Todo mundo sabe que o processo de atualização do Android costuma ser devagar: a maioria dos dispositivos demora a receber updates, e alguns simplesmente permanecem em versões antigas. Mas como o Nougat está se saindo? Dados recentes do Google mostram isso.

A boa notícia é que a presença do Android 7.x mais que dobrou em apenas um mês. No início de fevereiro, ele estava em apenas 1,2% dos dispositivos; no início de março, ele chegou a 2,8%. (Esses números consideram a versão dos dispositivos que acessaram a Play Store ao longo de sete dias.)

Isso é bacana porque o Nougat traz diversas novidades que eu venho aproveitando nas últimas semanas, como a central de notificações repaginada, a multitarefa melhorada – é ótimo alternar entre apps tocando duas vezes em um botão – e o Doze on the go, que ajuda a economizar bateria.

A má notícia: ele ainda mal chegou a 3% dos dispositivos, e o processo não deve se acelerar tão cedo. Como você pode ver no gráfico abaixo, a distribuição do Nougat segue em um ritmo mais lento que o Marshmallow e o Lollipop. Vale notar que o Android 5.x, lançado no final de 2014, ainda é a versão mais popular do sistema.

Esta é a história que vem se repetindo há anos. Como você pode notar abaixo no gráfico do site Bidouille.org, cada nova versão do Android começa devagar, depois se expande rápido e atinge um pico – geralmente quando chega uma nova versão – para então vir o declínio.

Isso está relacionado à forma em que o Google distribui o sistema. A cada nova versão do Android, as fabricantes de hardware precisam atualizar suas interfaces customizadas (TouchWiz, LG UX, HTC Sense), e as operadoras precisam realizar testes antes de distribuir o software aos clientes.

O Google vem trabalhando mais de perto com essas empresas para acelerar o processo; e o Nougat esteve disponível para desenvolvedores em beta por muitos meses antes de seu lançamento oficial. No entanto, atualizações de software nem sempre são prioridade para as fabricantes e as operadoras.

Enquanto isso, a Apple anuncia uma nova versão do iOS só quando ela está basicamente pronta e com aprovação das operadoras – e como não há diferentes fabricantes para lidar com o sistema, tudo parece mais rápido para os usuários. Demorou menos de um mês para o iOS 10 chegar a 66% dos dispositivos, a adoção mais rápida da história do sistema.

Pouco a pouco, os dispositivos vêm recebendo o Android Nougat. A Motorola levou o sistema para o Moto Z e Z Force; a Samsung o disponibiliza para o Galaxy S7 e S7 Edge; a Sony vem atualizando sua linha Xperia (X, XZ, XA, X Compact e X Performance); e o LG G5 está sendo atualizado globalmente. Rumores dizem que veremos o Android 8.0 “O” em maio, na conferência Google I/O.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tiago Celestino
David muito que faria essa abordagem, até porque a ideia realmente é ser um SO aberto. Pra mim, tem que mudar a cultura das empresas, em diminuir a fragmentação e apostar mais em recursos de software.
SR 71 Pássaro Preto

Tô de saco cheio.

Anthony Fernando
Tô de saco cheio.
Carlin
E como sempre o Android é exemplo de desordem no mercado, além das interfaces próprias, ainda tem a não atualização de uma parte considerável dos aparelhos, pelas fabricantes/operadoras.
Fábio Moser
Eu compraria! Mas não vende no Brasil....
Anakin
Não, o Pixel ou um antigo Nexus, tem android pra todos os gostos, só vc comprar um que te agrade.
Fábio Moser
Você quis dizer a marca da fruta? Antes 1.000.0000 de vezes Android, inclusive com modificações e blootwares.
Fábio
Era melhor fazer um lançamento a cada dois anos e liberar patchs de otimização e correção no decorrer desse tempo. Os dispositivos estão recebendo o sistema com um gap de um ano. Infelizmente Android fica a míngua no quesito atualização. E olha que a versão BR (ZTO) para o s7edge ainda não foi liberada aqui.... Estou tendo que usar uma australiana.... Estou cansando disso,vou acabar indo para o iOS.
Gertrudes, a Lhama Morta

Aí deixa de ser Android. E já existe uma opção assim como você falou no mercado.

Gertrudes, a Lhama
Aí deixa de ser Android. E já existe uma opção assim como você falou no mercado.
Fábio Moser
Sei que deve ser loucura, mas queria mesmo é que o Android tivesse uma interface padrão, única e que as fabricantes não pudessem modificar... mantendo uma uniformidade do sistema! E principalmente que as fabricantes não pudessem encher de apps inúteis.
Fábio Moser
Sei que deve ser loucura isso... mas queria mesmo é que o Android tive uma interface padrão, única, e que
Lucas Carvalho
https://uploads.disquscdn.com/images/0aa4b8f5e59fe6836071dca2411ce10953628d2397ae7f0008e468bd8d3046a3.jpg
Lucas Carvalho
É mais fácil dobrar um número pequeno.
Eduardo
Isso só vai ser resolvido quando o Google conseguir encontrar uma forma de modularizar e atualizar o sistema independente das modificações do fabricante. Só que eles tão pouco se lixando pra isso.
Exibir mais comentários