Início » Mobile » A próxima grande inovação nos smartphones? O software

A próxima grande inovação nos smartphones? O software

Por
31 semanas atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Pense por alguns instantes nos smartphones lançados nos últimos meses. Algum deles conseguiu te empolgar de verdade? É possível que não, e a razão é simples: o hardware dos smartphones evoluiu tanto que até modelos que não custam muito conseguem fazer coisas incríveis. Se a câmera e a tela do seu aparelho te atendem bem, como a indústria te convencerá a trocar de celular? A resposta, segundo o WSJ.com, está no software.

O anúncio do primeiro iPhone acaba de completar dez anos. Esse modelo é um marco não só para a Apple, mas para toda a indústria: foi a partir dele que o mercado de smartphones que temos hoje se desenvolveu.

E se desenvolveu de maneira acirrada. Para destacar seus modelos, os fabricantes melhoraram uma série de componentes. As telas evoluíram tanto que já não conseguimos mais distinguir pixels; as câmeras traseiras ganharam sensores tão poderosos que desbancaram as câmeras digitais compactas; as câmeras frontais passaram a ter mais qualidade para corresponder à onda das selfies; o hardware básico (processador, RAM e GPU) já não deve nada aos PCs.

O primeiro iPhone

O primeiro iPhone

Esses são só exemplos. As inovações foram tão numerosas ao longo dos últimos anos que nos acostumamos a elas. A consequência disso é que os avanços mais recentes até conseguem nos convencer, mas não com a força de antes.

Os sinais dessa falta de “emoção” na indústria estão por todos os lados. No Brasil, por exemplo, o mercado de smartphones encolheu 11% em 2016. Com a crise econômica e a elevação dos preços, muita gente optou por ficar mais tempo com o aparelho que já possui, o que não é uma decisão difícil: de modo geral, dispositivos lançados há dois ou três anos ainda dão conta do recado.

Nos Estados Unidos também houve uma mudança de comportamento. Um levantamento do Citigroup aponta que, no final de 2016, o tempo que os consumidores levam para substituir um aparelho ficou em uma média de 31,2 meses. Em 2011, essa média era de 24 meses.

É verdade que, no caso dos Estados Unidos, a decisão das operadoras de telefonia de diminuir os subsídios na aquisição de aparelhos atrelados à assinatura de planos com contratos longos tem bastante peso aqui, mas, novamente, a satisfação com smartphones atuais tem feito muita gente optar por ficar mais tempo com eles.

A indústria já percebeu esse comportamento e, agora, busca formas de se adequar ao cenário. Para isso, o caminho mais óbvio parece ser o investimento em software.

Como exemplo temos, de novo, a Apple. As vendas da linha iPhone nos últimos meses não foram exatamente animadoras (embora também não tenham sido ruins), por outro lado, a companhia viu a receita com serviços como Apple Pay e App Store aumentar 24% em 2016 na comparação com o ano anterior.

Graças à inteligência artificial, o software poderá fazer muito mais. Analistas de mercado estimam que, em um futuro relativamente próximo, a compatibilidade dos smartphones com determinados serviços e a integração com assistentes como Siri, Google Assistant e Alexa (Amazon) pesarão bastante na decisão de compra, muito mais do que hoje.

O hardware continuará evoluindo, é claro, mas sem se distanciar da plataforma. Conforme frisa Raj Talluri, vice-presidente de produtos da Qualcomm, o “smartphone está se tornando um hub”, ou seja, deixando de ser um mero centralizador de aplicações pessoais para também controlar o que acontece em casa, por exemplo.

A inovação ficou invisível

052-tecnocast

A inovação que antes era física e visível (telas multitouch, dispositivos poderosos e pequenos, etc) foi comoditizada. Está acessível, barata e nas mãos de todos os fabricantes. Daí a sensação de não há mais tanta evolução.

Agora, a verdadeira inovação só será perceptível aos olhos dos geeks. Ela será responsável por deixar os dispositivos cada vez mais inteligentes e funcionais, sem que as pessoas necessariamente saibam o que está acontecendo embaixo do capô. Será? Debatemos o assunto no Tecnocast 052. Aperte o play e confira!

Mais sobre: ,
  • Gustavo Michels

    Apple foi na contra-mão, todos criando coisas novas nos smartphones e ela no software software. Ai agora as empresas vão pros software e ela pro design.. Pois é.. Pelo menos é uma empresa que segue a sua tendência e não as das outras..

    • Filipe Alberto

      ai que está, a Apple consegue lucrar com software pois tem sua própria loja de venda de apps, musicas e serviços. No entanto, boa parte das empresas como a Samsung, LG, Lenovo, Sony, dependem somente da venda de hardware para poderem se manter vivas.

