Que fase nebulosa o Uber está enfrentando, não? E parece não ter fim: uma semana após a publicação do vídeo que mostra o seu CEO discutindo com um motorista que reclamava das condições do serviço, surge a notícia de que a empresa utiliza há tempos uma espécie de app falso para escapar da ação de autoridades e, assim, evitar multas, apreensões e outras complicações.

A informação vem do New York Times. Segundo o veículo, o tal aplicativo se chama Greyball e faz parte do VTOS, sigla em inglês para “violação dos termos do serviço”. Trata-se de um programa sigiloso criado pelo Uber em 2014 para identificar usuários que fazem uso indevido do serviço, inclusive para fins de espionagem.

Uber - smartphone

Porém, funcionários e ex-funcionários do Uber ouvidos sob condição de anonimato revelaram que o VTOS vem sendo usado para dificultar o trabalho de policiais e agentes de fiscalização em cidades que mostram resistência à implementação do Uber ou proíbem a oferta do serviço.

É aqui que o Greyball ganha sentido. A ferramenta cruza uma série de dados para identificar usuários que, de alguma forma, representam ameaça. Entre esses dados estão informações de geolocalização, números de cartões de crédito, modelo do smartphone (aparelhos baratos frequentemente são usados em ações de fiscalização), histórico de uso do serviço e até detalhes obtidos em perfis de redes sociais.

De acordo com os entrevistados, o truque é bem engenhoso: se o Greyball identificar um suspeito, isto é, um usuário que possivelmente pediu um carro no Uber para fiscalizar ou comprovar a atividade do serviço, a conta dessa pessoa entra em um modo de desorientação, digamos assim.

E como é isso? O aplicativo do Uber começa a exibir “fantasmas” no mapa, ou seja, carros que, na verdade, não estão nas redondezas. Além disso, certas corridas solicitadas pelo usuário são aceitas para, instantes depois, serem canceladas. Muitas solicitações nem são atendidas.

Pode até parecer coisa de filme, mas o Greyball dá resultado. O New York Times deu como exemplo o caso de Erich England, um policial da cidade de Portland, em Oregon, Estados Unidos. No final de 2014, England chamou um carro pelo Uber com o intuito de flagrar a prestação não autorizada do serviço na cidade, mas ele não conseguiu ser atendido. Tudo indica que essa foi uma “vitória” do Greyball.

Em Oregon, o Greyball deixou de ser usado em 2015. Segundo os relatos e os documentos obtidos pelo New York Times, o Uber abandona o programa em determinado local assim que consegue operar ali sem restrições. Pelo menos 15 localidades dos Estados Unidos teriam sido monitoradas pelo VTOS, o mesmo valendo para cidades em países como Austrália, China e Coreia do Sul.

É verdade que, em muitos lugares — muitos mesmo —, o Uber teve que “forçar a barra” para conseguir operar. Mas para analistas de mercado, advogados e afins, a empresa foi longe demais com o VTOS: enganar autoridades é um desvio ético e, dependendo das circunstâncias, uma atividade criminosa.

O Uber reconhece a existência do VTOS, mas afirma que o programa existe unicamente para identificar usuários que utilizam o serviço de maneira indevida ou representam riscos à segurança, como aqueles podem agredir motoristas ou estejam agindo para interromper corridas.

Travis Kalanick, CEO do Uber

Travis Kalanick, CEO do Uber

Ainda segundo a empresa, o uso de Greyball para identificar policiais ou agentes é feito apenas nos locais em que autoridades formam conluio com taxistas e afins para prejudicar o serviço com táticas perigosas — ameaças a passageiros e condutores, por exemplos.

Os funcionários e ex-funcionários entrevistados confirmam o uso do VTOS para essa finalidade. O problema, segundo eles, é que o programa também passou a ser usado para o Uber escapar de ações legítimas de fiscalização. Isso significa que a companhia está sob risco de enfrentar sérios problemas judiciais relacionados à suposta prática.

Essa é só uma parte da “maré de azar” do Uber. A companhia perdeu milhares de usuários com a campanha #deleteUber (criada após a empresa supostamente tirar proveito de um protesto contra Donald Trump), foi acusada de não apoiar uma ex-funcionária que teria sido vítima de assédio sexual e viu o CEO Travis Kalanick pedir desculpas publicamente após o já mencionado bate-boca com um motorista do serviço.

