Início » Negócios » Esta gambiarra fez o Google economizar US$ 3,6 bilhões em impostos

Esta gambiarra fez o Google economizar US$ 3,6 bilhões em impostos

Google, faz meu imposto de renda

Por
1 ano atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Quem entende as regras do imposto de renda consegue economizar um bom dinheiro todo ano com as deduções fiscais — é possível deixar de mandar centenas ou milhares de reais para os cofres do governo sem burlar nenhuma lei. Os contadores do Google, aparentemente, fizeram a lição de casa: segundo a Bloomberg, a empresa evitou pagar nada menos que US$ 3,6 bilhões em tributos em 2015.

As gambiarras são tão complicadas que têm até nome: Double Irish e Dutch Sandwich. Elas consistem em transferir as receitas do Google entre diversas subsidiárias localizadas em países que oferecem benefícios fiscais ou que possuem brechas que permitem reduzir a quantidade de imposto pago. O caso do Google envolve principalmente a Irlanda, os Países Baixos e Bermudas.

Como funciona? Foi difícil entender o esquema, então preste atenção: a Alphabet, dona do Google, deposita a maior parte de suas receitas geradas fora dos Estados Unidos (foram US$ 15,5 bilhões em 2015) para uma subsidiária na Irlanda. Isso significa que o dinheiro que você, brasileiro, gera ao Google vendo e clicando em propagandas, por exemplo, não vai para o Google Inc. em Mountain View, mas para o Google Ireland Limited (o negrito aqui foi proposital, guarde esse nome).

Como a Irlanda é um país caro, o Google precisa transferir seu dinheiro para um país mais barato. É o caso de Bermudas, uma pequena ilha de 65 mil habitantes que cobra baixos impostos. Problema: se o Google transferir da Irlanda diretamente para Bermudas, vai pagar altos impostos. Então, o dinheiro é transferido da Irlanda para o Google Netherlands Holdings BV, nos Países Baixos — os dois países são membros da União Europeia, o que facilita a movimentação.

O pulo do gato é que os Países Baixos têm leis fiscais que garantem isenção de impostos para determinados ganhos. Por isso, a partir dos Países Baixos, o Google manda o dinheiro para o Google Ireland Holdings Unlimited (repare que o nome é diferente) com baixo custo. Ela é uma subsidiária do Google irlandês com sede em Bermudas (!) e pode licenciar todas as propriedades intelectuais do Google fora dos Estados Unidos, com a vantagem de operar em um território que cobra exatamente 0% de imposto para empresas. Engenhoso, não?

Agora os nomes ficaram claros: o Dutch Sandwich se aproveita de um benefício fiscal dos Países Baixos para evitar o pagamento de altos tributos sobre transferência de receita, enquanto o Double Irish é a técnica que envolve a operação de duas empresas irlandesas (uma principal e uma filial localizada num país que cobra baixos impostos, como Bermudas ou Ilhas Cayman).

A Irlanda, obviamente, sabe do problema e já tomou medidas para impedir a gambiarra. Desde 2015, é proibido se utilizar do artifício para evitar o pagamento de impostos — no entanto, as empresas que já possuem essa estrutura podem continuar se beneficiando até o final de 2020. A técnica é bem antiga: segundo o The New York Times, a Apple foi uma das primeiras a utilizar a estratégia, no final dos anos 80.

Você pode discutir nos comentários se isso é ético ou não, mas a declaração oficial do Google, como esperado, é a seguinte: “O Google cumpre com as leis fiscais em todos os países onde operamos”.

Mais sobre: ,
  • Ricardo – Vaz Lobo

    Morando no Brazil, vai ser difícil a gente se surpreender com esse monte de cambalhotas.

    • ochateador

      Se bobear as empresas brasileiras devem ter economizado bem mais dinheiro com as manobras que elas fazem.

  • imposto é roubo

    • Para eu não cair no DRY, lê ali em cima meu comentário para o @FelipeCostaGualberto:disqus

  • André Almeida Martins

    eles estão mais que certos..
    bobo sou eu que vivo no brasil, pago imposto pra caramba e não tenho “nada” em troca..

    • Ligeiro

      Não tem “nada” em troca? Hum… vejamos…

      – O SUS, por mais “ruim” que seja (e isso se deve mais a quem trabalha nele do que ao governo também), é um dos poucos serviços públicos gratuitos de saúde existentes.

      – O asfalto e parte da infraestrutura de ruas, avenidas e rodovias são pagas com impostos.

      – A Justiça, por mais “injusta” que ela seja, é paga com impostos também. E quando fala em Justiça, falamos dos Juízes aos Policiais.

      – Parte dos impostos subsidiam o transporte público ou pagam os serviços de fiscalização destes.

      – Educação básica (até o ensino médio) e algumas faculdades são pagas com dinheiro de impostos. Mesmo se os professores são ruins ou a infraestrutura é pessima.

      O problema aqui é que as pessoas reclamam muito e fiscalizam pouco. Não se autofiscalizam, não cobram o alheio.

      Conheço muita gente que reclama da corrupção e dos altos impostos, mas ganham dinheiro de forma ilícita, como ganhar de fundos de uma igreja não transparente em seus gastos por exemplo, ou contrabandar, ou ser assessor político, ou “trabalhar” para o governo com dedo de silicone.

      As pessoas trocam o que estão acostumadas a trocar. Troca-se corrupção por corrupção.

      As pessoas querem as coisas “de graça” dos governos, mas não dão nada de graça em troca. Então temos isso. Em qualquer país do mundo.

      Pensemos sobre.

      • Anakin

        vou reformular então o que o amigo disse, pagamos impostos e o governo nos dá o mínimo de qualidade nos serviços, coisas que alguns outros países tem. Uma dúvida, você utiliza o SUS, talvez ai na sua cidade, seja mais rápido que na minha, qual é a média de tempo de atendimento ai? da ultima vez que fui foi bem pesado…
        Talvez você goste de defender porque nem usa, assim é bem fácil

        • Ligeiro

          Eu uso, e sei o quanto vale. Eu não tenho dinheiro para pagar um plano de saúde. E não tenho culpa se idiotas anônimos são gananciosos e ganham a vida roubando os outros.

      • Raphael Carvalho de Souza

        Vamos dar um toque de realidade para nosso amigo sonhador:

        – O SUS não funciona o Governo não tem condições de manter uma estrutura dessa acorda pra vida e morre na fila do SUS

        – O asfalto a maioria das rodovias pelo menos no estado de SP foram vendidas para concessionarias terceirizando o asfalto mas até ai sem problemas o problema é quando a prefeitura ou o estado é o responsável ai nem preciso dizer nada

        – Educação Professores ganham bem para caralho da até motivação de se tornar professor nesse pais maravilhoso

        O problema aqui é muito mais que fiscalização ferramentas de fiscalização temos muitas mas nosso amigo Lula mesmo depois de ser fiscalizado e monitorado com suas bandidagens está livre leve e solto mesma coisa para os demais políticos do Brasil.