      • Victor Hugo

        Deu uma aula básica pro Gustavo, assim que se faz!

      • O faturamento com software e serviços da Apple é marginal perto do que ela fatura com o iPhone (hardware). Agora que as vendas de iPhone estagnaram, é uma área que se mostra interessante a ser explorada com mais empenho. De qualquer forma, seu raciocínio não justifica a diferença em faturamento e lucratividade para essas outras fabricantes que você citou…

        • Filipe Alberto

          Só em serviços eles lucraram mais de 6 bilhões de dólares, e a cada ano que passa esse valor aumenta consideravelmente.
          E eu não falei sobre diferença de faturamento das empresas

      • Marco Ribeiro

        Não sou Fã da Apple mas oque ela faz é digno de uma empresa que não perde tempo no mercado tecnológico, ela soube investir em pontos importantes e desde o inicio ela tem esse foco, ela tem um software só dela e uma loja de venda de apps, musicas e serviços só dela, ela não depende de nada alem dela mesma para crescer e ser uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, agora oque vemos são as demais empresas querendo construir esse padrão que ela já tem desde sua fundação, até a Google entrou nessa onda e finalmente esta criando seus “próprios”(finalmente) smarts para não ficar atrás.

        Se todas estas empresas tivessem um Steve Jobs garanto que hoje teriamos um mercado muito mais competitivo e inovador.

  • Barbosa

    • Era dos computadores • Era dos smartphones • Era dos ?

  • Breno

    Sei que muitos criticam, mas acredito que o próximo smartphone-PC da Microsoft pode aquecer um pouco o mercado, que já está saturado.

    • Diogo Nóbrega

      Pois é, mas a Microsoft tá bobeando demais ao demorar pra lançar esse negócio. Daqui a pouco a Apple lança um negócio semelhante (e funcional), domina o mercado e a Microsoft vai correr atrás pra pegar um pedaço…

      • Breno

        Mas esse aparelho será direcionado para um certo público. Usuários entusiastas e afins. Mas se pegar para o público em geral, perfeito.

    • Bruno ✔

      Quem é o esperto que vai comprar um Smartphone da M$ se ela adora abandonar sistemas e telefones sempre que quer?

      • Breno

        Hã.. Mas chegou recentemente uma atualização no Insider. Não vejo essa desistência.

        • Por acaso essa versão do Insider chegou ao Surface RT/2?

        • Chegou a nova versão do Insider mas sumiram os Lumias do mercado. Vai usar o sistema como? Inventaram alguma tecnologia abstrata? Hauhsuahs

      • Gedson Junior

        Eu?

      • Ronaldo

        Toma um like ai. Haha.

    • Jorge Luis

      Você é um homem de fé.

    • Cazalbé

      Tô contigo, acredito que a M$ tem de tudo pra movimentar o mercado atual, alguém precisa realmente fazer essa diferença e acredito que ela pode fazer isso. Seria interessante se a Nokia tivesse investindo em software para melhorar ainda mais a disputa.

      • Bufallobill

        Foi investindo em software próprio e depois no software da Microsoft que a Nokia se deu mal, enquanto as outras fabricantes apostaram no Android, sistema muito mais evoluído e seguro (no termo econômico), podia ter feito as duas coisas como as outras (Samsung por exemplo, usa Android, enquanto investe no sistema próprio o Tizen), mas arriscou alto, não conseguindo popularidade, algo que o Android já tinha. Infelizmente a Nokia fez péssimas decisões.

    • Flavio Toledo

      Ate hoje esta sem pokemon GO acho um dos primeiros passos disponibildiade apps.

      • Breno

        Aplicativos essenciais não faltam.

        • Flavio Toledo

          Pode ate ser verdade, mas ate momento nada pokemon Go.

          • Breno

            Pokémon Go não é nada demais. Apenas um joguinho dos vários que existem na Windows Store.

          • Flavio Toledo

            Na sua opiniao e de qualquer forma perdeu mais publico do pouco tinha ainda.

