Início » Carros » O que um Tesla enxerga quando está dirigindo sozinho dentro da cidade

O que um Tesla enxerga quando está dirigindo sozinho dentro da cidade

Por
23 semanas atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Os carros da Tesla estão vindo com tecnologia de condução totalmente autônoma, para que o motorista não precise colocar as mãos no volante em nenhum momento, como nos veículos do Google. O sistema da Tesla ainda não está liberado, mas a fabricante está divulgando uma série de vídeos demostrando um protótipo da tecnologia. E o último mostra o que um Tesla enxerga enquanto dirige sozinho por aí.

tesla-s-autonomo

Este vídeo da Tesla, com pouco mais de três minutos de duração e Paint It Black como trilha sonora por algum motivo que ainda não descobri, mostra um Model S dirigindo em vias urbanas, além de três câmeras destacando o que o carro está “vendo”, entre faixas de pistas, objetos nas estradas e placas de sinalização:

O motorista está atrás do volante por razões legais, já que o Model S não está autorizado a andar sozinho pelas ruas da cidade — mas ele não assume o controle da direção ou dos pedais em nenhum momento. O trajeto começa com o carro saindo do estacionamento por conta própria. Depois, o veículo passa por cruzamentos e estradas com presença de pedestres, ciclistas e outros automóveis.

Para mim, o sistema de condução autônoma ainda parece seguro “demais”. Repare como, em 1min31s, o veículo para totalmente devido a presença de pedestres correndo ao lado da pista (era possível seguir com segurança). Aos 2min33s, o Model S também freia no meio da estrada quando um carro se aproxima na faixa do outro sentido. São falhas que não deveriam acontecer: parece até que o carro “travou”.

tesla-model-s-interior

Claro, o final é particularmente interessante, quando você questiona por que o motorista deixou o Model S no meio da rua. Eis que, de repente… o carro começa a estacionar sozinho.

É um bom avanço em relação ao piloto automático disponível atualmente nos carros da Tesla: o modo semiautônomo permite manter o veículo na pista, com uma velocidade compatível com a dos outros carros, e estacionar o automóvel sozinho. O Enhanced Autopilot, que será liberado até dezembro, permitirá que o carro ande em vias mais complexas e pegue a saída de uma rodovia automaticamente. No Full Self-Driving, você praticamente não precisará mais fazer nada.

O novo hardware de condução autônoma da Tesla, composto por oito câmeras, sensores ultrassônicos e radar frontal de detecção de veículos, já está vindo nos carros produzidos pela empresa, mas o software ainda não está pronto — ele deve ser liberado até 2018, dependendo da aprovação dos órgãos regulatórios. Quem quiser ativar o Full Self-Driving deverá pagar até US$ 10 mil.

Mais sobre: , , , , ,
  • Bruno Brasil

    Na questão das pessoas na estrada, depende das questões legais, pode ser q tenha q passar a uma distancia mínima e no caso o carro ficou numa situação complicada ja q a estrada é estreita demais, não acho um erro. Na questão do outro carro, pode tb ser um potencial risco de colisão dianteira, nada mais correto do carro reduzir, enfim, para mim o sistema é praticamente perfeito.

    • Willian Itiho Amano

      O mesmo deve ocorrer com ciclistas

  • Willian Itiho Amano

    Quando a testa fizer rally em estradas péssimas, sem sinalização e com motoristas loucos ai estará pronto para andar no Brasil

    • Marcos Guilherme

      Como disseram haverá “modo Brasil” aí piloto automático vai ter q ser desligado, são muitas variáveis kkkkkk.

      • Alexandre Leite

        Alguma empresa chinesa vai criar o modelo xinguelingue, que fará tudo que os comportados não farão, heheheh.

  • E essas faixas centrais que aqui no Brasil quase sempre estão apagadas?!
    A Oswaldo Cruz que liga o Vale do Paraíba ao Litoral Norte, ficou semanas sem essas faixas.

    • Insano, usei a rodovia a noite, achei que não via a divisão por falta de luminosidade apenas…

    • rbsouto

      Teslas terão o modo “Brasil” e o piloto automático vai ser desligado. Não tem como. A BR 116 é terrível.

  • Fantástico. Legalmente falando, sistema autônomo nenhum vai se arriscar à jogar o carro levemente pra direita para desviar de um maluco invadindo a pista no sentindo contrário, se ele pode simplesmente parar. E qual deveria ser a reação se o carro de fato invadisse a pista contrária? Nós como humanos arriscaríamos a sorte de tentar desviar e assumir a culpa de um possível acidente decorrente do primeiro, coisa que empresa nenhuma vai querer correr o risco. Não apenas casos extremos. Há uns 6 meses vi uma análise de uma mercedes que dirigia sozinha na auto estrada, mas o motorista ficava frustrado porque o carro nunca se aproximava muito do carro da frente para que este percebeste que a mercedes queria ultrapassá-lo. Penso que o autônomo servirá muito bem para boa parte da população que se contenta em andar dentro de todos os limites legais (o que não são muitos aqui no Brasil 😉

    • rbsouto

      Eu arrisco a dizer que no futuro, é bem capaz de termos zonas de exclusão de condutores humanos. O carro, por lei, deve assumir o controle e te leva até um ponto na qual você pode assumir novamente. Vias expressas, por exemplo.