        Não quero nada de graça amigo ninguém quer aqui no Brasil pagamos muito e muito bem por todos esses serviços que não funcionam e não vão funcionar.

        Já pensei bastante a meta é sair daqui o quanto antes ir para um país que se entrar na rua errada não leve um tiro na cara como no Rio de Janeiro

        • Ligeiro

          Eu não estou sonhando, estou dizendo a realidade. Vocês é que são cegos e estão acostumados com a “visão do exterior”.

          Não quer nada de graça, mas provavelmente acessa alguns sites com Ad-Block por exemplo :p

      • Jeferson Oliveira

        – O SUS tem filas de tratamento enormes, nas quais contribuintes morrem esperando consultas e/ou tratamento. O povo paga pra morrer com a esperança ou pra ter um tratamento decente?

        – Estradas e ruas geridas pelo governo são mal mantidas. É só dar uma volta de carro em regiões pobres e afastadas das “regiões burguesas” pra ver. O povo paga caro pra andar em estradas que vão ferrar seus veículos?

        – A justiça põe ladrão de salame na cadeia e deixa assassinos e corruptos com décadas de experiência na rua. O povo paga a justiça para que ela seja injusta?

        – Transporte público é caro e superlotado, sem falar na falta de compromisso com idosos, deficientes e horários. O povo paga para ser transportado como gado?

        – Educação pública no Brasil cumpre calendário sem o menor compromisso com o aprendizado. Por isso temos –às vésperas de 2017– salas superlotadas que geram apenas analfabetos funcionais que não sabem ler o que diabo escrevem. Os pais dessas crianças trabalhar como escravos para pagar os impostos que tornam seus filhos em idiotas úteis.

        O povo paga muito para ter muito pouco em troca; Quase nada. Mas tem quem agradeça e tente justificar as migalhas daqueles que pagam por um banquete, mas recebem um marmitex.

        • Ligeiro

          – O SUS tem filas de tratamento enormes, nas quais contribuintes morrem esperando consultas e/ou tratamento. O povo paga pra morrer com a esperança ou pra ter um tratamento decente?
          Tais filas de tratamento poderiam ser corrigidas se a população se cuidasse mais da saúde. O povo paga para morrer mesmo, pois gasta rios de dinheiro com alcoolismo, cigarro, automóveis mal regulados, vícios que fazem mal a si mesmo.

          – Estradas e ruas geridas pelo governo são mal mantidas. É só dar uma volta de carro em regiões pobres e afastadas das “regiões burguesas” pra ver. O povo paga caro pra andar em estradas que vão ferrar seus veículos?
          Nos últimos anos tenho visto mais asfalto em favelas. Apenas regiões ruais ou ocupações novas não tem infraestrutura.

          – A justiça põe ladrão de salame na cadeia e deixa assassinos e corruptos com décadas de experiência na rua. O povo paga a justiça para que ela seja injusta?
          Tem a Lava Jato, tem a questão do PCC (o poder dos presos nas cadeias). A Justiça é falha pois a população não chega a um consenso pleno sobre a Justiça. Por isso acaba injusta.

          – Transporte público é caro e superlotado, sem falar na falta de compromisso com idosos, deficientes e horários. O povo paga para ser transportado como gado?
          A população não exige como se deve para mudar os transportes. Sonha mais com um carro ou moto do que vai para as ruas pedir um transporte melhor.

          – Educação pública no Brasil cumpre calendário sem o menor compromisso com o aprendizado. Por isso temos –às vésperas de 2017– salas superlotadas que geram apenas analfabetos funcionais que não sabem ler o que diabo escrevem. Os pais dessas crianças trabalhar como escravos para pagar os impostos que tornam seus filhos em idiotas úteis.
          Professores e diretores sofrem com um problema cultural no Brasil, que acaba virando uma “inversão de valores”. Muitos professores tentam manter a classe educada, mas com pais e sociedade deseducadas, é um trabalho difícil. Fora diversas necessidades sociais – o jovem tem que ir trabalhar cedo para ajudar a família.

          O povo paga muito para ter muito pouco em troca; Quase nada. Mas tem quem agradeça e tente justificar as migalhas daqueles que pagam por um banquete, mas recebem um marmitex.
          O povo sonha no final em subir em cima do outro que come marmitex para ter seu banquete. Esse é o problema aqui. Povo inteligente é o que se respeita. Se o povo não se respeita, não adianta muita coisa. Vide que infelizmente a internet hoje é dominada por trolls e haters – e isso virou orgulho para muitos. Infelizmetne não se houve um combate contra eles, praticaram tolerância. Deu nisso.

          Tou tentando me lembrar onde li uma vez que “o de baixo sonha em um dia ser o de cima”

          • Toquinho

            Ou tu é um inocente ou só pode estar brincando.

          • Ligeiro

            Melhor ser inocente do que ser cúmplice.

          • Diogo Paiva

            Você acabou de refutar todo o seu argumento anterior ao mostrar que é o povo quem tem que procurar melhorias e não o governo que deve dá-las… Se eu estou pagando os impostos e “recebendo” como você diz, não deveria me preocupar em ter que cobrar (com o seu argumento).
            Nós não recebemos pelo que pagamos, e isso é fato! Querer argumentar contrário a isso é atestar que não entende nada dos problemas do país.

            Só concordo com você na parte que diz que o povo tem que se respeitar. Isso é outro fato do nosso país, tem sempre alguém querendo passar por cima do outro.

          • Ligeiro

            Não estou refutando, estou dizendo que o próprio povo é culpado pelas falhas em oferecer as melhorias.

            Se não partir do princípio que “governo = povo”, gera uma distorção que separa governo do povo, e aí cria toda esta situação.

            Democracia não é a máxima “do povo, para o povo?”. Esse é o ponto!

            O cara que estudou medicina em uma universidade pública paga pelos impostos, e depois, graças a ser pego pela manutenção da mediocridade da mentalidade médica supercartelizada brasileira, no final não é tão diferente do político que veio da região de interior de um estado brasileiro, entrou na carreira política e no final se rendeu aos desvios e corrupções, tal como não é diferente do cara que estudou informática por conta própria na casa dele, depois viu um grande mercado mundial, e para poder concentrar o máximo de dinheiro, não age tão diferente do médico supercartelizado e do político que se rendeu aos desvios e corrupções…

          • Então a culpa é do povo!

          • Ligeiro

            Isso. O povo gera os corruptos. O povo sofre com os corruptos que gera.

      • Samuel Cesar

        Essa luta nós sempre perderemos. Não é mais fácil um país mais liberal, aonde passará menos dinheiro no estado?

        • Ligeiro

          É difícil responder isso, pois veja bem – geralmente o dinheiro é impresso e gerenciado pelo Estado (que é uma parte da população que “se julga” responsavel) , e quando a própria população tenta usar alguma forma própria de mensuração de valores, ela falha por ganância e egoísmo – o Bitcoin é uma das maiores demonstrações atuais disto.

