troféu da Premier League a conquistar.

Mais sobre: , ,