Início » Celular » Galaxy S8 e S8+: dominados pela tela

Galaxy S8 e S8+: dominados pela tela

Primeiras impressões: novos smartphones da Samsung quase não têm bordas

Por
2 anos e meio atrás

Direto de Nova York — Os novos smartphones poderosos da Samsung, Galaxy S8 e Galaxy S8+, foram apresentados nesta quarta-feira (29) e têm exatamente o que esperávamos: telas gigantes de 5,8 e 6,2 polegadas dominando a parte frontal dos celulares, além de um novo assistente virtual e bons refinamentos em relação à geração anterior.

Será que eles são bons? Eu fui conferir os aparelhos de perto e conto minhas impressões nos próximos minutos.

Em vídeo

Dominados pela tela

O que mais chama a atenção no Galaxy S8 é o design, especialmente as telas grandes e curvadas, que agora ocupam quase toda a frente dos aparelhos. A Samsung deixou de lado o botão físico de início e os botões capacitivos de voltar e multitarefa, que passaram a ser exibidos diretamente na tela, como já acontecia na maioria dos smartphones da Lenovo, LG e Sony.

O bom aproveitamento de espaço tornou os aparelhos menos gigantes do que eles poderiam ser. A prova disso é que o Galaxy S8 possui tela de 5,8 polegadas, mas chega a ser mais estreito que o Galaxy S7, de 5,1 polegadas. E o Galaxy S8+, de 6,2 polegadas, é menos de 1 mm mais largo que o Galaxy S7 Edge, que tinha display de apenas 5,5 polegadas.

Isso porque as telas cresceram para cima e para baixo, não para os lados — o que ainda permite alcançar o outro lado da tela mesmo se você estiver utilizando o aparelho com apenas uma mão. A qualidade do painel AMOLED da Samsung continua muito boa, com brilho forte, resolução de 2960×1440 pixels (proporção 18,5:9) e cantos arredondados.

O ponto negativo da frente limpa, pelo menos para mim, é que o leitor de impressões digitais foi para a traseira. Quem acompanha meus reviews já está cansado de ouvir isso: quando o aparelho está sobre a mesa e você recebe uma notificação, é ruim ter que pegá-lo só para colocar o dedo ali no sensor (eu sempre acabo digitando a senha). As melhores posições são na frente e na lateral.

De qualquer forma, o Galaxy S8 ganhou um leitor de íris, que foi herdado do finado Galaxy Note 7. A câmera biométrica, que também suporta reconhecimento facial, tem um LED infravermelho que permite detectar sua íris mesmo no escuro. Essas formas de autenticação possibilitam fazer pagamentos no Samsung Pay, utilizar o Knox para proteger os dados, efetuar login em páginas da web e, claro, desbloquear a tela.

Bixby e DeX: as novidades no software

A principal novidade de software é o Bixby, um assistente virtual próprio da Samsung que pode ser acionado por meio de um botão dedicado, localizado abaixo do controle de volume.

Ele foi desenvolvido pelos mesmos criadores da Siri, mas tem uma proposta diferente e está integrado em todo o sistema: além de suportar os comandos de voz para fazer uma ligação, tirar uma foto ou mudar configuração do aparelho, o Bixby funciona dentro de aplicativos (como a galeria de fotos) e traz um painel semelhante ao Google Now, que mostra informações importantes dentro de cards.

Se você estiver vendo uma foto na galeria e acionar o Bixby, ele enxerga os objetos que estão na imagem e pode te mostrar em que loja comprar aqueles óculos que alguém está vestindo, por exemplo. Também há integração com aplicativos nativos e de terceiros, incluindo Facebook e YouTube.

Uma tela à esquerda da principal mostra cards ao melhor estilo Google Now, com informações de compromissos, notícias, previsão do tempo, atividade física e atualizações de sites mais acessados. Assim como no recurso do Google, a ideia é antecipar ações, mostrando o que você precisa saber sem perguntar nada.

Os comandos de voz do Bixby funcionarão em inglês e coreano no lançamento. Outros idiomas, incluindo o português do Brasil, chegarão em um futuro próximo. A Samsung também informou que trabalha para fechar parcerias locais — o recurso de detecção de produtos do Bixby, que funciona em conjunto com a Amazon nos Estados Unidos, deve ganhar outro parceiro no mercado brasileiro.

Outra novidade relacionada ao software é o suporte ao DeX, uma dock que transforma o Galaxy S8 em um desktop. O acessório tem duas portas USB, saída HDMI, cooler para resfriar o aparelho e até conexão Ethernet. Você pode rodar aplicativos de Android em várias janelas espalhadas pela área de trabalho e controlá-los por meio de teclado e mouse.

