O Galaxy S8 chega ao mercado com três métodos de autenticação sem senha: além do sensor de impressões digitais, você pode confirmar sua identidade por meio do leitor de íris ou por reconhecimento facial. Mas parece que esse último não é muito seguro: em testes, foi possível desbloquear o aparelho utilizando uma simples foto estática.

A autenticação por reconhecimento facial do Galaxy S8 tem a mesma falha do Android 4.0, de 2011, quando o Google implantou a funcionalidade no sistema pela primeira vez. Posteriormente, o Android passou a exigir que o usuário piscasse para confirmar que estava vivo, mas isso também foi burlado, já que era possível manipular os olhos de uma pessoa no Photoshop.

Este vídeo mostra o Galaxy S8 sendo desbloqueado com uma foto em questão de segundos:

É bom ressaltar que o Galaxy S8 ainda não foi lançado comercialmente (ele começa a ser vendido a partir de 21 de abril), e as unidades de demonstração que estão circulando ainda não rodam o software final — portanto, pode ser que a Samsung corrija a vulnerabilidade antes mesmo que o smartphone chegue às mãos dos consumidores.

Mas a própria Samsung admite que o reconhecimento facial do Galaxy S8 não é muito seguro: ele é o único método que não pode ser utilizado para confirmar um pagamento no Samsung Pay. Então, quando estiver configurando a tela de bloqueio do aparelho, você já sabe qual forma de autenticação não escolher.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@Sckillfer

Nunca ouvi uma reclamação sobre o sensor do S7, mas não vou contestar (porque não tenho um).
Mas isso de segurança... Se banco fosse parâmetro Java seria referência em segurança. Não usam por preguiça, não por preocuopação com segurança.

Sckillfer
Nunca ouvi uma reclamação sobre o sensor do S7, mas não vou contestar (porque não tenho um). Mas isso de segurança... Se banco fosse parâmetro Java seria referência em segurança. Não usam por preguiça, não por preocuopação com segurança.
Pedro Resende
Meu banco e meus cartões aceitam a digital no s7.
Rodrigo Gommes
O maior problema na substituição de senhas nos apps de banco no android ainda é o android em si que não oferece acesso e segurança suficiente para "autenticação", mas já há app de bancos que permitem acessar a conta com digital, dai confirma com senha no final a transação.
hamster

Parece pato, anda nada e voa, mas não faz nada direito.

brunossn
Parece pato, anda nada e voa, mas não faz nada direito.
hamster

Na minha empresa deu até briga, porque iPhone não tinha NFC. Perguntei pra que servia, tentaram me mostrar uma transferência de arquivo que falhou miseravelmente. Coisa que bluetooth resolvia rapidinho.

brunossn
Na minha empresa deu até briga, porque iPhone não tinha NFC. Perguntei pra que servia, tentaram me mostrar uma transferência de arquivo que falhou miseravelmente. Coisa que bluetooth resolvia rapidinho.
Gabriel Ghefter
isso acontecia até no Moto G 2a geração hahaha
Henrique Ferreira Lima
Eu me gabava pela biometria, mesmo sendo um tanto falha, era mais legal que o que tinha na época ahahha
Bruno Stecanella
Tive um S7 ano passado e o sensor era bem meia boca, falhava com frequência durante o dia, o que não acontece com meu iPhone... E a segurança do sensor do galaxy também é contestável, se fosse bom mesmo, apps de banco usariam o sensor como substituição da senha, como ocorre no iPhone... minha posição é essa, o galaxy tem todos esses sensores pq na real nenhum é bom o suficiente...
Bruno Pinho

Tem os dois, leitor facial e de íris. O de íris é o mais seguro, parece.

Bruno Pinho
Tem os dois, leitor facial e de íris. O de íris é o mais seguro, parece.
@Sckillfer

O por impressões digitais funciona e é ótimo, acontece que não funciona direito em países frios (assim como TODOS os outros smartphones) e nem todo mundo tem um dedo com digital disponível. O por Iris supre esses problemas em parte, mas é mais lento e exige um ângulo especifico, dai entra o reconhecimento facial.

Sckillfer
O por impressões digitais funciona e é ótimo, acontece que não funciona direito em países frios (assim como TODOS os outros smartphones) e nem todo mundo tem um dedo com digital disponível. O por Iris supre esses problemas em parte, mas é mais lento e exige um ângulo especifico, dai entra o reconhecimento facial.
Exibir mais comentários