E olha que esses são só alguns exemplos recentes.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tadeu Valentt
Não vi nenhuma maré de azar ai, tirando a do Tecnoblog querendo queimar a imagem do Uber, qual será o motivo?
Theo Queiroz
Pagando preço alto e de bico calado..
Não! Ele pagou 5,50 no táxi. Bem menos do que os 9,50 do Uber. Tu nem leu o comentário direito e já veio com quatro pedras na mão e esse papinho de que "brasileiro tem que se fuder mesmo".
Burnerman_X
Na verdade só deixei de viajar graças a cagada que o Uber fez nas tarifas dinâmicas, cujo preço pode sair potencialmente mais caro que o táxi. Falava da "qualidade" justamente por ser um diferencial que muitos citavam contra os táxis. Hoje fica visível que não dá pra sustentar balinha e aguinha pra sempre, ao menos não com os preços que o Uber estipula, jogando todos os preços muito pra baixo, tornando o negócio inviável pra quem trabalha. E sobre o preço, hoje você pode pagar 20 reais numa viagem ou pagar 60 reais de acordo com o momento. Antes a questão do multiplicador era explícito ao usuário, que tendia a esperar baixar a 1x. Hoje, como a informação é escondida (só aparece o valor final da viagem), o serviço tem gozado sempre de multiplicador acima de 1x. As vezes você pode estar pagando 2,5x e se você não souber de cabeça o valor do trajeto desejado, você se lascou. E é justamente na questão do multiplicador que a concorrência do Uber brilha. Sem surpresas negativas no valor da viagem. E graças a isso tudo que o Uber já não me apetece tanto quanto antes, hoje é uma das minhas últimas opções.
Hugo Luquesio Santos
Cara vc fala q está nível táxi ok é um direito seu achar isso, porém vc não deixou de viajar com o Uber por conta disso não é mesmo? Compra um carro de 80.000.00 e coloca na pista com água e bala durante 15 horas diárias de trabalho.
Rita Palarini
Eu usei em Lisboa o uber meu cartao.visa que sempre usei no uber quinze minutos após meu cartão foi clonado no Brasil compra de 2800.00. Confirma compra? Não respondo eu . Cancelei o cartão na mesma hora
Ed
Eu tentei usar o 99 com o desconto de 30% na minha cidade (antes da chegada do Uber) e o motorista aceitou a corrida, me buscou, mas tentou encerrar a corrida no app para cobrar à parte, na maquininha de cartão dele, com o preço cheio (eu iria pagar, e depois fazer a reclamação pelo app). Por sorte o app não deixou, e o obrigou a cobrar pelo app, daí acabei pegando o desconto. Mas mesmo com os 30% saiu o dobro do que pago com o Uber. Paguei 27 reais de táxi e 13 de Uber. Trajeto de uns 6km (20 minutos).
Welber
Eu vejo o futuro repetir o passado!!!!
Welber
Como dizia o poeta Cazuza!!!Eu vejo o futuro repertir o passado!!!
Burnerman_X
Já fui na minha faculdade de Uber que é um pouco mais longe pagando 7 reais. Não é o preço normal, é tarifa dinâmica sim. Minha corrida deve custar em torno de 5 reais. E água e bala são coisas que não vejo mais no Uber tem meses. A parada está nível táxi.
Thiago Oliveira
Preço mínimo + a km + os minutos = 9,75.... Paga uma mixaria e ainda reclama, vai de ônibus ou pega táxi então, brasileiro tem e que sofre com monopólio dos taxista msm... Pagando preço alto e de bico calado.. Vem a uber oferece tarifas baratas, carros limpos , ar, agua, bala, e nego ainda reclama...
Burnerman_X
Não quando você não sabe o quanto custa chegar de X até Y. Esses dias fui pedir um carro para fazer o trajeto trabalho-casa, pouco mais de 1km. Uber: Preço mínimo: R$7,00 (o quanto custaria o trajeto de fato) Preço estimado pelo app (com multiplicador): R$9,50 Resultado, fui pro Easy e pedi um Easy Go: R$5,50. Saiu apenas quase a metade do preço e tive um serviço equivalente, até porque o motorista também trabalha no Uber X. Quase todas as vezes que pego Cabify e Easy Go, os motoristas mostram o mapa de calor do Uber. Raramente está em x1. Entendo quando a opção é apenas entre Uber e Táxi, mas hoje, para mim, com Cabify, 99 e Easy, o Uber já deixou de ser uma opção a muito tempo.
Victor Sales
Em Fortaleza, mesmo com esses 30% de desconto do Easy ou 99, ainda fica mais caro que Uber. E também não adianta de NADA, pois nenhum taxista aceita a corrida quando você faz o pedido através dessa opção aí ;)
Thiago Oliveira
Uber nao engana com preço dinâmico, quando vc pede o uber lá aparece o valor estimado da sua corrida, então nao vem falar que vc e enganado..
Burnerman_X
Cabify, 99Pop, Easy Go, os serviços de taxi com 30% de desconto. Opção não falta. Hoje o Uber não consegue entregar nem preço (graças as tarifas dinâmicas que hoje são escondidas do usuário) e nem qualidade (que já está aceitando qualquer um para dirigir sem o menor critério e treinamento). Que final horrível.
Silvio Ney
Da mesma forma o VTOS pode ser usado pra real intenção a que o Uber afirma: usar para barrar usuários com más intenções. Agora se ela encaixa exatamente no ato da fiscalização, afirmam logo que é exatamente pra burlar a lei?
Exibir mais comentários