Início » Jogos » O que há dentro do Nintendinho-inho

O que há dentro do Nintendinho-inho

NES Classic Edition tem processador quad-core, 256 MB de RAM e roda Linux

Paulo Higa Por

Para alegria dos saudosistas, a Nintendo relançou o Nintendinho em julho. Chamado de NES Classic Edition, ele é uma miniatura modernizada do console de 1983, agora com 30 jogos na memória e conexão HDMI. Claro que a Nintendo não reaproveitou o mesmo processador Ricoh de 1,79 MHz, por isso, a internet tratou de abrir o brinquedinho e descobrir o que há dentro dele.

O jornalista Peter Brown, do GameSpotpublicou uma foto do NES Classic Edition por dentro:

nes-classic-edition

E o usuário duo8, do Reddit, descobriu os principais componentes com base nos códigos do circuito. Segundo ele, o Nintendinho-inho tem processador ARM quad-core Allwinner R16 (núcleos Cortex-A7 de 32 bits e frequência não especificada), GPU Mali–400MP2, 256 MB de memória DDR3 da SKHynix e 512 MB de armazenamento em flash da Spansion.

Hoje isso é um hardware de smartphone de baixíssimo custo, o que faz sentido se pensarmos que estamos falando de um console de US$ 59,99. Mas chega a ser engraçado comparar o NES Classic Edition com o original, que trazia um processador de 8 bits e míseros 2 KB de RAM — os cartuchos tinham algo entre 8 KB e 1 MB de memória para guardar o jogo. Tudo isso para mostrar 256×240 pixels de muita diversão.

nintendo-nes

O hardware mais potente do NES Classic Edition é utilizado para rodar um sistema operacional completo, baseado em Linux, segundo a PCMag, além de jogos em 1920×1080 pixels com filtros de imagem. Ou seja, como diz o The Verge, a Nintendo está fazendo seu NES do mesmo jeito que muita gente já fez, emulando ROMs em computadores bem simples — só que de uma maneira mais estilosa e menos legalmente questionável.

Ainda assim, é curioso ver o que 33 anos representam de evolução na tecnologia. E sim, o NES Classic Edition é mais potente que o 3DS.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Robson Smith
Veja no YouTube em "hackear nes mini" como colocar 670 jogos ou até de outros consoles. É só baixar uns programinhas e seguir as instruções dos vídeos.
Robson Smith
É só copiar 10.700 roms + a BIOS de NES para um hd de notebook, e colocar o Lakka linux numa pendrive para rodar como sistema operacional em boot. Usando uma velha placa mãe com processador de 1 giga e uma memória de 512 está pronto o seu SuperNes caseiro para jogar quando quiser. O Laka detecta tudo, é só ir teclando no controle, que pode ser de Playstation. As ROMS e o Lakka você baixa da Internet. Para rodar o sistema a partir da Pendrive formata com rufus 2.15. Melzinho na chupeta, tendo tudo nas gavetas, sai de graça.
Creeper_Mod Android
Eu já tive um Blu dash Jr 3g que tinha um allwinner a10 cortex a7 single core de 1 GHz Mali 400 e 256 de ram e 512 MB de memória interna tela 480x320 , rodava Android 4.4.2 de fabrica (tudo travado) e dava para instalar os apps no micro sd, conseguia jogar Minecraft no mínimo travando. Eu paguei rs200 na cidade onde eu moro. No paraguay estava custando RS 80.
Cristiano Rimoldi

vai custar uns 2 mil reais por aqui

Cristiano Rimoldi
vai custar uns 2 mil reais por aqui
Caleb Enyawbruce

eu me referi ao texto mesmo rsrs

Ramon Gonzalez
eu me referi ao texto mesmo rsrs
NoobIsrael
Prefiro o SNES
Ligeiro
O problema seria implementar o cartucho, o que daria mais custo. Só que o esquisito da história é que o tectoy mega drive relançado terá um slot, mas não será exatamente emulado, mas sim um circuito semi replicado.
farias

mas que roda jogos da década de 80

farias
mas que roda jogos da década de 80
Igor

Comparação desnecessária fez o autor, eu só estou comentando

Igor
Comparação desnecessária fez o autor, eu só estou comentando
Keaton

Fico imaginando se o pessoal não vai tentar reaproveitar isso para fazer um mini server Linux/Android. =P

Se isso chegar por no máximo 200 reais, acho que vou pegar um, um raspberry Pi 3, alguns acessórios e transformar num mini router/server.

Keaton
Fico imaginando se o pessoal não vai tentar reaproveitar isso para fazer um mini server Linux/Android. =P Se isso chegar por no máximo 200 reais, acho que vou pegar um, um raspberry Pi 3, alguns acessórios e transformar num mini router/server.
Exibir mais comentários