          Na cabeça de quem defende a forma “liberal” definida de forma popular, “as coisas são conquistadas por mérito e suas aquisições depende das questões de oferta e demanda”. Simplória demais e tal definição pressupõe que toda e qualquer pessoa tem capacidade de conseguir um recurso de valor e depois usa-lo para trocar com outro. Esquece questões sociais, como a concentração de recursos (ao invés do compartilhamento), a manutenção da cultura rico vs. pobre, o uso do dinheiro como escala social, etc…

          Vide que nos Estados Unidos, não existe um serviço de saúde pública total por exemplo. Ou a Justiça geralmente dá mais valor a quem paga mais (casos de patentes e direitos autorais vem muito de lá…)

          No “liberalismo”, o “dinheiro manda”.

          No capitalismo é simples e fácil ser rico:

          – Ache algo que
          consiga o máximo de recurso que puder em pouco tempo, ou a estabilidade
          de um número de recurso cujo valor será exponencial ao longo do tempo.

          Use a matemática para transformar este recurso em algo que a maior
          parte esteja contigo, e a outra parte você consiga sempre trocar para
          aumentar ainda mais a este recurso.
          – Sempre fique nestes dois passos até conseguir o recurso que tanto almeja.

          Existe uma falha na visão da economia (e nisso posso estar errado em defniir assim) que parte do pressuposto que tudo tem algum valor, e deve ser mensurado naquele valor – principalmente objetos e inobjetos definidos pela população como algo de valor.

          Como mensurar o trabalho do Google? Ele mesmo fez as contas e deu no que deu – foi tanto dinheiro que ele tem que fazer de tudo para não ter parte do que ele definiu como “valor do seu trabalho” indo de volta aos cofres das sedes originais da empresa.

          Detalhe que hoje boa parte do uso do Google, ao que noto, é de serviços “gratuitos”, onde a definição de valor está em nós como usuários e onde servimos para “apreciar” as propagandas ou serviços condicionados do Google.

          Nem eu consigo definir melhor que isso. Mas enfim. Não

  • Anderson Araujo

    Ético, belo e moral. Imposto é roubo.

    • Diogo Nóbrega

      Claro, imposto é roubo. E inevitável também.

    • Imposto é roubo quando mal aplicado e distribuído, do contrário, mal necessário para investir na própria infraestrutura do país.

      • Diogo Nóbrega

        Vai colocar isso na cabeça de um ancap…

      • Não deixa de ser roubo. A diferença é que seria um roubo menos mal feito.

        • @FelipeCostaGualberto:disqus Como você espera que o estado construa escola, hospitais, faça o seu asfalto, segurança entre outros serviços.

          Não estou colocando aqui o mérito de funcionar ou não os serviços, apenas que o estado tem obrigação de fazer. De onde você iria tirar o dinheiro para isso?

          Isso não tem nada de roubo, imposto é você pagando por serviços públicos que consome.

          • Carlos Santos

            E se não consumir paga mesmo assim? Não entendeu porque ele tá falando que é roubo? Seus impostos cobrem educação e saúde, mas se você quiser ter qualidade você usa o meio privado. Menos estado! Mas liberdade.

          • Você não usa estrada? Não utiliza segurança pública? Existem vários outros serviços.

            Como disse antes, não estou colocando em pauta a corrupção existente e sim o significado dos impostos.

            Acredito que deveria ser o seguinte, você deveria receber mensalmente um boleto do governo com seus impostos a pagar e caso tenha o serviço contratado com particular, vc ficaria isento do imposto público.

            Exemplo desta realidade por exemplo é o seguro automotivo obrigatório. Em Portugal vc é obrigado a ter no mínimo seguro contra terceiros. Se não quiser ter um privado no mínimo o do governo você tem de pagar, se pagar privado não paga o do governo, pois em caso de sinistro você terá a obrigação de usar o seu privado.

            A mesma regra acima poderia ser válida para todos os serviços. Se você tem plano de Saúde Particular, poderia usar os hospitais do SUS por exemplo, e todas as despesas deveriam ser pagas pelo seu plano de saúde particular e não coberta pelo SUS como acontece hoje onde mesmo tendo planos particulares muitos utilizam o SUS.

          • Utilizo estrada e frequento hospitais sim. Mas só o estado que consegue prover isso? Ele se mostra mais incompetente que tudo e todos.
            “mas e os pobres como vão fazer sem hospitais públicos?” – eu que te pergunto. E os pobres hoje? Tá tudo bem, né?

          • Não é só o governo que consegue prover estradas e hospitais, vide as vias com pedágio que você paga e clínicas particulares que são muito melhores que o SUS.

            Como eu disse e me repeti várias vezes, mas vou colocar com outras palavras que talvez facilite o entendimento.

            IMPOSTO NÃO É ROUBO, ROUBO É O DINHEIRO DO IMPOSTO SER DESVIADO que é o que acontece em muito países.

            Se o dinheiro do imposto não fosse tão desviado como acontece, poderíamos ser um pouco mais parecido com a Suíça, Suécia e outros países de primeiro mundo onde os IMPOSTOS são CORRETAMENTE aplicados e a população Pobre ou Rica utiliza-se disso adequadamente porque seus governantes não desviam (tanto talvez) dinheiro quanto aqui no Brasil.

          • Certo dia, você chega em casa e tem um jardineiro terminando de cortar as plantas de jardim. O cara é péssimo de serviço, mas essa não é a questão principal: ele lhe cobra pelo serviço e você sequer chamou um jardineiro.
            Você inicialmente se recusa, mas então ele tira um revólver do bolso e aponta para sua cabeça. Você, resignado, tira o dinheiro da carteira e paga ele.
            Na semana seguinte, ao voltar para casa, encontra o maldito jardineiro de novo. Você sabe que, se não pagar, ele vai te matar.
            E isso se repete por todos os dias da sua vida, até você morrer.
            Qual é o nome disso?

          • Que merda esse seu jardineiro hein?

            Deve ser uma merda também quando o pessoal da coleta do lixo passa na sua casa.

            Outra pior ainda quando asfaltaram a sua rua.

            Quando os remédios chegaram ao Hospital e posto de saúde.

            Quando instalaram energia elétrica e saneamento.

            Porra você tem q conviver com tudo isso, deve ser um terrorismo fudido viver com todas estas ameaças diárias, além do seu jardineiro.

            Conta aí para gente, como seria o seu país sem imposto? como você custearia estes serviços acima citados além de outros?

          • O jardineiro é uma merda exatamente porque ele sabe que independentemente se ele fizer um serviço bom ou ruim, ele vai continuar tirando o dele. Ele tem reserva de mercado. E é proibido aparecer outro jardineiro para fazer o serviço dele, mesmo que seja melhor e cobre mais barato.
            O mesmo vale para asfaltar ruas, construir hospitais e fornecer energia elétrica.
            Você acha que se não existisse impostos, as ruas ficariam entupidas de lixo, as casas sem energia e não haveria hospitais? Claro que não.
            “Conta aí para gente, como seria o seu país sem imposto? como você custearia estes serviços acima citados além de outros?” – sim, custearia, claro. A diferença é que, além de eu custear somente o que eu quero, os serviços seriam bem melhores. Até agora você não entendeu que o ponto chave é ter LIBERDADE para tomar ou não um serviço, ao contrário da COERÇÃO a que somos hoje obrigados.

