Início » Negócios » Spotify é acusado de criar artistas falsos para gastar menos com royalties

Spotify é acusado de criar artistas falsos para gastar menos com royalties

Por
19 semanas atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Três fatos sobre o Spotify:

  1. Royalties são pagos a cada execução de música;
  2. Boa parte das músicas é consumida passivamente por meio de playlists;
  3. O Spotify existe há mais de 10 anos e ainda não gera lucro.

Com isso em mente, o Spotify está sendo acusado de criar artistas “falsos” para colocá-los em playlists populares em detrimento de artistas verdadeiros, consequentemente reduzindo os gastos com pagamento de royalties.

A acusação foi trazida a público recentemente pelo Vulture, mas feita pela primeira vez em 2016 pelo Music Business Worldwide. O veículo afirma que o serviço de streaming contratou produtores para criar músicas com ritmos específicos, normalmente sem vocal. Como os produtores ganham um valor fixo e transferem os direitos autorais para o Spotify, a empresa ficaria desobrigada de gastar com royalties por execução.

Essas músicas supostamente de propriedade do Spotify são incluídas em playlists populares, como Sono Profundo, Peaceful Piano ou Music For Concentration. Os tais artistas por trás das músicas não possuem perfis públicos e têm poucas canções lançadas, mas somam milhões de reproduções devido às inclusões nas playlists próprias promovidas pelo serviço.

O The Guardian aponta que um artista chamado Enno Aare, que não parece existir fora do Spotify, tem quatro músicas de concentração que somam mais de 17 milhões de reproduções. Outro, o Deep Watch, lançou há cinco meses um EP que já chegou a 4,5 milhões de reproduções, mas ele (ou seria uma banda?) não é encontrado em outro lugar que não seja o Spotify, nem tem shows marcados.

O Spotify negou todas as acusações, afirmando que paga os devidos royalties para todas as músicas. “Nós não possuímos direitos autorais, não somos uma gravadora, toda a nossa música é licenciada pelos detentores de direitos autorais e nós os pagamos — não nos pagamos a si mesmos”, disse a empresa.

Mais sobre:
  • Michael Loeps™

    Existe algum crime nisso? Tipo, não é como a Netflix com suas obras originais ?

    • Pedro Augusto

      Exatamente cara. Exatamente.

      • Henrique Santos

        Como eles mesmos respondem, nao sao uma gravadora. Eles nao tem as licensas e nao pagam as taxas para ser uma gravadora, logo estariam fazendo isso ilegalmente…

        • Rafael F. Silva

          Poxa , só sabe dar CTRL+C CTRL+V?
          Se eles contratam os artistas pra produzirem as musicas, os direitos são deles, sendo gravadora ou não. A diferença é que ao invés do artista cobrar royalts por musica, ele cobra salário, o que bate de frente com o modelo de negócios praticado com outros artistas e gravadoras.

    • Trovalds

      Isso sem falar que a maioria da base de usuários consome música de forma gratuita e o Spotify tem que pagar os royalties do próprio bolso. Isso é coisa de gente da “old-school” que não se conforma em ver o streaming tomando conta dos negócios e acham que acusando os serviços tudo vai voltar ao tempo do “comprar CD” na loja e etc.

  • Pedro Augusto

    Por que não admitir? Qual o problema? Se a música for de qualidade ou não, ou no caso dessas playlists de concentração, cumprem seu objetivo? Esse pessoal só quer saber de reclamar mesmo. Nenhum serviço foge de crítica, mas as vezes criam tempestades num copo d’água. Vide Uber.

    • Henrique Santos

      Como eles mesmos respondem, nao sao uma gravadora. Eles nao tem as licensas e nao pagam as taxas para ser uma gravadora, logo estariam fazendo isso ilegalmente.

      • Trovalds

        E quem produz música de forma independente? Não é todo mundo que quer/consegue/tem grana pra entrar na roda gigante da indústria. Pra você produzir um artista/banda hoje e ter lançamento a nível nacional você tem que investir pelo menos R$ 1 mi. Isso pra sair por um selo de pouca visibilidade. Numa Som Livre da vida multiplique isso por 10.

      • Pedro Augusto

        Um mercado altamente taxado e inflado gera uma competitividade nula. Somente os grandes nomes ou nomes que as produtoras querem conseguem se lançar no mundo musical. Não digo isso do Spotify, mas como o Michael Lopes disse antes de mim, outros serviços de Streaming fazem conteúdo próprio. A única coisa que eles podem fazer pra ninguém cair em cima é colocar o nome deles mesmo, ou assumir que eles produzem a música.
        Pra lançar uma música própria, sem gastos, e tentar entrar nesse mercado alienado e péssimo de música, com Anitta, Ludmilla, e outros nomes famosos, porém péssimos, com letras que só induzem as pessoas a coisas altamente supérfluas, YouTube é o único meio. Ou mídias alternativas. Ou seja, praticamente impossível.

