A Fnac, rede francesa de livros e produtos eletrônicos, anunciou que vai se retirar do Brasil, e que vai vender suas doze lojas físicas. Em comunicado, a empresa avisa que “começou um processo ativo para buscar um sócio que dê lugar à retirada do país”.

O que aconteceu? Fontes dizem ao Estadão que isso não foi culpa apenas da crise econômica: a expansão da Fnac acabou sendo freada pela concorrência com a venda de livros pela internet. Segundo o jornal, ela já estava procurando sair do país há algum tempo, mas não conseguiu passar a operação para outra empresa.

Foto por kikesan/Flickr

Ainda não se sabe quem vai adquirir as lojas físicas, presentes em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Porto Alegre, Goiânia, Campinas, Guarulhos e Ribeirão Preto. Talvez a Saraiva, com suas diversas megastores em shoppings, seja uma forte candidata? O Estadão sugere, inclusive, que a Fnac já tentou se aproximar do modelo de negócios da Saraiva.

A empresa chegou por aqui em 1998 – sua primeira investida fora da França – e planejava uma grande expansão que nunca aconteceu. Em vez disso, a Fnac recentemente reduziu o tamanho de suas lojas e de seu portfólio de produtos.

A queda nas vendas foi forte. Segundo o Valor, houve um recuo de 21,6% nos nove meses até setembro de 2016 em relação ao mesmo período do ano anterior. A presidente da Fnac no Brasil, Claudia Elisa Soares, deixou o cargo no início de fevereiro, pouco menos de um ano após ser contratada.

O Brasil representa menos de 2% das vendas da Fnac. Além da França, a empresa está presente em Portugal, Espanha, Bélgica, Suíça, Mônaco, Marrocos, Costa do Marfim e Catar. Não há nenhuma orientação para que as lojas nesses países sejam descontinuadas.

Atualização em 02/03 às 09h05: o presidente da Fnac no Brasil, Arthur Negri, diz ao Estadão que a empresa não deixará o país no curto prazo. Ela tenta buscar um sócio, mas ainda não definiu se vai franquear as lojas ou vendê-las. Por enquanto, o foco será em ajustar os custos e reverter os prejuízos. Fontes dizem ao jornal que, se não encontrar um bom parceiro, a empresa deve deixar o país.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Reginaldo Farias

Otári0.

Ibrahim Shehata
Cara ou não a empresa trazia produtos de última geração tecnologica que disponibilizava em toda sua rede mundial, agora estamos de volta para as redes TELE RIO, PONTO FRIO, RICARDO ELETRICO........kkkkkkkkk e de seus produtos do submundo da tecnologia.....LIXOXÔ......Brasil em ruina, isso era o Bsasil de 30 anos atrás!!!!!!
Tatiani Coimbra
A FNAC é uma loja cara e fica em pontos da cidade para classe média alta. O site deles é bastante confuso, e os produtos ficam mais caros. A Saraiva e a Cultura pegaram o ponto fraco dela e estão espalhadas em locais de fácil acesso, com produtos mais em conta e promoções nos seus sites.
gust4v8
fazem muito bem, porque continuar num lixo de país como esse, tem muito lugar melhor no mundo.
Cap_price_br
Adoro a loja, mas é cara. Me sinto na Disneyland lá...
Keaton
Caraca. Cara? Ela era bem barata em Curitiba... Bem mais em conta que as lojas e mercardos próximos dela. :( (Pelo menos aquela perto do Carrefour Champagnat)
Bruno
https://translate.google.co.uk/#fr/es/fnac É um F mudo, o mais próximo é Finác!
Meninão Bobo
A unica empresa que tem cacife para comprar é a GPA, depois dela Carrefour ou Walmart tb teriam para entrar de uma vez nesse segmento e ou ainda arrisco em dizer que a Magazine Luiza possa comprar 50+1% das ações e assim tomar a frente da FNAC, já que a Magazine é uma das poucas empresas que nasceram no Brasil e sabem fazer negocio no Brasil. Carrefour e Walmart são exemplos de empresas estrangeiras ricas mas que no Brasil patinam no segmento varejista e apanham da concorrente GPA. O resto não tem poder para fazer nada, sobra só grupo de investidores se for o caso.
Meninão Bobo
Péssima localização? Você mora no Acre? Eles só tem lojas em lugares caros regiões de classe alta.
Walter
Melhor comentário.... você tem toda razão.
Anderson Freitas
Vai tarde...
Walter
Alguém se lembra qual empresa que existia antes dela no endereço da Praça dos Omaguás em Pinheiros?
Hugo Vinícius
Pois é, a loja daqui de Goiânia é enorme. Acho que é a maior loja do shopping onde ela se encontra.
Marcus Araújo
Na loja online sempre tem algumas promoções que compensam, principalmente se escolher tirar na loja pra não pagar o frete. Semanas atrás comprei algo assim, e economizei tirando na loja o mesmo produto disponível na loja física, que estava 40 reais mais caro. Disparadamente, foi o local mais barato que encontrei o que queria. Mas a Fnac já desmentiu a notícia e desistiu de desistir do Brasil ahahha
felipecn
Pessimamente localizada? Acho que uma das coisas mais valiosas numa eventual aquisição da Fnac é justamente o ponto das lojas
Exibir mais comentários