Início » Negócios » Dona das GPUs PowerVR está à venda depois de perder sua maior cliente

Dona das GPUs PowerVR está à venda depois de perder sua maior cliente

Apple era responsável por mais da metade da receita da Imagination Technologies

Paulo Higa Por

A Imagination Technologies, empresa britânica mais conhecida por desenvolver os chips gráficos PowerVR para smartphones e tablets, informou nesta quinta-feira (22) que está aberta a propostas de compradores. Recentemente, ela anunciou que vai perder sua maior cliente: a Apple, que representa mais da metade de toda a receita da companhia.

Quando a Imagination anunciou que a Apple desenvolveria seus próprios chips gráficos para iPhones e iPads, as ações da pequena companhia imediatamente despencaram 70% na bolsa de Londres. A britânica tomou medidas para sobreviver, como tentar um acordo de licenciamento com a Apple e vender duas divisões menos rentáveis, mas parece que a situação continua difícil.

À Reuters, a empresa afirmou que recebeu propostas de interessados em comprar toda a Imagination Technologies e, por isso, decidiu abrir um processo formal de venda. Os nomes dos envolvidos nas negociações não foram divulgados, mas a publicação cita potenciais compradores: Intel, Qualcomm, MediaTek e CEVA (uma empresa de semicondutores que trabalha principalmente com chips de áudio).

Até a Apple poderia estar interessada na Imagination — inclusive, seria bem “conveniente” para a equipe de Tim Cook adquirir uma empresa que eles mesmos ajudaram a desvalorizar. A própria Apple detém 8% das ações da empresa britânica, que hoje tem valor de mercado de nada impressionantes 425 milhões de libras esterlinas (aproximadamente R$ 1,8 bilhão).

É uma pena a situação da Imagination: o mercado de GPUs para dispositivos é extremamente concentrado nas mãos da Qualcomm (Adreno) e ARM (Mali), e as GPUs PowerVR entregavam altíssimo desempenho nos iPhones e iPads, muitas vezes superando seus rivais. E a perda da Apple não é o primeiro baque da empresa — outra que apostava no PowerVR era a Intel que, bem, você sabe.

Quem será que fica com a Imagination?