      • Lucas Magnun

        Concordo com você rbsouto, mas acho que a tecnologia tirará nossa liberdade de escolha, e se em determinado momento eu queira dar a volta ou parar para ver uma gostosa na rua? Creio que o futuro é breve e mudanças radicais na raça humana acontecerão…

        • rbsouto

          Pois é. Sua liberdade vai ser limitada em determinadas áreas. Se você desiste, vai ter que dar um comando para o carro voltar.

          Quanto a parar para ver a gostosa, numa via expressa, não. Na beira da praia, vai ter o modo “show off”. 🙂

        • daniel

          Haha, em cidades grandes por conta do grande número de veículos motorizados essa liberdade não existe há tempos.

  • Daniel Silva

    Nossa, em um momento haviam duas pedestres fazendo caminhada na beira da estrada e o veículo parou quando as “viu”, elas não estavam na frente do carro. Poderia ocorrer um engavetamento.

    • Por isso que ainda está em desenvolvimento.

    • shinodaluk

      Não pela velocidade que ele se encontrava.

    • betones

      e se ele parou porque viu que era seguro parar?

    • Caio

      ação segura e legal, ai um momento em que você poderia assumir o controle e seguir, mas vamos supor que o a pessoa correndo com fone de ouvido, não percebe o carro se aproximando ja que ele não emite barulho algum, e resolve virar a esquerda entrando na frente do carro? você na direção poderia atropelar ela ou freiar com tudo, o carro ja evitou tudo isso parando, o que é o certo a se fazer, manter distante de pedestres ciclistas e diminuir a velocidade.

    • William Santos

      O carro age mais como uma pessoa que dirige a pouco tempo. Pelo angulo acho que até eu teria pelo menos reduzido. Fora, acredito que o carro guarde e analise informações pra evitar essas coisas “desnecessárias”. Vou além: se for um trecho que “você” sempre dirige, o carro atuará com menos falhas.

      • Marcos Guilherme

        I.A é I.A.

      • É a maravilha do carro estar ligado na internet o tempo todo. Com o primeiro sistema semi autonomo deles já era assim. Ele vai enviando seus dados pro data center, os dados de todos os carros são analisados e o sistema melhora. Muito legal 😀

    • D’ Carvalho

      acho que os engenheiros poderiam colocar no código a opção de não parar… Mas nesse começo o fator de segurança deve estar nas alturas.

      • Daniel Silva

        Concordo, acho que deve ser o mais provável.

    • Ele parou para o motorista admirar e assoviar para as graciosas damas que passavam pela pista.

    • Jonatas

      Se bateu atrás, é porque não estava em uma distância segura para parar em uma emergência. O povo é tão acostumado a andar colado nos outros, que acha isso normal.
      Tem que parar sim, ele deve ter calculado a velocidade que elas se moviam, e previu que poderiam atravessar e não daria tempo ele brecar com distância segura.

    • Como ele tem câmera atrás, então ele pode levar isso em conta, calculando a velocidade dos veículos que estão atrás dele para reduzir sua própria velocidade com uma distância segura.

  • D’ Carvalho

    Uma das coisas que mais me motiva a cuidar da minha saúde é aproveitar o aumento exponencial da evolução da tecnologia. Que vídeo lindo.

  • Referente ao veículo ter parado quando havia duas pessoas na lateral da pista, na minha opinião, acredito ter sido correta. Ambas andavam muito próximo a pista, era uma curva, o software interpretou que elas poderia pular na frente do veículo, tropeçar na pista, atravessar correndo. Poupando um acidente possivelmente fatal. Lindo, lindo lindo! Finalzinho lindo D+

  • Paulo Santana

    Já pensou, em um futuro não muito distante, a gente desce do carro e ele vai, sozinho, se estacionar na vaga mais próxima ou mesmo distante, depois é só clicar um comando e ele vem te buscar, onde você estiver. Das duas uma, ou a cidade inteira se transforma em estacionamento, ou as ruas ficarão lotadas de carros dirigindo sozinhos procurando por uma vaga. Kkkkkkk, é até cômico, mas parece que isto vai virar realidade.

    • A Tesla quer fazer compartilhamento de carros, ou seja, o carro gera dinheiro enquanto você não dirige.

      Num futuro ideal, estacionamentos não seriam mais necessários, já que o carro sempre estaria em uso por alguma pessoa.