          • Você não mencionou como você custearia estes serviços. Você não falou como você quanto a estado, pagaria pelos serviços que teria de dispor.

            Mas vamos lá, pelo que você falou, você quanto a cidadão, não quer pagar imposto para o governo OK, quer ter a liberdade de escolher a melhor empresa privada para prestar o serviço a você, OK, ótimo. E quem não pode fazê-lo, como fica no seu país sem imposto? Como o governo deve prover os serviços à estas pessoas? Lembrando que não temos mais impostos, pois imposto é roubo e não podemos roubar.

            Quanto a questão de privatizar os impostos como você sugeriu, da uma lida umas 4 ou 5 respostas acima o que eu escrevi sobre Portugal e o exemplo do seguro veicular de carros.

            Você está tão alienado que não foi capaz de ler todas as conversas na íntegra, e se o fez, não fez direito pois não prestou atenção no que eu escrevi e se ainda assim o disser que fez, não viu que eu escrevi a sua teoria de liberdade há algum tempo.

            Então você deixou de pagar imposto simplesmente para pagar para outra empresa a qual você julga melhor que o governo.

            Neste caso o ponto da discussão muda pois, você provavelmente provavelmente vai pagar mais caro, mas ficará feliz pq escolheu a quem pagar em troca da qualidade do serviço que você julga ser melhor, e assim como acontece em Portugal, o país de cobra pelo serviço básico mínimo e obrigatório que todas as seguradoras devem ter e variam pouco em relação ao valor cobrado pelo imposto do governo, daí você pode subir e melhorar seu seguro pagando a mais por aquilo que você acha necessário de acordo com o seu gosto.

            Como eu disse, eu já mencionei isso antes e você foi incapaz ou de ler ou de interpretar ou de raciocinar achando veementemente que imposto é roubo.

            Vide isto, parei por aqui, pois acabei de perder as esperanças de em uma discussão sem futuro.

          • “E quem não pode fazê-lo, como fica no seu país sem imposto?” – essa retórica de estadista dá preguiça demais. Eu devolvo a pergunta pra você: no Brasil, onde pobre paga 56% de imposto, ele tem acesso à saúde? O máximo que você pode falar é que ESTÁ ESCRITO que ele tem acesso a saúde. Estadistas vivem no mundo da teoria, pregam o que parece ser moralmente mais correto para dormir tranquilos, mesmo vendo na prática o sistema falir e os pobres sofrerem mais.
            Por outro lado, só um lunático defende retirar todos os impostos do dia para noite, pois isso causaria problemas de estabilidade catastróficos. Logo, no âmbito de Portugal – sim, estão no caminho certo, mas não venha com essa resenha de que no Brasil tal modelo não funcionaria porque “a democracia aqui não é madura”. Essa expressão é o maior papo furado. Aqui isso não funciona porque o estado é bem mais inchado e os parlamentares tem muito mais influência no dia a dia das pessoas. Logo, nunca vão passar uma lei que diminui a arrecadação deles.

          • Ligeiro

            O problema das métricas é que muitas vezes esconde uma realidade.

            Apesar da métrica de 56% dos impostos serem pagos por “pobres” (o que é estranho pois os impostos são mais cobrados na cadeia produtiva do que diretamente ao cidadão), sim os pobres tem acesso a rede básica de saúde, educação e segurança.

            Na prática sabemos que tais serviços são “mal prestados”, mas não é culpa do governo, mas sim dos próprios cidadãos e sua manutenção da cultura baseada em egocentrismo, ostentação e métrica financeira.

            Vide: há menos médicos na rede do SUS do que em redes particulares porque obviamente em rede particular se paga mais e há mais liberdade para o profissional médico atuar. No SUS, o médico enfrenta uma população que não cuida direito da própria saúde e não consegue facilmente mudar a realidade por N fatores. Apenas médicos que tenham alguma pré disposição para atuar mais socialmente (como Drauzio Varella). A corrupção que ocorre dentro do SUS muitas vezes vem mais dos profissionais internos (desvios de produtos, procedimentos errados, péssimo atendimento) do que dos políticos.

            Na educação, os professores sofrem para ensinar devido aos salários (que não os agrada), aos alunos (que tem problemas sociais para lidar), pela métrica (a dificuldade de ensinar em uma época de mudanças culturais) e pela infraestrutura.

            Na segurança, há do problema cultural (a manutenção da cultura de comprar objetos frutos de crimes, a manutenção da cultura da vingança e revanchismo, machismo/homofobia/xenofobia/racismos/demais preconceitos) e as questões de interpretação da lei, que dá margem para inúmeras corrupções.

            Fora também a questão da infraestrutura geral, manutenção de cidades, gerenciamento urbano, etc…

            Mesmo por isso tudo não significa que não se deva pagar imposto ou que imposto é roubo.

            MAS SIM QUE DEVEMOS REALMENTE MUDAR NOSSA CULTURA, FAZER OS PROFISSIONAIS DO SERVIÇO PÚBLICO ATUAREM DE FORMA LÍCITA, VALORIZAR ESTE TIPO DE PROFISSIONAL, E AÍ SIM DISCUTIR COMO COBRAR OS IMPOSTOS PARA REMUNERAR TAIS SERVIÇOS PÚBLICOS

            Se preferir, beleza, vamos eliminar os impostos. Mas cada coisa existente será cobrada individualmente. Usou? Pagou!

            Pense um pouco além disso para imaginar no que vai dar.

          • “o que é estranho pois os impostos são mais cobrados na cadeia produtiva do que diretamente ao cidadão”
            O imposto é cobrado na cadeia produtiva, mas quem paga somos nós.
            Suponha que você seja empresário e vende a garrafa de 1L de leite por 1 real, mantendo um lucro de 10%. O governo aumenta o imposto cobrado a você. Para que você continue tendo 10% de lucro, terá que subir o preço para – suponha – R$1,20. Você está repassando o imposto para o consumidor final, certo?
            Um cidadão que ganha 1000 reais paga, proporcionalmente ao salário que recebe, mais impostos que um que ganha 10000, por isso que afirmo que quem defende taxações prejudica, no fim das contas, principalmente o pobre. Esse papo de “taxar o empresário malvado” reflete diretamente na população pobre. Embora pobre não pague uma taxa alta de imposto da folha de pagamento, paga muito imposto embutido em bens e serviços – proporcionalmente mais que qualquer rico.
            “Na prática sabemos que tais serviços são mal prestados, mas não é culpa do governo, mas sim dos próprios cidadãos e sua manutenção da cultura baseada em egocentrismo, ostentação e métrica financeira”
            O mito de que o Brasil está mal por causa das características de corrupção do brasileiro tem que ser derrubado de uma vez por todas.
            Enquanto político e servidores públicos tiverem privilégios legais e diferenciados, irá continuar a putaria. Existem duas causas fundamentais que tornam o serviço público no Brasil o que é hoje: 1 – plano de orçamento irracional e 2 – estabilidade dos servidores públicos. Tome o correio, por exemplo: ele detém o monopólio de mercado (se você quiser abrir uma empresa de distribuição de correspondência, o estado irá fechar à força). Se você estiver insatisfeito com o correio e fizer uma reclamação, qual será a motivação do correio para melhorar? Nenhuma. Vão dar risada e seguir para a próxima reclamação. Se o mesmo acontecer com você em uma loja, por exemplo, você pode ir para outra loja se tiver insatisfeito. Não, a culpa não é do Brasileiro!

