Início » Computador » Os planos da Compaq para voltar a crescer no Brasil

Os planos da Compaq para voltar a crescer no Brasil

A Compaq está de volta ao Brasil pelas mãos da GlobalK. Mas não é como antes: o foco agora são computadores de baixo custo.

Emerson Alecrim Por

Se você for comprar um notebook hoje, talvez encontre um modelo da Compaq pelo caminho. Sim, estou falando daquela marca de computadores que outrora ocupava lugar de destaque nas prateleiras e anúncios de jornais. A Compaq voltou ao Brasil em 2015 e tem planos ambiciosos para a região, mas é bom saber desde já: não é nada como antes. O foco da marca está em equipamentos de baixo custo.

A Compaq foi fundada nos anos 1980 para fazer frente à IBM no então promissor segmento de PCs. Deu certo. Ao longo dos anos seguintes, a companhia conquistou outros mercados além dos Estados Unidos e lançou alguns equipamentos memoráveis.

Compaq Armada 13

Compaq Armada 13

No Brasil, lembro bem que, no final dos anos 1990 e início dos anos 2000, os PCs “monobloco” da Compaq eram objetos de desejo. Muita gente — inclusive este que vos escreve — recorria a computadores montados em lojas porque desktops “de marca” costumavam ser caros e eram equipados com componentes proprietários, dificultando upgrades ou reparos. Mesmo assim a Compaq vendia bem.

Em 2002, a HP incorporou a Compaq. O negócio foi um tanto conturbado, com autoridades reguladoras questionando alguns aspectos do acordo e acionistas temendo prejuízos por conta da forma confusa com a qual o processo conduzido.

De fato, parece não ter sido mesmo um grande negócio. Ainda que a HP tenha conseguido ampliar a sua participação no segmento de PCs com a compra, a marca Compaq foi aos poucos perdendo força. Em 2013, a produção de computadores com o selo Compaq foi descontinuada nos Estados Unidos e em vários outros países.

Presario 4410, um dos monoblocos da Compaq

Presario 4410, um dos monoblocos da Compaq

Como marca, a Compaq só não morreu de vez porque a HP passou a licenciá-la. É neste ponto que chegamos ao retorno da Compaq ao Brasil: em 2014, uma empresa de nome GlobalK (fundada no mesmo ano) fechou um acordo com a HP para comercializar computadores com a marca por aqui.

Em 2015, já era possível encontrar laptops Compaq no varejo brasileiro, com destaque para o Presario CQ-23, modelo de 14 polegadas que é comercializado até hoje com preço inicial na casa dos R$ 1.300. Trata-se de um equipamento de entrada, baseado em um processador Intel Celeron.

Há modelos com mais recursos, como o CQ-21, que oferece processador Intel Core i3 e tela de 14 polegadas por cerca de R$ 1.600. Mas a gente não deve esperar nada muito avançado: a GlobalK faz questão de deixar claro que a sua principal estratégia é apostar em computadores de baixo custo. Talvez a empresa mude de planos algum dia, mas, por ora, não vamos encontrar um notebook Compaq com processador Core i7, por exemplo.

Compaq Armada 13

Compaq Armada 13

Eu disse a Camilo Stefanelli, CEO da GlobalK, que achei essa estratégia estranha. Mas ele me explicou que colocar computadores parrudos no mercado é fácil. Difícil é conseguir bons volumes de vendas com esses equipamentos. A intenção da companhia é obter receita com máquinas que custam pouco, mas vendem muito.

Não é preciso ser analista de mercado para encontrar lógica aí: computadores poderosos enchem os olhos, mas o que sustenta mesmo esse mercado no Brasil são máquinas de custo baixo ou intermediário.

Compaq CQ-21

Compaq CQ-21

Todos os modelos da Compaq são produzidos na unidade da Flextronics em Sorocaba, interior de São Paulo. Tudo é feito com base nos critérios estabelecidos pela HP, segundo Stefanelli. Por mês, saem 10 mil computadores da marca de lá. A ideia é dobrar esse número até o final do ano. Para isso, a GlobalK pretende lançar dois novos notebooks a partir de julho.

O primeiro é o Compaq Armada 13, que terá tela de 13 polegadas, processador Core i5 de sétima geração, 4 GB de RAM, HD de 500 GB e, opcionalmente, SSD de 32 GB. O modelo deve ter preço inicial de R$ 1.999. Já o segundo será o Compaq Presario CQ-17, que terá especificações parecidas, mas trabalhará com processador Celeron e preços a partir de R$ 1.299.

Tem um desktop compacto na jogada também, o Compaq Presario CQ-14. O equipamento pode ser equipado com chip Celeron, Core i3 ou Core i5, e tem preço inicial de R$ 1.299. Mas, a princípio, esse modelo será vendido apenas a empresas e organizações governamentais.

A GlobalK também inaugurou a SincPlace, outlet sustentável localizado em Sorocaba. A loja deve ganhar uma versão online até agosto.

A GlobalK também inaugurou a SincPlace, outlet sustentável localizado em Sorocaba. A loja deve ganhar uma versão online até agosto.

É interessante como a GlobalK buscou uma estratégia pé no chão: além de se focar no segmento de computadores básicos e intermediários, a companhia decidiu não oferecer uma quantidade muito grande de modelos, o que a permite otimizar os custos de desenvolvimento e produção.

