Imagina você reclamar de um produto conectado à internet, a empresa não gostar da avaliação e desativar o seu acesso remotamente? Foi isso o que aconteceu com Robert Martin, um consumidor que reclamou na Amazon de um dispositivo que abre a porta da garagem: dias depois, a empresa bloqueou o ID de produto dele nos servidores.

A empresa em questão é a Garadget. No vídeo acima, é possível ver o funcionamento do produto: você o conecta ao abridor de garagem para controlá-lo através de um app para iPhone. Além de fechar a porta, ele também avisa caso você se esqueça dela aberta (e permite fechá-la remotamente). Até aí, tudo bem.

Logo depois de ter comprado o produto, Martin deixou um review bem ácido na Amazon dizendo que o aplicativo da Garadget era “um lixo” e que “trava constantemente”. No fórum da empresa, ele usou um vocabulário mais pesado ainda.

A resposta da empresa veio no dia seguinte: o dono, Denis Grisak, disse que Martin era impulsivo e não iria tolerar birras. Ele pediu que o consumidor retornasse o produto para ser reembolsado e avisou que negaria conexão ao servidor pelo ID do dispositivo.

Como o Garadget não era diretamente responsável pela abertura da garagem (o motor continuava funcionando), imagino que Martin não teve problema em acessar a sua própria casa ou entrar com o carro ― ele só não pôde mais fazer isso pelo seu iPhone. Mas imagine só se a ideia pega e fazem isso em outro dispositivo, como uma fechadura eletrônica?

Assim, Grisak recebeu feedback negativo e publicou outra resposta no dia seguinte. “Calma aí, pessoal. Guardem suas forquilhas e tochas para quem vocês elegeram. Só faltam me ameaçarem de morte agora. Não bani o usuário por causa do review na Amazon, só queria me distanciar do indivíduo tóxico o mais rápido possível. Admito que não foi minha decisão mais inteligente”, declarou.

Depois, ele tentou se justificar citando este tweet de Elon Musk; no ano passado, o bilionário cancelou o pedido de um carro elétrico Tesla X porque o cliente criticou o evento de lançamento do veículo.

À BBC, Grisak completou que esse tipo de reação por parte dele “nunca aconteceu antes e não acontecerá novamente”.

Com informações: Mashable.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

²He
1 estrela. Devia ter em portugues.
SR 71 Pássaro Preto

Bem lembrado cara.

Anthony Fernando
Bem lembrado cara.
Samuel Cesar
Ue parece com o inventor do antigo Kazaa, um gênio de Dev mais muito louco. Tanto que a moeda digital dele é a melhor de todas as existentes, mas por conta de brigas de com a propria comunidade, ela até hoje teve um crescimento que faz jus a sua tecnologia.
Rafael™

hehehe é verdade

Rafael
hehehe é verdade
Evanei Ramos
Verdade rs, o cara nem se lembra mais o que comentou rs.
Francisco Aloisio
"Consumidor critica produto conectado à internet..."? Critica? Ele não criticou nada! O título da matéria está errado! Este site é uma site de TIC. Não pode errar na definição de termos. "Crítica" em TI é análise objetiva de dados. Imagine se você vai preencher o campo "Telefone" num formulário. Aí se equivoca e preenche o nome da "Rua". E, o programador que escreveu a APP lhe manda esta "crítica": "Preencha o número do telefone, sem burro!".
Ed. Blake
A questão é que uma empresa deve ser portar como tal. Se o cara não procurou suporte, o que a empresa pode fazer é evidenciar isto e procurar meios de orientar o usuário a solicitar suporte antes de extravasar seu ódio pela internet ou ao menos entrar em contato com o cara, entender o problema e recomendá-lo a alterar ou apagar o review negativo. Forma adulta de resolver o problema: "A empresa reforça que em nenhum momento foi solicitado suporte técnico pelo usuário ou relatada a mesma anormalidade por outros usuários. Caro cliente, por favor entre em contato conosco ou nos forneça uma forma de conato contigo para solucionarmos seu problema" Forma juvenil: "Enfia seu review e seu dinheiro no rabo e devolve 'meu' produto que você comprou!". Se um Garadget da vida tivesse que lidar com um país onde existe o ReclameAqui, que é uma plataforma completamente mal projetada, unilateral e 100% desgovernada, a empresa dele não duraria um dia.
Henrique Queirós
bom, melhora o engajamento mesmo, pra quem tem dificuldade de julgamentos, pra mim, um "gostei e não gostei" é extremamente falho e prefiro até não votar... mas pra maioria facilita
🧙‍♂️ Mago Erudito® ᴾᴿᴱᴹᴵᵁᴹ

Nada a ver...

É só uma simplificação pra aumentar o engajamento e facilitar a vida de quem avalia.

Seguido quando vou avaliar um filme, por exemplo, tenho dificuldade em dar 4 ou 5.

Mago Erudito®
Nada a ver... É só uma simplificação pra aumentar o engajamento e facilitar a vida de quem avalia. Seguido quando vou avaliar um filme, por exemplo, tenho dificuldade em dar 4 ou 5.
Henrique Queirós
A questão é que, por exemplo, muita gente não curte apps do PS. Mas não colocam nota mínima, colocam ao menos 3 e talz. Resumir tudo a a"Like e deslike" é quase lavagem cerebral
🧙‍♂️ Mago Erudito® ᴾᴿᴱᴹᴵᵁᴹ

Funcionaria bem se as pessoas entendessem do jeito certo.

Um exemplo disso é o uber: diversos motoristas já me contaram que as pessoas comentam que adoraram o serviço e dão 4 estrelas, pois consideram uma boa nota. O fato é que o ponto de corte do uber é 4,7, ou seja, se a pessoa der menos de 4 é ruim para o motorista e 5 é o ideal. Sendo assim poderia colocar apenas duas avaliações: boa ou ruim.

Mago Erudito®
Funcionaria bem se as pessoas entendessem do jeito certo. Um exemplo disso é o uber: diversos motoristas já me contaram que as pessoas comentam que adoraram o serviço e dão 4 estrelas, pois consideram uma boa nota. O fato é que o ponto de corte do uber é 4,7, ou seja, se a pessoa der menos de 4 é ruim para o motorista e 5 é o ideal. Sendo assim poderia colocar apenas duas avaliações: boa ou ruim.
Exibir mais comentários