A AMD lançou os processadores Ryzen 3 nesta semana e, assim como fez com as linhas Ryzen 5 e Ryzen 7, forneceu unidades dos novos chips para que veículos especializados pudessem publicar reviews no dia do lançamento. Entre esses veículos estão Tom’s Hardware, AnandTech e PC Gamer. O que eles dizem das novidades?

AMD Ryzen 3

Antes de sabermos, vale relembrar que, por ora, a linha Ryzen 3 é composta apenas por dois processadores:

  • AMD Ryzen 3 1200: quatro núcleos, quatro threads, clock de 3,1 GHz (3,4 GHz em boost), cache L3 de 8 MB e TDP de 65 W;
  • AMD Ryzen 3 1300X: quatro núcleos, quatro threads, clock de 3,5 GHz (3,7 GHz em boost), cache L3 de 8 MB e TDP de 65 W.

Ambos são chips mais acessíveis e chegam para disputar mercado com a linha Core i3, da Intel. Nos Estados Unidos, o Ryzen 3 1200 e o Ryzen 1300X custam, respectivamente, US$ 109 e US$ 129.

Vale ressaltar também que este post reúne os aspectos mais destacados pelos veículos. Convém ler a análise completa de cada um deles para ter explicações aprofundadas.

Tom’s Hardware: bom no overclock

O Tom’s Hardware vê como positivo o fato de a linha Ryzen 3 ter apenas dois representantes e, assim, não ser tão “fragmentada” (por enquanto, pelo menos) quanto a linha Core i3. Com isso, a AMD tratou logo de deixar os dois chips desbloqueados para overclocking.

Nesse quesito, o site frisou que o Wraith Stealth (cooler que acompanha os dois processadores) não tem dissipadores de cobre, por exemplo, mas é bem competente. Eles conseguiram fazer o Ryzen 3 1300X trabalhar com frequência de 3,9 GHz, e o Wraith Stealth pôde manter a temperatura em um patamar aceitável.

Desempenho em um dos testes no VRMark

Desempenho em um dos testes no VRMark

Há opções da Intel para overclocking, como o Core i3-7350K, mas ele é mais caro e exige uma placa-mãe com chipset Z270 para os devidos ajustes. Em contrapartida, os processadores Ryzen 3 podem passar por overclocks bem intensos mesmos em placas teoricamente mais acessíveis, como as que têm chipset B350.

Para o Tom’s Hardware, o grande trunfo da linha Ryzen 3 é o custo-benefício, inclusive em condições que costumam exigir mais gastos, como no overclock.

AnandTech: mandando bem no custo-benefício

Logo no início da análise, o AnandTech lembra que a AMD prometeu fazer a plataforma Zen ser adequada tanto para computadores de entrada quanto para servidores de alto desempenho.

Isso é difícil, mas parece que a companhia conseguiu. Os chips Ryzen 5 e Ryzen 7 já tinham convencido (embora não tenham sido perfeitos em todos os testes). Os Ryzen 3, por sua vez, tiveram resultados mais interessantes que seus antecessores e podem, sim, competir com a Intel.

Comparação de custo-benefício em multitarefa

Comparação de custo-benefício em multitarefa

Porém, isso depende muito das circunstâncias. Na relação custo-benefício, que compara o desempenho em multitarefa com o preço de cada chip, o Ryzen 3 1300X consegue ser mais interessante que o Core i3-7300, o Core i3-7320 e até o Core i5-7400. Este último teve mais performance, mas é cerca de US$ 50 mais caro. Assim, no custo por dólar, o Ryzen 3 1300X é mais vantajoso.

Já o Ryzen 3 1200 pode não ser tão atraente: no desempenho, ele ganha do Pentium G4560, mas é uns US$ 30 mais caro. Na comparação com o Core i3-7100, o Ryzen 3 1200 teve desempenho 8% superior no multithread, mas o chip da Intel é apenas US$ 10 mais caro.

PC Gamer: bom desempenho, mas um pouco atrás nos jogos

A PC Gamer afirma que, no desempenho geral, a linha Ryzen 3 consegue bater os concorrentes da Intel (especificamente, os processadores Core i3-7100 e Core i3-7350K). Mas, nos jogos mais exigentes, os chips da Intel levam vantagem. Só em um ou outro game é que os novos processadores da AMD foram melhores, como em Dishonored 2.

Mas a PC Gamer também explica que as diferenças são pequenas. Se novamente colocarmos o fator preço na comparação, os chips Ryzen 3 brigam em pé de igualdade ou mesmo superam os rivais da Intel.

Um dos testes da PC Gamer

Um dos testes da PC Gamer

Aqui, é importante destacar que a linha Ryzen 3 não tem GPU integrada. Para jogadores um pouco mais exigentes, esse aspecto não chega a ser problema, pois esse tipo de aplicação vai exigir uma placa de vídeo com algum poder de fogo. Na análise da PC Gamer, os processadores da AMD e da Intel foram testados com uma placa Nvidia GTX 1080 Ti.

* * *

De modo geral, esses e outros testes ressaltam que os processadores Ryzen 3 trazem bom desempenho (inclusive em multitarefa), são fáceis de “overclockar”, têm bom controle de temperatura (com o Wraith Stealth) e apresentam resultados satisfatórios em quase todos os testes.

AMD Ryzen

Se considerarmos toda a gama de lançamentos — os chips Ryzen 3, 5 e 7 —, a percepção do mercado é a de que a AMD está mesmo de volta, trazendo equilíbrio e uma competitividade que já é refletida nos preços mais atraentes.

