Início » Negócios » Nubank pode fechar as portas com mudança de regra do governo

Nubank pode fechar as portas com mudança de regra do governo

Alteração no prazo de repasse do dinheiro para lojistas significaria o fim do negócio do Nubank, segundo cofundadora

Por
1 ano e meio atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

O Nubank pode fechar as portas se o Banco Central confirmar nesta terça-feira (20) uma mudança nas regras de pagamento para lojistas. Atualmente, quando você faz uma compra no cartão de crédito, o estabelecimento recebe o dinheiro em 30 dias. Com os novos termos, esse prazo pode diminuir para até dois dias, como já acontece nos Estados Unidos. No entanto, isso inviabilizaria o negócio da fintech.

A informação é da cofundadora do Nubank, Cristina Junqueira, em entrevista ao Estadão. O atual prazo de 30 dias funciona porque os consumidores pagam uma compra feita no cartão de crédito, em média, 26 dias depois. Um mês é tempo suficiente para que o Nubank receba os pagamentos das faturas e repasse o dinheiro para as maquininhas de cartões, como Cielo e Rede, que então fazem o pagamento ao lojista.

Nubank

Caso o governo siga em frente na ideia de reduzir o prazo de pagamento para lojistas, o Nubank teria que captar recursos no mercado, já que precisaria repassar o dinheiro das compras antes de receber os pagamentos das faturas dos clientes. Segundo Junqueira, todos os emissores de cartão de crédito seriam afetados com a mudança, mas os menores seriam os mais prejudicados por não terem a capacidade de financiamento dos grandes bancos, como Itaú e Bradesco.

Mesmo se a nova regra for mais branda que o esperado (redução do prazo de repasse para 15 dias, não dois dias), a existência do Nubank está ameaçada. “Nós já fizemos algumas simulações. Com dois dias é apagar a luz e fechar a porta. Com 15 dias, a gente precisaria de quase R$ 1 bilhão de capital adicional do dia para a noite”, diz a cofundadora ao Estadão.

Recentemente, o Nubank captou US$ 80 milhões em investimentos, que se somaram aos US$ 99 milhões de outros aportes. Ainda assim, com expansão rápida e investimento em um novo escritório para abrigar seus mais de 350 funcionários, o Nubank fechou 2015 com um prejuízo de R$ 32,7 milhões.

Mais sobre: