Início » Mobile Negócios » Esta parceria com o PayPal pode resolver o maior problema do Samsung Pay

Esta parceria com o PayPal pode resolver o maior problema do Samsung Pay

Por
17/07/2017 às 18h00
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

O sistema de pagamentos móveis da Samsung existe há mais de um ano no Brasil. Ele funciona bem (ainda que muitos vendedores olhem desconfiados quando tento pagar pelo celular), mas tem um problema: nem todos os bancos suportam o Samsung Pay. Aliás, mesmo entre os bancos suportados, nem todos os cartões funcionam na plataforma. Mas uma parceria de peso pode resolver essa questão.

A Samsung fechou um acordo improvável com o PayPal e vai adicioná-lo como método de pagamento dentro do Samsung Pay. Digo “improvável” porque eles são concorrentes, pelo menos na minha cabeça: ambos possuem sistemas de pagamentos móveis, e ambos são intermediários entre o seu cartão e o vendedor. É como se o MercadoLivre (que tem o MercadoPago) começasse a aceitar PayPal.

Samsung Pay

A parceria com o PayPal abrange transações online e presenciais pelo Samsung Pay, seja utilizando NFC (que simula o chip) ou MST (que simula a tarja magnética). Do outro lado, a Braintree, uma empresa de pagamentos comprada pelo PayPal em 2013, vai suportar o Samsung Pay. O acordo vale para os Estados Unidos e “será expandido para outros países em breve”, segundo as empresas.

Para os usuários, claro, a vantagem de ter o PayPal dentro do Samsung Pay é que o PayPal suporta basicamente todos os cartões, não apenas a seleção limitada da coreana. O Samsung Pay já funciona com alguns plásticos do Banco do Brasil, Caixa, Inter, Santander e outros, mas há ausências importantes, notavelmente Nubank e Itaú — os dois foram prometidos ainda na época do lançamento, e até agora não chegaram.

O acordo com os bancos é um dos maiores entraves para os sistemas de pagamentos das fabricantes: o Android Pay está previsto para chegar ao Brasil até o final do ano, também com uma lista limitada de instituições bancárias; e o Apple Pay já está sendo testado internamente por bancos há pelo menos um ano, mas ainda não tem previsão oficial de lançamento no país.

Quando chega?

Procurei as empresas envolvidas para se pronunciarem sobre o assunto.

Em nota, o PayPal Brasil informa que não está autorizado a comentar sobre produtos ou serviços, sejam locais ou globais, até o dia 26 de julho, dia em que a empresa vai liberar seu relatório financeiro trimestral.

A Samsung Brasil apenas confirma ao Tecnoblog que o serviço “inicialmente estará disponível somente nos Estados Unidos”, acrescentando que informações sobre outros países “serão divulgadas em breve”.

E os bancos brasileiros?

Enquanto a parceria entre PayPal e Samsung Pay não chega ao Brasil, conversei com as duas instituições que ainda não liberaram seus cartões no sistema de pagamentos móveis da coreana.

“O Itaú Unibanco informa que já está pilotando o Samsung Pay para uma base pequena e, em breve, o serviço estará disponível para todos os clientes”, diz o banco em comunicado ao Tecnoblog.

O Nubank afirma que está “trabalhando em uma série de novidades, entre elas a integração com o Samsung Pay”, mas não possui data para o lançamento.

Da parte da Samsung, a fabricante informa que “o Samsung Pay já está 100% habilitado para o Itaú iniciar a implementação do serviço”.

Atualizado às 18h11 com o posicionamento do Nubank.

  • Quer dizer que o PayPal vai ser o intermediário do intermediário Samsung Pay? 😂

    • ¯_(ツ)_/¯

    • Luiz Claudio Eudes Corrêa

      Eu ainda procuro um intermediário desses pra usar o Apple Pay, saudades de quando o Boon funcionava para pessoas fora dos países onde é oferecido.

    • Ligeiro

      Esse é o mal da burocracia e é por isso que alguns são fãs de monopólios…

      • Trovalds

        Um sistema de pagamento totalmente novo vindo de uma empresa que não tem histórico de nada parecido na área não é exatamente algo que apeteça as instituições financeiras. E de mais a mais, vai ter uma base limitadíssima de clientes em vista de soluções “tradicionais”. Não é só implantar o sistema e pronto. Pra implantar existe um custo, que não é barato. E os bancos não vão gastar com isso se não souberem que vão ter retorno.

  • Um pouco do dinheiro vai ficar com a Samsung, um pouco desse dinheiro par ficar com paypal, um pouco do dinheiro vai ficar com o banco, um pouco do dinheiro vai ficar com a empresa da maquina de cartão, um pouco do dinheiro vai ficar com a bandeira do cartão… Olha o caminho que os dados de confirmação vão fazer kkkkkk

    • Luiz Claudio Eudes Corrêa

      Deste que o custo disso não seja repassado pro cliente, pode passar por quantos intermediários for necessário para ter o serviço.

      • Verdade, mas que isso é engraçado, é muito!

    • Vitor Neves

      Mas isso já acontece. Qnd vc paga uma compra no cartão, de 2 a 5% ficam com o emissor, e disso aí é divido para bancos e afins. Qm se fode é o vendedor. Por isso ainda tem muito daquilo de vc pagar mais barato no dinheiro, e eu apoio isso.

      • Sei disse, mas fico vendo que a margem de lucros da Samsung não vai ser nada!

    • Flavio Novaes

      Samsung não vai ganhar quase nada mesmo, mas o propósito dela é vender mais smartphones, por ter essa função, mais praticidade no dia a dia pra quem usa cartão de crédito a todo momento!

    • Marcelo Maciel

      Não amiguinhos, não é o vendedor que paga a conta! É o consumidor!! No momento da formação do preço o vendedor já adiciona os custos da operação no cartão e se o cliente paga no boleto ganha desconto, que na verdade também não é desconto, apenas não vai pagar pela operação do cartão….

      • Depende de que vendedor você está falando. Quanto menor o vendedor e/ou com mercado mais concorrido, menor a probabilidade dele repassar esse valor pro consumidor, e ele que se “f@d%” pagando taxas e recebendo a menos… :/

        • Victor Zavecz

          Jajajajajaja novato!

          JAMAIS que o Zé da Esquina receberia menos por causa disso.

          TODOS os custos que Fulano ou Ciclano tem com determinada operação estão embutidos na sua venda, seja o Zé da Esquina ou a Multinacional.

          Uma empresa de maior porte tem mais facilidade em diluir tais custos sobre quantidade vendida, por exemplo, de forma bem sutil.

          • Novato é você. Só pq sabe a situação da sua região não quer dizer que todo o resto do Brasil é igual.
            Aqui na minha cidade, por exemplo, NENHUM comércio pequeno repassa o valor para o cliente. Eu sei pq meus pais tem um estabelecimento e eles nem se atreveriam a aumentar o valor do produto (pra disfarçar o valor da taxa), nem cobrar a mais de quem paga com cartão de crédito…

          • Victor Zavecz

            Vai pensando.

            Se seus pais têm um estabelecimento e trabalham com margem de lucro, então esse custo das administradoras do cartão já está embutido no preço de venda.

            Desse jeito que você falou (que eles nem se atreveriam a aumentar o valor do produto…) só reflete sua inocência sobre o tema: essa não é uma prática criminosa e quiçá errada. Todos os custos do funcionamento da loja dos seus pais (e de qualquer outro estabelecimento) PRECISAM estar diluídos no valor de venda dos produtos que comercializam, se isso não ocorre, seus pais estão pagando pra trabalhar, perdendo dinheiro. Se ainda não faliram, estão caminhando pra isso.

            Voltando ao tema central, é mais fácil diluir tal custo em um grande estabelecimento do que em um menor, repare, quando puder, o preço de dois produtos iguais num grande supermercado e no mercadinho da esquina, via de regra o preço desse último será maior. Por quê? Porque tal custo acaba tendo uma representatividade maior sobre o faturamento, mas impreterivelmente está diluído nele.

          • Ótima resposta Victor!

          • O zé da esquina aqui da rua é esperto, quando vamos comprar no crédito ele fala que vai colocar 3 reais ou 4 reais a mais na maquina, eu fico olhando para ele… Só compro em caso de emergência nesse mercado. Eu sei que em outros cantos o preço está embutido nos produtos!

      • Eu sei, eu apenas quis dizer, como vai ficar diluído o lucro desses caras porque um paga para o outro ai nessa fila de bocas!

  • Só eu me incomodo com a frase “O Samsung Pay já funciona com alguns plásticos do Banco do Brasil…”
    O que são “alguns plásticos”? Esse termo é realmente usado por aqui? Por favor me ensinem sobre o assunto.

    • felipecn

      É um termo bem comum no meio financeiro pra se referir ao cartão de crédito.

