Início » Games » Tecnocast 054 – Joguinhos das Antigas

Tecnocast 054 – Joguinhos das Antigas

Por
38 semanas atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Quando você pensa na sua infância, qual é o primeiro game que vem na cabeça? Lembra como foi mágico quando ganhou o primeiro videogame?

054-tecnocast

O episódio de hoje ficou bem nostálgico, cheio de lembranças boas e trilhas sonoras que marcaram a vida de muita gente. A gente também conversa sobre o que mudou de lá pra cá. Bora ouvir?

Participantes

Caixa Postal

Mande a sua mensagem:[email protected]

Tecnogrupo

Participe da discussão! Acesse o grupo do TB no Facebook para debater sobre o tema desse episódio.

 Assine o Tecnocast

Edição e Sonorização

O Tecnocast é editado por Rádiofobia Podcast e Multimídia.

Arte da Capa

Arte da capa por Ilustrata.

  • Eu queria uma versão enorme dessa capa pra usar de Wallpaper! Que coisa linda!
    E a música que abre o cast? *_*

    • Bruno Aveiro

      Top Gear, certo? Quase chorei quando ouvi!
      Sensacional!

      • Lucas Mota

        Senti um arrepio aqui lembrando de jogar super nintendo

        • Maxwel De Oliveira Figueiredo

          Fantástico a música de abertura, fui imediatamente inundado de emoções e lembranças.

      • João

        Sim, é a musica do Top Gear

    • Favor mandar imagem em 4k, rs

  • Ramon Gonzalez

    Nostalgia + games? TO DENTRO!!

  • Vitor Reis

    Senhores, a Playtronic foi uma joint venture entre a Gradiente e a Estrela. Posteriormente a Estrela abandonou o barco e os produtos Nintendo no país eram vendidos como Nintendo By Gradiente. A Gradiente tentava tratar muito bem o consumidor brasileiro, trazendo a Power Line e outros serviços Nintendo ao país, mas infelizmente são só mais lembranças.
    Abraços e parabéns pelo ótimo programa.

    • E acabou caindo na edição, mas a Gradiente continuou até o Gamecube.

      Bons tempos da Nintendo oficialmente por aqui =/

  • _KJ

    Infância = Mega Drive!

    Praticamente todos os meus amigos tinham o MD, sempre foram bem mais famosos do que o SNES.
    Antes do MD3 tive, Atari, Master, o Dynavision com a tecnologia super avançada da ‘arminha’ pra matar os patos ou quebrar pratos voadores. Hahaha
    Enfim, jogos do MD3 > SNES. (kkkkk, pedras voarão)

    Me emocionei logo no início do TC e automaticamente veio a voz na minha mente: “Let the carnage begin”. Gradiosíssimo RRR!

    E ótimos tempos que a minha maior preocupação era aguardar a sexta-feira pra acordar cedo ou voar depois da escola para a locadora e devolver o cartucho às 19:58 da segunda-feira. T.T

    Também me lembrei que um amigo descobriu que a TecToy tinha um número de telefone para você conseguir dicas e códigos especiais, só que custava uma bica/minuto! Ele ligou de casa umas 3x, mas só descobrimos que custava uma fortuna no final do mês quando veio a conta e tomei uma sova da minha mãe.

    E o menu era extremamente demorado com vários níveis e subníveis, enfim, saíria menos caro comprar diversas revistas com os códigos.

    Este mesmo amigo descobria brutallitys no MK3 na raça. Jogava, ganhava e começava a tentativa no “Finish Her”. E na tentativa e erro ia descobrindo a sequência necessária para o brutallity, pois quando errava 1 botão sequer teria que ganhar novamente para então tentar outra sequência. O mlk era uma peste.

    E da vez que vimos numa revista que existia o cartucho MegaNet, que te permitia acessar a internet ou seilah o que fazia, não lembro.

    Mas ficamos uns 2 anos à procura deste tal MegaNet, até que um outro amigo consegui um e pagou bem caro. Fomos testar na maior euforia e descobrimos que só funcionava no Japão ou algo assim. Única que podíamos fazer era colocar o número de alguém e ficar escutando ela dizer “alô, alô” com o áudio saindo pela TV, pois não havia microfone para falar algo. Resumindo, não servia para merd* alguma, mas rendeu boas risadas e “TROTES pela TV”. Decadência. kkkkk

  • E esse tema de abertura ? Putz ! Sensacional !

  • Eduardo Alvim

    Também tive uma infância humilde e me lembro, no inicio da decada de 1980, de jogar Odissey (jogo do Didi na Serra Pelada, alguém lembra?) e no Atari dos meus primos mais velhos. Meu primeiro foi um Phantom System. Na época tinha uma revista chamada “Videogame”, nacional, que li e reli umas 1000x tamanha a fissura. Depois tive um Master System, que prestou bons serviços. Ai eu cismei, um ou dois anos depois, de voltar para a Nintendo. Convenci meu pai. Fomos na loja e ele falou “oh, se vc esperar mais um mes compro esse”, era um Super Nintendo. O vacilao aqui, ansioso, optou pelo magnifico Dynavision 3, mas que meu pai pode comprar na hora… Enfim, lições para a eternidade. Outra coisa que eu me lembro era a fissura que eu tinha pelo Gameboy. Nossa, aquilo era um sonho pra mim, de ficar desenhando o console no caderno da escola, manja? Quando entrou o Plano Real, as coisas melhoraram e me lembro de ir de ônibus no Carrefour comprar um Gameboy (finalmente) por 80 reais… Época boa. Logo depois comprei um Super Nintendo também… Ai veio a era do PC: Meus favoritos Duke e Quake. Logo depois (1997, acho) comprei Warcraft 2, que jogao… Putz, as memorias sao muito boas.

    • Sim, Odissey… Senhor das Trevas, Come-come, Didi na Serra Pelada,… Saudades!

  • Muito bom o episódio! Eu comecei com o Telejogo (dá-lhe, Pong!), passando para o Odissey, depois, MegaDrive… O meu último console mesmo foi o Playstation original! Agora, só nos casuais, mesmo!
    Ah, Mobilon, tamo junto: eu também nunca tive coordenação para jogos de plataforma!

  • Bruno Ribeiro da Silva

    Se fosse um cast sobre últimas gerações, não teria vindo!
    A nostalgia me atraiu haha!