          • Ligeiro

            A cobrança de impostos na cadeia produtiva provavelmente é devido ao fato de que na cabeça dos governos, a população não pagaria o próprio imposto diretamente como imposto de renda ou similar. As tentativas do governo de “transformar em jurídico profissionais de pequeno porte” (o MEI) e os atrasos de pagamentos de impostos desta categoria mostram isso.

            Pobres não sofrem tanto com impostos quanto você diz por dois motivos atuais:

            1 – muitos produtos hoje tem sonegação de imposto (como os contrabandos de importados) ou tem isenção ou redução de impostos. Principalmente os produtos básicos consumido por pobres. (Alimentos)

            2 – Para uma pessoa “pobre”, ela também tem a opção de consumir outras coisas que não pagam impostos. Quem vive em ambientes rurais ou comunidades onde há troca de produtos ou produção coletiva é assim.

            Não discordo que precisamos mudar como cobrar os impostos, mas é falho imaginar que os pobres sofrem com os impostos na cadeia produtiva.

            Sobre a cultura de corrupção, perdão mas você está errado.

            Esta questão é o velho “quem vem primeiro: o ovo ou a galinha?”.

            A galinha é a corrupção e o ovo é a consciência primaria da população.

            Antes dos políticos atuais e seus desvios de dinheiro, existiam os reis e nobreza, e a escravidão e abuso de camponeses. Antes disso, líderes abusavam de seus liderados, do Egito à Roma.

            Isso porque quem se dizia ou considerava inteligente também se considerava nobre, se considerava merecedor daquilo. Era e sempre foi humano abusando de humano

            De qualquer forma, eram humanos que vinham de uma parte da população e depois viravam algo que abusava desta população. Não tem líder ser sua origem na população.

            Quantos políticos não vieram de um lugar pobre e hoje são extremamente corruptos? Pesquise a origem de alguns dos políticos brasileiros – inclusive um certo alguém que sempre bradou sua humilde origem…

            No entanto, desça alguns degraus e verá pessoas vendendo seu voto (vi um monte na última eleição). Verá pessoas trabalhando para políticos por dinheiro e ganância, não por vontade de mudar a cidade para melhor. Verá pessoas que consomem coisas roubadas. Que matam as outras por nada. Pessoas que ofendem as outras – o jeito que outro certo alguém age com preconceito não é sem fundamento e nem vem só dele. Se ele age assim, é porque ele representa um grupo de pessoas que age assim.

            Na questão de serviços públicos – pessoas procuram serviços públicos para trabalhar justamente por causa disto – estabilidade e falta de fiscalização. Quantas pessoas não movem o “mercado de concursos públicos” (uma aberração ao meu ver) para poder tentar a vaga em um emprego que ele só quer entrar por causa do dinheiro?

            Quem entra no serviço público era alguém da população comum. E entrou com esta consciência de corrupção, não é “entrou lá e automaticamente mudou a moral”.

          • Juliotenorio

            Tu acha que vale a pena as fornecedoras de energia levar energia pra tua casa? O que vale são as grandes empresas, e só tem energia pro povo por causa do governo que obriga elas a fornecerem. Ainda me pergunto como você iria escolher certos serviços, como água, energia, estradas? Esse tipo de serviço, e outros, não iria ter escolha alguma.

            E mano, não viaja com essa história do jardineiro.

          • “Tu acha que vale a pena as fornecedoras de energia levar energia pra tua casa?” – Claro que sim. Fornecer energia elétrica é algo de altíssima rentabilidade (já trabalhei com planejamento energético).
            As concessionárias estatais, mesmo prestando um serviço de merda, conseguem gerar um lucro exorbitante. Imagine se fossem geridas por profissionais com metas e trabalhassem de verdade?
            Como eu disse, só um lunático defende desestatizar as empresas do dia para noite. Tem que ter uma sequência. Você tem a correta noção de que algumas coisas são mais difíceis de desestatizar que outras – como estradas – mas mesmo assim é possível. Busque no Google Mises – Como privatizar serviços de infraestrutura que verá que estamos pagando (e obrigatoriamente) caro por serviços de merda.

          • Juliotenorio

            Isso é verdade, não dá para fazer do dia para noite. Quanto a energia é algo que gera bastante dinheiro, mas se só fornecer para empresas gera mais lucros, casas são muitas, e demandam mais pessoas para atender. Mas como tudo precisa de energia hoje ninguém ia deixar de ter, mesmo que fosse mais caro. Vou ler depois isso que recomendou. Feliz natal.

          • Tharles de Sousa

            Li e entendi o que quis dizer Junior, o imposto quando bem aplicado não é roubo. Mas quando te cobram caro porque dizem que é para oferecer um serviço de qualidade, entregam um serviço porco, mas ainda sim ficam com o seu dinheiro, isso é roubo sim. Você paga caro (e BEM CARO) para não usufruir nem da metade do que pagou. Traduzindo, aqui no Brasil, o imposto em si, é roubo sim, pois ele lesa o contribuinte, ao invés de beneficiar.

          • Yago Oliveira

            Isso sim seria irreal. Muito bonito no papel mas irreal demais. Eu não acho que imposto é roubo por outras razões não citadas, mas eu entendo perfeitamente o argumento de quem diz que é porque o governo TE FORÇA a pagar por algo que muitas vezes você não quer e/ou não utiliza, exemplo: um brasileiro paga IPVA mas não tem asfalto ou tem de maneira precária em sua cidade. E aí? De que serviu o imposto se não está sendo usado? Essa é a questão e eu entendo perfeitamente.

          • Isso não é irreal, e muitos países adotam esta política. O exemplo de Portugal que eu mencionei acima é apenas 1 dos impostos em que Portugal aplica esta regra, assim como outros países da Europa e com certeza de outros lugares mais evoluídos no mundo.

            Aqui no Brasil onde a população acha que imposto é roubo e muitos preferem viver de bolsa família, bolsa gás e várias outras bolsas e vales não evoluiu o suficiente para ver que mais vale trabalhar, crescer, contribuir com a máquina e empresas e obter o retorno do que viver de esmola, há quem prefira, eu não, eu aprendi a sair da “corrida dos ratos” como cita o livro Pai rico, pai pobre, e hoje agradeço por estar bem.

            O que não quer dizer que eu concorde com o modo como os encargos são criados e com seus valores, apenas aceito o fato que vivemos em um país democrático onde a população que elege os líderes ainda não amadureceu o suficiente para chegarmos ao nível de Portugal e outros e acredito que não estarei vivo para ver isso acontecer.

