Início » Carro » Motorista que morreu em Tesla Model S ignorou avisos de segurança do piloto automático

Motorista que morreu em Tesla Model S ignorou avisos de segurança do piloto automático

Jean Prado Por

Há um ano, a morte de Joshua Brown era noticiada. Ele faleceu depois de colidir seu Tesla Model S, que estava no piloto automático, com um caminhão. O veículo não conseguiu frear a tempo quando o caminhão entrou em sua frente para fazer uma curva.

Tesla Model S

Um relatório revelado nesta terça-feira (20) pela National Transportation Safety Board (NTSB), responsável por investigar acidentes de veículos nos EUA, mostra que Joshua foi repetidamente avisado para tomar controle do veículo, mas não o fez. Segundo a NTSB, Joshua precisava estar com as mãos no volante durante um período de 37 minutos da viagem, mas a investigação apurou que ele efetivamente dirigiu o veículo por apenas 25 segundos.

No piloto automático, o motorista precisa estar atento às ruas, mas nem sempre com as mãos no volante. De tempo em tempo, o carro solta um aviso para o motorista tomar o controle do carro, que verifica se ele não dormiu ou está no celular, por exemplo.

Como informa a Reuters, o painel do Model S mostrou um aviso de que as mãos dele não haviam sido detectadas no volante. Em outras seis vezes, o piloto automático apitou e as mãos dele foram posteriormente reconhecidas, mas ficaram no volante somente por até três segundos.

Em um relatório anterior, outra agência de trânsito americana havia informado que o caminhão seria visível por pelo menos sete segundos antes da colisão e disse não ter encontrado nenhuma evidência de que Joshua tomou alguma ação para evitar a batida, como brecar ou virar o volante. Dois minutos antes de colidir, ele configurou o piloto automático para trafegar em 120 km/h, enquanto o limite de velocidade era de aproximadamente 100 km/h.

Como o Model S na verdade é semi-autônomo, manter a atenção nas ruas e as mãos no volante é uma condição para usar o piloto automático. Em um comunicado logo após o acidente, a Tesla lamentou o ocorrido, mas disse não se responsabilizar por acidentes neste modo. “O piloto automático está melhorando a cada dia que passa, mas não é perfeito e ainda exige que o motorista permaneça alerta”, disse a empresa.

