Início » Web » Facebook finalmente apresentou um plano para combater boatos

Facebook finalmente apresentou um plano para combater boatos

Por
16/12/2016 às 10h26
A nova extensão do Tecnoblog está pronta.Baixe agora!

Como dissemos anteriormente, a disseminação de boatos nas redes sociais se tornou um problema extremamente nocivo. Em parte, a culpa é da falta de costume das pessoas em checar as fontes das notícias, mas essa responsabilidade também é compartilhada pela tecnologia.

Google e Facebook estão há algum tempo tentando encontrar maneiras de penalizar sites com notícias falsas e diminuir o alcance desses boatos. E, ao que tudo indica, a empresa de Mark Zuckerberg parece finalmente ter encontrado um plano concreto para combater essas pragas.

O plano envolve uma tecnologia extremamente arcaica e ultrapassada: humanos. Sim, todo o sistema vai depender dos usuários, um time humano de validação e, talvez, uma empresa terceirizada que contará com uma equipe de, claro, humanos. Mais ou menos assim:

Uma vez que um post apareça na timeline, o usuário poderá reportá-lo como boato. Basta clicar no canto superior direito do post para acessar essa opção.

Quando isso acontece, o post vai para uma lista de validação interna. Um grupo de funcionários do Facebook passa a verificar a fonte dessas notícias, para ver se não são de sites suspeitos, como FoxNews123.com.br. Entretanto, eles não vão conferir a veracidade do conteúdo neste momento. Trata-se de um passo intermediário para filtrar os boatos e limar o que já se percebe como falso logo de cara.

Caso o post precise de uma investigação mais apurada, a empresa o mandará para organizações terceirizadas que cumpram o Código de Princípios da International Fact-Checking Network. No Brasil, por exemplo, temos Agência Lupa, Truco e Aos Fatos. Se essas organizações considerem a notícia falsa, o post no Facebook receberá um aviso sobre isso, com um link para um artigo que explique os motivos pelos quais ela recebeu essa classificação.

Como você percebeu, ainda assim o usuário terá a possibilidade de compartilhar esse conteúdo. Nunca se sabe quando várias agências que verificam a veracidade de notícias se uniram numa conspiração contra aquela ideia maluca que você julga ser verdadeira, certo? Creio que esse recurso exista em nome da liberdade de expressão.

De qualquer forma, posts que receberam essa marcação de notícia falsa não podem se tornar uma propaganda, nem podem fazer parte de promoções e boosts. O que é melhor que nada.

Se isso vai resolver o problema, só o tempo dirá. Mas são medidas interessantes e que devem dar resultados no médio prazo. Veremos. E que fique claro que isso não tira a nossa responsabilidade de verificar o que compartilhamos nas redes sociais. Afinal, a solução continua sendo, mais do que nunca, humana.

Mais sobre:
  • Yuri Fagundes

    Gostei dessas medidas, mas não sei se elas vão funcionar.
    Não sei o que é pior, notícias falsas no Facebook ou a divulgação de fotos de pessoas doentes para conseguir curtidas e compartilhamentos. Sempre denuncio essas fotos, mas não dá em nada.

  • Marcos Costa

    O fato mais interessante é que o primeiro contratado como fact checker é uma empresa cujos os donos são reconhecidamente de extrema esquerda. Não vão usar isso como arma não amiguinho, pode apostar.

    • tiago

      a empresa pode ser confiavel e de esquerda uma coisa nao exclui a outra, ou voce acha que se fossem de direita seriam automaticamente confiaveis ?

  • Wendel Schelhan

    Nem vai ser usado pra manipulação e direcionamento da opinião pública, pode apostar.

  • Fiquei feliz pelo Truco da Publica estar nessa empreitada.

  • Sam86

    Quem saiu da Matrix já está a par das verdadeiras intenções por trás dessa cruzada contra as “fake news”.

    A mídia mainstream americana e o restante da esquerdalha querem de todas as formas matar a mídia independente para continuar manipulando o povão, como sempre fizeram.

    • tiago

      ou, sabe que as eleicoes dos eua foram afetados pois tanto democratas como republicanos espalhavam noticias falsas e os politicos passavam mais tempo tendo que provar a inocencia (coisa que nao existe,ja que a lei estabelece presuncao de inocencia) do que fazendo uma campanha limpa

      • Pois é…

      • Sam86

        É verdade e essas notícias foram propagadas pela mídia mainstream (jornais e tvs), então, não teria feito muita diferença se Facebook e Twitter tivessem censurado os posts.