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Pedro Cavalieri
Mas ainda que a Apple comprasse, os investidores ou se manteriam quotistas, a depender da estrutura societária que a Apple definir, ou teriam suas ações compradas, o que também não seria um prejuízo. Ninguém vai sair perdendo de verdade nessa história.
Pedro Cavalieri
Sim, é por isso que eu disse "no máximo". Depende apenas do ponto de vista, mas num panorama geral, absolutamente nada errado. O que aconteceu com a Imagination foi um reflexo de sua própria estratégia de negócio. E estão todos aqui consternados, mas a verdade é que a Imagination ganhou muito com esse contrato, assim como vai ganhar muito com essa venda também, o suficiente para que os antigos donos possam investir no que quiserem futuramente, começarem novos projetos, ou simplesmente aposentarem. Não é como se todo mundo fosse pra rua de uma hora pra outra... A estrutura certamente será comprada com maquinário E mão de obra.
PauloCartase
Não é imoral nem reprovável, como você mesmo falou não há contrato de exclusividade, logo a Apple é livre pra decidir quem será a fornecedora de seus chips gráficos quando o atual contrato se encerrar
PinPortal ??
Seria uma jogada de mestre da Apple, porém precisaria ser aprovado pelos acionistas da PowerVR, acionistas com ações ordinárias. Porém mesmo que fosse aprovado, os investidores da PowerVR na bolsa, que normalmente detém ações preferenciais - sem direito a voto, entrariam com uma reclamação na comissão de valores mobiliários da Inglaterra (a PowerVR é britânica, né? Salvo engano). Mas com certeza entrariam com uma reclamação na SEC dos Eua. Acho que outra empresa vai comprar. Espero que seja a Mediatek, porque hoje usa a arquitetura Mali da ARM e seria bom uma solução mais barata e potente que a Adreno da Qualcomm. Como a Mediatek quer ganhar mercado, seria interessante.
PinPortal ??
Sim, e a AMD vendeu por menos de US$ 100 milhões para a Qualcomm. Na época ela estava desesperada por caixa e foi vendendo ativos. Lembro que o valor de mercado da AMD era de US$ 2 ou US$ 3 bilhões.
Louis
Bem que a Nintendo podia dar o ar da graça e adquirir a empresa.
Pedro Cavalieri
https://uploads.disquscdn.com/images/f9ae23ec76f5180e2aaeb5979ef6c6a8374f48279f271bfc4693cfdba5277f31.jpg
Pedro Cavalieri
Você disse tudo: a Apple realmente não tinha a obrigação de comprar a PowerVR ou continuar sendo cliente... Fora isso, eu vejo a manobra, no máximo, como imoral ou reprovável, mas não consigo ver nenhuma ilegalidade. Inclusive, esse tipo de situação acontece o tempo todo, principalmente para controle de preço. Fora isso tudo, a própria estratégia foi um risco, e poderia ter saído pela culatra: imagine se a Imagination fosse de fato autosuficiente, e o blefe da Apple significasse que ela, por não poder realmente produzir os chips ela mesma, e reconhecendo que nenhuma outra empresa no mercado está à altura, tivesse que tentar renovar o contrato. Nesse caso, a Imagination poderia enfiar a faca na negociação e pedir o preço que ela quisesse, porque num único ato, a Apple comprovou, ao mesmo tempo, não só que ela não pode produzir o chip ela mesma, como também que ela depende da qualidade exclusiva do PowerVR. Imoral ou não, isso tudo é biznes... E eu duvido muito que o CADE ou qualquer similar possa fazer qualquer coisa a respeito...
palatoqueimado
Está difícil demonstrar a parte jurídica da coisa. Se a Apple ainda tinha a intenção de continuar usufruindo da tecnologia da empresa, ela deveria tê-la adquirido enquanto ainda era cliente. Não é correto (e legal?) tu deixar de ser o maior cliente do teu fornecedor por 1 dia para que o valor de mercado dele despenque, para que tu possa comprá-lo mais barato. Isso é uma prática selvagem. Fica mais feio ainda pra uma empresa que tem em caixa umas 300 empresas dessas. Que fique claro aqui, não tô dizendo que a Apple tinha a obrigação de comprar a PowerVR ou continuar sendo cliente, tô dizendo que a Apple não quis comprar a empresa antes (que seria algo comum, para aproveitar as tecnologias e patentes) e agora não vai comprar mesmo.
Pedro Cavalieri
Mas o que foi essa "destruição intencional" que a Apple causou? Corrija-me se eu estiver errado, mas ela simplesmente deixou de renovar o contrato, e divulgou que produziria seus próprios chips... Não é ilegal não renovar contratos, para tentar produzir independentemente, e por consequência disso a outra empresa quebrar. Aliás, permita-me uma parte: a empresa que permite ter sua receita composta, mais da metade, por um único cliente, está comprando o risco. Por qual motivo ela não utilizou esse contrato bilionário para investir em si mesma e expandir seus negócios, para que numa eventualidade dessa, isso não significasse a morte da empresa? Agora, se havia cláusula de exclusividade (o que eu duvido, já que a Apple respondia, pelo artigo, por mais da metade, e não por tudo), e a Apple quebrou o contrato antecipadamente, aí sim medidas podem ser tomadas. Fora, isso, mero risco assumido que saiu pela culatra. Acontece todos os dias.
palatoqueimado
Nem tudo é simples e selvagem como você pensa. Uma espécie de CADE local não aprovaria essa negociação se comprovado que a Apple intencionalmente "destruiu" o valor de mercado da PowerVR pra comprá-la mais barato. Sem falar que uma atitude baixa dessas seria um prato cheio pra mídia e pra concorrência; os acionistas da Apple não ficariam felizes.
Eric Viana
regra básica de administração. não coloque todos os seus ovos na mesma cesta...
Eric Viana
coleguinha, chama capitalismo... pode ser uma estratégia de compra. não tem "baixo", tem valor de mercado.
Rafael
Qualquer empresa que tem metade da renda em um só cliente corre sérios riscos. Empresa vive de vendas, não de boa vontade...
Theo Queiroz
Ué, o que a Apple fez de errado? Eles apenas decidiram fabricar os próprios chips gráficos e não precisarão mais comprar de terceiros. O problema é que a Imagination praticamente só ganhava dinheiro vendendo pra Apple...
Exibir mais comentários