Início » Gadgets » Esqueça a meta de 10 mil passos diários da sua pulseira fitness

Esqueça a meta de 10 mil passos diários da sua pulseira fitness

Emerson Alecrim Por
3 anos atrás

Deve ter uns dez anos que eu ouço falar que o ideal é andarmos 10 mil passos por dia. Essa recomendação ganhou força depois que milhares (sim, milhares) de apps para monitoramento de exercícios físicos surgiram, e mais força ainda com os gadgets que contam passos. Mas não precisa ficar encucado se você não conseguir bater a meta: essa coisa dos 10 mil passos pode simplesmente não ter validade.

Smart band - passos

A crença de que 10 mil passos por dia são importantes remete à década de 1960. Fala-se que, motivados pelas Olimpíadas de Tóquio (1964), japoneses começaram a usar uma espécie de pedômetro chamado manpo-kei para fazer exercícios. Esse nome significa algo como "medida de 10 mil passos". Acredita-se que, a partir daí, pessoas de todo o mundo passaram a aceitar que essa quantidade de passos por dia é o mínimo necessário para uma vida saudável.

Apesar de a crença ser antiga, poucos estudos foram feitos a respeito do assunto. Na verdade, até hoje não há nenhuma pesquisa capaz de comprovar que 10 mil passos têm mais eficácia do que 9 mil, 8 mil ou menos.

Mesmo assim, se você comprar uma pulseira da Fitbit, por exemplo, ou instalar em seu smartphone um app que faz as vezes de pedômetro, muito provavelmente se deparará com a recomendação dos 10 mil passos. Esse é o ponto que tem sido alvo de críticas de médicos e especialistas da área: um arsenal tecnológico está sendo usado para dar uma orientação que não tem base.

Steve Flatt, diretor do departamento de terapias psicológicas da Universidade de Liverpool, é um dos críticos. Para ele, aplicativos podem ser realmente úteis para a saúde, mas muitos deles colocam as fases de pesquisa e testes em segundo plano por causa da prioridade aos lucros.

Fitbit - mulher

Especialistas também ressaltam que cada pessoa possui características e condicionamento físico diferentes, portanto, a recomendação do nível de atividade deve ser personalizada.

Nesse sentido, 10 mil passos podem ser ruins para uma pessoa com lesão no joelho ou problemas cardíacos, por exemplo. O contrário também vale: para Jean-Philippe Walhin, pesquisador de atividades esportivas da Universidade de Bath, 10 mil passos podem ser insuficientes para adolescentes e crianças que não têm problemas de saúde.

10 mil é um número fácil de lembrar e muita gente consegue trabalhar com essa meta. Se for o seu caso, está tudo bem. O que os especialistas ressaltam é que não é preciso ficar obcecado com o assunto caso o app que você usa mostre que o objetivo não foi cumprido ou que você não vai obter os resultados esperados.

Na dúvida, a velha regra de procurar orientação profissional continua valendo, especialmente para quem pretende aumentar a carga de atividade física.