Este mês, o Facebook prometeu remover conteúdo violento mais rápido após uma polêmica nos EUA. Então, nesta segunda-feira (24), um usuário na Tailândia fez duas transmissões ao vivo na rede social matando a filha de onze meses — e os vídeos ficaram disponíveis por quase 24 horas.

Foto por The Crunchies!/Flickr

Segundo a Reuters, o primeiro vídeo foi visto 112 mil vezes, enquanto o segundo vídeo teve 258 mil visualizações. O governo da Tailândia contatou o Facebook na terça-feira à tarde para solicitar a remoção dos vídeos, depois de receber um pedido da polícia. Eles foram, então, retirados do ar.

Normalmente, o Facebook não busca conteúdos violentos ou inapropriados; a empresa espera até que alguém os denuncie antes de agir. Mas para o Live, eles dizem ter uma equipe de moderadores humanos que monitoram vídeos ao vivo se eles atingirem certo limite de visualizações. Parece que nem isso adiantou.

Wuttalan Wongtalay, 20, enforcou a filha no terraço de um hotel deserto na cidade tailandesa de Phuket, e fez livestreaming pelo Facebook. Ele depois se enforcou; o suicídio não foi transmitido ao vivo. O policial responsável pelo caso diz à Reuters que Wuttisan “estava tendo paranoia sobre sua esposa o deixar e não o amar”.

É um caso semelhante ao ocorrido em Cleveland (EUA) este mês. Steve Stephens, de 37 anos, publicou um vídeo no Facebook atirando aleatoriamente em um idoso e matando-o no domingo de Páscoa. Ele estava irritado com a namorada, disse que tinha surtado e que iria “matar tantas pessoas quanto pudesse”. Stephens atirou em si próprio após uma perseguição policial, e faleceu.

Depois disso, o Facebook prometeu melhorar a forma como seus usuários denunciam vídeos, para que isso possa ser feito “tão facilmente e rapidamente quanto possível”. Infelizmente, isso ainda não foi implementado: para denunciar conteúdo, ainda é preciso seguir múltiplos passos e pop-ups.

A rede social já foi usada antes para transmitir atos hediondos, como uma criança sendo baleada, um adolescente com necessidades especiais sendo torturado, e agressões sexuais. Esta semana, um tribunal na Suécia ordenou a prisão de três homens que estupraram uma mulher e fizeram livestreaming.

O Facebook tem ambições de se tornar um YouTube, de olho na receita publicitária de vídeos, mas precisa urgentemente criar um ambiente menos tóxico para eles.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Josiel Hen
Ounnch, a informação que passei continua valendo, foi apenas algo atípico, então.
Guilherme
Na verdade não é nada disso, a galera do Tecnoblog e esse blog chileno que eu encontrei, digitaram o nome do cara errado. O correto seria Wuttisan Wongtalay e não Wuttalan Wongtalay.
Josiel Hen
O Google Search busca conteúdo na internet pelo título das matérias na grande maioria das vezes, e não por palavras dentro delas, e a pesquisa trata com ainda mais rigor? as pesquisar contendo possíveis nomes próprios, você sabe o porquê, de qualquer forma, a melhor maneira de se obter resultado para checar a veracidade de alguma notícia é por outras palavras chaves, como escrevendo "tailândia" e então, selecionar "Notícias" nas ferramentas de pesquisa.
Gedson Junior
Eu duvido que o FB tenho humanos verificando denuncias. Posts só caem com alta quantidade de denuncias.
Gedson Junior
Acredito que mesmo as denúncias não são verificadas por humanos. Tem post que só cai quando tem MUITA denúncia, pela quantidade mesmo. Um exemplo disso são aqueles grupos que se juntam pra derrubar páginas.
carlos
Não sei que assusta a galera nesses vídeos por ai,quem não sabe que o mundo é cheio de loco.vou dar uma de capitão óbvio,não foi o primeiro nem vai ser o último
Guilherme
>Wuttalan Wongtalay Joguei esse nome do Google e so achou 1 resultado e de um site chileno.
Baidu feat MC Brinquedo
Que trabalho que nada! Uma extensão, tal como os adblockers, e seu problema está resolvido. Eles chamam de anti-adblock killer, já existem várias versões... Uma melhor do que a outra. Mas site que detecta e bloqueia ADB eu só entro uma vez e caio fora.
saulo benjamin
Concordo com vc plenamente
Jamis Casusa
Desisti de denunciar justamente por isso. Perda de tempo total.
Andre Luiz Silva
Qual a dificuldade para o Facebook implementar uma regra que - dado um número x de usuários indicando que o conteúdo do vídeo é inapropriado - ele ocultar o conteúdo com uma mensagem de avaliação de conteúdo. Não faz porque não quer, simples assim.
Fabio Montarroios
Eu sou um deles. Já fiz várias denúncias, mas parei, porque eram totalmente inúteis. Coisas terríveis, perturbadoras mesmo... A resposta do facebook de q estava tudo bem com o conteúdo era algo menos q abjeto.
Marsupial radical
Cada notícia dessas eu me espanto mais: como tem gente doente nesse mundo... Que tristeza.
Henrique Queirós
Questão é, trabalho demais, melhor fazer o mais prático possível: deixar de usar o Facetrash
Islan Oliveira
Só você buscar como burlar que vai encontrar. Alguns sites de jornais exigem login pra acessá-lo, basta adicionar um domínio no AdBlock que ele burla a exigência.
Exibir mais comentários