          • Yago Oliveira

            Cara, No Canada o “SUS” de lá funciona, isso não quer dizer que o daqui possa funcionar… Não adianta comparar o Brasil com outros países, é uma história diferente e uma política totalmente diferente. Democracia? Hum… não sei bem se é não. O povo vive de “bolsa alguma coisa” porque tem a cultura de ganhar sem trabalhar, concordo com o que você disse sobre o trabalho, mas o governo reflete o povo, e sempre será votado alguém que faz parte do nosso meio.

          • ochateador

            Veja bem.
            Se os gatos do estado brasileiro em educação/saúde tivessem 0% de corrupção e sonegação. Pode ter certeza que a educação e saúde pública deixariam a saúde e educação privada comendo poeira.

          • Acho que não precisaria ser 0%, se tivessem 30% (vendo a realidade do Brasil) acredito já ser o suficiente para ser melhor ou tão bom quanto o privado.

            O problema é q nossa corrupção é imensa, vide o que se desviou na Lavajato, são cifras maiores que o PIB de muitos países.

          • davi koscianski vidal

            @gildonei:disqus 30% de corrupção seria melhor que o privado?
            Você bebeu?

          • Imagine o seguinte cenário:
            1 – Você não paga o imposto de renda.
            2 – A Receita te chama. Você não comparece.
            3 – A Receita vai na sua casa e fala que a casa não é mais sua e vai vendê-la para quitar os impostos que você deve.
            4 – Você impede que eles tomem sua casa e resiste ao ato.
            5 – Eles te atiram e te matam.
            Você tem razão, não é roubo. É latrocínio legalizado.

          • Seu cenário não é realista, mas já que é para ser hipotético, vou adaptar o seu cenário.

            Eu sou o governo, e você me deve
            Você não me paga
            eu vou na tua casa te cobrar
            você reage e diz q não vai me pagar
            logo eu cobro com a tua vida e ficamos quites,
            porque tua vida valia mais que o valor que você me devia inicialmente, então coloquei juros, multa, mora e cobrei o que achei devido

            Então se você não quer que eu te cobre e não te mate, não me devas e tampouco pegue emprestado

          • A grande diferença é quando você tem a LIBERDADE de escolher se toma um serviço ou não.
            No nosso caso, isso não existe: estamos no sistema, por padrão e obrigatoriamente.

          • Você não quer admitir que eles roubam porque eles “usam” o dinheiro para prestar serviços à sociedade? Então acha que cunhar de “roubo” é pesado demais?

          • Sim eu acho pesado demais, até por não se aplicar.

            Como eu disse, não estou levando em consideração o desvio de verba e corrupção existente que todos sabemos de fato que existe em uma proporção absurda.

            Estou me referindo ao que deveria ser o seu imposto, nada mais do que você pagando por serviços que consome.

          • davi koscianski vidal

            @gildonei:disqus quem disse que isso tudo é obrigação do Estado?
            O Estado deveria ter o monopólio da violência, sistema Judiciário e poucas regulamentações. E só.
            Escolas, hospitais, asfalto, segurança e tudo o mais poderia e deveria ser da iniciativa privada.

            Veja o caso dos Correios: monopólio estatal que está dando prejuízo.
            Como você consegue dar prejuízo SEM CONCORRÊNCIA?

      • davi koscianski vidal

        O próprio nome já diz: “imposto”.

        Não é “contribuição”. É “imposto”.
        Não somos contribuintes, somos pagadores de impostos.

    • D’ Carvalho

      lixo.

    • kisairogue

      Isso. Deixa para os pobres bananas como tu pagarem imposto e sustentarem isenção fiscal pro empresariado, que sempre dá um jeitinho de evitar. Aliás, pode aplaudir o Google enquanto tu flutua sobre a infraestrutura construída com o dinheiro do roubo.

      • Pelo jeito tu és daqueles que prefere viver dos bolsa esmola (família, gás, etc) a ter de trabalhar né? Ou então daqueles que quer cargo público de 30 ou menos horas semanais ganhando 10k / mês e que vai reclamar de pagar 27,5% de imposto de renda.

        Eu digo que prefiro pagar 27,5% de IRPF sobre 10K/mês de salário e ficar com 7,3K limpo trabalhando 40h / semana do que viver com 1K de todas as bolsas sem trabalhar.

        E aí diz o q vc prefere?

        • kisairogue

          Viajou legal, hein, fera. Tá respondendo pro comentário certo?

          • Acho q você respondeu errado, você respondeu ao meu post e eu te respondi. É só olhar a thread.

          • kisairogue

            Eu respondi ao comentário do Anderson Araujo dizendo que “imposto é roubo” e defendendo sonegação de imposto pelos bilionários (só olhar o “in reply to”). Na verdade, estava até concordando com o que tu disse. Calma, fera, nem todo mundo discorda de ti na internet

          • Realmente tens razão, peço desculpas pelo reply mal colocado 😐

  • palatoqueimado

    “Ético”? Quando se tem dinheiro de acionistas em jogo, meta de lucros a serem batidas, e a pressão por ser uma empresa maior do que se é atualmente, “ética” é uma palavra bonitinha que nada significa.

    • E é por esse tipo de pensamento que chegamos no mundo em que vivemos… Negar o aquecimento global por que isso reduz o lucro das petroleiras, negar a venda de armas para guerra civil em países pobres, negar a liberação de patentes em medicamentos que já auferiram lucros astronômicos à farmacêuticas que pensam apenas em ganhar dinheiro na doença das pessoas, negar exploração de trabalho para construir o telefone de última geração… Se não quebrarmos esse círculo apenas aumentaremos o moedor de carne humana que virou o mundo.

  • belo jeito de pular uma barreira gigante

  • Minatonami

    belo e moral. eu tive o serviço que eu queria, o anunciante teve o alcance que queria, a google ganhou o dinheiro que queria. qualquer desculpa pra tirar coercitivamente
    o dinheiro de quem trabalha é pura e simplesmente uma desculpa pra roubo

    • D’ Carvalho

      só faltou o dinheiro do hospital e da rodovia…

      • E quem dos citados utilizou hospital e/ou rodovia?

        • Miller

          O Google mais do que qualquer brasileiro, pois percorreram quase todas Estradas do Brasil fotografando as ruas para o Street view

      • Glauco Heitor

        Mas o país onde o dinheiro está rolando, que gerencia os impostos estavam tranquilos em cobrar tal porcentagem de impostos. E não acho que esses países tem probelmas com rodovias e hospitais…

      • Anakin

        o Brasil está assim por causa do google, que malditos, vou fazer uma passeata aqui…

        • D’ Carvalho

          Substitua “Google” por “sonegadores”.

  • Diogo Nóbrega

    Claro, para o Google, nos EUA, isso é legal. Fosse aqui no Brasil, isso se chamaria sonegação ou evasão de divisas…

    • Várias empresas aqui do Brasil fazem isso e inclusive dentro do próprio Brasil.

