Início » Legislação » Polícia Federal derruba mais três sites ilegais de filmes online

Polícia Federal derruba mais três sites ilegais de filmes online

É a continuação da operação Barba Negra, que fechou o Mega Filmes HD no ano passado

Por
2 anos atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora
filmesonlinegratis

Sabe aquela ação da Polícia Federal que tirou o site Mega Filmes HD do ar no final de 2015? Pois bem, a segunda fase dessa operação, chamada de Barba Negra, foi deflagrada nesta quinta-feira (13), quase um ano depois. A ação levou à prisão os responsáveis por outros três sites que oferecem streaming de filmes e séries de modo ilegal.

Cinco mandados de prisão, além de 12 de busca e apreensão, foram expedidos pela 1ª Vara Federal de Sorocaba (SP) para cumprimento em Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco e São Paulo.

Os envolvidos são acusados de responder pelos sites armagedomfilmes.biz, megafilmeshd20.org e filmesonlinegratis.net (que continuava no ar até a publicação deste texto). Juntos, eles disponibilizavam 11 mil vídeos para streaming sem licenciamento e pagamento de impostos, segundo a Polícia Federal, e eram remunerados com publicidade.

armagedomfilmes

Ainda não está claro o volume de dinheiro que esses sites movimentavam, mas a Polícia Federal acredita que o montante é comparável às receitas obtidas por grandes portais, afinal, os três sites recebiam juntos, em média, 768 milhões de visitas por ano. A maior parte era proveniente do Brasil, mas também havia acessos de países como Portugal e Japão, o que explica o auxílio da Interpol nas investigações.

Pelo o que foi apurado, os sites armagedomfilmes.biz e filmesonlinegratis.net funcionavam desde 2009. Cada um registrou média de 11 milhões de acessos mensais nos últimos seis meses. Já o megafilmeshd20.org surgiu no início do ano para substituir o Mega Filmes HD, fechado em novembro do ano passado. Nos últimos seis meses, o endereço registrou média de 17 milhões de visitas mensais.

Todos os investigados na operação Barba Negra responderão pela prática de constituição de organização criminosa (com pena de três a oito anos de cadeia mais multa) e violação de direitos autorias (pena de dois a quatro anos de prisão e multa).