A Pebble é conhecida por seus relógios inteligentes vendidos através do Kickstarter. Ela teve sucesso ao longo dos anos, mas não conseguiu disputar espaço com gigantes como Apple, Google e Samsung. Ela foi adquirida pela Fitbit e seus serviços serão desativados em algum momento de 2017. Mas, como prometido, os smartwatches da empresa continuarão a funcionar.

Uma atualização da Pebble faz com que seus relógios continuem na ativa sem se conectar à nuvem da empresa. “Por exemplo, mesmo se o smartwatch não conseguir acessar um servidor de autenticação da Pebble, os apps para dispositivos móveis permitirão que os dispositivos continuem funcionando”, diz o blog oficial da empresa.

Isso significa que os apps podem ser instalados por sideloading, em vez de exigir acesso à loja da Pebble (que será desativada); e que o processo de login pode ser ignorado.

As notas de versão também dizem que “a coleta de dados de saúde e relatórios de telemetria foram removidos”. Isso significa que o Pebble ainda contará seus passos e conseguirá sincronizar com o Saúde, da Apple, ou com o Google Fit — mas a nuvem da Pebble não receberá mais esses dados.

Além disso, os desenvolvedores que ainda estiverem atualizando seus apps para o Pebble podem adicionar um modo offline, e também apontar seu app para uma URL que forneça configurações (em vez de usar a nuvem da Pebble).

Usuários do iOS podem atualizar o app a partir da App Store; quem está no Android precisa fazer o download através do canal beta do Pebble por enquanto — a versão atualizada do app chegará ao Google Play em breve.

A Fitbit pagou US$ 23 milhões pela Pebble e, segundo rumores, tem “zero interesse” em desenvolver um relógio semelhante aos que a empresa vendia. Aparentemente, ela planeja lançar um concorrente do Apple Watch com touchscreen, foco em atividades físicas e suporte a pagamentos.

Com informações: Pebble.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Paulo de Tarso Luchesi Coelho
Ontem substitui o pebble time por um Garmin. Por mais de 1 ano e meio me serviu muito bem!
Edley Santana ?
Notícia ruim. Não tive um Pebble mas vejo bastante reviews positivos. Espero que a nova detentora faça um bom uso da tecnologia pro mercado não sair perdendo.
angourakis
De fato! O Pebble fará uma bela falta no segmento de Smartwatches. A minha única reclamação é que ele é um relógio muito frágil. Não sei se nas versões Time melhoraram isso, mas eu estou no meu segundo Original Pebble (aquele primeirão de plástico), e a tela já deu problemas, a parte de trás da carcaça quebrou, a pulseira dele também rasgou com meu amigo. Recarreguei ele ontem, instalei o APP e mesmo eu sendo beta, não achei a opção de pular o login (uso o APP novo). Enfim, vamos ver o que o futuro nebuloso nos reserva. Acho que ele acabará ficando apenas como um relógio comum, uma pena...
Vanderlei Gomes Fotografia
O único relógio inteligente que gostei e que uso , os outros muitas firulas mas achei tudo inutil
Gabriel Rezende
Mas eles colocarem essa cláusula já é uma coisa digna, haha.
Wendel Schelhan
O Pebble, pra mim, é o único formato de smartwatch que faz sentido.
Diogo Nóbrega
Deve ter sido (provavelmente) uma cláusula nos termos da compra do Pebble que possibilitou essa atualização. Porque senão, ia ficar no descaso mesmo...
Henrique Queirós
interessante, geralmente as empresas fazem descaso aos clientes