Início » Internet » Facebook proíbe edição de títulos em links compartilhados para combater notícias falsas

Facebook proíbe edição de títulos em links compartilhados para combater notícias falsas

Emerson Alecrim Por

Já faz algum tempo que o Facebook está tentando coibir notícias falsas na rede social, mas não há solução única. O problema só pode ser efetivamente combatido se várias medidas forem adotadas. Aqui está a mais nova delas: o serviço está implementando um recurso que impedirá que títulos, imagens e descrições de notícias sejam editados no momento do compartilhamento.

Hoje, quando um link é postado em uma página do Facebook, o usuário que o faz pode substituir os metadados originais — basicamente, título, descrição e imagem — para criar chamadas mais atraentes ou fazer testes. Assim, a página que exibe o conteúdo pode adotar um tom mais sério enquanto, no Facebook, a chamada ganha um tom informal para atrair acessos e gerar engajamento, por exemplo.

Facebook

O problema, como sempre, é o abuso. A possibilidade de editar a visualização prévia dos links vem sendo muito usada para disseminar informações com tom alarmista e, principalmente, notícias falsas — no Brasil, é relativamente comum esse tipo de conteúdo ser manipulado para parecer vir de veículos tradicionais, como Estadão e G1.

De acordo com o Facebook, a restrição será plenamente implementada em 12 de setembro. Até lá, veículos de imprensa, administradores e afins podem fazer ao Facebook uma solicitação de propriedade de suas páginas. As orientações para isso estão disponíveis nesta página de ajuda.

As páginas no Facebook que tiverem vínculo aprovado e não abusarem do recurso poderão continuar editando a visualização prévia dos links compartilhados ali. Note que cada solicitação será avaliada individualmente e só será aprovada se todas as condições forem respeitadas.

No restante dos casos, o compartilhamento de links continuará sendo permitido, mas as informações de descrição se limitarão àquelas extraídas dos metadados.

Não acredite em seus olhos

Quem é culpado pela disseminação de notícias falsas na internet: as pessoas que compartilham tudo sem checar a veracidade das informações ou as empresas de tecnologia? Facebook e Google estão desenvolvendo tecnologias para que a verdade volte a reinar, seja com algoritmos de inteligência artificial, seja com a ajuda de humanos que fazem trabalhos independentes de verificação de fatos.

Debatemos o assunto no Tecnocast 059. Dá o play e vem com a gente!

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

André G
Alguns até que me fizeram rir, como por exemplo:
"Lula é encontrado morto após tentar chupar seu próprio pau"
Emanuel Sousa
Até que enfim! Sempre achei absurdo existir essa liberação pra todo mundo.
Internet
Pequeno passo para acabar com notícias falsas, grande salto pra acabar com os clickbaits
Gustavo
Pequeno passo para acabar com notícias falsas, grande salto pra acabar com os clickbaits
Adriano
Com veículos tradicionais, como Estadão e G1 como parâmetro para se aferir credibilidade as notícias, não é de se espantar que a proliferações de notícias falsas no Brasil, se tornou endêmica...?. O exempo ruim vem de cima...?.