Início » Negócios » Recorde: Apple vende 78 milhões de iPhones em três meses e ultrapassa Samsung

Recorde: Apple vende 78 milhões de iPhones em três meses e ultrapassa Samsung

Fazia cinco anos que a Apple não vendia mais smartphones que a Samsung num trimestre

Por
1 ano atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Depois de três trimestres com queda nas vendas de iPhones, a Apple bateu novo recorde. Em relatório financeiro divulgado nesta terça-feira (31), a empresa revelou que vendeu 78,29 milhões de iPhones entre setembro e dezembro de 2016 — mais que o antigo recorde de 74,78 milhões de unidades comercializadas mundialmente no mesmo período de 2015.

O número é importante porque, além de ter sido o melhor trimestre da história nas vendas de iPhones, a Apple ultrapassou a Samsung no período, o que não acontecia desde o último trimestre de 2011, há cinco anos (!). Segundo a Reuters, os sul-coreanos venderam 77,5 milhões de smartphones Galaxy — e parte desse resultado inferior, claro, se deve ao fracasso do aparelho explosivo.

Falando em dinheiro, os iPhones geraram receita de US$ 54,38 bilhões, o que significa que cada aparelho teve custo médio de US$ 695 para os consumidores. Pelo visto, deu certo a estratégia de aumentar a distância entre a capacidade do modelo de entrada do iPhone 7 (32 GB, por US$ 649) e o intermediário (128 GB, por US$ 749), o que incentivou muita gente a pagar mais. O The Verge diz que também houve influência da demanda mais alta pela variante Plus, mais cara.

No total, a Apple fechou o último trimestre de 2016 com receita de US$ 78,4 bilhões, o valor mais alto de todos os tempos para a empresa. Você pode conferir os detalhes no site de investidores.

Eu senti uma certa decepção por parte do público que acompanha o noticiário de tecnologia (eu incluso) quando o iPhone 7 foi apresentado — os comentários ressaltavam as poucas novidades em relação ao iPhone 6s e uma tentativa de correr atrás da concorrência, algo que não esperamos da Apple, que tinha histórico de ditar tendências de mercado. Mas parece que a empresa não precisa se preocupar com isso.

Mais sobre: , ,