Início » Mobile » Galaxy Book: um híbrido com Windows 10 e hardware de respeito

Galaxy Book: um híbrido com Windows 10 e hardware de respeito

Samsung também anunciou Galaxy Tab S3, tablet poderoso com nova caneta S Pen

Por
41 semanas atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Não teve Galaxy S8, como esperado, mas a Samsung revelou neste domingo (26) um híbrido minimamente interessante: o Galaxy Book. Com telas de 10,6 e 12 polegadas, o notebook que vira tablet roda Windows 10, é extremamente fino e tem hardware de respeito, incluindo um processador Core i5 de sétima geração na versão mais cara e até 8 GB de RAM.

O Galaxy Book é uma espécie de sucessor do Galaxy TabPro S, anunciado em 2016. A Samsung diz que a máquina é voltada para “profissionais que precisam de produtividade em movimento e que estão procurando por um dispositivo poderoso que não fique preso à área de trabalho”.

Mesmo com apenas 7,4 mm de espessura e peso de 754 gramas, o Galaxy Book de 12 polegadas tem processador Core i5 dual-core de 3,1 GHz (Kaby Lake), 4 ou 8 GB de RAM, 128 ou 256 GB de armazenamento em flash (com entrada para microSD) e um painel Super AMOLED de 2160×1440 pixels com suporte a HDR. Ele conta com duas câmeras (13 megapixels na traseira e 5 megapixels na frontal) e conexão 4G.

O Galaxy Book de 10,6 polegadas é bem mais simples, embora mantenha um formato semelhante. Ele traz um processador Core m3 dual-core de 2,6 GHz, 4 GB de RAM e 64 ou 128 GB de armazenamento em flash (também com entrada para microSD). Há apenas uma câmera frontal de 5 megapixels, e o painel é um TFT LCD de 1920×1280 pixels.

Ambos os modelos têm baterias com autonomia de 10 horas e um teclado físico que pode ser destacado para transformar o Galaxy Book em um tablet comum. Eles também suportam a nova caneta S Pen, que é compatível com o Windows 10 e os softwares profissionais da plataforma, incluindo o Adobe Photoshop.

Galaxy Tab S3

O sucessor do Galaxy Tab S2 nada mais é do que um pequeno refinamento do tablet mais caro da Samsung. O novo modelo tem processador quad-core Snapdragon 820, 4 GB de RAM, 32 GB de armazenamento (expansível por microSD) e bateria de 6.000 mAh, com suporte a carregamento rápido. Bem fino (6,0 mm), ele pesa 429 gramas.

A Samsung parece estar focando no fator multimídia, incluindo um processador capaz de reproduzir e filmar vídeos em 4K HDR na tela AMOLED de 9,7 polegadas (2048×1536 pixels) e alto-falantes estéreo otimizados pela AKG, marca conhecida pelos audiófilos que veio junto com a compra da Harman pela Samsung.

O Galaxy Tab S3 vem com a nova versão da S Pen, que trouxe uma ponta mais fina (0,7 mm) e suporte para até 4.096 níveis de pressão, mesma capacidade da caneta do finado Galaxy Note 7. Além disso, há um leitor de impressões digitais e câmeras de 13 megapixels (traseira) e 5 megapixels (frontal).

Quando chega

A Samsung ainda não informou os preços dos novos tablets, mas não espere nada muito barato. O Galaxy Tab S2 de 9,7 polegadas com 4G, para fins de comparação, chegou ao mercado brasileiro por R$ 3.099. O Galaxy Book de 12 polegadas, devido ao seu hardware mais potente, deve ficar na mesma faixa de preço do Surface Pro 4, na faixa dos mil dólares.

Em comunicado à imprensa, a Samsung informa que “não há data de lançamento prevista para o Brasil”.

  • Trovalds

    E o Android continua comendo poeira no mercado de Tablets. 😐

    • Marcus Araújo

      Quem não está comendo poeira nesse mercado? A venda de iPads também despencou, passou o hype do produto, quando todo mundo queria… Agora a Samsung investe no nicho específico de quem procura esse tipo de produto.

      • Temos que observar também que com os smartphones cada vez mais potentes e com telas cada vez maiores, era visível o esfriamento pela procura de tablets. Falo por mim, mas se eu pudesse pagar por um tablet, com certeza não seria um que rodasse Android. Claro que escolheria o iPad pra uso a médio ou talvez, longo prazo.

      • Yago Oliveira

        O problema é que o nicho que procura o produto desiste pq cobram um rim…

    • O mercado de Tablets como um todo está comendo poeira. Ninguém está lucrando ou vendo crescer.
      Até o ereaders estão com problemas. Parece que o mercado de smartphones de megatelas canibalizou esses mercados.

  • Jack Silsan

    O Book corre mais atrás do Surface Pro 4 do que do Surface Book, pelo design dos citados híbridos.
    Esses tablets Android apenas preencherão uma cota. A Samsung deve vender “bem” esses aparelhos, dada a força da sua marca, mas nada que faça o Android decolar de fato nesse setor

  • Marcio Vianna

    Gira, gira, gira mundo…
    A dupla Microsoft – Adobe, ou seria Windows + Office + Creative?, vai minando a concorrência e dominando o mercado de tablet – eu já vi o filme dessa parceria no mercado de computadores.
    Conseguirá repetir o mesmo sucesso no mercado de smartphones – Windows completo em processadores ARM este ano?