      • Wellington Gabriel de Borba

        Espero isso um dia. Um dia vou de HB20 pro shopping, depois vou para o barzinho em um New Fiesta, ai pra casa eu volto num Gran Siena (porque no fundo acho que a tecnologia vai ser licenciada para as marcas). Uma espécie de Uber sem preocupação com IPVA e tudo feito pelo aplicativo, compartilhando, até se for o caso a carona, o que já acontece com o Uber.

      • D’ Carvalho

        Já pensou os carros chegando de ressaca depois de um happy hour para comemorar um dia cansativo de trabalho?

        • Se tiver demanda, eles podem trabalhar a noite tamb… OH MEU DEUS, NÓS ESTAMOS ESCRAVIZANDO OS CARROS.

          QUANDO AS MÁQUINAS SE REBELAREM, O MUSK VAI SER O PRIMEIRO A IR PRO PAREDÃO!

    • _KJ

      Não muito distante mesmo!
      https://www.mercedes-benz.com/en/mercedes-benz/innovation/remote-parking-pilot/

      Não achei um outro vídeo do P100D em que fica mais claro ele “ir e vir” sozinho, mas fica com esse por enquanto:
      https://www.youtube.com/watch?v=svia812_TEU

      • Paulo Santana

        Uau

  • Ana Winchester

    Muito crú ainda…

  • Quando ele estiver desviando de pessoas como no vídeo abaixo. Ai ele estará pronto: https://www.youtube.com/watch?v=wdy8CG09rSU

    • _KJ

      As pessoas que não saiam da frente para ver se o cara vai desviar. Hahaha.

    • D’ Carvalho

      caraca!

  • daniel

    O veículo é conduzido como deveria ser. Tem pedestre ou ciclista? O correto é o carro reduzir mesmo, quase parar. Não vejo problema algum nisso. Vejo problema é em ver isso como problema.

  • Gedson Junior

    Como ele decide a velocidade que vai trafegar? É pego pela internet ou ele consegue ler as placas?

  • Souza

    Haverá de ter vias para autônomos e vias para humanos nada confiáveis…

  • almir

    Em relação ao carro ter parado quando se deparou com as duas pedestres, provavelmente o fez porque calculou que era seguro, visto que ele monitora o trânsito atrás dele também, consegue analisar a velocidade e espaço de frenagem do veículo atrás.
    Creio que não existem mais dúvidas em relação as capacidades tecnológicas dos veículos, entendo que o que está em desenvolvimento ainda hoje é o código, as diretrizes que ele processa e os dilemas envolvidos em cada escolha que ele deve fazer e suas consequências. Por exemplo, a segurança de quem ele deve priorizar em caso de eminente acidente, a do motorista e seus ocupantes ou a do pedestre? Se a mulher distraída repentinamente decide atravessar a pista sem olhar para trás e estando a pista molhada pela chuva, o carro autônomo calcula que um caminhão quem vem atrás dele certamente não vai conseguir frear a tempo, o que sistema deveria fazer? Frear, desviar ou assumir o risco de matar a mulher? Essa resposta envolve muito mais do que simples cálculos, envolve dilemas morais. Quem já leu sobre a Teoria dos jogos e os Dilemas do Vagão de Trem ou o Dilema da Ponte vai entender. Outro detalhe, é que o veículo ainda, ou pelos menos nessa demonstração, parece não diferenciar pedestres, ciclistas ou animais de outros objetos no caminho (In-Path Objects). Esta informação seria imprescindível para a tomada de decisão diante do dilema proposto. Frear ou desviar de um ciclista? Frear ou desviar de um pequeno mamífero? Alguém ai lembra como o personagem do Will Smith no filme “Eu, Robô” ficou p* quando um robô decidiu quem deveria viver e o salvou ao invés da menina, pq ele calculou que ele tinha muito mais chances de vida? Certamente, são esses tipos de dilemas que máquinas e dispositivos “inteligentes” terão que fazer no futuro e o carro é só o primeiro deles.

  • Wellington Gabriel de Borba

    Creio que o sistema vai ser retroalimentado, o que vai facilitar transitar pelo Brasil mesmo nas rodovias que não possuem cobertura de de dados, ou seja, quase todas. Um carro desses passa naquela picada que chamados de estrada hoje, calcula geometria, velocidade desenvolvida, localização enquanto o motorista está conduzindo e etc. Quando chega a uma cobertura de internet envia todos os dados para um data center que cruza todos os dados com o protocolo de segurança da software. Quando um segundo carro passa por ali, saindo do ponto A indo para o Ponto B através do sistema de condução automática, ele baixa as informações em um armazenamento interno dos pontos que não possuem cobertura de dados e cruza aquilo com a própria “experiência” de uso dele, com o software e etc. Quando volta a cobertura envia novamente os dados para o data center ficando ainda mais perfeito. Parece complexo, mas parece viável.

  • Não sabe a razão da música? Ela fala o tempo todo “eu vejo”, “eu vejo”, “eu vejo” 😀

  • Parece um Aimbot kkkkkkkkkkkkkkkk