  • Diogo Nóbrega 🌳💺😂

    Então… qual seria o problema? Cada assinante tá ali pra ouvir o que quer, se a pessoa coloca uma playlist automática do Spotify, tá aceitando o que eles puseram lá… Não vi muito problema nisso, não…

    • Henrique Santos

      O problema eh que como eles mesmos respondem, nao sao uma gravadora. Eles nao tem as licensas e nao pagam as taxas para ser uma gravadora, logo estariam fazendo isso ilegalmente.

      • edsongoes

        “e nós os pagamos”

      • Diogo Nóbrega 🌳💺😂

        Eles não poderiam contratar gravadoras ou até mesmo estúdios independentes para isso? Poderia ter um acordo do tipo: nós contratamos vocês para desenvolver músicas para o Spotify por uma quantia X, de forma que não precisaríamos pagar royalites por suas músicas no serviço.

  • Num primeiro momento não vejo como algo grave, não está diretamente prejudicando alguém, não está fazendo maracutaia nenhuma.

    Qual o problema do Spotify pagar para alguém fazer músicas que ele próprio tem o direito autoral ? Se essa música for muito boa, vai ultrapassar uma Katy Perry da vida… qual o problema?

    Está sacaneando com a Katy Perry ? (não)
    Está reduzindo a escolha da musicas da cantora pois o próprio Spotify tem música próprias melhores ? (sim)
    Isto é desonesto ? (não)

    Mas nem é o caso… são musicas whatever de sono…. quanto drama pra nada ! Isso nem faz cócegas no faturamento do Spotify.

    • O Netflix lança conteúdo próprio também e ninguém diz nada

      • É uma comparação totalmente descabível. Você precisa levar em conta que as formas de remuneração de uma série e de uma música são completamente diferentes. Ao colocar uma música própria em uma playlist em detreimento de uma outra de uma gravadora, a manifestação torna-se compreensível. As gravadoras vão realmente reavaliar se o modelo (ou os valores) realmente funcionam. Se reavaliarem e não gostarem do que está acontecendo, vão retirar suas músicas do Spotify e é aí que a empresa se ferra de vez. Se não fosse algo preocupante, o Spotify não tinha negado as informações. Porém, até agora não explicou o motivo desses supostos falsos artistas estarem lá.

        • Descabível é a sua lógica. Sony é dona de uma gravadora e tinha seu próprio serviço de streaming, assim como a Netflix.

        • Victor C.

          ué, playlist tem de monte e vc ouve quais quer, nao é obrigado a ouvir nada

    • Marlon André

      tanto é que tem 10 anos que o serviço é sustentado pelos investidores, já que não gera lucro!
      Os caras choram pq não estão ouvindo as músicas deles, que se foda, se são ruins ninguém vai ouvir.

    • Victor

      Gente que só conhece o nicho pop. Se não tivesse problema eles não negariam. É claro que há problemas.

      • Por isso que disse “num primeiro momento”. Se eu estudar o caso, analisar todas as partes, talvez mude de ideia. Mas numa visão superficial, é bem razoável ver que não existe problema. Talvez o camarada que vive fazendo música de sono e tem aquela humilde receita que sustenta a família dele, esteja passando por problemas. Se for pegar só o escopo dessa gente, o Spotify deve estar sacaneando muito mesmo. Pelo menos eles tem o Apple Music para figurar.

        • Roberto

          Mas a Spotify não é obrigada a licenciar um conteudo que não quer, né?
          Então acho que, ainda sim, ela pode colocar só musica própria numa playlist que o cliente dela escolheu tocar…

          • Vc tem que ver que o Spotify é quem tem que conquistar as gravadoras e não o contrário. Gravadora nenhuma gosta disso, que músicas do Spotify concorram com as suas músicas dentro do serviço. Se não gostarem e verem que a remuneração não é aquilo que eles querem, vão retirar seua artistas do serviço e quem se ferra é o Spotify. Óbvio que o Spotify vai negar as informações pq é muito perigoso para os seus negócios. Só que até agora a empresa não explicou quem são os supostos artistas.

          • Roberto

            A Spotify tem que conquistar os clientes, e para isto manter bom nível. Se as gravadoras quiserem boicotar, tem n opções.
            O único que poderia reclamar é o cliente..

  • Cortana ✔

    A empresa precisa sobreviver de alguma forma.🤣

  • Ah esses patrulheiros… Sempre caçando pelo em ovo; não vi problema algum ai.

  • Cortana ✔

    Criar playlists e privilegiar suas músicas é o mesmo que ter um serviço de buscas e interferir nos resultados. Né, Google?

    • Russo

      Ah Google, eterna vilã. Ah Microsoft, eterna incompreendida. Não muda o disco, né?

      • Cortana ✔

        As práticas é que não mudam.

  • Augusto M. Garrucho

    Não entendi o problema.

    Que bosta de acusação… Pensei que estavam duplicando a música de artistas, pra por em locais de alto fluxo e não pagar aos detentores originais.

