Aquele clássico recurso de séries e filmes policiais em que algum expert dá um “super-zoom” em uma imagem de baixa resolução e ela magicamente fica grande, nítida e cheia de detalhes, esta próximo de virar realidade.

O Google anunciou nesta semana o RAISR, ou Rapid and Accurate Image Super Resolution (Rápida e Precisa Super-Resolução de Imagem, em tradução nossa). O protótipo promete aumentar consideravelmente a resolução de uma imagem sem perder qualidade, utilizando, para isso, algoritmos de aprendizado de máquina.

Esquema simplificado do funcionamento do RAISR

Esquema simplificado do funcionamento do RAISR

O RAISR funciona de maneira similar aos métodos tradicionais de upsampling, que consiste em aumentar uma imagem pequena inserindo novos pixels nela. Mas em vez de utilizar valores fixos para inserir esses novos pixels, o RAISR adapta o método ao tipo de imagem que está tratando, prestando atenção especial aos chamados “edge features” – ou seja, as partes da imagem onde o brilho e/ou gradiente de cor mudam rapidamente, o que costuma indicar a margem de um objeto. Essa técnica consegue deixar as imagens ampliadas menos “borradas”.

O software é treinado para reconhecer e determinar vários tipos de filtros com base em uma comparação de mais de 10.000 pares de imagens em alta e baixa resoluções, para depois aplicar os filtros mais relevantes em cada pixel da imagem processada e, a partir daí, reconstruir os detalhes com maior qualidade.

No exemplo abaixo, é possível ver como o software trabalha para melhorar a qualidade de uma imagem em baixa resolução. A foto de cima é a imagem original, enquanto que a de baixo é a imagem processada pelo RAISR.

4

Em cima: Original; Embaixo: ampliada 2x pelo RAISR

No caso abaixo, o processo de upsampling foi realizado por uma das técnicas tradicionais. Repare como, em comparação à imagem original da esquerda, a da direita é menos pixelada, porém com um aspecto muito mais “embaçado”.

1

A explicação técnica mais detalhada pode ser conferida neste post no blog de pesquisas do Google (em inglês). Com a nova técnica, o Google espera poder restaurar completamente fotos tiradas com câmeras de baixa resolução, ou até mesmo melhorar o consumo de dados na transmissão de imagens, ao enviar imagens menores pela rede para serem processadas diretamente no aparelho.

O RAISR é mais um exemplo do investimento crescente do Google em machine learning: ontem, a empresa anunciou o PhotoScan, um aplicativo que utiliza algoritmos de aprendizado de máquina para digitalizar fotos.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tales Cembraneli Dantas

O que me parece impossível é recuperar "informações perdidas" na baixa resolução, agora aquilo que não foi perdido com certeza é possível recriar, seja por essa ou futuras tecnologias que ainda irão surgir.

Tales Cembraneli Dantas
O que me parece impossível é recuperar "informações perdidas" na baixa resolução, agora aquilo que não foi perdido com certeza é possível recriar, seja por essa ou futuras tecnologias que ainda irão surgir.
Eduardo Martins

lembrei daquelas cenas de filmes que os detetives pedem para ampliar a imagem de uma câmera de segurança, e o zoom da imagem fica nítido kkkkk agora dá pra fazer isso (ou pelo menos tentar)

Eduardo Martins
lembrei daquelas cenas de filmes que os detetives pedem para ampliar a imagem de uma câmera de segurança, e o zoom da imagem fica nítido kkkkk agora dá pra fazer isso (ou pelo menos tentar)
Fabio Lapetina Marceniuk

Estou achando que o processo inteiro rodará em nuvem, sendo necessário faz upload da imagem.

Fabio Lapetina Marceniuk
Estou achando que o processo inteiro rodará em nuvem, sendo necessário faz upload da imagem.
Murillo

Todos essas anos vc reclamando disso nos filmes falando que nao era possivel!

Murillo
Todos essas anos vc reclamando disso nos filmes falando que nao era possivel!
diegomelo

O post no blog do Google diz que aquele processo de treinamento do algoritmo (com os pares de imagem em baixa e alta resoluções) leva uma hora.
Então acho que a performance, apesar de parecer ser boa, ainda tá bem no começo. Mas a ideia é promissora!

diegomelo
O post no blog do Google diz que aquele processo de treinamento do algoritmo (com os pares de imagem em baixa e alta resoluções) leva uma hora. Então acho que a performance, apesar de parecer ser boa, ainda tá bem no começo. Mas a ideia é promissora!
Luiz Felipe Sousa Oliveira

Só que o Potoshop é um programa pago e bem caro, ai se o pessoal usa piratão é outros 500 pois ele é pago e caro, este software vai rodar no cel e não vai ser cobrado.

Luiz Felipe Sousa Oliveira
Só que o Potoshop é um programa pago e bem caro, ai se o pessoal usa piratão é outros 500 pois ele é pago e caro, este software vai rodar no cel e não vai ser cobrado.
Daniel Lemes

Pela miniatura, parece uma imagem ampliada que depois levou um Smart Blur. Mas a outra do idoso, excelente.

Daniel Lemes
Pela miniatura, parece uma imagem ampliada que depois levou um Smart Blur. Mas a outra do idoso, excelente.
JulioTenorio

É um problema se for algo "pesado", mas pode ser um serviço em nuvem.

Exibir mais comentários