Início » Inteligência Artificial » Google financia projeto que usa inteligência artificial para gerar notícias

Google financia projeto que usa inteligência artificial para gerar notícias

Por
10/07/2017 às 12h08
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Um dos assuntos mais debatidos dos últimos meses é a substituição do trabalho humano pela inteligência artificial em diversas atividades. No que depender do Google, nem o jornalismo vai escapar: a empresa investiu € 706 mil em um software da Press Association que promete gerar notícias locais automaticamente.

A Press Association é uma das maiores e mais tradicionais agências de notícias do Reino Unido e, como tal, fornece matérias para diversos veículos. Para a empresa, uma tecnologia capaz de analisar dados e gerar notícias deve agilizar a distribuição do conteúdo. Mas o principal benefício, obviamente, estará na redução de custos com pessoal.

Google + cérebro

Peter Clifton, editor-chefe da Press Association, faz questão de frisar que, apesar disso, o plano não é automatizar toda a redação. Jornalistas humanos continuarão sendo essenciais para coletar dados, revisar textos e editar as notícias.

Porém, a demanda por conteúdo é cada vez maior. Redações de todas as partes do mundo não têm receita suficiente para contratar mais gente para dar conta de tudo. Para Clifton, é aí que a tecnologia faz diferença: “o Radar permitirá que a gente aproveite a inteligência artificial para aumentar o volume de notícias locais de um modo que seria impossível de fazer manualmente”.

Radar (Reporters and Data and Robots) é o nome do software de notícias. Não está claro como ele funcionará. Por ora, sabe-se apenas que a meta é fazer o Radar gerar pelo menos 30 mil notícias locais todos os meses.

O desenvolvimento do software está sendo conduzido pela Urbs Media, startup especializada em automatização de conteúdo. A previsão é a de que a tecnologia fique pronta para uso em 2018.

Talvez você esteja se perguntando o que o Google ganha com isso. Embora tenha inúmeros projetos envolvendo inteligência artificial, o objetivo principal da companhia não é entender as nuances da tecnologia, mas apoiar a inovação no jornalismo digital. O efeito indireto disso é a entrega de mais conteúdo em suas plataformas.

Os € 706 mil investidos no software vêm do DNI (Digital News Initiative), divisão que o Google montou justamente para estimular o uso de tecnologia pela imprensa na Europa.

É cedo para sabermos se o Radar trará os resultados esperados, mas a ideia não é nova: desde 2014 que a Associated Press — uma das maiores agências de notícias dos Estados Unidos — utiliza software para automatizar a geração de conteúdo.

Com informações: The Next Web

O futuro do Trabalho

049-tecnocast

Sempre que aparece uma novidade que altera o mercado de trabalho, centrais sindicais promovem greves, alegando que é necessário proteger os empregos. O problema é que, com a inteligência artificial, a mão de obra humana será cada vez mais desnecessária. Isso vale para trabalhos criativos e intelectuais, também. Não acredita? Debatemos o assunto no Tecnocast 049. Dá play e confira!

  • Juan Lourenço

    Só fiquei numa dúvida meio conceitual:

    O que a IA gera pode ser chamado de “gerar notícia” ou ela gera artigos/textos/matérias? Porque a princípio a notícia é o fato e a IA não gera fatos, ela analisa fatos e escreve sobre eles.

    Ou como ela analisa dados crus e extrai informação relevante deles, isso pode ser chamado de gerar notícia?

    • ƦƠƊ Ơ’ƦƠƊ HƛƓƓƖƧ

      Gera “artigos” falsos sobre “notícias” falsas!
      Acho que alguns “jornalistas” humanos fazem isto. Hehehe!

    • Daniel Silva

      Ela não deve ser feita para gerar novo conteúdo e sim para reescrever conteúdos, rsrsrs… Atualmente já temos alguns blogs de tecnologia que fazem uso desta técnica, entrando em sites estrangeiros, traduzindo os artigos, dando uma modificada nos termos, inserindo algumas imagens .. e está feito. Só que agora vão automatizar boa parte deste processo.
      Isso não me surpreende tanto, tais métodos já foram utilizados de forma semelhante para criação de artigos na Wikipédia.

      • Juan Lourenço

        Então, não me aprofundei mas fiquei com a impressão de que ele minera dados e gera conteúdo, pro exemplo, identificando tendências, fatos relevantes, coisas que as vezes estão soltas em pedaços espalhados e ele junta ou até interpreta pra chegar a uma “notícia”.

  • DumbSloth87

    Outra questã: essa IA vai ser de esquerda, direita ou Philip DeFranco?

  • Ricardo – Vaz Lobo

    A ideia é maneira, mas vai que tem um algoritmo rebelde?

  • Jack Silsan

    “(…) nem o jornalismo vai escapar”. Nem o ensino fundamental https://youtu.be/FbUZFrQ0l80