Início » Computador » Brasil tem pior trimestre de vendas de PCs em 2016

Brasil tem pior trimestre de vendas de PCs em 2016

Por
3 anos atrás

O mercado brasileiro de PCs manteve a tendência de queda dos últimos quatro anos. De acordo com um relatório divulgado pela IDC, as vendas de PCs e notebooks foram 35% menores no terceiro trimestre de 2016 em relação ao mesmo período do ano passado. No segundo trimestre deste ano, a queda foi de 11% comparada ao mesmo período de 2015.

Cerca de 373 mil desktops e 674 mil notebooks foram vendidos no Brasil nos meses de julho, agosto e setembro. Segundo o relatório, estes números representaram queda de 39% nas vendas de desktop e 32% nas vendas de notebook se comparados ao mesmo período de 2015. De acordo com analistas, as vendas caíram mesmo com os preços dos computadores baixando cerca de 4% em relação ao ano passado, quando o dólar estava mais alto.

“O mercado brasileiro de PCs está canibalizado. É cada vez mais comum o consumidor preferir um celular com configuração robusta e boa qualidade de navegação a um computador”, diz Pedro Hagge, analista de pesquisa da IDC Brasil.

dell-xps-computador-pc

Segundo o analista, nem mesmo datas especiais como a Black Friday e o Natal ajudaram a movimentar o mercado. De acordo com Hagge, o fato de tanto as empresas privadas quanto os órgãos públicos estarem adiando os investimentos e a compra de computadores devido a diversos problemas políticos e econômicos, como troca de governos, eleições, e gestões endividadas, também influenciaram na queda apontada pela estudo. “Não há expectativas de melhoras”, completa o analista.

Por outro lado, a Dell divulgou que, de acordo com o mesmo estudo da IDC, manteve a liderança de vendas de computadores no Brasil no terceiro trimestre de 2016. A companhia foi responsável por 24,5% do total de unidades vendidas no período, liderando as vendas tanto de desktops (22,7%), quanto de notebooks (25,6%) e workstations (61,7%).

Ainda de acordo com o estudo da IDC, a previsão é que a venda total de PCs no Brasil em 2016 caia 31% em relação a 2015.

Mais sobre: , ,