Considerando a realidade do nosso mercado, é uma abordagem que pode mesmo dar certo. Eu só torço para que os preços convidativos dos computadores Compaq não se traduzam em produtos de má qualidade ou serviços de pós-venda ruins, problemas que, como você sabe, são crônicos no Brasil.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Hexa Campeão

Essa empresa GlobalK foi criada para vender Compaq só no Brasil ou em outros países também?

João Silva

Essa foi a minha primeira e única experiência com a COMPAQ/GlobalK, aliás meu erro foi confiar numa marca que era excelente e achei que estava realmente comprando um COMPAQ VERDADEIRO, depois dessa decepção fui pesquisar e vi que os computadores COMPAQ não existem mais. Essa GlobalK conseguiu a licença para produzir computadores de baixo custo com a marca COMPAQ em 2015. Ou seja, a qualidade é péssima, o produto não dura nem uma ano. Para quem não sabe eis aqui a história dessa empresa https://tecnoblog.net/21194...
No final da matéria o autor conclui : Considerando a realidade do nosso mercado, é uma abordagem que pode mesmo dar certo. Eu só torço para que os preços convidativos dos computadores Compaq não se traduzam em produtos de má qualidade ou serviços de pós-venda ruins, problemas que, como você sabe, são crônicos no Brasil.
Parabéns GlobalK !!! Desse jeito vocês iram longe !!!

Luis Felipe
Estou para comprar esse note cq21 ele é bom mano?
Américo Dos Santos Oliveira
Meu primeiro computador foi um Compaq Presario modelo 5000, comprado em 2001 (o da foto). Era um Celeron (mas foi o que deu pra comprar na época) e tenho ele até hoje funcionando. Uso para alguns jogos antigos e backup de coisas importantes. Tento deixar ele original, mas não dá. É triste ver o que aconteceu com a Compaq após 2002 com essa fusão bizarra. A HP estava realmente decidida a "matar" a marca mais cedo ou mais tarde, vendo isso já nos modelos 6000 e 8000 que, mesmo com logotipo Compaq, já traziam a "estética" HP. No final, mesmo com a HP ganhando espaço no mercado de computadores, não atingiu o objetivo que definiu após a fusão, que era ultrapassar a Dell e se transformar a "primeira" - coisa que nunca foi, se compararmos HP com Compaq. Tento imaginar como seria se a Compaq ainda disputasse com as gigantes do mercado como antigamente. Resta só saudosismo e boas máquinas que fizeram parte do passado. https://uploads.disquscdn.com/images/2d2592fd49562e280f2e1c982b111c6cb526f73424fbb88d34dfed9968020895.jpg
Patrick Adriano
Oi, tudo bom? Estou querendo comprar esse Notebook, o que você achou? Atende às suas espectativas?
Antonio Junior
Comprei um CQ21 por 1399. Preciso só pra uns filmes e uns trabalhos da faculdade. Nada mt exigente. Vcs acham que foi uma boa? Foi o que pude pagar. Não quis um positivo ou samsung celeron dual core q eram os unicos deste preço.
Rafael Pecd
A quem interessar, hoje 05/06/17 começou uma promo no site da HP. Note Compaq I3 5 geração, 4GB, HD 500 por R$ 1300,00
Zé Wanderer
k6 2 hehehehe. meu primeiro pc tinha esse processador. sdds
Andre Guilhon
Você não ganhou o dedão Bottini de qualidade! Esse já é mais recente... Depois da Vivi sair do casa e conforto, o Takeshi do programa de informática e ter ficado o assistente dele que eu não lembro o nome, ter acabado os programas de férias nos Club Med da vida... Sim, eu era viciado em Shoptime! hahahah
Andre Guilhon
Eu tive um MSX. Lá em 198e guaraná com rolha. :O
Felipe Silva
Essa coisa de dizer que Celeron é ruim é relativo, se pegar um Celeron de ultima geração ele vai ganhar de um i3 de primeira geração (ainda uso um notebook com i3 de primeira geração e ele me atende). Claro que ele vai ficar defasado bem mais rápido que um i3, mas a questão é saber por quanto tempo tu quer que esse PC dure e quanto está afim de investir nele, muitas vezes trocar de computador em 2-3 anos vale mais a pena do que comprar um parrudo agora e usar por muito tempo. Só acho um defeito grave dessa geração de notebooks é não substituírem esse HD de 500GB por um SSD de 120GB, incrível a diferença que um SSD faz até em maquinas fracas.
Diogo Mendes
onde que essa configuração por 2mil vai vender como água? pq n vendem com linux para baratear ainda mais o note?
Abraão Pereira de Sousa
saudosistas... rsrs Tive um, que não me recordo o nome, que só rodava o .dos eu ficava todo felizão só digitando e aparecia no monitor acoplado...
Tiago Celestino
Pois é. Inclusive, as pessoas estão mais ligadas nisso, não faz sentido fazer um computador de entrada, entregando tão pouco.
Racer
Win 3.11....aquele monte de disquetes para instalar...isto em 1995. Depois eu comprei um Pentium e nesta já usei o Win95.
Exibir mais comentários