A Microsoft teve sucesso em transformar o Office em um serviço de assinatura, e vem fazendo a mesma coisa com o Windows. Agora, ela resolveu aplicar esta ideia à própria linha de hardware — e parece algo bem interessante.

O Surface Plus é um programa de assinatura nos EUA para computadores da Microsoft. Ele oferece financiamento sem juros por dois anos, e permite atualizar para um novo dispositivo antes desse prazo.

Nesse programa, o Surface Pro custa a partir de US$ 34 mensais; o Surface Laptop começa em US$ 42 por mês; e o Surface Book sai por US$ 63 mensais. As primeiras 24 parcelas têm juro zero; depois, isso vai para 19,99%/ano.

O cliente pode fazer a troca por um modelo atualizado após 18 meses, desde que retorne o PC original em boas condições. O Surface Plus está disponível a partir de hoje através da Microsoft Store física e online.

Além disso, temos o Surface Plus for Business: empresas podem adquirir uma combinação do Surface Pro/Laptop/Book, mais o Surface Studio e até o Surface Hub de 55 polegadas; e podem atualizar os dispositivos após 12 meses.

A Microsoft tem dois objetivos, segundo o Geekwire: ganhar espaço entre estudantes nos EUA, que vêm preferindo Chromebooks e MacBooks; e reverter o declínio em suas vendas de hardware (a receita do Surface caiu 2% no último trimestre).

Por mais que não vejamos o Surface Plus tão cedo no Brasil — a Microsoft nem vende seus computadores por aqui — a ideia poderia ser realizada por outra empresa. Por exemplo, a Apple não oferece o iPhone Upgrade Program por aqui, mas temos alternativas como o Claro Up.

Você teria interesse em um programa de assinatura de PCs, para trocá-lo de anos em anos?

