Início » Negócios » CEO do Uber discute com motorista do UberBlack e põe a empresa em mais uma polêmica

CEO do Uber discute com motorista do UberBlack e põe a empresa em mais uma polêmica

Por
2 anos atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Travis Kalanick é CEO do Uber e, sem surpresa, usuário regular do serviço. O que ele não esperava é que uma de suas várias corridas fosse se juntar à coleção de polêmicas envolvendo a empresa: no começo de fevereiro, o executivo foi flagrado batendo boca com um motorista do UberBlack que reclamava da baixa remuneração da modalidade. A conversa terminou em um tom nada amigável.

Travis Kalanick

Kalanick entrou no carro com duas mulheres. Ao término do percurso, elas desceram. Foi então que o condutor Fawzi Kamel, plenamente ciente de quem era o passageiro que ficou no carro, aproveitou para se queixar do seu descontentamento com o serviço: para ele, as constantes mudanças no Uber, especialmente as frequentes diminuições de preços, estão prejudicando vários motoristas.

A discussão foi filmada por uma câmera instalada no interior do veículo (começa em 3:50, se você quiser ir direto ao assunto). Kalanick se defende dizendo que os valores do UberBlack não foram alterados, mas logo Kamel rebate afirmando que, em geral, os preços cobrados estão muito baixos.

O CEO do Uber diz então que as mudanças são necessárias para que a empresa possa competir com serviços rivais. Mas Kamel não se dá por convencido. A discussão termina assim (em tradução livre):

– Kamel: O quê? Você se refere ao Lyft? Qual é! o Lyft é irrelevante se comparado ao Uber.

– Kalanick: o Lyft pode ser irrelevante, mas porque já o derrotei. Mas, se eu não tivesse feito as coisas que fiz, eles teriam nos derrotado, pode ter certeza.

– Kamel: Mas a gente [motoristas] já não confia em vocês. Perdi US$ 97 mil por sua culpa, estou quebrado por sua culpa. Sim, sim, sim! Todos os dias vocês mudam alguma coisa.

– Kalanick: Espera um segundo: o que você acha que mudamos no [Uber] Black? O que eu mudei?

– Kamel: Você mudou todo o negócio. Você baixou os preços.

– Kalanick: No Black?

– Kamel: Sim, você baixou.

– Kalanick: Besteira [ele usou um termo mais forte aqui].

– Kamel: Começamos com US$ 20.

– Kalanick: Besteira!

– Kamel: Começamos com US$ 20. Agora quanto custa uma milha? US$ 2,75?

– Kalanick: Quer saber?

– Kamel: O quê?

– Kalanick: Muita gente não gosta de se responsabilizar pelos próprios problemas e prefere culpar outras pessoas. Boa sorte!

– Kamel: Boa sorte para você também, mas você não vai muito longe.

Depois disso, Travis Kalanick, bastante irritado, saiu do carro. Dias depois, o vídeo com o bate-boca foi publicado, colocando o executivo em uma enrascada: muita gente achou que, como líder do serviço, ele deveria ter ouvido a queixa de Fawzi Kamel com mais respeito, afinal, o condutor o abordou sem agressividade.

Diante da repercussão, Kalanick tratou de publicar um pedido de desculpas no site do Uber. Na nota, o executivo, reconhece ter tratado o motorista com desrespeito e afirma que “envergonhado” é pouco para o que está sentindo.

Travis Kalanick

Travis Kalanick

Ele também afirma que, pela primeira vez, reconhece que precisa de ajuda para liderar e que vai buscar esse auxílio. Kalanick termina pedindo desculpas a Kamel, aos demais motoristas do Uber e aos funcionários da empresa.

Se o executivo vai mesmo buscar ajuda para liderar o Uber, precisa fazê-lo o quanto antes. A discussão com o motorista é apenas o escândalo mais recente. Além de reclamações de condutores e clientes, o Uber tem sido alvo de numerosas queixas de assédio por parte de funcionários, tanto moral quanto sexual.

Um dos casos mais divulgados é o da engenheira Susan Fowler, que deixou o Uber no final de 2016 por não ter recebido apoio da empresa após denunciar um gerente por assédio sexual. Kalanick ordenou uma investigação interna sobre a denúncia, mas, novamente, só depois de a história ter gerado bastante repercussão.

Com informações: Bloomberg