Nenhuma linha, independente da marca, consegue ser perfeita em todos os aspectos. Mas o que importa é que, agora, voltamos a ter poder real de escolha.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

LekyChan
não vejo isso como um problema tão grande, ainda hoje é possível achar Gforce GT220 por míseros 100 reais.
LekyChan
para mim esta excelente, principalmente lembrando que a linha Core iX da Intel teve 8 anos para amadurecer, e essa é a primeira versão dos Ryzen
Malaquias

Podem ser as BIOS das placas mães, metodologia de testes e existem alguns sites que publicam resultados com e sem overclock. O R3 1300X com o overclock máximo que a linha Ryzen tem suportado com as BIOS atuais (4,1 GHZ) Bate até um i5 7500, um processsador que custa o dobro. O problema é que não é prático comprar um processador de entrada com uma placa mãe mais cara ou memórias de alto desempenho na maioria dos casos, ou seja, com uma Placa mãe mais barata, mas que permita overclock, o máximo que você vai conseguir tirar estável de um R3 1300X será alguns poucos mhz acima da velocidade de boost.

Marco
Podem ser as BIOS das placas mães, metodologia de testes e existem alguns sites que publicam resultados com e sem overclock. O R3 1300X com o overclock máximo que a linha Ryzen tem suportado com as BIOS atuais (4,1 GHZ) Bate até um i5 7500, um processsador que custa o dobro. O problema é que não é prático comprar um processador de entrada com uma placa mãe mais cara ou memórias de alto desempenho na maioria dos casos, ou seja, com uma Placa mãe mais barata, mas que permita overclock, o máximo que você vai conseguir tirar estável de um R3 1300X será alguns poucos mhz acima da velocidade de boost.
Malaquias

No geral, o Pentium está na vatagem sobre os R3 no preço por performance. A maioria das pessoas nem pensa em overclock quando compra um processador de entrada, fora que uma placa B350 com dissipação no VRM (Asus, gigabyte ou Asrock) está entre 550 e 650 reais nas lojas mais baratas. Comprar um R3 seria legal como opção temporária até comprar um processador melhor para uma build já pensando em um PC mais forte.

Uma coisa que ia ficar sem mencionar: esses processadores empurram os jogos com menos engasgos do que os Pentium também, só que eles precisam de memórias de 2400 mhz pra cima para funcionar no máximo de potencial, enquanto adicionar memórias mais rápidas em um Pentium só dá uma melhora marginal, sem diminuir engasgo.

Quer dizer, os Ryzen 3 até adicionam mais valor no final das contas, são processadores de fato melhores, desbloqueados e tudo mais, mas você acaba gastando mais, ao contrário dos Ryzen 5 e 7 que são melhores e mais baratos que os concorrentes. Digo isso pensando que ninguém vai querer ser burro de combinar um i7 7700K com uma H110, mas com uma B250 no mínimo.

Marco
No geral, o Pentium está na vatagem sobre os R3 no preço por performance. A maioria das pessoas nem pensa em overclock quando compra um processador de entrada, fora que uma placa B350 com dissipação no VRM (Asus, gigabyte ou Asrock) está entre 550 e 650 reais nas lojas mais baratas. Comprar um R3 seria legal como opção temporária até comprar um processador melhor para uma build já pensando em um PC mais forte. Uma coisa que ia ficar sem mencionar: esses processadores empurram os jogos com menos engasgos do que os Pentium também, só que eles precisam de memórias de 2400 mhz pra cima para funcionar no máximo de potencial, enquanto adicionar memórias mais rápidas em um Pentium só dá uma melhora marginal, sem diminuir engasgo. Quer dizer, os Ryzen 3 até adicionam mais valor no final das contas, são processadores de fato melhores, desbloqueados e tudo mais, mas você acaba gastando mais, ao contrário dos Ryzen 5 e 7 que são melhores e mais baratos que os concorrentes. Digo isso pensando que ninguém vai querer ser burro de combinar um i7 7700K com uma H110, mas com uma B250 no mínimo.
Malaquias

Chegam no final do ano.

Marco
Chegam no final do ano.
Alberto Prado
Fora que a AMD tb publicou novas BIOS que aumenta a performance deles e tb tem a questão da memória utilizada.
johndoe1981

Para mim, 4 núcleos e 4 threads são mais do que suficientes. Pegaria o 1300X por ter clocks mais elevados, afinal clock e IPC mais altos ainda contam mais que quantidade de núcleos. Agora vai depender do preço no Lisarb para ser uma opção de CxB.

Cássio Amaral
Para mim, 4 núcleos e 4 threads são mais do que suficientes. Pegaria o 1300X por ter clocks mais elevados, afinal clock e IPC mais altos ainda contam mais que quantidade de núcleos. Agora vai depender do preço no Lisarb para ser uma opção de CxB.
Léo Oliveira
Li em algum lugar que as APUs Ryzen chegam este ano
Marcus Araújo
Isso é uma verdade, acho que a AMD ainda está apostando nas APUs para usuário básico.
ばか

Cada site tem uma metodologia de testes diferente, por exemplo a GPU utilizada, frequência das memorias, API utilizada nos jogos, versão de patch dos jogos e drivers de video e principalmente, nos jogos onde não existem ferramentas de benchmark cada site tem seu próprio script a ser seguido para que todos os concorrentes sejam testados na mesma condição.
Por isso é bom ler mais de um review e tirar a media de todos.

Wololo ?
Cada site tem uma metodologia de testes diferente, por exemplo a GPU utilizada, frequência das memorias, API utilizada nos jogos, versão de patch dos jogos e drivers de video e principalmente, nos jogos onde não existem ferramentas de benchmark cada site tem seu próprio script a ser seguido para que todos os concorrentes sejam testados na mesma condição. Por isso é bom ler mais de um review e tirar a media de todos.
Exibir mais comentários