Início » Legislação » Prefeitura de SP vai cobrar taxa maior de apps de transporte para evitar monopólio

Prefeitura de SP vai cobrar taxa maior de apps de transporte para evitar monopólio

Uber ocupa 90% das 5 mil vagas para aplicativos de transporte individual na cidade de São Paulo

Paulo Higa Por

A Prefeitura de São Paulo publicou nesta terça-feira (11), no Diário Oficial do Município, uma medida para evitar o monopólio do Uber nos aplicativos de transporte. Até então, o município cobrava das empresas interessadas em prestar o serviço uma taxa de R$ 0,10 por quilômetro rodado. Agora, a taxa será progressiva, chegando a R$ 0,40 para serviços que percorrerem mais quilômetros.

A atividade dos aplicativos de transporte particular é limitada em 5 mil vagas na cidade de São Paulo para evitar o excesso de oferta. No entanto, de acordo com as estimativas da Folha de S.Paulo, 90% das vagas são ocupadas pelo Uber. O resto é dividido entre Cabify, WillGo, EasyGo e outros concorrentes menores.

uber-app

A partir desta terça-feira (11), a taxa cobrada pelo município dependerá da distância percorrida por todos os veículos da empresa no período de uma hora, seguindo a tabela:

  • Até 7.541,67 km por hora: R$ 0,10 por km
  • Entre 7.541,68 e 15.083,33 km por hora: R$ 0,11 por km
  • Entre 15.083,34 a 22.625 km por hora: R$ 0,13 por km
  • Entre 22.625,01 a 30.166,67 km por hora: R$ 0,16 por km
  • Entre 30.166,68 a 37.708,33 km por hora: R$ 0,23 por km
  • Mais de 37.708,33 km por hora: R$ 0,40 por km

Segundo a Prefeitura, cada serviço poderá decidir se repassará o aumento ao consumidor ou não. Com a medida, o prefeito Fernando Haddad diz que “a empresa fica inibida de aumentar muito a frota, porque outra poderá entrar com um preço melhor”. A taxa progressiva impediria o aumento da frota, “que muitas vezes implica em uma exploração da força de trabalho dos motoristas credenciados”, segundo o prefeito.

Em nota, o Uber afirmou que “limites arbitrários criam sistemas ineficientes, fazendo com que os preços subam para o consumidor, o número de viagens diminua para os motoristas parceiros e o incentivo para compartilhar viagens diminua, aumentando o número de carros nas ruas”.

Procuramos o Uber, principal afetado pela mudança, para descobrir se o aumento será repassado ao consumidor, mas ainda não obtivemos resposta. Em caso de repasse, uma corrida de 10 quilômetros, por exemplo, pode ficar até R$ 3 mais cara em relação ao preço atual. A empresa já cobrava do usuário a tarifa do município, de R$ 0,10 por quilômetro percorrido dentro de São Paulo.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Luiz Paulo Kenny
sabe o que a Uber esta fazendo neste exato momento? esta criando outros CNPJ e redirecionando o registro de alguns motoristas para serem "funcionarios" desse outro CNPJ, assim o km rodado por estes outros motoristas não fica sendo da UBER mas sim de outra empresa.... kkk mas o uso do APP da uber continua o mesmo tanto pro usuario como pro motorista.... só debaixo dos panos é que alguns motoristas ficam sendo de outro CNPJ, e caso o governo peça pra ver o App dessas outras empresas a uber mostra... faz um app fake como sendo o app desse outro CNPJ ... kkkk resolvido o problema pra Uber.... além disso quem é que fiscaliza a kilometragem que os carros da Uber andam? deixa eu adivinhar... a propria Uber ? kkkkk assim como os taxistas.... que ninguem sabe quantos KM rodam.. quem diz os KM que andaram são eles mesmos.... kkk bem vindos.. isso aqui é o brasil.... fazem lei pra coisas que a pessoa mesmo é que informa ... kkkk é só informar que andou menos que ta tudo certo...kkk
RodrigoCard
"A taxa progressiva impediria o aumento da frota, “que muitas vezes implica em uma exploração da força de trabalho dos motoristas credenciados”, segundo o prefeito." Lembro de gente que trabalhava pro Uber que reclamava exatamente da exploração do trabalho e da jornada excessiva. Pensando por esse lado, faz sentido.
betacaroteno
Exatamente. Em curto prazo é ótimo para o usuário - Uber barato, táxi dando desconto pra acompanhar. Mas isso não é sustentável em longo prazo se não cobrir os custos dos motoristas e não dar um rendimento digno para os mesmos. Já vejo muito motorista de Uber caindo na real, vendo que o ganho não é tão grande assim, tirando os custos de manutenção do carro, combustível, etc. Isso acaba contaminando os táxis, que precisam sim melhorar muito, mas têm o seu espaço de forma regulamentada. Em longo prazo é o sucateamento da frota (táxis, Uber, etc.) e consequente aumento de preço para os clientes. Não existe surpresa e isso nada tem a ver com esquerda. É simples avaliação de mercado. A regulação q o Estado deve fazer é para inibir isso, transformando o serviço em algo injusto para todos. A existência do Uber não tem volta, mas não pode ser feita com uma empresa lucrando às custas do trabalho sofrido dos outros. Ninguém é obrigado a ser motorista de Uber. Então, se todos desistirem sobra o quê? Tem q ser bom pra todo mundo.
Hemerson Silva
Na marra.
Hemerson Silva
Pode me dizer quando foi que o mercado foi deixado solto? Hahahahaha
JN Marcos
Quanto a essa restrição, provavelmente é para impedir que os taxistas não passem a ser todos motoristas de carros-pretos, pois, aí sim, se teria um monopólio, já que pela matéria, 90% são da Uber. Pois iriam a maioria para o serviço mais conhecido, o Uber. Mas penso que 5 mil, para o tamanho da cidade de São Paulo é algo baixo.
Rafael Schettino
Já que não podemos inovar, porque não inventamos besteiras para barrar a inovação e continuamos sendo um país que exporta soja para comprar iPhones? Esse tipo de coisa só mantém o país como um país burro, improdutivo e de commodities. Isso desestimula a inovação completamente. Pra que vou inovar se o Governo vai meter a mão nos meus investimentos? Talvez por essa insegurança jurídica que o Brasil não tenha nenhuma startup "Unicórnio" (que vale mais de 1 bilhão de dólares só com capital privado).
Rafael Schettino
Não entendi de onde a prefeitura tirou esse números... "37.708,33 km por hora". Isso foi só pra parecer que alguém fez uma análise séria por trás do tema? kkkk pq não colocou logo 37.700 ou 38.000 km?
Rafael Schettino
Eles instalam o UBER pra ver kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Tiago Celestino
A questão não ser "pão com mortadela" ou "coxinhas", mas sim a falta de gestão. Convenhamos, precisam esperar pela gestão do futuro prefeito para opinar se realmente vão "evoluir".
Trovalds
E vivemos um Estado justo atualmente depois de 13 anos de forte regulação? Ou vivemos no mesmo Estado (ou pior) desde sempre? Tudo que é radical não funciona. Mas quanto menos o Estado interfere mais as coisas funcionam. Mas não acredito em sistema perfeito, acredito em sistema em que EU como cidadão possa fazer a diferença, sem ninguém cagando regra.
Bruno Pinho

