Início » Web » Google lança selo de verificação de fatos no Brasil para combater notícias falsas

Google lança selo de verificação de fatos no Brasil para combater notícias falsas

Por
32 semanas atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Notícias falsas existem há tempos, mas as empresas de tecnologia sempre preferiram manter uma postura neutra sobre o assunto. Mas o problema atingiu proporções tão grandes que, agora, elas correm para evitar mais estragos. Esses esforços também contemplam o Brasil. Por aqui, o Google exibirá um selo (um aviso em texto, na verdade) para ajudar o usuário a identificar notícias cujas informações foram verificadas.

Sim, o selo é bem discreto

Sim, o selo é bem discreto (consegue achá-lo?)

Esse aviso — “Verificação de fatos” — aparecerá tanto nas notícias destacadas nos resultados do buscador quanto naquelas que são listadas no Google Notícias, inclusive na versão para Android do serviço.

Trata-se de uma estratégia global, mas que está sendo implementada progressivamente porque o Google precisa estabelecer parcerias com entidades locais especializadas em checagem (fact-checking). No Brasil, a companhia fechou acordos com três instituições: Agência Lupa, Aos Fatos e Agência Pública.

Discreto até na versão móvel

Discreto até na versão móvel

Certamente, não estamos diante de uma medida que irá resolver o problema das notícias falsas. Só que, por ora, esse parece ser o caminho mais coerente. O Google é uma empresa de tecnologia e, portanto, deve preparar um algoritmo que faz filtragem automática de notícias falsas. Mas, hoje, nem a mais sofisticada inteligência artificial consegue fazer esse trabalho corretamente.

Além do Brasil, o selo de checagem aparecerá a partir desta semana para usuários da Argentina e do México. O recurso está disponível desde outubro de 2016 nos Estados Unidos e alguns países da Europa, como Alemanha e França. Nos próximos meses, o selo também deverá aparecer para usuários de outros países da América Latina.

  • Carlin

    Rapaz demorou pra conseguir ver esse “selo” kkkkkkkk

  • Diego F. Duarte

    Comecaram mal… O usuario normal nem vai dar atencao a esse “selo”, principalmente num mar de texto e links como no proprio print de exemplo desse artigo.

    Tecnicamente mudaram pra continuar a mesma coisa.

    • Dayman Novaes

      Mas começaram né. Melhor que não começar.

  • Danilo Cursino

    Cadê o selo?

    • Vinny

      “Verificação de fatos”

    • Diogo Nóbrega
      • Marcus Araújo

        “Isso” é o selo? A agência Lupa é uma das parceiras do Google, só achei que fosse o resultado que encontraram no próprio blog deles.

        • Diogo Nóbrega

          Pelo que eu entendi, sim…

      • Keaton

        “verificação de fatos”… Me dá a impressão que eles ainda estão verificando os fatos…

        talvés “fatos verificados” seria bem menos problemático…

        • gust4v8

          que comentário idiota

          • Keaton

            menos que responder um comentário de dois meses atras?

    • PinPortal ✔️

      Pelo o quê eu entendi é a parte que mostra o link da Agência Lupa.
      No desktop aparece aquele quadrado com o link da agência Lupa, como se fosse um link normal.

      No mobile aparece ¨verificação de fatos¨ e um link da Agência Lupa (blogue) lá.

      Agora vamos ser sinceros, o usuários precisa saber previamente que a Agência Lupa, Aos Fatos e Agência Pública são as bases para verificar se a informação é correta.

      Seria muito mais fácil algo como a extensão do Avast faz (no caso para vírus, o Google implementaria com o objetivo de verificar se aquela informação é verdadeira).
      http://i.imgur.com/VyDUUPs.png

      Um simples tic nos links ¨confiáveis¨ seria muito mais útil.

  • Marcus Araújo

    Nem achei o tal selo, talvez nem exista. Se eu, que procurei, não achei o selo, imagino como o usuário desatento sedento pra clicar no primeiro link na busca à sua frente irá achar o selo e perceber que se trata ou não de fake news…

  • Wendel Schelhan

    Espero que as notícias do Estadão e da Folha de São Paulo passem a ser marcadas como “fake news”, né.

    • Marcus Araújo

      E por qual motivo seriam?

      • Wendel Schelhan

        Coisas como “tivemos X acidentes nas vias paulistas após aumento da velocidade máxima permitida”, mas a média tirada de X no período é menor que a média de acidentes no ano passado, sob gestão Haddad.

