Em fevereiro, a BlackBerry anunciou o KeyOne, último smartphone projetado internamente pela empresa. Ele roda Android com recursos adicionais de segurança, possui um teclado físico e chegará ao Brasil por um preço relativamente salgado.

A Alcatel confirmou ao Mobile Time que o BlackBerry KeyOne será lançado no país durante o segundo semestre. O preço exato ainda não está definido, mas deve ficar entre R$ 3 mil e R$ 3,5 mil. É menos do que smartphones top de linha da Samsung e LG, mas é caro.

As especificações aqui são medianas: processador Snapdragon 625, 3 GB de RAM e armazenamento interno de 32 GB expansível por microSD — basicamente o mesmo do Moto Z Play. A tela de 4,5 polegadas tem resolução de 1620×1080 pixels e proporção 3:2.

Isso dá espaço para o destaque do aparelho: o teclado físico. Cada botão pode funcionar como um atalho para um app ou uma tarefa: por exemplo, é possível pressionar “I” e abrir o Instagram, ou segurar “U” para chamar um Uber. Além disso, você pode deslizar o dedo pelas teclas para rolar páginas e listas.

A bateria de 3.505 mAh tem suporte a Quick Charge, e a câmera traseira de 12 megapixels usa o mesmo sensor do Google Pixel. O aparelho roda Android Nougat com algumas personalizações e recursos adicionais de segurança.

O KeyOne foi projetado pela BlackBerry (ele tinha o codinome Mercury), mas a empresa deixará de fazer hardware daqui para a frente; os futuros aparelhos com a marca serão criados e lançados por outras empresas. A fabricação e a venda do KeyOne já estão sendo comandadas pela chinesa TCL/Alcatel.

Os reviews do aparelho elogiam o desempenho, a duração da bateria e, felizmente, o teclado. “Ele é, na maior parte das vezes, excelente. As teclas são pequenas e têm a quantidade certa de espaço entre elas, e as faixas prateadas separam as linhas para evitar que seus dedos pressionem várias teclas de uma só vez”, escreve o Engadget.

Por causa do teclado, a tela dificulta algumas atividades, como ler páginas da web. No entanto, ela “é ótima para compor e-mails, porque fornece até 1/3 a mais de espaço ao digitar se comparado a um dispositivo com touchscreen de 5,5 polegadas que precisa exibir um teclado na parte inferior”, diz o The Verge.

O KeyOne é um pouco mais pesado (180g) e mais volumoso que os concorrentes, mas “ele combina de forma bastante apta os elementos clássicos de design da BlackBerry com um formato mais moderno”, escreve o TechCrunch.

Os reviews são unânimes em dizer que o KeyOne é ótimo para quem estiver à procura de um smartphone com teclado físico. Se você dispensa esse recurso, no entanto, há diversas alternativas melhores no mercado pela mesma faixa de preço. Parece que isso valerá para o Brasil também: o Moto Z Play tem especificações semelhantes e pode ser encontrado por R$ 1,5 mil.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

LessTech
Valeu ?? Eu estou amadurecendo a ideia da compra aqui. Gostei dos reviews.
Rychillie
estou juntando dinheiro, inclusive já esta reservado a venda do meu atual telefone para a compra do KeyOne, pretendo comprar mês que vem...
LessTech
Faz 8 meses que você postou... Comprou o aparelho? Se sim, está gostando?
Peterson Silva
Vesh, até tava a fim, mas agora...
Fabio Montarroios
Eu me dava bem com meu Nokia E62. Depois foi só tristeza. Mas à época, é verdade, eu não me preocupava se estavam me espiando... E vc está certo, mesmo com o teclado físico, o q vc escreve pode ir pra sabe-se lá onde.
Hemerson Silva
As empresas cotam tudo em dólar, além do "custo Brasil". Aí fica difícil ter preços acessíveis...
Hemerson Silva
Hemerson Silva
Teclado físico tbm.
Anderson
Se saísse por 1.500 eu compraria. Eu não entendo a estratégia dessas empresas. Se a BB quiser entrar no mercado de smartphones (porque na verdade recentemente nunca entrou de fato, só vende um pingado de smartphones) deveria lançar um aparelho bem barato, independentemente se vai ter lucro ou não. Precisa fazer com que mais pessoas experimentem seus aparelhos. Com esses valores ninguém vai se arriscar.
Anderson
Infelizmente (ou felizmente para os hackers), ninguém liga para privacidade ou segurança. É só entrar no Instagram e ver que as pessoas postam tudo o que fazem no dia a dia. A BB teve que abrir o seu ecossistema para se adaptar ao mercado consumidor.
Eduardo Martins
beleza galera, paga lá 3.500 então
WladCrippa
BlackBerry Passport <3
Fernanda Santos
Eu!
Maicon Bruisma
Pelo preço de até 2.2k poderia ser melhor, mas acima de 3k é preço de top de linha. E ainda sim, com S7 por 2k já seria difícil vender. Essa mentalidade de "aparelho de nicho" só faz com que empresas percam grana e caiam, eu não sou do ramo executivo ainda mas teria o prazer de usar esse blackberry, mas fica inviável por um preço superior de tops de linha.
Fabio Montarroios
Hum... acho q não. Tem um teclado virtual para android q não faz isso. Procura por 'hacker's keyboard' na loja do google. Ele não é melhor teclado, claro, especialmente comparando com o da microsoft, o 'swiftkey', mas prefiro assim. Mas dá pra personalizar ele bem, pelo menos.
Exibir mais comentários