    • Cara, eu já fui tão fanboy do Windows Phone (principalmente por causa dos Nokia Lumia) que cheguei a ser editor dos sites Janelatech (maior do Brasil sobre WP na época) e Mspoweruser (segundo maior do mundo sobre WP atualmente).
      Até hoje nunca comprei Android e iOS e estou no meu ÚLTIMO Lumia. Sim, último, pois cansei de ser iludido. Desde 2011 parece que o sistema vai alavancar, só que em vez disso, parece que está retrocedendo. A Cortana só faz passar vergonha, não sabe nem criar lembretes; enquanto Google Now está anos-luz à frente, responde absolutamente tudo o que vc pergunta. Sem falar que depois do Windows 10 Mobile, o sistema tem tantos bugs que eu desinstalei a maioria dos aplicativos e acesso a maioria através dos respectivos sites mobile através do Edge (que, por sua vez, dá erro a cada 10 segundos e recarrega a página sozinho a cada 10 segundos). Os apps fecham a todo instante, vc não consegue compartilhar um conteúdo sem que o processe fecha na sua cara e vc tenha que começar tudo do 0 novamente. Resumindo: mexer nesse sistema é passar raiva 24 hrs.
      Isso pq não mencionei que quando ele perde sinal, o W10M não captura a rede novamente (acontece no dos meus pais tbm)… só volta reiniciando o aparelho.
      Só tô juntando meu dinheirinho pra saber o que é ter smartphone de verdade.

      • Carlos Mirandópolis

        Pega logo um Google Pixel XL.

        • Não quero pagar mais que 700 reais… To pensando no LG X Power, o que acha dele?

          • Carlos Mirandópolis

            Não conheço. Por 700 reais dá pra mandar importar alguma coisa da China. Se for comprar no Brasil por esse preço só tem celular pra passar raiva.

          • Acho que o LG X Power e o X Style quebram esse tabu. Estão menos de 700 reais na internet e eu fui na loja mexer, parecem top end! E specs muito boas.

          • Carlos Mirandópolis

            Não é tabu não brother.

            O X Style foi apresentado no começo de 2015, cara, é um celular de 2 anos de idade. Ele é um SD 808, que nunca foi top de linha, era uma CPU abaixo do 810, que ainda sim é uma geração anterior ao SD 820, que é anterior ao SD 821 e estamos prestes a ser lançado o SD 835. Ou seja, é barato porque é velho.

            Ele tem camera boa, tela mediana, bateria mediana (esse CPU é gastão), não tem nem leitor de digital que é padrão hoje em dia em qualquer celular, e o pior de tudo é que é um celular que mês que vem estará duas gerações defasado, então esquece atualização imediata por parte da Motorola.

            O LG eu não conheço.

            Com esse valor vc compra algo na China recente, CPU da geração atual, sensor de digital, câmera boa, enfim, não é tabu, os caras fazem celular mais barato mesmo.

            Eu sinceramente investiria uma grana num Xiaomi Mi5, se vc importar vai gastar muito pouco a mais que isso e terá um celular de uma geração inteira superior.

  • Ricardo – Vaz Lobo

    Acho que tá demorando aparecer alguém, com um trambolho debaixo do braço, que substitua todos esses devices.

  • Helvi0

    O software deve ser feito para o hardware (como iOs e Windows Mobile), no dia que isto ocorrer no Androld poderemos dizer que este é um sistema decente. Utilizo o Android por causa das aplicações que só tem para ele (e pela quantidade de opções), mas abomino este sistema emulado Java, assim como pagar pela “marca” Apple (lixo=luxo=lixo), Torço para que o WP retorne e vire o jogo (agora rodando x86), este era um sistema decente que não teve mercado, todos os que tive fiquei satisfeito. Quanto ao Android não vejo futuro, mais dia menos dia vai para o buraco, assim como Netscape, Yahoo, Internet Explorer, entre outros que um dia dominaram

    • Victor Hugo

      “Torço para que o WP retorne e vire o jogo” KKKKK KKKKK KKKKK KKKKK KKKKK já pode ir sonhando amigo

      • Helvi0

        De fato a expressão não é a mais correta. Mas uma coisa eu tenho certeza: se rodar aplicações windows x86 eu caio fora do android rapidinho, e muita gente também!

        • Master Chief

          parando para pensar… o surface phone, se for real, deve vir com o w10 full, visto o que o Snapdragon 835 em testes faz. Mas a MS vai errar feio e rude se estrear o sistema full no surface phone, porque como sabemos, as inovações vem, mas os problemas também… Não quero ficar esperando um surface phone 3 para ela acertar (já que ela arrebentou com a terceira versão do tablet surface).

      • Gedson Junior

        O Windows Mobile, do jeito que conhecemos hoje já era. Até tinha algum potencial mas a MS jogou a toalha.

    • Anakin

      se software fosse feito pra o hardware porque separar então, inventa um nome e junta os dois, acho que separado é bom e não generalize práticas de algumas empresas.

    • Gesonel o Mestre dos Disfarces

      “(…)No dia que isto ocorrer no Androld poderemos dizer que este é um sistema decente.”

      Nexus, Pixel… já acontece tem tempo.

    • Flavio Toledo

      Para ser sincero unico motivo torço para microsoft volta e para aumentar concorrencia nao deixa somente um sistema operacional fique dominando como aconteceu com os computadores.