      Conheço várias empresas que possuem apenas endereços em alguns estados para facilitar o recebimento de mercadoria com isenção onde indica-se estar em um lugar mas recebe-se em outro (tal qual o Google fez ali), então compra-se pagando os impostos do menor estado, com incentivos fiscais, e distribui-se para o resto do país ganhando em logística, frete, recolhimento de diversos tipos de imposto e etc.

      Esta prática ficará cada vez mais comum vide as diferenças cobradas de imposto entre cada estado e seus respectivos benefícios fiscais, isso só não é uma “regra” para empresário brasileiro pq muitos desconhecem ou preferem se acomodar, pagar e choras os altos impostos.

      • Jefferson Felipe
        • Este caso é diferente, pq o importador é diferente do comprador, imagine que eu compro, eu quem estou na nota fiscal mas você é quem recebe.

          O caso que eu citei é tudo regular, tudo dentro da mesma empresa, mesmos nomes e cnpjs como filiais, ou seja, estou dentro da lei, agindo como a lei manda, porém não preciso ter toda uma estrutura física em determinado estado com funcionários e carteiras assinada e etc, preciso apenas de um endereço válido de correspondência, uma espécie de caixa postal e com isso ganhos os benefícios.

          • Jefferson Felipe

            Entendi, obrigado.

    • kisairogue

      Assim como nos EUA lobby é ok, enquanto no Brasil lobby é corrupção e tráfico de influência…

  • Erica Renesto

    Ético não exatamente, mas inteligente e legal (pelo menos até o final de 2020) com certeza o é.

  • Palmas para o Google. Imposto é roubo.

    • rodrigo lins

      Imposto é roubo?!!!!
      Em que planeta você vive Alien? Pode-se dizer que a quantidade de impostos cobrada em nosso país é abusiva e inadequada de mais.

      Pagamos caro por serviços deficientes como, saúde pública, segurança etc etc etc.. Concordo. Mas afirmar que somos roubados diariamente, e ainda acreditar nisso da forma que você acredita? Alienado de mais você. Não sei em que caixa você vive.

      Se você acha mesmo que é roubo, Continua sendo roubado porque quer amigão… Faz sua malinha e mete o pé.

      • Você tem a liberdade de decidir se vai pagar por esses serviços ou não?
        Alienado é você, que mesmo sendo extorquido, defende a maior instituição criminosa do país, que toma seu dinheiro e repassa irracionalmente para outros lugares, fora o por fora que embolsam. E se você não pagá-los, eles te prendem. E se você entrar na justiça, vai perder, porque o promotor é pago por eles.

        • Ligeiro

          Cara, aqui não é a Alemanha, onde prenderam uma mulher pois não pagou o imposto sobre televisão. – http://brasil.elpais.com/brasil/2016/04/06/internacional/1459954702_117009.html

          Aqui a pessoa só vai presa se não pagar imposto em casos milionários ou em dívidas trabalhistas. Fora isso é raro alguém ser preso por não pagar imposto. Não é considerado crime.

          no final, quem está alienado é você. Procure saber mais.

  • Bruno Aveiro
  • Carlin

    Se esta nos conformes da lei, ta beleza, certinho, de boa!!! 🙂 Super de boa!!!

  • Melocoton Loko

    Se é legal não há problemas.

  • Sejamos honestos, isso é sonegação.
    Como mais e mais empresas usam essas manobras e o tamanho do prejuízo está ficando de ignorar governos estão começando a discutir providências. De que adianta suas empresas serem as maiores do mundo se grande parte do benefício não retorna? O prejuízo é grande demais, quase 4 bilhões só do Google, mas tantos outros bilhões da Apple, e centenas ou milhares mais. É justo essas grandes empresas pagarem apenas 0,005% de imposto?
    Não, não é.
    E o mais complicado nessa história é que, enquanto tem gente que aplaude, ao mesmo tempo chora com crises econômicas em seus estados, como o RJ.

    • kisairogue

      Eu nunca vou entender o cara que é classe baixa/média e bate palma pra esse tipo de coisa, dizendo “hurrrr durrr imposto é roubo”. Ele é que sustenta os negócios bilionários de quem sonega.

    • Jonathan Stela Pagno

      Particularmente acho complicado essa questão, mas tecnicamente o nome disso é elisão fiscal, ou seja, pagar menos impostos de forma legal. Não acho tão errado assim essa pratica, pois vamos lá, em dinheiro a empresa esta deixando de contribuir, mas em serviços, quanto essas empresas contribuíram para o país. A questão delas usarem os dados dos usuários é outro caso. A questão do RJ, RS, ou MG são culpa dos próprios governantes extramente incompetentes e sim, ladrões. Não acho que imposto é roubo, mas se há formas legais de fazer isso, não vejo tantos problemas.

      • PinPortal ✔️

        Eu acho que essas empresas não estão sonegando.
        Há países que são paraísos fiscais e servem exatamente para isso.

        Eu particularmente acho que muitos produtos iriam subir de preço se as empresas pagassem impostos no país de origem (mesmo que eles cobrem mais impostos que Bermudas, Ilhas Virgens Britânicas, etc) e nem sempre esse dinheiro a mais que as empresas pagariam de impostos seria destinado à população, via Estado.

        Várias empresas se utilizam disso, como o próprio Facebook, com a Facebook Ireland. Elas têm que oferecer lucros (dividendos) para seus acionistas, sendo muitos deles da Bolsa de Valores, que não se importam com o longo prazo da empresa, só pensa naquele dividendo daquele trimestre. E se a receita cai, pois está pagando mais imposto, migra para outra empresa com seu dinheiro.

        Sonegar é investir via Caixa 2 em campanha eleitoral, com dinheiro ilícito muitas vezes.

        A própria Burger King fez uma fusão com a empresa canadense Tim Horton’s, para que a sede fiscal fosse transferida dos EUA, para o Canadá. Oficialmente ela nega, é óbvio. Com isso, nos EUA ficam somente as receitas das operações estadunidenses da Tim Horton’s e da Burger King. Todas as outras receitas provenientes do resto do mundo vão para o Canadá, pois este cobra menos imposto.

        Isso é lícito, elas precisam oferecer um bom serviço para seus clientes e remunerar seus acionistas. Um bom país é um país que quase não interfere na economia, cobrando o mínimo de imposto e deixando a vida do cidadão mais ¨leve¨, para que ele possa gastar mais no mercado e não com o governo.

        É uma boa estratégia em um mundo com vários países com Estados pesados/ engessados e que muitas vezes sugam mais do quê gastam de fato com os cidadãos.

        PS: E isso é totalmente diferente do quê a JBS (aqui do Brasil, dona da Friboi) queria fazer, quando tentou transferir sua sede do Brasil para a Irlanda.
        Pois hoje ela só é grande, pois o governo brasileiro emprestou bilhões via BNDES para ela, com juros subsidiados (leia-se a União, via Tesouro Nacional, pagou essa diferença, pois ela devolveu o dinheiro que pegou emprestado com valores abaixo da inflação do período, dando prejuízo para nós). Nesse caso, sair do Brasil para pagar menos impostos é mole. Se tivesse pego dinheiro pagando juros da forma correta, eu apoiaria, mas crescer ¨as custas dos brasileiros¨ e agora quer sair, eu sou contra.

