Início » Jogos » O que há dentro do Nintendo Switch

O que há dentro do Nintendo Switch

Paulo Higa Por

O Nintendo Switch chegou aos primeiros compradores na sexta-feira (3). É claro que o iFixit, site especializado em destrinchar eletrônicos, já tratou de dar uma boa olhada por dentro do novo console. Surpresa: ele é fácil de desmontar e pode ter grande parte de seus componentes substituída pelos próprios usuários.

Primeiro, vamos aos números: o Switch é equipado com um processador da Nvidia feito sob medida para a Nintendo (provavelmente baseado no Tegra X1), 32 GB de memória flash eMMC da Toshiba e 4 GB de memória LPDDR4 da Samsung (você também achou bastante?). A tela LCD de 6,2 polegadas tem resolução de 1280×720 pixels e pode ser facilmente removida pelo usuário.

A bateria de lítio tem capacidade de 4.310 mAh e, de acordo com a Nintendo, pode durar entre 2,5 e 6,5 horas — nos reviews de The Legend of Zelda: Breath of the Wild, os sites estrangeiros comentaram que a autonomia com o jogo é de cerca de três horas. As duas Joy-Con têm baterias de 525 mAh cada e aguentam até 20 horas sem recarregar.

O índice de reparabilidade, que mede o quão fácil é consertar um produto, foi de 8/10 no caso do Nintendo Switch. É uma nota muito boa para um eletrônico tão compacto lançado em 2017: smartphones como o Galaxy S7 Edge recebem nota 3/10 devido ao excesso de cola e alta possibilidade de danificar o produto durante a desmontagem, e o MacBook do ano passado tem nota 1/10.

Segundo o iFixit, o console ganhou pontos por ter boa parte de seus componentes presos com parafusos (e não cola, como tem acontecido com a maioria dos gadgets) e peças como leitor de cartucho, baterias e conector de fone de ouvido totalmente modulares, permitindo a substituição pelo usuário.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

H7N5
o Wii pode ter trazido essa fama para a Nintendo mas também trouxe muito dinheiro e ela tá louca pra reviver essa fase
Carlos Pacheco
Oloco, são o dobro de desenvolvedores para o Switch (com relação ao Wii U). E que bom que o Wii trouxe a fama de brinquedo, videogame "high-end" é muito chato. Acho que é por isso que o Wii vendeu bem mais que os concorrentes de época.
Ismael Pini Gonzales
Casos distintos... O Wii U não teve muito suporte pq não vendeu bem e pela dificuldade no desenvolvimento!
Vitor

Eu sei disso, e também sei que nem sempre foi assim. No entanto, as outras desenvolvedoras não pensam assim. Veja o fracasso do Wii U tendo menos dá metade dos jogos do Xbox One e em sua maioria jogos dá Nintendo e ainda com pouquíssimos títulos de sucesso, além do Wii, que trouxe a fama de que a Nintendo fazia brinquedo para crianças.

Se as desenvolvedoras quiserem desenvolver para o Switch, eu fico muito feliz, mas o que vejo são pouquíssimas empresas interessadas nele.

Vitor Neves
Eu sei disso, e também sei que nem sempre foi assim. No entanto, as outras desenvolvedoras não pensam assim. Veja o fracasso do Wii U tendo menos dá metade dos jogos do Xbox One e em sua maioria jogos dá Nintendo e ainda com pouquíssimos títulos de sucesso, além do Wii, que trouxe a fama de que a Nintendo fazia brinquedo para crianças. Se as desenvolvedoras quiserem desenvolver para o Switch, eu fico muito feliz, mas o que vejo são pouquíssimas empresas interessadas nele.
Adriano Garcez
Melhor que qualquer PC que eu já tenha tido. Ver o futuro pela janela, mas não participar dele é "paia"...
Andre Badiani
A Nintendo se preocupa mais com a experiencia do usuário com o jogo do que com gráficos, visto que o jogo Zelda já esta com nota 98 em vários sites.
Bruno Martins Santana
Basicamente um Smartphone Super Potente Como um Oneplus3 da Vida ou uma placa um PC Mediano da geração passada como um Core2Quad com uma GTX 650
Vitor

Não coloco muita fé nesse SoC, embora se trate mais de uma questão de adaptação e não de hardware em si. Eu abriria mão de gráficos estilo PC e PS4 para ter um console portátil, mesmo com gráficos piores, o problema é: Será que as desenvolvedoras seguiram esse novo estilo?

Vitor Neves
Não coloco muita fé nesse SoC, embora se trate mais de uma questão de adaptação e não de hardware em si. Eu abriria mão de gráficos estilo PC e PS4 para ter um console portátil, mesmo com gráficos piores, o problema é: Será que as desenvolvedoras seguiram esse novo estilo?
Leandro Nascimento
pois é...
Lincoln Morais
O que esse SoC é capaz de fazer ainda é um mistério.