A IBM conseguiu se superar: quase dois anos depois de apresentar um chip de 7 nanômetros, a companhia revela ao mundo uma unidade que possui litografia de apenas 5 nanômetros. A novidade não terá escala comercial tão cedo, mas dá ideia do que podemos esperar: estamos falando de 30 bilhões de transistores dentro de um chip que cabe na ponta do dedo.

Fruto de uma parceria entre IBM, GlobalFoundries e Samsung, o chip difere em vários aspectos dos processadores atuais, começando pelas tecnologias empregadas na fabricação, como o Extreme Ultraviolet (EUV).

Muitos dos chips modernos, com miniaturização de 22 nanômetros ou menos, são produzidos com processo FinFET que, a grosso modo, podemos entender como um tipo de estrutura que empilha os transistores. O problema é que o FinFET não deve ser viável para chips com menos de 7 nanômetros.

O engenheiro Nicolas Loubet com um wafer de chips de 5 nanômetros

O engenheiro Nicolas Loubet com um wafer de chips de 5 nanômetros

Por conta disso, a IBM decidiu empregar o GAAFET, processo de fabricação que é tido como sucessor do FinFET. Uma das grandes vantagens do GAAFET é que esse padrão reduz a complexidade existente nos chips com menos de 28 nanômetros, o que deve ajudar a reduzir custos de produção.

Quando combinado com o EUV — um tipo de litografia que usa comprimento de onda muito curto e que, portanto, é ideal para chips com elevado nível de miniaturização —, o GAAFET consegue proporcionar unidades com 5 nanômetros, podendo chegar a 3 nanômetros em uma etapa posterior.

Na comparação com um processador de 10 nanômetros, a IBM estima que o ganho de desempenho do novo chip pode chegar à proporção de 40%. Ao mesmo tempo, é de se esperar que o chip alcance uma redução de até 75% no consumo de energia. Esses detalhes nos dão permissão para sonhar com smartphones que têm processadores poderosos, mas baterias que podem durar dois ou três dias, talvez mais.

Sonhar porque não é tão simples assim. O chip sequer passou da fase de prototipagem. Ainda não há tecnologia que viabilize a produção em larga escala de unidades como essa. Nem o chip de 7 nanômetros saiu dos laboratórios da IBM, vale destacar.

O chip de 7 nanômetros

O chip de 7 nanômetros

É mesmo algo para os próximos anos. A IBM estima que os fabricantes interessados nas tecnologias de 7 e 5 nanômetros — como AMD, Qualcomm e, pela parceria, Samsung — terão acesso a elas a partir de 2018. Depois disso, teremos que esperar mais alguns anos para essas empresas desenvolverem seus processadores.

Apesar disso, é interessante notar que a tecnologia da IBM está dando um pouco mais de “sobrevida” à tal da Lei de Moore, que diz que o número de transistores colocados nos chips aumenta 100% a cada período de 18 a 24 meses sem elevar o tamanho do dispositivo e os custos de produção.

Como estamos cada vez mais próximos do momento em que será fisicamente inviável miniaturizar os componentes dos chips (ou seja, a Lei de Moore não vai durar muito tempo), a indústria já busca alternativas. A própria IBM está estudando, por exemplo, chips baseados em nanotubos de carbono.

Com informações: Ars Technica

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

codsid
Mas vai rodar Crysis?
codsid
Cade meu comentário?
codsid
O único chip que a IBM pode fazer para mobile é o ARM. Arquitetura da Softbank que precisa de licença para ser utilizada. Quem desenvolve e a arquitetura ARM é a Softbank. O exynos é um ARM customizado. Portanto se a IBM quer colocar esse chip em mobile ela vai ter que pagar royalties ou licença para a Softbank.
codsid

Esse chip é um ARM customizado. Portanto foi a Softbank que desenvolveu. A IBM apenas licenciou. Não é possível criar uma nova arquitetura "do nada" que seja compatível com os sistemas atuais, sem passar por cima de várias patentes. IBM e Softbank nos tribunais logo logo?

Henrique Picanço
Não dá ideia para a Motorola.
Sckillfer
Quem diria, ontem não conseguiu fazer sequer uma CPU pra laptop e perdeu a Apple pra Intel, hoje faz a Intel comer poeira em pesquisa de chips móveis.
VaGNaroK Alkimist
hauheauheuahueUHEUAUEUAHEUA!!!
Alexandre Goncalves
Dual core? Quad core? Octacore? Para cada núcleo um neurônio e a Lei de Moore é clara, dobra a cada 18 meses. - Meu nome é Alexandre, e o seu? - Prazer, meu nome é Skynet.
Adriano
As leis da física são imutáveis até serem quebradas.
Nicolas Gleiser
" IBM anuncia primeiro chip de 1/3 de nanômetro , basta esfrega-lo no cabelo ou carpete por 3 segundos que ele funciona por 1 mês, porém não é comercial ainda "
Trovalds
O vilão do consumo tá mais pra tela do que pro processador. O que mais temos acompanhado são a evolução dos processadores: mais rápidos e consumindo menos. Mas os tempos longe da tomada praticamente não mudam.
Gertrudes, a Lhama
"Esses detalhes nos dão permissão para sonhar com smartphones que têm processadores poderosos, mas baterias que podem durar dois ou três dias, talvez mais." Na prática, vão reduzir as baterias pra deixar mais fino, porque é com o que todo mundo se preocupa. /s
Kang Otro ?
El google traductor no ha traducido muy bien.
Karel Cristian
Essa galera definitivamente não respeita as leis da física.
DumbSloth87
"IBM, GlobalFoundries y Samsung" hola?
Exibir mais comentários