        • Marcus Araújo

          Mas uma coisa é falsa, outra é tendenciosa. No Twitter fica um bando de idiotas postando imagem do Trump nas replys pra Globo News, Estadão etc sobre fake news.

    • Vinny

      Uma coisa é a notícia ser falsa, outra coisa é a pessoa achar que ela é falsa/tendenciosa devido a uma posição política que a pessoa tenha, polarizando a opinião devido apenas o título da notícia.

      • Wendel Schelhan

        Eu pessoalmente acho um jornalismo abertamente enviesado muito pior do que notícias fundamentalmente falsas. Eu, por exemplo, nunca caí naquela em que o Chuck Norris tinha assumido ser gay.

  • Rafael Pereira

    Enquanto a taxa de acerto não for próxima de cem por cento o ideal é que o tal do “selo” fique bem escondido mesmo, pois se ele começar a identificar notícias verdadeiras como falsas e todo mundo ver pode até acabar com o credibilidade da ferramenta.

    Depois da fase de testes eles vão jogar um selo igual o dos perfis verificados do twitter.

    E seria interessante que em notícias falsas identificas como tal seja possível acessar uma listagem de motivos do porque ela foi classificada dessa forma.

  • Marcus Araújo

    Agora, curioso notar que as pessoas não verificam e não querem verificar as fontes falsas que compartilham porque querem idiotamente e cegamente acreditar naquilo que está compartilhando pra fazer a lavagem cerebral de terceiros na internet e cabe aos grandes sites como Facebook e Google realizar esse tipo de trabalho…

    • Jefferson Rodrigues

      Verdade! Sempre procuro saber a fonte das notícias. Isso é muito importante.

      • gust4v8

        vc sabe que é mentira né?? ninguém procura fonte de notícias, deixa de querer tirar onda online.

        • Jefferson Rodrigues

          Não é porque você é burro que todos são.

          • gust4v8

            ah, deixa de show… pela cara vc é brasileiro, então pode parar!

  • Marcogro

    Sei não, isso está me parecendo mais uma forma de censurar matérias que não agradem a quem deve agradar, ou seja, verdade ou não só receberá o selo se agradar a quem interessa, o caminho do $$$

  • Ricardo – Vaz Lobo

    Vamos ao caso do 2016-WF-69, o meteoro assassino:
    notícia – descoberto meteoro;
    especulação – descoberto meteoro que muito futuramente pode vir a ameaçar a terra;
    fakenews – descoberto meteoro que vai matar todo mundo amanhã (ou hoje, sei lá)!

    Essa IA vai ter trabalho

    • Gaius Baltar

      Não será feito por IA e sim por curadoria humana.

  • Wellington Gabriel de Borba

    Deveria o Facebook colocar uma no WhatsApp.

  • Adriano

    Selo de “notícias verdadeiras” me sua muito mais como; “calem a boca mídia alternativa…”, do que qualquer outra coisa.

    Sempre digo isso, e repito…

    O internauta não é idiota, digo, nem todos, há controvérsias, eu sei…,isso significa, pelo menos na minha opinião, que quem deve classificar uma notícia de boa ou ruim, fake or not, e por fim, decidir por “consumi-la” ou não, deve ser os próprios indivíduos que buscam pelo conteúdo, e não um Google ou Facebook da vida.

    Esse sistema será 100% imparcial, apolítico, não ideológico e não servirá, em hipótese alguma, a nenhum interesse que não o de informar (utopia minha) corretamente?

    Sinceramente?!

    A resposta será um sonoro NÃO.

    As corporações privadas, percebam, aos poucos, em doses homeopáticas, sob as mais diversas alegações, estão determinado como devem ser todos os aspectos da vida humana…!

    Eu sinceramente, não acho isso nada bom. Esperem a inteligência artificial começar a ser utilizada para incrementar incrivelmente esse propósito; o de determinar, todas as diretrizes do comportamento humano.

    Fique absolutamente à vontade, quem quiser acreditar nesse “selo de verdade absoluta”. Isso pra mim tem nome e chama-se “controle de informação”, ou se preferirem, censura mesmo.

  • Bruno Sanzio

    Aqueles que erraram tudo (exatamente tudo), que irão definir o que é noticia falsa e o que é noticia verdadeira…