Início » Negócios » Escândalos fazem presidente do Uber pedir demissão

Escândalos fazem presidente do Uber pedir demissão

Por
20/03/2017 às 10h21
A nova extensão do Tecnoblog está pronta.Baixe Agora!

As polêmicas dos últimos meses têm feito vários nomes de peso dentro do Uber deixarem a companhia. O desligamento mais recente aconteceu no domingo (19): depois de seis meses no cargo, Jeff Jones não é mais presidente da empresa.

O até então número dois do Uber — Jones se reportava apenas ao CEO Travis Kalanick — assumiu a função em setembro de 2016 trazendo consigo a experiência acumulada como líder de marketing da Target, uma das redes varejistas mais conhecidas dos Estados Unidos.

Uber

Jones chegou com a missão de substituir Ryan Graves, que ocupava o cargo desde 2010. A mudança não seria fácil. Graves é um dos responsáveis por transformar o Uber em um fenômeno mundial. Não é por acaso que ele permaneceu na empresa para cuidar de projetos específicos, incluindo a divisão de entregas Uber Everything.

A Target executa estratégias de marketing bastante agressivas para manter a sua força nos Estados Unidos, usando inclusive recursos tecnológicos avançados para isso. Por essa razão, Jeff Jones parecia um bom nome para presidir uma companhia que tem um modelo de negócio tão disruptivo.

Entre suas missões, Jones tinha o desafio de reverter o declínio que o Uber vem experimentando. Mas a situação só piorou. Além de motoristas se queixando de mudanças nos valores cobrados e de usuários reclamando de queda de qualidade, o Uber se deparou com denúncias de assédio moral e sexual.

Jeff Jones

Jeff Jones

Um caso bastante emblemático é o da engenheira Susan Fowler. Ela usou o seu blog pessoal para explicar, com riqueza de detalhes, que deixou a empresa por não ter recebido apoio ao denunciar um gerente por assédio sexual. A empresa só viria a iniciar uma investigação depois de o caso ter ganhado o noticiário.

Embora os escândalos tenham feito Kalanick ficar em evidência — como quando ele discutiu com um motorista que se queixou de baixa remuneração —, Jones também vinha sendo pressionado. O executivo até tentou se aproximar dos motoristas para diminuir as reclamações, mas acabou acumulando críticas e mais críticas, muitas delas enviadas diretamente à sua conta no Facebook.

Para piorar a situação, não faz muito tempo que Kalanick anunciou a intenção de contratar um COO (diretor de operações) para ajudar a empresa a sair da má fase. A decisão incomodou Jones, que provavelmente viu nela um sinal de que seus serviços não estavam correspondendo às expectativas.

Travis Kalanick

Travis Kalanick

Mas foi mesmo a escalada de problemas que fez Jones jogar a toalha. Segundo uma fonte do Recode que trabalhou com ele na Target, o executivo nunca gostou de lidar com conflitos — para quem tem esse perfil, o Uber provavelmente é um dos piores lugares do mundo para se trabalhar.

E esse é apenas mais um capítulo da fase conturbada do Uber. Além dos problemas mencionados, a companhia está sendo processada por supostamente “roubar” uma tecnologia de carro autônomo do Google e não está se saindo muito bem nos testes com veículos do tipo: motoristas estão tendo que assumir a direção durante os percursos com mais frequência do que o esperado.

O momento é tão complicado que já há quem aposte que o próximo grande nome a abandonar o navio será justamente o de Travis Kalanick.

  • Ricardo – Vaz Lobo

    Um case de estudo para as próximas gerações: como uma empresa que virou do avesso as relações de consumo no início do séc. XXI, virou lugar comum quando passou a dar um tiro no próprio joelho por semana.

    • Creio que seja simples, pessoas soberbas que são consumidas pelo próprio ego e se tornam (mais) arrogantes, então a inteligencia e boas estratégias são substituídas pelo ego, ostentação e arrogância. Claro que isso não se sustenta por muito tempo, mas realmente é o mal de muitas boas empresas no começo sendo formadas por ideias inovadoras ou não, ou seja é algo que sempre existiu, muito disso formado pela imaturidade emocional que infelizmente a maioria de nós temos.

  • Leandro Gonçalves

    Até agora,a crise maior é interna. Mas em relação aos consumidores,apesar do aumento das insatisfações,o uber se mantem estavel e o preferido ,e ATÉ O PRESENTE MOMENTO ,pelo menos é o que sinto,continuará lider no seguimento. Tudo porque as concorrentes se mostram incapazes de superar o UBER de forma concreta ,mesmo a empresa americana mostrando falhas….Fazendo uma analogia ,seria como as emissoras de TV aberta,onde as criticas sobre a Globo são enormes,mas sempre tem a maior audiencia e a concorrencia é incapaz de superar.

  • Jonas S. Marques

    Nesse momento é preciso saber diferenciar entre o modelo de negócios Uber e a empresa Uber.
    O modelo de negócios Uber é eterno.
    Cabify, Easy Go, qualquer outra é capaz de implementá-lo com maestria.
    O Uber no entanto achou que apenas o peso da marca contaria, e bem, aí está o resultado.
    O bom é que agora os usuários estão doutrinados e não vão aceitar menos que a era de ouro do Uber, quando mesmo o Uber X era confortável e a empresa pagava bem a seus motoristas.

    • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

      O Lyft tem ganhando bastante terreno nos EUA porque remunera melhor e tem mais qualidade no atendimento.

  • Ricardo – Vaz Lobo

    “Uber’s VP of Product and Growth Ed Baker also resigned under mysterious (???) circumstances.” Tá fácil não…

    • Marcus Pereira

      A uber sem os motoristas não são nada e só melhorar o mercado de trabalho 50/ dos motoristas vão sair ai quero ver oque eles vão fazer.

  • Ramon Gonzalez

    Não resolve os problemas, mas é um começo. Vamos ver oq vai dar.

  • Jack Silsan

    A última vez que eu pesquisei sobre o Uber a empresa estava avaliada em nada menos que U$ 51 bilhões. Esses escândalos podem depreciar bastante a marca, mas duvido que façam o Uber quebrar (não que uma quebra esteja em discussão, mas enfim). Além disso, suponho que basta por o antigo CEO de volta no posto para que o Uber recupere o caminho assertivo

    • Ricardo – Vaz Lobo

      Dá uma olhada nessa da MSN News 3 days ago – Uber today looks like a mature company with a global footprint, yet its $69 billion valuation assumes spectacular growth will continue.

      • Jack Silsan

        Caramba… Imagina se as coisas estivessem nos trilhos

    • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

      O que ninguém se lembra é que Valuation, esse “valor de mercado imaginário e inflado” não tem nada a ver com o valor real da companhia, o Uber é uma bolha que vai estourar em algum momento, ele paga tantos benefícios a usuários pra fidelizar que gera prejuízo em cima de prejuízo, fora os gastos para “entrar forçadamente” em novos mercados (cidades, países, serviços de entrega), ele chega a pagar salários para motoristas em pontos novos até consolidar sua marca e seus clientes.
      O Uber usa dinheiro de investimentos para alavancar e inflar essa bolha.

      • Jack Silsan

        Típica pirâmide capitalista, então

        • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

          Não, pirâmide é outro esquema, isso é alavancagem inescrupulosa mesmo, infle os valores, venda sua parte, e deixe tudo desmoronar

          • Jack Silsan

            Isso também pode ser chamado de crime lol 😂

          • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

            Não num sistema capitalista, LOL, aí depois vêm o governo e salva o mercado da quebradeira

          • Jack Silsan

            Bem, exemplos semelhantes não faltam. O Lobo de Wall Street, Jordan Belfort, fez coisa parecida e amargou alguns anos no xilindró

          • Caio

            O que ele fez foi diferente. Alavancagem não é crime dependendo de como for feita, só é bem arriscada.

  • Bruno Stecanella

    A qualidade do serviço caiu bastante em São Paulo, só tenho usado como última opção…

  • Antony

    Segundo uma fonte do Recode que trabalhou com ele na Target, o executivo nunca gostou de lidar com conflitos

    E tem alguém que adora conflitos? Tem gente que tem maior facilidade ou dificuldade, mas não acho que alguém chegaria a presidente de uma empresa como o Uber (ou mesmo a posição da Target) sem ter essa qualidade

    PS: Depois de digitar sobre pessoas que adoram conflito, pensei na internet de hoje em dia…

  • Mauricélio Mesquita

    Uber sem os motoristas não é nada, eu tive dois carrões no uber rj, hoje tenho um bom carro, e sou muito mal remunerado.

  • Cortana

    A Uber sempre foi uma empresa soberba.

  • Kleber Santos

    Acredito que novos concorrentes vão aprimorar os serviços. É o caso da 4Move, que estreia dia 25/4 em São Paulo. Conheça 4move.me/invite/kfsantos

  • Ricardo Cardoso

    Aqui na minha cidade já fiz uma crítica ao valor descontado do motorista de 25%, no valor da corrida e propus que houvesse uma reunião entre os parceiros, mas fui muito mau recebido pela gerente do Uber e a mesma ainda disse que a política deles é não tratar com grupos.

    • Mauricélio Mesquita

      Aqui no rj tivemos uma reunião com ceo da uber, e o mesmo prometeu mundo a favor do motorista, uma semana depois eles baixaram o preço das corridas em 20 por cento e quebrou geral. Hoje a uber vive os fragalhos aqui no rj.

  • Ricardo Cardoso

    Até porque é uma cidade cheia de buracos nas rias, trânsito pesado com congestionamentos, raio de chamada de 6 km e uma das gasolinas mãos caras do pais e um valor muito baixo das corridas, manutenção dos veículos muito altas, lembrando que a distribuição da Coca Cola já fechou aqui, porque a Uber tb não pode passar por isto, um parceiro que não que escutar o outro é difícil.

  • Ligeiro

    Como eu sempre disse: Não adianta, uma hora o Uber cai

  • Natthan Fruche Terzi

    Na minha opinião, o Uber abriu o mercado de taxis para qualquer um explorar, muitos investimentos serão feitos, muita gente vai se endividar para comprar carro novo ou até mesmo desenvolver seu próprio aplicativo, e a bolha vai se tornar auto sustentável. Um exemplo que posso dar é o caso das paleterias, muita gente se endividou para abrir lojas e em menos de 1 ano fechou as portas, o mercado de transportes é maior e pode ser muito bem explorado, mas se todos apostarem na bolha, ela vai estourar.