Alguns meses após a batida, a montadora lançou uma atualização de software que reforçava esse tipo de aviso para o motorista e desativava temporariamente o piloto automático caso ele não respeitasse os avisos — o que provavelmente teria evitado a morte de Joshua.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Roberto
Sim. É o grande problema da mobilidade urbana. O UberPool talvez um dia resolva isto, mas talvez com veículos melhores do que dividir um celta 2P* com um monte de gente rsrsrs
Juliotenorio
Não, assim como detectamos buracos, carros também podem, e o mesmo vale para pedestres. Claro uma cidade que tenha faixas de pedestres bem distribuídas e os pedestres respeitem fica mais fácil para controlar o trânsito. E sim, falei de uma cidade com carros 100% autônomos, só não sei onde fica as motos. Mas falando de um caso mais realístico, com veículos não autônomos e autônomos. Já é o que ocorre hoje com os carros da Tesla, Google e outras que estão andando pelas ruas, conseguem detectar as variáveis e tomar decisões, então temos condições de ter esse mix, a IA ainda tem que melhorar, mas é algo que não demora muito. Quanto a questão de falhas nos sensores concordo que ainda é algo que tem de ser mais trabalhado, e desenvolver formas de detecção e prevenção. E mesmo que os veículos tenham vários sensores pode ocorrer uma falha geral. Tenho bons olhos para autonomia e gosto da visão de Musk de carros compartilhados, até porque no dia dia dirigir não é algo relaxante, e com carros compartilhados podemos reduzir e frota, ter veículos mais novos e o controle de manutenção pela empresa. Vejo esse futuro muito distante do Brasil, mas acredito que dentro de alguns anos vamos ver alguns lugares no mundo com algo parecido.
Salviano Lima
isso num cenário perfeito com vias muito bem pavimentadas, sem imprevistos (pedestres ou animais na pista), tirar todoos os carros manuais de circulação, caminhões não autonomos, entre outros veiculos que compoem o transito nem em aviões se conseguiu uma automação que dispense o piloto, pois as vezes atté a automação falha por cusa de falha de algum sensor, dai vem a necessidade de ter alguem monitorando, e no caso de aviões o transito é bem mais controlado do que é possivel com carros alem da imprudencia de motoristas tbm temos outros fatores como pavimentação irregular de pista, veiculos com manutenção precária (que no caso de carros autonomos será uma questão bem mais critica, pois a manutenção precisará ser bem mais rigida, e não haverá como fiscalizar adequadamente a frota pra saber se todos os carros estão 100%, ainda assim podem haver falhas na manutenção)
McLovin PNCDG (Apnc ON)
Tesla é a nova Apple.
Salviano Lima
Em geral a inteligência nlartificial não falha desde que tenha todas as informações disponíveis sobre o que está ocorrendo externamente, e desde que o equipamento esteja com manutenção em dias, aí que reside o perigo do piloto automático em carro, não há tanta rigidez na manutenção de carros , sendo assim a possibilidade de problema por falha decorrente de manutenção além de erros humanos na manutenção só aumenta, quanto mais automação o motorista também perde a experiência de como agir em emergências, por isso deve ser repensando até que nível essa automação pode funcionar sem por em risco a segurança de todos, a tendência natural de um motorista comum em carro com alto nível de automação é aproveitar essa "segurança" pra usar seu celular (assim fazem até em carros manuais e se distraem, o problema só aumenta nos automáticos caso precise intervenção do motorista)
Juliotenorio
Uma cidade só com carros autônomos conectados entre si não haveria a necessidade de sinais de trânsito, o tráfego iria fluir mais rapidamente, as chances de acidentes iria ser bem remota. O mesmo vale nas rodovias. E a causa de muitos acidentes é a imprudência dos motoristas, com carros autônomos podemos eliminar esse fator. Ainda há muito o que evoluir no sistema autônomo de direção, mas já confio muito mais neles do que vários motoristas por aí.
Gedson Junior
Não da pra deixar de lado que humanos também falham. Estamos bem perto de as inteligências falharem menos que os humanos.
Eric Viana
Também concordo com você. O pessoal acha que tem um carro que se dirige sozinho e vai dormir no banco... Isso não existe ainda. O piloto da tesla é uma ótima maneira para evitar batidas, ele é mais rápido que nós ao verificar possíveis problemas no caminho, mas isso não livra o motorista de fazer a única coisa que precisa fazer, ser motorista.
Veritas
Humanos fazendo o que sabem fazer melhor: serem estúpidos.
DumbSloth87
Adoraria ter um Tesla só pra "ficar na fila" por mim, é um anda e para infernal que acaba com as canela!
Chicken Little
Pessoal quer tanto que essas novas tecnologias existam e funcionem de verdade que acabam "torcendo" para que a culpa dos desastres seja sempre dos humanos... ps.: Eu sou um desses tb. Isso é apenas uma observação.
Salviano Lima
isso mesmo, por isso um sistema para carros se torna bem mais complexo, pra não dizer impossivel, o tráfego de carros não é controlado, ha bem mais variáveis (incluindo o estado de conservação da pista), entre outros fatores, sistema de direção autonoma acabará por gerar uma maior margem de acidentes, é bem melhor o piloto automatico de carros ser apenas um sistema auxiliar para evitar erros do motorista do que entregar o controle total ao piloto automático, direção assistida acaba sendo um metod mais seguro para uso em carros do que uma direção autonoma
anderson
Gosto de pensar que a ideia original é impedir que o motorista durma, fale ao celular ou fiquem jogando enquanto o semi autônomo conduz o veiculo. Se simplesmente o semi automático assumisse total controle do veiculo dispensando a atenção do motorista, seria comum ver carros andando por ai com os motoristas dormindo. Entendo que a ideia é elucidar o motorista e não substitui-lo por completo.
Matheus Henrique
O carro pede ajuda. Se a pessoa não ajudar, da merda. É igual a qualquer coisa na vida que precisa de atenção. E o piloto é semi-automático, logo, ele vai precisar trocar com o motorista alguma vez durante a viagem.
Matheus Souza
Na verdade é bem mais fácil de fazer os de aviões, pois para ele poder pousar e decolar tem que existir uma série de transmissores também nos aeroportos, o que seria impraticável de fazer com as vias por onde passam os carros
Exibir mais comentários