Início » Computador » Como os novos MacBook Pro e Surface podem impactar o futuro da Apple e da Microsoft

Como os novos MacBook Pro e Surface podem impactar o futuro da Apple e da Microsoft

Avatar Por

Na semana passada, a Microsoft apresentou várias novidades relacionadas ao Surface durante um evento em Nova York. Mas, além do Surface Book, Surface Studio e Surface Dial, uma coisa me chamou muito a atenção. Foi algo dito pelo CEO Satya Nadella: “Nós somos uma empresa que representa os construtores, os autores, os criadores”.

Ei! Até pouco tempo atrás, essa era justamente a visão que a gente tinha da Apple. Com os novos produtos e nova filosofia, a Microsoft fez o que se pensava imaginável, que é, aos poucos, conquistar parte de um império que era todo da Apple.

Calma, eu não estou dizendo que o mercado de criação vai migrar em massa para os Surface, nem que o MacBook Pro vai deixar de existir. Eu inclusive estou escrevendo este texto em um laptop da Apple, no qual trabalho diariamente com desenvolvimento de software e pretendo continuar por muito tempo ainda.

Mas logo depois vimos a apresentação do novo MacBook Pro, com sua barra OLED tátil no lugar das teclas de função, com sua falta de portas USB, sua falta de entrada para cartões de memória, sua necessidade de se adquirir dongles e adaptadores, e finalmente, seus preços altíssimos, não apenas no Brasil.

tecnoblog_apple_adaptadores

Veja bem, eu adoro meu MacBook, e fiquei muito tentado a comprar essa nova versão, mas preciso ser racional aqui. Quando comparado ao que a Microsoft está fazendo, à inovação que ela está buscando, e quando se coloca na balança os MacBooks atuais com os novos, podemos concluir que a Apple não está mais focando em profissionais. E talvez não seja mais referência de inovação, de revolução. Ao menos, nada perto do que já foi um dia.

Não, não vejo que de uma hora para outra o Surface Studio e o Surface Book se tornarão incrivelmente populares, mas o ponto é justamente esse: a Apple sempre foi referência em um nicho específico do mercado profissional, que é a criação. E mesmo fãs de longa data da Apple se mostraram seduzidos pelos produtos da Microsoft — e igualmente decepcionados com os anúncios da Apple.

Com todas essas limitações, o MacBook Pro não é mais o “produto ideal” para fotógrafos, nem para quem viaja e precisa fazer apresentações com o produto, nem ninguém que precise mais de 16 GB de memória, nem quem trabalha com recursos gráficos, modelagem 3D, edição de vídeo ou qualquer tarefa mais parruda.

tecnblog_macbook_hdmi_portas

Estamos diante de uma inversão de mercado?

Por anos e anos, enxergamos o PC como um produto corporativo, que era só para trabalhar com o pacote Office e, alheio aos excelentes games, estar preso a tarefas enfadonhas. Já no Mac, a imagem era da diversão, da criação, de um universo amplo que permitia explorar toda sua criatividade.

No entanto, apesar de ainda ser a empresa com o maior valor do mundo, boa parte desse sucesso se dá por causa do iPhone:

tecnoblog_apple_quarterly_revenue_growth

Portanto, imagino que o maior desafio da Microsoft agora é fazer com que designers e ilustradores, por exemplo, passem a se ver como possíveis clientes da Microsoft. Uma questão de público-alvo.

Muitos certamente vão se recusar a mudar para o Windows por estarem acostumados com o ecossistema da Apple. E eu não faço ideia de como o Nadella e suas equipes pretendem superar esse problema.

