Início » Negócios » Amazon começa a vender livros usados no Brasil

Amazon começa a vender livros usados no Brasil

Serviço de marketplace abre espaço para sebos e pessoas físicas venderem dentro da Amazon

Paulo Higa Por

A Amazon lançou nesta quarta-feira (12) seu serviço de marketplace no Brasil, permitindo que outras pessoas físicas e jurídicas comercializem livros dentro da loja. Na prática, a novidade também abre caminho para que a Amazon venda livros usados e exemplares raros ou esgotados por meio de sebos, editoras e outros parceiros.

Segundo a Amazon, a oferta de livros está aumentando de 150 mil para 250 mil obras em português com a inclusão dos novos parceiros. O número deve subir a partir de hoje, com o lançamento do serviço para os consumidores. No mundo, 50% das vendas da Amazon vêm de outras lojas, não da própria Amazon.

O funcionamento é o mesmo da Amazon nos Estados Unidos: quando você acessar a página de um livro na loja, poderá ver, logo abaixo do preço, os valores praticados por outros comerciantes. Neste exato momento, O Guia do Mochileiro das Galáxias, por exemplo, é vendido por R$ 22,31 pela Amazon, mas há um exemplar usado “com marca de dobra na capa, sem riscos ou grifos no texto”, por R$ 16,25 mais frete.

Para quem vende, haverá dois planos. O Individual cobra R$ 2 por item vendido, mais uma comissão de 10% por transação. Já o Profissional tem mensalidade de R$ 19 e a mesma comissão por transação, mas não cobra a taxa fixa de R$ 2. Este último dá acesso a benefícios como gerenciamento de inventário com relatórios, tabela de pedidos, API e valores de envio definidos pelo vendedor.

Com uma conta unificada, os vendedores do marketplace poderão enviar seus produtos não somente para o Brasil, mas também para compradores da Amazon nos Estados Unidos, Canadá e México. Para começar a vender, é necessário ter um CPF/CNPJ válido, conta de e-mail, conta bancária e cartão de crédito ativo, além de fazer um cadastro no site da Amazon.

Para quem compra, a Amazon oferece a chamada Garantia de A a Z — se o consumidor não receber o item correto, na condição anunciada e dentro do prazo de entrega prometido, a empresa poderá devolver integralmente o valor pago. Além disso, caso um vendedor tenha reclamações constantes e não resolva os problemas, ele será removido da plataforma.

Com informações: Exame, Folha.

Mais sobre:

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Whale
Por que a Amazon ainda não permite a compra por boleto?
Andre
CPF ou CNPJ, depende do tipo de modalidade escolhida.
daniel
Precisa ter CPF e CNPJ?
Elton Alves Do Nascimento
Muito bom, quero comprar o Guerra e Paz da falida Cosac, que esgotou do estoque da Amazon antes que eu pudesse comprar um exemplar (e olha que não era exatamente barato, talvez um usado saia mais barato).
Batatinha
Já estava na hora da Amazon ensinar às demais varejistas brasileiras como fazer marketplace em sua loja virtual.
Gabriel Brito
Eu acho que isso tá próximo. Parece que eles querem amadurecer a loja e a operação no Brasil pra começar a festa, além de esperar o pior da crise passar.
Gabriel Brito
É verdade, mas para os sebos pode ser incrível. Analisando por cima, a mensalidade é menor, a comissão pode ser um pouco maior ou menor, e a Amazon tem algo que nenhuma outra loja de usados tem: é a Amazon.
Ed
Muito cara a comissão para quem quer só vender um livro específico que não usa mais.
Abraão Pereira de Sousa
Até porque o de "A a Z" de amazon aqui não tem..
Matheus Alexandre
Bem legal!
Agronopolos
Vai depender só do vendedor que incluir o livro
Leonardo
Estante Virtual é o que há - o que já achei de bons livros ali custando merreca... Tomara que a Amazon ofereça "aqueles" livros fora de catálogo por preço honesto, ganha o consumidor. Agora, concordo com o colega acima, eles deveriam começar a vender o que já vendem na loja internacional, ou seja, qualquer coisa.
Bruno ?
Agora só falta a Amazon vender o principal: Eletronicos, e fazer concorrencia com o kabum.
Marcio Neves
Mas também minha esposa, que compra com certa frequência lá, já achou muita pechincha. E livros bem conservados, até
Marcio Neves
Acho que isso depende do SEBO, pois a loja em si não vende nada, quem anuncia são os credenciados. E realmente o preço varia muito!
Bruno ?
Estante virtual é meio sem noção, o livro usado la custa igual ou mais caro que um novo. Só entrei uma vez lá pra notar isso e nunca mais voltei.
Marcio Neves
Um problema PRO Estante Virtual, quis dizer :D
Sérgio Vilar
Concorrência não é problema, é solução
Marcio Neves
Isso vai ser um problema, um concorrente forte para o Estante Virtual