Como dissemos anteriormente, a disseminação de boatos nas redes sociais se tornou um problema extremamente nocivo. Em parte, a culpa é da falta de costume das pessoas em checar as fontes das notícias, mas essa responsabilidade também é compartilhada pela tecnologia.

Google e Facebook estão há algum tempo tentando encontrar maneiras de penalizar sites com notícias falsas e diminuir o alcance desses boatos. E, ao que tudo indica, a empresa de Mark Zuckerberg parece finalmente ter encontrado um plano concreto para combater essas pragas.

O plano envolve uma tecnologia extremamente arcaica e ultrapassada: humanos. Sim, todo o sistema vai depender dos usuários, um time humano de validação e, talvez, uma empresa terceirizada que contará com uma equipe de, claro, humanos. Mais ou menos assim:

Uma vez que um post apareça na timeline, o usuário poderá reportá-lo como boato. Basta clicar no canto superior direito do post para acessar essa opção.

Quando isso acontece, o post vai para uma lista de validação interna. Um grupo de funcionários do Facebook passa a verificar a fonte dessas notícias, para ver se não são de sites suspeitos, como FoxNews123.com.br. Entretanto, eles não vão conferir a veracidade do conteúdo neste momento. Trata-se de um passo intermediário para filtrar os boatos e limar o que já se percebe como falso logo de cara.

Caso o post precise de uma investigação mais apurada, a empresa o mandará para organizações terceirizadas que cumpram o Código de Princípios da International Fact-Checking Network. No Brasil, por exemplo, temos Agência Lupa, Truco e Aos Fatos. Se essas organizações considerem a notícia falsa, o post no Facebook receberá um aviso sobre isso, com um link para um artigo que explique os motivos pelos quais ela recebeu essa classificação.

Como você percebeu, ainda assim o usuário terá a possibilidade de compartilhar esse conteúdo. Nunca se sabe quando várias agências que verificam a veracidade de notícias se uniram numa conspiração contra aquela ideia maluca que você julga ser verdadeira, certo? Creio que esse recurso exista em nome da liberdade de expressão.

De qualquer forma, posts que receberam essa marcação de notícia falsa não podem se tornar uma propaganda, nem podem fazer parte de promoções e boosts. O que é melhor que nada.

Se isso vai resolver o problema, só o tempo dirá. Mas são medidas interessantes e que devem dar resultados no médio prazo. Veremos. E que fique claro que isso não tira a nossa responsabilidade de verificar o que compartilhamos nas redes sociais. Afinal, a solução continua sendo, mais do que nunca, humana.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Rafael

Prefiro 1000x correr o risco de ler uma notícia falsa vez por outra e ter a oportunidade de pesquisar outras fontes que ter apenas alguns canais "chancelados" pelo Estado ou entidade aprovada por este.

Rafael
Prefiro 1000x correr o risco de ler uma notícia falsa vez por outra e ter a oportunidade de pesquisar outras fontes que ter apenas alguns canais "chancelados" pelo Estado ou entidade aprovada por este.
Matheus Gonçalves

hahahahahahaah

Matheus Gonçalves
hahahahahahaah
Rodrigo Brim

Estou vendo que tem uma galera aqui que espalha boato sabendo que é falso. Que comportamento ridículo.

Rodrigo Brim
Estou vendo que tem uma galera aqui que espalha boato sabendo que é falso. Que comportamento ridículo.
Vander Lei

Só rindo aqui. Pois isso vai ser o início do fim para o Foicebook.
Duvida? Pois espere 7 anos.

Vander Lei
Só rindo aqui. Pois isso vai ser o início do fim para o Foicebook. Duvida? Pois espere 7 anos.
Marcos M.

O maior problema é que todo site fundo de quintal e que não tem que se responsabilizar por nada do que diz se chama de "independente" e uma galera quer desesperadamente acreditar em tudo o que eles dizem (brasil247, midia sem mascara, só para citar alguns, mas tem aos montes).

Eu resolvi isso há tempos, toda vez que vejo sites com essa característica (com uma obvia inclinação politica - qualquer que seja ela, sem nomes de responsáveis na página, propagando boatos e "fofocas"), eu meto-lhe o bloqueio no facebook, e dependendo do nível de recorrência da pessoa que compartilhou, eu deixo de seguir ela também. Minha timeline melhorou horrores depois disso.

Marcos M.
O maior problema é que todo site fundo de quintal e que não tem que se responsabilizar por nada do que diz se chama de "independente" e uma galera quer desesperadamente acreditar em tudo o que eles dizem (brasil247, midia sem mascara, só para citar alguns, mas tem aos montes). Eu resolvi isso há tempos, toda vez que vejo sites com essa característica (com uma obvia inclinação politica - qualquer que seja ela, sem nomes de responsáveis na página, propagando boatos e "fofocas"), eu meto-lhe o bloqueio no facebook, e dependendo do nível de recorrência da pessoa que compartilhou, eu deixo de seguir ela também. Minha timeline melhorou horrores depois disso.
Kazz

A ideia em si é ótima, e de fato esse tipo de sites que espalham rumores são um problema gigantesco no Facebook. Meu único receio é o fato de isso ser usado como forma de "censura branda", principalmente por questões políticas e ideológicas.

É relativamente comum ver grupos se unirem para "derrubar" páginas (através de denúncias em massa) apenas por discordância ideológica. Junte isso ao fato de que grande parte das pessoas responsáveis por esse tipo de avaliação também possuem seus próprios posicionamentos ideológicos (geralmente hegemônicos), e nasce então um grande problema de parcialidade. Vale lembrar que mesmo quando falamos de fatos, a forma e o contexto em que esses fatos são apresentados podem sim mudar completamente uma narrativa (o horário eleitoral é um perfeito exemplo de como dados reais são usados por ambos os lados de forma a beneficiá-los).

Mas no fim das contas, ainda acho que uma ferramenta como essa vai ajudar mais do que atrapalhar. O jeito é esperar, e torcer, para que isso se mostre verdade.

3-6-9

É verdade e essas notícias foram propagadas pela mídia mainstream (jornais e tvs), então, não teria feito muita diferença se Facebook e Twitter tivessem censurado os posts.

Matheus Gonçalves

Pois é...

Matheus Gonçalves

Na verdade, a exemplo desse post do (cruzes) FPM, notícias falsas perderão alcance nas redes.

A tempo, existem várias evidências de que isso aconteceu, conforme afirmado pelo New York Times.
http://www.nytimes.com/2016...

E o FBI, que fez sua própria investigação, também concorda que as evidências apontam que isso de fato aconteceu, com afirma o Washington Post.

https://www.washingtonpost....

Você pode duvidar disso, e isso é mais que saudável na verdade. Mas não dá pra escolher no que acreditar pautado em evidência alguma a não ser uma teoria da conspiração.

E mesmo se assim o fizer, possivelmente será classificado como boato e não como verídico.

tiago

ou, sabe que as eleicoes dos eua foram afetados pois tanto democratas como republicanos espalhavam noticias falsas e os politicos passavam mais tempo tendo que provar a inocencia (coisa que nao existe,ja que a lei estabelece presuncao de inocencia) do que fazendo uma campanha limpa

Exibir mais comentários