A pergunta que fica é se eles vão realmente investir pesado para aumentar sua participação nesse mercado. Ou, pelo menos, aproveitar bem enquanto a Apple passa por essa crise existencial. Eu imagino que sim.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Ronaldo
Manda um print da tela abrindo dentro do Mac, ou grava a tela executando uma macro em VBA. Talvez a MS se interesse pelo seu caso.
Cortana
Aff. O resumo do que ele escreveu é que: A Microsoft está inovando mais, mas ninguém sabe se haverá migração em massa para os computadores Microsoft. Visão tendenciosa é a sua.
Wilson Faustino
VBA tem sim. Abri no excel 365 mac uns dias atrás.
LuizF

O texto parece uma propaganda da epow

LuizF

Aiai

capitão-do-mato
pega os números de venda da linha S e note e compara com os números de venda dos iphone padrão e plus, Apple não fabrica iphone prime e nem iphone y.
Carlos Aurélio
Sinal de alerta pra você Apple, se liga, pois se não, vai perder mais mercado..
Fabio Alvez
O dia em que a Apple liberar seu macOS para a galera, pode escrever aí, ADEUS Windows!! Quem dera!!
Luis Cesar
Se você for entrar no mérito do que as precisam ou não, não precisaríamos de nada além de um notebook da Compaq com intel dual core e um browser. E sobre qual o percentual de pessoas que usam esses programas? É só olhar a tecnologia à sua volta. E não estou falando de iPhone e iPad, não. Estou falando de construções, portos, rodovias, ferrovias, pontes, maquinário pesado, carros e afins. O Primavera, um dos softwares de planejamento mais completos que existe (MS Project é um bloco de notas perto dele) e muito usado em grandes empresas e corporações, só roda no Mac se virtualizar, e mesmo assim, capenga. E não dá pra comparar o nº de usuários desses softwares com o nº usuários VBA. Nem de longe.
Ronaldo
Qual o percentual de pessoas (sobre o total de licenças de Windows) que precisa de um Autocad, Solid Edge, Solidworks, VectorWorks ou algo parecido ? Se bobear é menor que o numero de usuarios que precisam de VBA para Office, que também não existe para Mac. E bobeando é menor do que o numero de pessoas que usam o Mac para desenvolver usando Ruby ou Python, cujo windows é ridiculamente atrasado.
Yago Oliveira
Só lembrar que essa linha Surface da Microsoft é bem carinha também. Mas se está falando da linha mais "de boa" concordo contigo. Obs: tenho um Dell e nunca mais...
Souza
Tem várias, mas todas tão caras que acho melhor olhar para os velhos 'notebook jeito de ser'.
Gabriel Arruda
A LG já tinha um 4K com USB-C e esse do vídeo é da Acer, o MacBook já tinha esse problema das portas, esse novo da LG é 5K que precisa de mais banda por isso Thunderbolt. Na verdade, USB-C 3.1 já estaria de bom tamanho para o meu caso, nem precisava ser Thunderbolt. Agora que os computadores estão saindo com USB-C é esperado que mais monitores suportem o padrão e, no meu uso, não precisar entrar embaixo da mesa para colocar o carregador e nem precisar levar o carregador todo dia é bem relevante. Claro que isso não impede a Apple de colocar USB normal, mas pensando que é um notebook para, sei lá, 5 anos...é bom ter a melhor porta disponível. Coisas como o Razer Core podem dar certo, apesar de eu ainda ser meio cético.
Gabriel Arruda
Que eu saiba, não fornece energia, um cabo no sentido de que geralmente você geralmente precisa ligar dois cabos contando o de energia...nesse caso é USB 3.1 nem Thunderbolt já que é só 4K.
Gustavo Rocha
Veja os dados doa últimos trimestres e compare a receita do Surface e do iPad. N quero dizer com isso que n se vende mais iPad mas sim que a venda tem caído a cada trimestre assim como a venda de MacBook. No quesito MacBook tem o atenuante de que as vendas de PC estão caindo no mundo todo, mas isso fosse fator determinante de fracasso, como explicar um híbrido Premium conseguindo manter níveis elevados de receita? Isso é em termos de venda. Em termos de marca e capital acumulado a Apple ainda é líder. Os royalties entram no sentido de que a margem de lucro e resultado operacional e final tem despesas como os royalties deduzidos. Então quem paga royalties acaba tendo lucro reduzido e quem recebe acaba tendo um aumento, saca? Foi isso que quis dizer. Mas deixa eles se matarem lá.
Exibir mais comentários