  • A tempo: se uma organização segue os princípios de verificação de FATOS, e se essa terceirização não ficará restrita a uma organização terceirizada só, que diferença faz se é de direita ou esquerda, sendo que o resultado continuará sendo: Boato para boatos, real para notícias reais?

    Vocês estão envoltos em uma dicotomia política que parece até doença.

    Tem gente que faz força pra acreditar em Fake News, acredita em teorias conspiratórias, eu hein…

    • Ricardo – Vaz Lobo

      O povo prefere acreditar numa mentira pra poder justificar sua vidinha ma-o-meno na face da terra.

    • Lucas Ambrosio

      A questão é que quem trabalha na agência é humano, logo, é corruptível.
      Sendo assim, pode tornar uma notícia falsa “verdadeira” apenas por seguir/comprovar a sua ideologia OU por ter recebido dinheiro para o fazer.

      Caso isso passe a ocorrer seria ainda pior do que o que temos hoje.

      • Não é uma pessoa, são várias agências, mais de uma validação, cara. Não é uma pessoa que vai chegar lá e falar: “Ah, isso é falso”, sendo que é fato, nem dizer que é fato algo que é boato.

        Existem metodologias que devem ser seguidas para fazer esse trabalho e para fazer parte desse grupo da IFCN. Se alguém pisar na bola, o erro é corrigido e aquela agência deixa de ser usada como alguém de credibilidade assumível.

        Logo um problema como esse dificilmente aconteceria, e seria facilmente corrigido pelas metodologias.

    • Sam86

      E quem é o FB ou você pra decidir o que é verdade e o que é mentira, ou pior, pra decidir no que as pessoas devem ou não acreditar?

      Isso que é doença, a tara dos globalistas pelo controle social.

      • Não eu, nem você, nem o Facebook nem ninguém sozinho.

        Somos todos que prezamos pela verificação da veracidade, pela verificação dos fatos.

        Incluindo grupos, de diferentes posicionamentos políticos que prezam por fatos, pela verificação de fontes, pela falseabilidade, pelo pensamento racional e científico a despeito das próprias crenças, por acreditar em algo com evidências.

        A mágica tá aí: Fatos existem, você acreditando neles ou não.

        • “globalistas pelo controle social”… Gente, isso é assustador.

          • 안토니오

            *cringe*

      • tiago

        nao é o facebook que vai julgar, voce leu a materia ? qualquer um pode reportar depois varias organizacoes vao avaliar, e ainda assim voce nao é obrigado a aceitar e pode compartilhar mesmo assim, a diferenca é que ninguem vai lucrar por espalhar essas noticias

    • Vander Lei

      Só rindo aqui. Pois isso vai ser o início do fim para o Foicebook.
      Duvida? Pois espere 7 anos.

  • Lucas Lopes

    Acabar com essas notícias falsas é moleza, quero ver é acabar com os boatos em áudios do WhatsApp, principalmente de tráfego de órgãos, etc…

  • Lucas Scherer

    Oba! Tudo o que precisávamos era uma empresa decidindo o que é verdade e o que não é! Essa empresa não tem histórico de manipulação não, é confiável!

    Tudo o que o Facebook precisava era de uma desculpa para tomar esse tipo de medida.

    • Não é uma pessoa, nem uma empresa, são várias agências, mais de uma validação, cara. E você vai continuar podendo postar o que quiser.

      Não é uma pessoa que vai chegar lá e falar: “Ah, isso é falso”, sendo que é fato, nem dizer que é fato algo que é boato.

      Existem metodologias que devem ser seguidas para fazer esse trabalho e para fazer parte desse grupo da IFCN. Se alguém pisar na bola, o erro é corrigido e aquela agência deixa de ser usada como alguém de credibilidade assumível.

      Logo um problema como esse dificilmente aconteceria, e seria facilmente corrigido pelas metodologias.

  • Ricardo – Vaz Lobo

    FB vai ficar tão sem assunto, mas tão sem assunto, que as fotos de bicho e de gente tirando foto fazendo bico vão se multiplicar infinitamente.

  • Já ajudaria demais se o sistema do Facebook indicasse a data de publicação original da notícia. Acho que já foi a oitava vez que vi uma pessoa que morreu em 2011 aparecer que morreu novamente (como se fosse uma notícia nova). Boatos acabam sendo propagados pelo mesmo link antigo de notícias (como ninguém vê a data, supõe ser algo novo).

