Início » Web » Rumor do dia: Google vai embutir bloqueador de anúncios irritantes no Chrome

Rumor do dia: Google vai embutir bloqueador de anúncios irritantes no Chrome

Por
1 ano atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

A maior parte da receita do Google vem de anúncios; foram US$ 60 bilhões só no ano passado. Então pode soar estranho que, segundo o Wall Street Journal, a empresa planeja embutir um bloqueador de anúncios no Chrome para desktop e mobile, e até mesmo ativá-lo por padrão para todos os usuários.

Foto por Stephen Shankland/Flickr

A ideia é bloquear propagandas consideradas ruins pela Coalition for Better Ads, com membros como Google e Facebook. Isso inclui pop-ups, vídeos com som ativado por padrão, anúncios que ocupam muito espaço na tela, contagens regressivas para acessar conteúdo, entre outros.

A estratégia de negócios aqui é reduzir a necessidade de extensões de terceiros como o AdBlock Plus. Ele cobra uma taxa dos anunciantes — incluindo o Google — para incluí-los em seu programa de “anúncios aceitáveis”, que são liberados por padrão. (Você ainda pode bloqueá-los nas configurações.) Através desse programa, o Adblock Plus também vende anúncios, potencialmente concorrendo com o Google.

Segundo uma pesquisa recente, 26% dos usuários de desktop têm algum tipo de software para ocultar propagandas. Embutir um bloqueador de anúncios no Chrome — que tem 52% de participação de mercado — pode frear a expansão de alternativas de terceiros, mantendo o Google no controle.

Este recurso também poderia ajudar a evitar que usuários migrem para outros navegadores. O Opera tem bloqueador de anúncios nativo, assim como o Brave, criado por Brendan Eich, pai do JavaScript e ex-CEO da Mozilla.

Isso pode ser problemático, é claro. Caso o Google decida exercer uma influência mais forte sobre o mercado de anúncios online, isso chamará a atenção da concorrência e também de organizações antitruste. Eich diz no Twitter que “o Google já tem problemas antitruste, e teria mais se bloqueasse anúncios de terceiros, mas não do DoubleClick”, sua plataforma de publicidade online.

O WSJ diz que o Google ainda não tomou uma decisão, mas a novidade poderia ser anunciada nas próximas semanas — talvez na conferência I/O em maio.

Com informações: Wall Street Journal, TechCrunch, Engadget.