Início » Negócios » Samsung tira liderança de 24 anos da Intel e se torna maior fabricante de chips do mundo

Samsung tira liderança de 24 anos da Intel e se torna maior fabricante de chips do mundo

Intel era líder no mercado de semicondutores desde o lançamento dos processadores Pentium

Paulo Higa Por

A Intel não é mais a maior fabricante de chips do mundo. Depois de 24 anos na liderança, a empresa foi oficialmente ultrapassada pela Samsung em receita de vendas de semicondutores, como já previam os analistas.

As duas empresas divulgaram seus resultados financeiros nesta semana. A divisão de semicondutores da Samsung teve receita de US$ 15,8 bilhões no segundo trimestre de 2017, enquanto a Intel ficou com US$ 14,8 bilhões. Como informa a Associated Press, se os preços de chips se mantiverem, a Samsung Semiconductor também deve ficar à frente da criadora do Pentium em receita anual.

A liderança da Intel no mercado de chips vinha desde 1993, quando a empresa lançou os processadores Pentium e desbancou a japonesa NEC. Naquele ano, a Samsung ocupava a modesta sétima posição. Os coreanos pularam para o quarto lugar em 2006 e estavam na vice-liderança desde 2006.

Não é difícil entender o motivo: enquanto as vendas de processadores para PCs caem, o mercado de chips DRAM está crescendo, já que eles são utilizados nas memórias que equipam smartphones, relógios e qualquer outro gadget. Além disso, a Samsung Semiconductor está sendo impulsionada pelo bom momento da Samsung Mobile e de parcerias com outras empresas, como a Qualcomm, fabricando o Snapdragon 835.

E os próximos meses não serão nada fáceis para a Intel, pelo visto: a empresa voltou a ter uma concorrência de verdade no mercado de processadores para PCs, com o lançamento dos AMD Ryzen; e pela primeira vez em anos deve enfrentar uma nova empresa, a Qualcomm, que planeja colocar seus chips Snapdragon 835 em computadores com Windows 10.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Rafael Gil
Rumores apontam que sim, serão 6 núcleos com HT nos i7, e 6 sem HT nos i5.
Paulo Higa
Tá vendendo mais Tegra do que nunca por causa do Nintendo Switch.
Wellington Gabriel de Borba
A NVidia ainda existe na fabricação de processadores? Parece que ela morreu no Tegra 3.
Matheus Damas
Além do poder de processamento pra emular outra arquitetura. O certo seria os desenvolvedores reescreverem seus softwares pra ARM, o que acho bem dificil.
Matheus Damas
Sim, é verdade. O problema da Intel foi insistir em colocar os x86 nos mobiles. Os ARM já dominavam soberanos e os x86 precisariam de mostrar novidades, o que não aconteceu.
Alexandre Fabian
Não se trata só do Windows. O Windows é capaz de rodar em outras arquiteturas que não x86 faz tempo... Por exemplo, os XP 64bits pra Itanium... Ou os NT que rodavam em diversos processadores... O ponto são todos os aplicativos escritos em x86 que desejamos rodar num computador com Windows... A emulação para o funcionamento desses aplicativos quebraria patentes da Intel...
Isaac
Pessoal, uma pergunta de um leigo aqui! Sobre a Qualcomm emular o x86 para ARM, não seria possível a Microsoft reescrever o Windows em ARM para que não haja quebra de patente, como isso funciona? Obrigado.
Swordfish

Pessoal, uma pergunta de um leigo aqui!
Sobre a Qualcomm emular o x86 para ARM, não seria possível a Microsoft reescrever o Windows em ARM para que não haja quebra de patente, como isso funciona? Obrigado.

Filipi
A Intel estava em uma zona de conforto muito boa, não evoluiu os processadores, tanto que a sexta para a sétima geração é a mesma coisa e a amd estava correndo atrás, ela viu que a amd estava ganhando mídia, principalmente gamer e pouco após o ryzen lançaram o i9. Então ela está incomodada, e espero que em 2018 já estaremos com i7 6 ou 8 núcleos reais padrão. Zona de conforto não é bom para ninguém. E não me admiro da Intel ter uns monstros guardados, para enquanto fosse a rainha, lançasse mais do mesmo e ganhasse rios de dinheiro, para quando ver a concorrência chegando, lançar algo muito bom. Então imagino que ela não precise perder um ano projetando algo, pq nos laboratórios, devem ter projetos para os próximos 10 anos, é só adiantar 2 anos.
ochateador
Nah... Pelo menos em desktop seria bom ver isso: i5 com 6 ou 8 núcleos por padrão, e i7 com 8 núcleos por padrão e HT habilitado para todos. Mas se a intel for um pouco esperta, ela só lança em 2017 o que está pendente e usa 2018 inteiro só para desenvolver chips melhores para chegar em 2019 com voadora no peito. Lançar um bom chip (ainda que básico, intermediário) para o celulares não seriam nada mal..
Mario Junior ?????????
A Intel tá apanhando de todos os lados. É hilário!
Thiago Moraes
Quando uma empresa domina muito geralmente ela relaxa. Agora vai ter que aguentar forte a pressão de outras empresas. E isso é muito bom.
Murilo Rafael De Mello
Tenho que falar que eu fiquei chocado que a intel não colocou mais recursos no mercado mobile. Pareceu óbvio que essa era a direção para onde o mercado estava indo. Iria ser ótimo ver várias empresas, como a Intel, Nvidia, Samsung, MTek e Qualcomm fazendo bons chipsets mobile. Mais concorrência!
Murilo Rafael De Mello
Eu achei que a elma chips era a maior.
ᴾᴴᴵᴸ

é bom uma concorrência, quem sabe, a intel se mexe e na próxima geração não venha i7 com 6 núcleos como padrão.

Exibir mais comentários