Início » Computador » Microsoft enfim explica quais dados são coletados pelo Windows 10

Microsoft enfim explica quais dados são coletados pelo Windows 10

Por
2 anos e meio atrás

O Windows 10 sempre esteve cercado de preocupações sobre privacidade, envolvendo os dados que o sistema envia em segundo plano para a Microsoft. A empresa pretende tornar isso mais claro com o Creators Update.

A partir da semana que vem, o Windows 10 terá controles melhores para você ajustar a coleta de dados do sistema. Se você atualizar para o Creators Update, verá uma tela semelhante à imagem abaixo, com opções de localização, reconhecimento de voz, diagnóstico e anúncios personalizados.

As opções estarão ativadas ou desativadas dependendo das suas configurações atuais: por exemplo, se você desativou o acesso à sua localização, o Creators Update vai mantê-lo desligado. (O mesmo vale para quem está no Windows 10 Mobile.)

E se você instalar o Windows 10 do zero, verá as mesmas opções. Todas elas estarão ativadas por padrão; e ao desativá-las, você verá uma mensagem explicando como isso afeta sua experiência – não poder falar com a Cortana sem o reconhecimento de voz, por exemplo.

Vale notar que a opção de diagnóstico nunca pode ser totalmente desativada. Você só pode alternar entre dois níveis: “básico”, que envia informações limitadas sobre seu dispositivo, compatibilidade de apps e Loja do Windows; e “completo”, que inclui seu ID de usuário e outros dados. Pela primeira vez, a Microsoft detalha todas as informações enviadas em cada um dos níveis – você pode conferir as listas aqui e aqui.

Marisa Rogers, responsável pela privacidade do Windows, diz ao Ars Technica que a telemetria ajuda a resolver bugs bem específicos. Por exemplo, certas combinações de drivers e hardware de áudio resultavam em problemas de som. Dados de diagnóstico no nível “completo” permitiram detectar essas combinações e resolver o bug.

A Microsoft afirma também que reduziu pela metade o volume de dados coletados no nível “básico”, após reavaliar quais informações são estritamente necessárias “para manter os dispositivos do Windows 10 atualizados e seguros”.

Controvérsia

Versões anteriores do Windows já possuíam telemetria embutida, mas o usuário precisava sempre ativá-la manualmente (através do Relatório de Erros e do Programa de Aperfeiçoamento da Experiência do Usuário). Desde o Windows 10, ela vem ativada por padrão.

Como a Microsoft não explicava em detalhes os dados que são enviados pelo sistema, ela sofreu diversas críticas, e até mesmo advertências da União Europeia. “Compartilharemos mais informações sobre como asseguraremos que o Windows 10 esteja em conformidade com o Regulamento Geral de Proteção de Dados da União Europeia”, diz Marisa em comunicado.

Será isso o bastante para acalmar os ânimos de quem critica a privacidade no Windows 10? Saberemos ao certo em breve: o Creators Update será liberado a partir de 11 de abril para todos os usuários de PC.

Com informações: Microsoft, The Verge, Ars Technica.