  • Mickael Fernandes

    Em 2016 teve 3 aparelhos que me empolgaram: o S7 Edge, que fez a Samsung me reconquistar depois de anos, o Mi Mix – ainda pretendo tê-lo – e OP3 (a muito tempo não me empolgava tanto com o desempenho de um aparelho, talvez eu compre o OP3T mais para frente).
    Mas concordo que a inovação poderá – e deve – vir no software, assim como na bateria.

  • Fernando

    Software? Eu quero é bateria. Quem fizer uma que dure 3 dias vai revolucionar. Isso sera revoluçao de verdade. Mas parece q eles preferem vender capa carregadora. Dá mais lucro.

    • Tales Cembraneli Dantas

      Pra que uma bateria que dure 3 dias? vc passa 3 dias direto acordado? basta uma bateria que dure 24 de uso hard e as pessoas criarem o hábido de deixar o celular carregando quando forem dormir…

      • anderson

        Eu faço assim.

      • Alberto Prado

        Quem é mais socialmente ativo pode passa 3 dias fora de casa e longe de uma tomada tranquilo.

        • Jhow NM

          Se a pessoa é “socialmente” ativa ela não deveria estar usando tanto o celular e querendo uma bateria de 3 dias. Existe uma contradição aí… Tempo fora de casa não quer dizer socialmente ativo e sim fora de casa mesmo…

          • Alberto Prado

            Certo, eu vou fazer uma trilha, ouvi uma música em acampamento, tirar fotos, gravar um vídeo com os amigos, usa o gps viajando de carro pra fazer isso… Precisa ilustra mais?

          • Tales Cembraneli Dantas

            Caramba amigo… Vc faz isso todo fds? Uma dica, compre um bom carregador veicular q resolve teu problema…

          • Alberto Prado

            Resolve um problema. É como eu disse antes, quem é socialmente ativo faz não só isso, mas muito mais.

          • Rafael

            E se o cara for numa rave de três dias?
            Não é porque não faz parte da sua realidade que não exista.

    • Wellington Gabriel de Borba

      Dois dias já tava bom, meu smartphone num aguenta nem um dia.

    • Filipe Alberto

      A bateria é o calcanhar de aquiles de 100% dos aparelhos na atualidade. O avanço de hardware poderia ser em melhor se tivéssemos baterias que aguentassem o tranco, mas o que vemos são empresas tentando empurrar baterias maiores em corpos menores e da o caso drástico do note 7

    • Zé das Covi

      tem uns chineses ae que podem te atender .
      6000mAh e 10000mAh

    • Mendacium

      LG X power. 2 dias garantido. 3 dias se for uso leve. De nada.

    • Flavio Toledo

      investimento maior em software tambem significa uso mais eficiente de energia e economia de bateria.

    • Achava que fosse só eu que olhava como primeiro quesito a bateria. Hhaushaushuas. Eu não compro aparelho com menos de 3000 mAh de bateria. Eu odeio celular que desliga antes de eu chegar em casa. Por isso nunca coloquei iPhone na minha lista de compras.

  • betones

    Continuo querendo só mais bateria…

  • Mario Junior ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

    É justamente isso que falta hoje em dia na área da computação no geral.

    SOFTWARE! O hardware avançou demais, enquanto isso o software veio engatinhando mais lento que uma lesma.

    • Sem mencionar a bateria. Tá osso chegar no fim do dia com alguma carga, tem q se virar nos 30. tinham q evoluir nessa área tb.

      • Jhonatham Matos

        Quem é viva aparece em todo canto mesmo!

        • Eu tou nas mesmas redes, vc q sumiu, cara. E eu tava pensando em vc nesses dias. Me abandonou mesmo, ein!

          • Jhonatham Matos

            Eu não tenho mais tanta coisa… Só whats e Twitter. :/

          • Acho q t achei no Twitter, depois me responde por lá!

  • Souza

    Olhando à esquerda vejo um Moto G 2013 de alguém dá família. Com Android 5.1 ele faz de tudo e mais um pouco. Está perto de completar 4 anos. E por incrível que pareça compramos mais dois tablete para consumo de fotos, vídeos e leitura. Ué! Mas os tablets não estão mortos?
    Que venham os softwares, os novos softwares, para mudar o que parece imutável.

  • BassVix

    Usar o iPhone como referência à inovação de software não faz sentido, por que no mínimo o launcher precisa mudar muito, ainda usa o mesmo conceito de zilhões de ícones abarrotados, não ter widgets no launcher (suporte fajuto na área de notificações não vale) e etc.
    Fora o resto que foi copiando dos outros a cada release.