        • Ligeiro

          Elisão é uma sonegação, mas “disfarçada”. É o que algumas classes de políticos fazem quando querem realmente fazer uma corrupção (ganhar uma porcentagem de uma obra) sem aparentar realmente fazer. Não é a toa que alguns políticos brasileiros não são pegos.

          De fato, é um dilema: a elisão fiscal permite que as empresas de internet possam prestar serviços de forma quase gratuita (e até governos usam gratuitamente algumas ferramentas).

          No entanto, teoricamente, em uma economia, todos devem contribuir com a roda para que todos ganhem sua parte. Sem os pagamentos de impostos locais, os governos não conseguem servir sua população corretamente. Seja ele corrupto ou não (sobre isso, ler outros comentários que fiz por gentileza).

          Mesmo que as ferramentas de serviços do Google ou Facebook são usadas de forma gratuita por governos, de alguma forma isso deveria ser mensurado para saber a economia tida, que assim pode se dar a devida legalidade ao não-pagamento de impostos das empresas.

          No Brasil há também a prática de “incentivos fiscais”, que permitem que empresas produzam sem pagar impostos. Nas últimas décadas, foi o que mais aconteceu – vide a vinda ou transferência de fábricas de automóveis, ou a instalação de algumas fábricas em polos industriais em municípios brasileiros. Isso é uma forma de isenção, e na prática a ideia é tentar fazer a fábrica contratar profissionais da região para atuar nela. No final, a empresa contrata profissionais de outras regiões, e poucos profissionais da cidade-sede.

    • igor

      isso não é sonegação, você não sabe o significado “cumpre com as leis fiscais em todos os países onde operamos”

    • Alex Passos

      Isso não envolve, no exemplo do RJ, sonegação alguma, o caso do Brasil é CORRUPÇÃO! se não tivesse tanto superfaturamento, tanta gente querendo se dar bem pq é funcionário público, o país teria mais de 1 trilhão anual em sua conta, veja um pouco mais no impostometro

    • Anakin

      Se você for contar que a grana iria pros USA e eles vão investir em guerra… rs

  • Eduardo Spaki

    vesh, as empresas bilionarias fazem isso há tempos… microsoft q o diga.

  • Victor Serrão

    Isso não é sonegação. Se chama planejamento tributário e é absolutamente lícito.

    • Ligeiro

      Se existe um planejamento tributário para evitar o pagamento de impostos em um lugar onde há residência, isso é sonegação. Não é diferente do que o Eduardo Cunha fez por exemplo.

      • Anakin

        Fio, Eduardo Cunha não declarou nada, foi tudo nas escondidas, se você não reparou, eles não fazer direto da Google Ireland para as bermudas porque iria ser cobrado altos impostos, eles não fazem na cueca não.
        O que eles planejaram é: transferir o dinheiro para as subsidiárias deles, declarando que estão transferindo a ponto de pagar menos impostos, tem nada escondido.

        • Ligeiro

          Eduardo Cunha fez às escondidas, muitos empresários brasileiros fizeram as escondidas. O Google fez as claras, mas fez a mesma coisa. A diferença só é que um foi oculto e foi considerado ilicito e imoral, outro foi considerado licito e moral, apesar de ser o mesmo ato.

          • Anakin

            óbvio que não, pense em duas rodovias, uma com pedágio, mas rapido indo de A até B e outra sem pedágio indo de A para C para D para E e para B.
            Google pega o caminho mais longo, ele não tenta passar escondido pela estrada do pedágio sem pagar, ele da a volta. Eduardo cunha passa pelo pedágio dentro do porta malas.

          • Ligeiro

            Péssima analogia.

            Quando falamos de legislação e formas para receita dos governos, se você tenta burlar, simplesmente você está sonegando. Esse é o ponto principal.

            Novamente: temos um dilema quanto a isso pois as empresas hoje são “internacionais”. Veja uns outros comentários que fiz e volte aqui.

          • Anakin

            Se você não leu a matéria, eles usam de forma legal, sem esconder, só escolhem o caminho com menos tributos, você que parece não entender, ou não ter lido a matéria direito.
            Mas sua paixão é tão grande, que parece até que tem cargo comissionado.

          • Ligeiro

            O ponto é que se fala que é “legal” teoricamente. Mas na prática, a diferença entre ser legal ou ilegal é só uma canetada.

            Não é paixão, é realidade. E não tenho cargo comissionado. Fique a vontade para pesquisar sobre minha vida e não achará nada. Não sou Maluf nem Lula. :p

      • Victor Serrão

        Não, meu caro. Não é. Planejamento fiscal é trabalhar com a legislação para que se chegue à menor carga tributária possível. Não tem absolutamente nada a ver com o que você disse.

        • Ligeiro

          Se tal planejamento fiscal lida também com formas de sonegação, o resultado é um crime. Tem tudo a haver sim. As pessoas ganham dinheiro e querem resguardar. Muitos de vocês “passam a mão” na cabeça pois é algo que vocês pegaram empatia. Se fosse algo sem empatia, provavelmente vocês iriam ao contrário.

          O ponto é que hoje temos uma situação internacional. É um serviço que existe em todo o planeta e não existe um imposto que cubra o planeta. Vai da atuação do serviço em cada país. E a pergunta que não quer calar é: “como cobrar imposto de algo que não tem mensuração fácil de forma externa?”.

          No entanto, sempre é considerado “o país/lugar sede” onde a arrecadação de impostos é maior. Se você cria uma outra sede para fugir do fisco local, tais manobras contábeis são sonegações, é inegável isso.

  • Ana Winchester

    O politicos (bandidos) daqui já fazem isto há anos.

  • Tiago Celestino

    Se existe a possibilidade, porque não usa-la?

  • Em alguns países, esse tipo de malabarismo fiscal é fraude sim. Mas a Google deve ter estudado bem e escolhido países que ainda não têm legislação contra isso.

  • Lucas Hausen

    Se todas as empresas não pagarem impostos quero ver de onde sairá o dinheiro para manter os serviços públicos, as universidades, os benefícios sociais etc etc. Todo mundo quer tudo do governo mas não quer pagar por isso.

  • igor

    é 100% ético.

  • Sou_Geek

    É ético sim, antiético é se apropriar do dinheiro alheio. Parabéns ao Google!

  • X1301120415

    Não ficou claro por que o dinheiro não vai primeiro para a Holanda sem precisar da Irlanda. Tem mais treta aí!

  • Christyan Yury

    Certíssimos, imposto é roubo.

  • Ligeiro

    Essa renca de reclamação em cima de impostos me faz questionar: porque raios ninguém sabe discutir política neste país? E muito menos, achar ideias para justamente mudar o que julgam “errado”?

  • Vítor Caiado

    Dinheiro em empresas: Empresário motivado, funcionários satisfeitos, avanço tecnológico, avanço científico, geração de emprego, crescimento da empresa e da região em q ela se encontra.
    Dinheiro no governo (vide Brasil): Nada. Quando muito, enriquecimento ilícito de uma minoria.