A maioria das pessoas usa o smartphone de maneira saudável, digamos assim, mas não são poucas aquelas que, de tão conectadas, checam o aparelho o tempo todo. Esse comportamento atrapalha a concentração no trabalho ou nos estudos e pode até dificultar as relações pessoais. Mas surgiu no Kickstarter um smartphone que promete acabar com esse “vício”: o Siempo.

Não, não é um celular que dá choque, dispara um alarme ou se fecha todo quando o usuário exagera no uso. O Siempo até que é bastante comum: ele tem design simples, que remete a smartphones, no máximo, intermediários. O segredo dele está no software.

Siempo

O sistema operacional é uma versão adaptada do Android Open Source Project. Não há loja de aplicativos aqui, tampouco apps de redes sociais pré-instalados. Você não conseguirá usar o Facebook ou o Instagram, por exemplo. A ideia é eliminar tudo aquilo que pode levar a interrupções desnecessárias.

Por conta disso, o Siempo tem apenas apps tratados como essenciais, como agenda, ferramenta de notas, previsão do tempo, mapa, mensagens de texto (inicialmente, somente SMS), player de áudio e até um aplicativo de meditação. Um navegador também está incluído, mas há planos de criar uma versão que permite ao usuário estabelecer limites para acessos a sites.

Como os apps essenciais também podem emitir notificações, o Siempo conta com modos distintos para que o usuário possa controlá-las: o Pause silencia totalmente o aparelho (afinal, se você souber de uma notificação, se sentirá impelido a vê-la); o Tempo estabelece um período para elas aparecerem.

Há ainda um modo chamado Mindful Morning que impede a pessoa de ficar online por determinado intervalo de tempo — é uma opção para quem precisa resistir à tentação de dar uma olhada no smartphone antes de completar determinada atividade.

E não há uma tela inicial, não do jeito que conhecemos: ao ligar o smartphone, o usuário verá um campo para digitar o que deseja fazer, simples assim.

Siempo

Um aparelho como esse não precisa de hardware poderoso. Pelo menos é isso o que os desenvolvedores pensam. Por conta disso, o Siempo tem configurações bem básicas: tela de 4 polegadas com alta resolução (não especificada), processador quad-core de 1 GHz (chip não informado), 8 GB para armazenamento interno de dados, bateria de 1.600 mAh, além de Wi-Fi, Bluetooth, GPS e NFC. Há câmera também, mas não foram dadas informações sobre ela.

Se tudo se resume ao software, não seria mais fácil lançar um app que dá a qualquer smartphone os atributos do sistema do Siempo? Jorge Selva, líder do projeto, explicou ao Digital Trends que sua equipe tentou fazer isso, mas eles não tiveram sucesso na tentativa de controlar todas as notificações. A saída foi criar um produto desenvolvido desde o zero para reduzir as distrações.

Siempo

Isso faz o produto ser destinado a um nicho bastante específico. Os próprios desenvolvedores ressaltam que o Siempo é uma opção para quem constatou que o smartphone está atrapalhando a sua rotina, mas não quer recorrer a um feature phone para se desvencilhar do problema.

Apesar disso, tenho minhas dúvidas sobre o sucesso do projeto. A campanha do Siempo no Kickstarter começou nesta semana e terminará em um mês. O objetivo é alcançar US$ 500 mil, mas pouco mais de US$ 43 mil foram arrecadados até agora. O ritmo um tanto lento talvez seja efeito do preço: a partir de US$ 279 mais despesas de envio (US$ 40 para o Brasil).

Para quem quiser apostar na ideia, os envios estão prometidos para o final do ano.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Bruno Ribeiro da Silva
É nesse ponto que eu queria chegar haha.
Bruno Ribeiro da Silva
Mais impostos, taxas, aliquotas e pizzas... Quase 4 mil reais!
Bruno Ribeiro da Silva
SIEMPO 2.0 é bem melhor = Você compra um Siemens 3310 e vai usar BEM pouco!
Renan Maia Fernandes
Eu não acho a ideia de todo ruim, como o post e você mesmo disse, tem pessoas trocando smartphones por celulares mais básicos, mas as vezes apenas querem um "smartphone burro?" e ele entra ai, mas o preço é absurdo, dai a ideia se torna ruim no geral, aliás, quando li a materia na hora me veio a cabeça o Samsung Corby. https://uploads.disquscdn.com/images/22a50d52d0e2ae30cc9792a65af09559b47aff77a85e2edf76087ad7557f9f35.jpg
Renan Maia Fernandes
Eu não acho a ideia de todo ruim, como o post e você mesmo disse, tem pessoas trocando smartphones por celulares mais básicos, mas as vezes apenas querem um "smartphone burro?" e ele entra ai, mas o preço é absurdo, dai a ideia se torna ruim no geral.
Keaton
US$319 no brasil... conversão direta... 990 reais...
Mozart Rozendo
não tem loja... mas é só instalar um .apk e ser feliz kakakaka
Anakin
Poderia criar um app ou um launcher que limitasse seu aparelho atual, pronto, resolvido.
KARALBPIN
Se for para ter uma pircaria dessas é melhor não ter celular algum.
Wellington Gabriel de Borba
É melhor comprar um Nokia 3310.
NoobIsrael
Que frescura da merda.
Rubens dos Santos
Acho que esse é o tipo de aparelho mais endereçado as empresas que dão aparelhos aos funcionários, nisso ele pode se sair bem, o problema é esse preço aí...
Marcus Araújo
Prefiro o novo 3310 com jogo da cobrinha. Me parece mais útil do que esse "smartdumbphone".
bwoooruuuummmm™
Legal vai ser a cara de tacho de quem comprou, ao perceber que o problema não é o smartphone e sim ela própria. E com U$300 doletas a menos.
emersonalecrim
CALMA CARA
Exibir mais comentários