A maior parte da receita do Google vem de anúncios; foram US$ 60 bilhões só no ano passado. Então pode soar estranho que, segundo o Wall Street Journal, a empresa planeja embutir um bloqueador de anúncios no Chrome para desktop e mobile, e até mesmo ativá-lo por padrão para todos os usuários.

Foto por Stephen Shankland/Flickr

A ideia é bloquear propagandas consideradas ruins pela Coalition for Better Ads, com membros como Google e Facebook. Isso inclui pop-ups, vídeos com som ativado por padrão, anúncios que ocupam muito espaço na tela, contagens regressivas para acessar conteúdo, entre outros.

A estratégia de negócios aqui é reduzir a necessidade de extensões de terceiros como o AdBlock Plus. Ele cobra uma taxa dos anunciantes — incluindo o Google — para incluí-los em seu programa de “anúncios aceitáveis”, que são liberados por padrão. (Você ainda pode bloqueá-los nas configurações.) Através desse programa, o Adblock Plus também vende anúncios, potencialmente concorrendo com o Google.

Segundo uma pesquisa recente, 26% dos usuários de desktop têm algum tipo de software para ocultar propagandas. Embutir um bloqueador de anúncios no Chrome — que tem 52% de participação de mercado — pode frear a expansão de alternativas de terceiros, mantendo o Google no controle.

Este recurso também poderia ajudar a evitar que usuários migrem para outros navegadores. O Opera tem bloqueador de anúncios nativo, assim como o Brave, criado por Brendan Eich, pai do JavaScript e ex-CEO da Mozilla.

Isso pode ser problemático, é claro. Caso o Google decida exercer uma influência mais forte sobre o mercado de anúncios online, isso chamará a atenção da concorrência e também de organizações antitruste. Eich diz no Twitter que “o Google já tem problemas antitruste, e teria mais se bloqueasse anúncios de terceiros, mas não do DoubleClick”, sua plataforma de publicidade online.

O WSJ diz que o Google ainda não tomou uma decisão, mas a novidade poderia ser anunciada nas próximas semanas — talvez na conferência I/O em maio.

Com informações: Wall Street Journal, TechCrunch, Engadget.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tiago Del Rio
https://cliqz.com/en/ tem anti-traking, anti-phishing, e ad-block. Nesta página bloqueou: Anti-traking: - Disqus 19 - Facebook 6 - Google Analytics 2 - Doubleclick by Google 2 - Google 1 Ad-block: - First Party 1 - Doubleclick by Google 1 - disqusads.com 1
Nildo Oliveira
Agora que Opera tem VPN, tradutor de página bloqueador nativo entre outros a única extensão que peguei da Chrome store foi o Push To Kindle
Molinex
Então cara, mas o adsense é o que mais incomoda a navegação de um usuario... Logo no começo do youtube, era um video de propaganda no inicio, e depois você via o resto do video que você escolheu de boa. Hoje dependendo do tanto de visualização do video, ele tem mais propagandas do que novela. E não há nada mais irritante do que ver um show ser cortado no meio de uma musica por um comercial... Já navegou em um site, e no meio de um artigo abrir um video, vindo diretamente do inferno? Isso é adsense... Já navegou em paginas onde a maior parte do texto são hyperlinks, clicou já era, é mandado para um site de algum produto que nem te interessa naquele momento? Isso é adsense... Isso sem contar banner em todo canto, sujando a visualização da pagina deixando o tudo muito confuso... Lógico que a culpa não é só da Google. Afinal ela só fornece as ferramentas... A culpa maior, geralmente é do mantenedor do site, que não tem bom senso na hora de monetizar seu produto... Eu como de vez em quando desenvolvo pra web, evito usar bloqueadores, por que acho sacanagem com quem desenvolveu o site, e eu sei o trabalho que deu... Mas não seria nada mal um pouco de bom senso, né não?
Molinex
Foi o que imaginei, a gigante da propaganda não ia dar um tiro no pé... Como também não da ponto sem nó...
Eduardo Spaki
WSJ é um jornal pouco tendencioso
Carlos V
O Popup Blocker Pro, é mais eficiente para Bloqueio de Popup. até Popup de login do Facebook, e outros serviços ele bloqueia, mas aparece um alerta com tempo suficiente para se tomar uma ação. Já o Fair AdBlocker App é mais focado nos anúncios estilo Google AdSense. Sobre tempo de carregamento das paginas não interfere muita coisa. a pagina fica mais leve então fica elas por elas, Claro dependendo do site se for um site todo fundido na Propaganda ai é outra historia, mas em sites mais otimizados fica tudo Ok. Melhor que AdBlock com Propaganda embutida.. (Pena que os desenvolvedores tomaram esse caminho)
Tiago Celestino
Se tiver a opção de bloquear os anúncios servidos pela a Google, até seria uma boa, mas isso não irá acontecer.
Tiago Celestino
"...Google que não são tão invasivos assim..." mas quem é o Google para achar isso? É bem estranho essa atitude da Google, ainda mais por ser desse mercado o ganha pão da empresa.
Emanuel Schott
Não. É que os ad blocks estão afetando as receitas do Google. As pessoas usam ad block pra bloquear anúncios irritantes, mas isso acaba bloqueando tudo, inclusive os do Google que não são tão invasivos assim. Ter ad block nativo significa que o navegador vai estar livre de propagandas invasivas e os do Google vão estar lá, sem incomodar.
Matheus Alexandre
É verdade, Alisson!
Antony
O carregamento das páginas e o consumo de memória devem ser uma beleza usando dois bloqueadores de propaganda
Valdiclei Moura
Dos adb tenho usado o ublock, bem leve e eficiente.
Jayme Prado
De jeito nenhum, os formatos Google vão permanecer intocados.
Molinex
Não entendi nada... A linguiça tá comendo o cachorro...
Renato Targino
Um que tem me irritado muito é quando interrompem o vídeo que você está assistindo para exibir um anúncio, tem acontecido no Facebook e algumas vezes no YouTube (mobile, porque uso adblock no pc). Me irrita tanto isso que eu paro de assistir o vídeo na hora.
Exibir mais comentários