Minha réplica: historicamente, toda vez que o tal "mercado" foi deixado a própria sorte o resultado foi iniquidade e injustiça. Esperar que de uma negociação entre uma raposa e uns pintinhos saia algo minimamente justo é de uma ingenuidade sem tamanho. Em relação ao Uber, tente descobrir o investimento que eles receberam apenas em 2016...

PS: se a esquerda é ruim (e é!), tenho mais medo do mundo dos liberais radicais.

PS²: pra que essa agressividade?

Bruno Pinho
Minha réplica: historicamente, toda vez que o tal "mercado" foi deixado a própria sorte o resultado foi iniquidade e injustiça. Esperar que de uma negociação entre uma raposa e uns pintinhos saia algo minimamente justo é de uma ingenuidade sem tamanho. Em relação ao Uber, tente descobrir o investimento que eles receberam apenas em 2016... PS: se a esquerda é ruim (e é!), tenho mais medo do mundo dos liberais radicais. PS²: pra que essa agressividade?
Trovalds
Ninguém obriga ninguém a trabalhar no Uber (ou qualquer outro aplicativo). Trabalha quem quer. Não está satisfeito com os ganhos, vai viver de outra coisa ou migra pra concorrência. Pra efeito comparativo, um táxi pro cara poder tirar sustento também tem que suar a camisa bastante. Então sua falácia é que cai por terra. A diferença é que antes taxista não tinha concorrência e a tarifa é determinada pelo poder público. E ainda com o agravante de que o táxi você não pode simplesmente desistir e pronto. Pra você ter um táxi ou você compra a licença no mercado negro por uma fortuna ou espera ter a chance da prefeitura promover leilão de novas concessões. A polvorosa é que de alguma forma o poder público teve que achar uma forma de regular o mercado de transporte particular e essa forma é onerar quem trabalha pra Uber e cia. A tarifa vai aumentar pro passageiro, o Uber vai continuar ganhando seus 30% e vai ficar tudo na mesma. Na prática, quem perde é o passageiro. O resto do mundo? O Uber não tem grana pra bancar lobby a favor, então senta e assiste de camarote as tentativas de revisão que o próprio mercado vai rejeitar (tirando um ou outro que vai conseguir na canetada, como nós). O que é injusto nisso tudo é que as obrigações constitucionais mínimas do Estado, como saúde e educação, não são cumpridas. Daí quem não faz o básico direito quer cagar regra sobre o que é justo ou injusto para com o "trabalhador"? Trabalhador tem direito a ter saúde. Cadê? Não tem. Trabalhador tem que ter direito garantido pelo Estado porque não foi educado direito (isso quando foi educado) de que os direitos dele nada mais são deveres disfarçados e que em países desenvolvidos é ele é quem é responsável por isso, não os empregadores. Então leva esse seu discurso de injustiça lá pra sua rodinha de amigos que partilham dos seus ideais de esquerda.
Robson Nascimento
A verdade é uma só. O uber não vai pagar mais impostos, ele vai repassar para o consumidor. E como sempre são os consumidores que pagam o pato!!!! E esse valor arrecadado vai ser usado para quê? Caixa 2? Pra mim o governo deveria interferir cada vez menos em diversas áreas.
Exibir mais comentários