    • Nossa, verdade. O problema é que a data do post não é uma informação padronizada. É fazível, por reconhecimento de texto, mas não é tão simples.

      Mas seria interessante, sem dúvidas.

  • Keaton

    Sério mesmo que o facebook acredita que isso vai dar certo? Quando vier pro brasil sim que o recurso vai ser abusado…

  • Vinicius Araujo

    Não tirei o olho do Galaxy com botões físicos e virtuais

  • Samuel Alexandre

    Censura pura e simples, e você diz que é “em nome da liberdade de expressão” liberdade de expressão é poder compartilhar o que você quiser sendo boatos ou não, o que devia ter era uma conscientização das pessoas a checarem as fontes, isso só vai prejudicar as mídias alternativas e que revelam as mentiras das mídias globalistas, essas sim disseminam hoax.

    • liberdade de expressão é poder compartilhar o que você quiser sendo boatos ou não

      Mas… é exatamente isso que vai acontecer. Você vai continuar podendo compartilhar mesmo sendo boato.

      A questão é que vai ter um aviso embaixo, feito por organizações que seguem as normas justamente de checagem de fontes, sem vínculos com nada que você possa considerar (sic) globalista.

      Daí compartilhar algo que comprovadamente se trata de um boato vai ser uma uma questão pessoal. Mas você vai sim poder continuar compartilhando o que quiser.

  • Samuel Alexandre

    Vou lhe dar um exemplo bem atual de que esse tal “combate a notícias falsas é pura censura à mídias alternativas que desmascaram as mentiras das mídias globalistas.

    John Brennan, o queridinho da Irmandade Muçulmana que dirige a CIA, mandou fazer um escarcéu dizendo que a espionagem russa havia ajudado o Trump nas eleições por terem vazados aqueles emails comprometedores da Hillary e que somente as mídias alternativas divulgaram.
    Convocados a apresentar as provas disso ao Congresso, os agentes da referida nem deram as caras, ao mesmo tempo que a própria procuradora geral Loretta Lynch afirmava que as provas não existiam. É a regra: quando dizem que vão “denunciar notícias falsas”, significa que vão começar a espalhá-las mais do que nunca.

    http://www.frontpagemag.com/fpm/265161/russian-hacking-conspiracy-theory-implodes-matthew-vadum

  • Kazz

    A ideia em si é ótima, e de fato esse tipo de sites que espalham rumores são um problema gigantesco no Facebook. Meu único receio é o fato de isso ser usado como forma de “censura branda”, principalmente por questões políticas e ideológicas.

    É relativamente comum ver grupos se unirem para “derrubar” páginas (através de denúncias em massa) apenas por discordância ideológica. Junte isso ao fato de que grande parte das pessoas responsáveis por esse tipo de avaliação também possuem seus próprios posicionamentos ideológicos (geralmente hegemônicos), e nasce então um grande problema de parcialidade. Vale lembrar que mesmo quando falamos de fatos, a forma e o contexto em que esses fatos são apresentados podem sim mudar completamente uma narrativa (o horário eleitoral é um perfeito exemplo de como dados reais são usados por ambos os lados de forma a beneficiá-los).

    Mas no fim das contas, ainda acho que uma ferramenta como essa vai ajudar mais do que atrapalhar. O jeito é esperar, e torcer, para que isso se mostre verdade.

  • Marcos M.

    O maior problema é que todo site fundo de quintal e que não tem que se responsabilizar por nada do que diz se chama de “independente” e uma galera quer desesperadamente acreditar em tudo o que eles dizem (brasil247, midia sem mascara, só para citar alguns, mas tem aos montes).

    Eu resolvi isso há tempos, toda vez que vejo sites com essa característica (com uma obvia inclinação politica – qualquer que seja ela, sem nomes de responsáveis na página, propagando boatos e “fofocas”), eu meto-lhe o bloqueio no facebook, e dependendo do nível de recorrência da pessoa que compartilhou, eu deixo de seguir ela também. Minha timeline melhorou horrores depois disso.

  • Rodrigo Brim

    Estou vendo que tem uma galera aqui que espalha boato sabendo que é falso. Que comportamento ridículo.

  • Rafael

    Prefiro 1000x correr o risco de ler uma notícia falsa vez por outra e ter a oportunidade de pesquisar outras fontes que ter apenas alguns canais “chancelados” pelo Estado ou entidade aprovada por este.