      • Pois é, mas numa reportagem me passou a sensação de que falhou a revisão… Sei lá, no dia a dia não é tão comum…

    • Lucas Macedo

      Plástico é o cartão de crédito físico. É um termo muito usado por bancos e adquirentes (cielo, rede, stone…)

      O mercado caminha, especialmente o ecommerce, para o cartão virtual com número gerado automaticamente e para uso apenas em uma compra. O Itaú já oferece isso. A vantagem é diminuir muito as fraudes com cartões roubados.

      Nas vendas físicas de balcão, a tendencia é concentrar tudo em apps e fazer o pagamento por celular ou wearables, como aqueles relogios inteligentes.

      Na era do cloud, tudo está migrando para a nuvem digital, inclusive email, arquivos, fotos e cartões.

      • Eu sei que é o cartão de crédito. Me deixou um pouco incomodado pois não é um termo que vejo com frequência e me passa a sensação de não revisão.

    • Alberto Prado

      Mania de importar gírias americanas… É só cartão de crédito. ¬¬

      • Pois é, fica parecendo que a revisão falhou… Sei lá, quem usa esse termo normalmente?

  • Diogo Hayakawa

    Vale ressaltar que o serviço do Samsung pay está tão bom que parou de funcionar o único cartão da caixa (débito Mastercard) e eles não dizem nem se tem previsão pra voltar a funcionar.

  • Burnerman_X

    Pior que faz sentido pra ambos.

    Samsung ganha suporte amplo a cartões, sem depender dos bancos
    PayPal ganha em transações que agora poderiam ser feitas em qualquer maquineta física de cartão no mundo real.

  • felipecn

    Na verdade as carteiras NFC modernas (Apple/Android/Samsung Pay) nem são exatamente intermediários: Basicamente elas recebem seu cartão de banco e é isso que repassam ao comerciante, o dinheiro não passa pela dona da carteira (ao contrário do antigo Google Wallet e do PayPal)
    Mesmo no caso da Apple que cobra pelo uso da carteira, o valor das compras vem dos bancos.

    Mas é uma parceria surpreendente mesmo, já que o PayPal é conhecido por cobrar taxas consideráveis dos vendedores e nesse caso tem que dividir um percentual bem menor da transação com a Discover, que é a parceira que emite o cartão (ao menos no US na parceria com o Android Pay).
    Talvez tenha notado que com as novas carteiras sendo aceitas na web também a concorrência apertou bastante….

    • Luiz Claudio Eudes Corrêa

      Se for cartão discover (Dinners) então nem vai melhorar tanto assim a situação por aqui já que “Dinners” só é aceito nas mesma maquinas que aceitam Amex e tirando grandes lojas, se aparecer com um cartão desses nas pequenas é até capaz de apanhar pois só aceitam Mastercard/Visa e normalmente olham feio pro “Elo”

      Se não me engano o Elo internacional usa a rede discover, então talvez tenha algum sucesso/utilidade por aqui.

  • Luan Soares

    Essa ladainha do Nubank já tem mais de um ano

  • Não sei como o Nubank fará isso, pois acho que um dos maiores marketings deles são justamente os plásticos roxos…

  • Jonas Schumacher

    Achei muito vacilo o Nubank ainda não estar implementado. Justo eles que se dizem descolados e inovadores…

  • Jonas Schumacher

    Alguém usa o Samsung Pay? As poucas vezes que utilizei (com o cartão do Banco Inter), tive que digitar um código de segurança e a senha, o que me parece um tanto quanto burocrático… Eu esperava que fosse só colocar a digital e pronto.

    • Roger

      Eu uso. Você passou via MST (emulador de tarja magnética), pagamentos de NFC (principalmente no crédito), não pedem senha.

      Dê uma lida: http://cobaia-de-testes.blogspot.com/2016/12/guia-samsung-pay-no-brasil.html

    • Luiz Claudio Eudes Corrêa

      Já passei por isso com o Nubank num McDonald que a maquina não lia o chip do meu cartão por nada, tentei pela tarja e foi assim só que não passou, no final a vendedora botou um papel por baixo do cartão quando inseriu na maquina e funcionou

  • Tiago Celestino

    Sempre achei que o MercadoLivre fosse do eBay que é dona do PayPal.

    • RickRatinho

      O eBay tinha 20% das ações do Mercado Livre, mas vendeu ano passado.

      • Tiago Celestino

        Procurei ontem e vi que tinha acontecido isso.