  • Breno

    Quando vc lê o título vc pensa… “Nossa! Spotify sua danadinha! Dando o golpe, hein?!”

    Mas depois de ler… pff! Nada demais. Único porém q ela tá promovendo suas próprias músicas e dá daquela sensação de q ela poderia estar criando playlists pra dormir/concentrar/estudar/relaxar melhores do q ela tem hoje.

    • LekyChan

      pois é, se for só isso mesmo, ela simplesmente esta fazendo o mesmo que o netflix.

    • Roberto

      Pelo título achei que ela colocava música da Rihanna em nome da riana e embolsava os royalties

      • Breno

        Tb entendi isso pelo título.

  • Daniel H. G. Mescoloto

    Esse negócio de “não gerar lucro” não é ruim. É quanto a empresa vai valer num futuro.
    Um excelente exemplo é a Amazon que também não gera lucro, sim, está sempre no vermelho. Amazon está sempre reinvestindo o lucro para a empresa valer mais num futuro.

    Um trimestre a Amazon não ficou no vermelho e o CEO mandou uma carta pra todos sócios pedindo desculpas porque não conseguiu reinvestir o dinheiro a tempo.

    • Marcos

      Rsrs… acho que você só ficou com a parte que quis das matérias e livros que leu.

  • Wendel Schelhan

    Eu não entendi qual é o absurdo. O Spotify não pode colocar quem bem entender em seu próprio serviço?

  • Russo

    Por um momento eu achei que estavam colocando covers como sendo os artistas verdadeiros. Aí sim seria escroto.

  • Michael Felipe

    Não sou especialista, mas me parece que o único problema nisso é que o Spotify está fazendo algo que o Google costuma fazer: dá preferência aos seus produtos, ao invés dos outros (quando estes são melhores).

  • MarcAntunes

    Vocês juram que não vêem maracutaia nisso? Juram que comparam à Netflix? Pelo-amor-de Deus… brasileiro não sabe mesmo ser consumidor.
    O maior prejudicado é o consumidor, caras pálidas. A matéria deixa bem claro que o forte do consumo dessas músicas é dentro das playlists. Não é você que procura o artista fake e diz: quero ouvir essa música inventada pra preencher linguiça. E pago o valor da mensalidade do Spotify é pra ouvir artistas reais, não fakes. Querendo honestidade, basta o Spotify não inserir essas músicas em playlists automáticas. Se eu optasse por ouvi-las por opção minha, o faria ao busca-las como no Netflix, tão mal comparado aqui. Você assiste a programação da Netflix por optar por assistir aquilo, não randomicamente.

  • Marcus Araújo

    A relação Spotify/artistas e gravadoras sempre foi muito delicada. Uma notícia dessas, se confirmada, pode colocar em sério risco o modelo de negócios.

    Mas aqui só tem analista de mercado que avalia a situação baseado no que acha ser ou não incorreto enquanto consumidor…

  • Gedson Junior

    Quanto menos gente usa o serviço mais ele lucra. Curioso.

  • Victor C.

    nao entendi o problema de o spotify ter musicas “próprias”

    • Não teria problema se o intuito de criar essas músicas não fosse só pra eles não pagarem royalties e diminuir o valor pago pra outros (já que as pessoas estão ouvindo músicas “falsas”)

  • Josiel Hen

    Isso pode ser bem remoto, mas, pelo o que eu entendi, ouvindo 20 musicas “reais” de uma playlist, a empresa pagaria x valor em royalties, se nessa mesma playlist, contendo supostamente apenas musicas de cantores reais, 5 das 20 musicas que eu ouvir for de artistas do serviço, a empresa estaria pagando um valor y, sendo esse valor menor que o de x, e isso reduziria os gastos em royalties da empresa. Isso esta na matéria e é obvio, o ponto seria, 5 cantores deixariam de ter faturamento apenas por um manobra (usando das playlists) da empresa, feita afim de reduzir gastos/lucrar. Bler.

  • Marcvs Antonivs

    Quem é o dono do Spotify? O temer?

  • Rodrigo Pereira Machado Lins

    Acho que o problema está em o Spotify não ser de fato uma produtora.
    Não tem registro para tal ou algo do tipo.

    • Rodrigo Pereira Machado Lins

      Também vejo o problema de outros produtores não terem suas músicas nessas playlist criadas pelo spotify e já esses casos de produtores inexistentes relatados. São inseridos nas playlist mais tocadas do mundo gerando lucros que de algum modo, voltam ao Spotify ou nem chegam a sair. Acho que o caso grave real, seria esse.

  • Ramon Gonzalez

    Quando li a chamada achei q o Spotify tava pagando pra bandas fazerem covers de bandas famosas ou algo do tipo… Pela madrugada, que se lasquem essas musicas de relaxamento (que alguém legitimamente foi pago pra produzir). Acusação podre… Tempestade em copo dágua