Com informações: Microsoft, Geekwire.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Marcus Araújo
Todas as marcas podem apresentar problemas (e poderia dizer aqui que o MacBook Air não presta porque uma prima teve problemas com semanas de uso), mas a questão é ter maior ou menor probabilidade disso ocorrer com determinadas marcas devido ao controle de qualidade ruim. A ASUS não é amplamente reconhecida pelo hardware ruim (ao contrário dos seus softwares que acompanham os seus produtos, estes sim via de regra são bem ruins). Seria o mesmo que tentar validar uma boa qualidade da CCE alegando possuir um laptop com 6 anos de uso. É possível? É, mas não é comum.
Gabriel Ghefter
Não acho a construção da Asus tão boa não viu. Tenho um Notebook novo dela e em poucos meses a tecla "J" do teclado já soltou...
Helmut
Eu não duvido que seu MBP seja útil e tenha uma performance satisfatória até hoje. Onde eu trabalho também temos designers trabalhando com MBP de 2013 até hoje. O que acontece é que a config que em 2013 era muito mais do que eles precisavam para trabalhar, hoje é "justa". O que estou dizendo, é que com um programa como esse você pode ter algo mais adequado ao que você precisa (em termos de processamento) e, consequentemente, gastar menos.
LekyChan
a bateria do meu dell já foi embora, mas como ele é usado só para netflix e youtube deixo na tomada mesmo e pronto.
Tales Cembraneli Dantas
Hj em dia as coisas estão migrando para vc pagar uma mensalidade por tudo e não ter nada, quem musica? pague o Spotify, quer assistir um filme? pague o Netflix (este ainda é o que faz mais sentido pois vc normalmente não vê o mesmo filme 2x então até vai lá, como nas locadoras antigas), quer mais espaço? pague o dropbox... vamos deixar grande parte de nossa renda em alugueis que quando pararmos de pagar não teremos mais nada
Cazalbé
Tenho um ACER de 6 anos e 6 meses, já está um rapazinho. Nunca troquei nem a bateria dele, que por sinal segura ainda uns 70 minutos de carga apenas trabalhando com office e navegando na internet.
CtbaBr©
Eu acho (espero) que ele ainda aguenta algumas gerações de homens-gafanhotos, mas se não mudarmos... 2+2 sempre dá 4!
Doug
Não é meu caso, champ. Não mato formigas, sou designer. Uso meu equipamento como ganha pão e ele me é, até hoje, bastante útil. Software atualizado (ao menos a Apple tem um bom programa de atualização), está indo agora para o mac Os High Sierra com a mesma performance. Agora, se você tem toda essa bala na agulha, além de matar umas formigas, pode também, a cada dois anos, bancar uma bela máquina. Parabéns.
CtbaBr©
Se não agirmos com responsabilidade e comprometimento em relação as duas primeiras opções, num futuro próximo não existira essa terceira opção! As empresas precisam encontrar outras formas de ganhar dinheiro, renovar e atualizar o hardware prolongando a vida útil dele pode ser bastante lucrativo também. Se continuarmos exaurindo nosso planeta nesse ritmo acelerado e irresponsável, logo não haverá como voltar atras.
Adriano Angelo
O meio ambiente não agradece.
Helmut
Isso depende do uso. Se você usa um canhão para matar formigas, vai ficar tranquilo por mais tempo. No meu caso, preciso de um Mac portátil e tenho trocado de note a cada 2 anos por causa da performance. Esse é um dos fatores primordiais em um programa como esse da Microsoft (e deveria ser na escolha de qualquer hardware).
Veritas
2 anos? Que porcaria de laptop tu andas comprando?
Veritas
Que desperdício de dinheiro e geração estúpida de resíduos. :( A Humanidade é uma porcaria mesmo.
Marcus Araújo
Só no dia em que acabarem com a venda casada de hardware e software no Brasil. A ASUS, por exemplo, não reembolsa mais o preço do Windão 10 nos novos laptops no Brasil (mesmo que você explique que já possui a licença retail ou simplesmente não queira utilizar o sistema pré-instalado); a Dell já dá opção de comprar o mesmo hardware com Ubuntu pré-instalado e custando menos, porém se restringe basicamente ao site deles, já que no varejo, que vende pro povão, só se acha os modelos com Windão 10 (provavelmente também não reembolsa, já que a Microsoft fez uma jogada nos seus termos de uso para sistemas OEM do Windão 10 que dificulta receber o valor deste reembolso). Enfim, você pode até escolher não negociar com a MS, mas alguém te obrigará a negociar com ela. E no fim das contas, utilizando ou não o sistema, a conta já estará paga.
Marcus Araújo
Não necessariamente diria que bom hardware = bom dinheiro. Quando falo em "bom hardware", não me refiro tanto às especificações técnicas (processador dual ou quad core, 4 ou 8 GB de memória RAM etc), mas sim de qualidade de construção, o que faz realmente o laptop durar anos (ainda que o desempenho não seja surpreendente). Afinal, de nada adianta um laptop cheio de memória RAM e processador top de linha se a tela, a dobradiça ou o teclado dão problema em pouco tempo de uso. Nesse ponto da qualidade de construção, há algumas marcas de laptop muito boas: ASUS, Dell, Acer (talvez), Apple e os antigos Sony VAIO; outras, nem tanto: Lenovo, LG, Samsung e HP; e as dores de cabeça de sempre: Positivo, CCE, Qbex, Philco, Itautec (modelos mais atuais, de pelo menos 8 anos para trás) e toda a sorte de marcas nacionais que adquirem projetos da Clevo e empresas asiáticas similares e utilizam peças de baixa qualidade na construção. Se formos olhar um MacBook Air, por exemplo, sabemos que ele é caro (e aqui nessa ligeira análise vou desconsiderar o preço que cobram por ele, já que não é o meu ponto do exemplo). O MB Air não tem um desempenho surpreendente, mas tem uma ótima construção que o faz durar anos. Isso é o que chamo aqui de "bom hardware". Mas se um Positivo, um CCE, com configurações colossais de processador e memória, durar 18 meses, eu acho que é até muito. Um MB Air dura 18 meses e chama os próximos 18 meses para a briga sem problemas. Nas configurações encontradas hoje, os computadores dão um bom rendimento para várias tarefas (excluindo aqui as obviedades com processadores tipo Celeron, mas sim Core 2 Duo/Quad e i3/i5/i7 das primeiras gerações em diante). Óbvio que se tratando de Apple Brasil, o exemplo realmente é estranho pelo preço. Mas Dell, ASUS e Acer apresentam melhores índices de custo/benefício sem necessariamente custar muito mais caro que um CCE. No seu próprio exemplo há uma ilustração do que eu quero dizer: Dell com Core 2 Duo, usado, comprado barato, dando um bom caldo.
Exibir mais comentários