Como os dados de aplicativos são os mesmos tanto no modo smartphone quanto no modo desktop, você continua recebendo normalmente ligações e mensagens enquanto o Galaxy S8 estiver conectado ao DeX.

A Samsung confirmou que o DeX será lançado no Brasil, diferente de outros acessórios baseados em Windows 10 Mobile. O preço ainda não foi definido.

Hardware, bateria e câmera: poucas evoluções

O Galaxy S8 tem poucas mudanças no hardware, sem trazer números impressionantes nas especificações técnicas. O processador é o Snapdragon 835 nos Estados Unidos, enquanto o Brasil receberá a versão com o chip Exynos equivalente. Ambos são fabricados em processo de 10 nanômetros, o que deve aumentar o desempenho e reduzir o consumo de energia.

A RAM continua em 4 GB, enquanto o armazenamento interno pulou para 64 GB, o dobro do modelo padrão do Galaxy S7. Não houve anúncios de versões com capacidades de espaço maiores. De qualquer forma, a entrada para cartão de memória de até 256 GB continua presente para quem precisar de mais espaço.

A Samsung parece ter sido especialmente cautelosa com a bateria depois do fiasco do Galaxy Note 7, na qual principal causa das explosões era o excesso de compactação no componente. Tanto é que a capacidade não aumentou. O Galaxy S8 tem 3.000 mAh (mesmo do Galaxy S7), enquanto o Galaxy S8+ tem 3.500 mAh (100 mAh a menos que o Galaxy S7 Edge). O impacto na duração da bateria deve ser sentido, já que ambos têm displays maiores que os antecessores.

A câmera também quase não sofreu alterações. A traseira continua tendo um sensor de 12 megapixels com Dual Pixel e lente de abertura f/1,7. Houve melhorias no pós-processamento, o que pode melhorar a qualidade das fotos, mas não espere nada revolucionário como foi a câmera do Galaxy S7. A frontal, por sua vez, recebeu um upgrade na resolução, passando de 5 para 8 megapixels.

O software da câmera ganhou efeitos: você pode colocar filtros, adesivos e máscaras em tempo real nas fotos e vídeos. Além disso, houve a adição de um recurso bacana que mostra uma prévia do enquadramento de vídeo — ele é quase sempre menor que no modo de fotografia, já que a estabilização de imagem “esconde” as bordas da cena.

É verdade que a câmera do Galaxy S7 era (e continua sendo) muito boa, mas foi meio decepcionante ver que praticamente não houve avanço real no Galaxy S8.

Som de qualidade

compra da Harman pela Samsung por US$ 8 bilhões já começou a gerar frutos. No Galaxy S8, a novidade é que os fones de ouvido estamparão a marca da AKG. Além do aumento na qualidade sonora, a Samsung promete melhor isolamento de ruído e um fio que não embola facilmente. Sabe o que isso significa? Isso mesmo: a entrada de 3,5 mm continua lá. Obrigado, Samsung.

Se você utiliza fones de ouvido e alto-falantes sem fio, tudo bem: o Galaxy S8 é o primeiro smartphone do mercado com Bluetooth 5.0. Ele tem um recurso chamado Dual Audio, que permite transmitir som para dois dispositivos ao mesmo tempo, e o Scalable Codec, que torna a conexão estável mesmo em ambientes com interferência de radiofrequência.

Quando chega

Galaxy S8 e Galaxy S8+ serão lançados mundialmente a partir de 21 de abril, mas as datas podem mudar de acordo com o país. A Samsung ainda não informou quando eles começarão a ser vendidos no Brasil, mas a fabricante historicamente é rápida para trazer lançamentos ao nosso mercado. Um detalhe: caso você fique se perguntando por que não há topos de linha com dual SIM, saiba que há esperanças de que isso mude.

Os preços para o mercado brasileiro não foram divulgados, mas não espere nenhuma pechincha. Nos Estados Unidos, os dois modelos sofreram aumento de preço: desbloqueado, o Galaxy S8 custa US$ 749 (100 dólares mais caro que o antecessor), enquanto o Galaxy S8+ será vendido por US$ 849, com a pré-venda começando nesta quinta-feira (30).

Nosso review do Galaxy S8 e Galaxy S8+ será publicado em breve. O que vocês querem saber sobre eles?

Paulo Higa viajou para Nova York a convite da Samsung.

Mais sobre: ,