A Consumer Reports é uma organização sem fins lucrativos que há décadas avalia diversos tipos de produtos e, com base nisso, cria listas de recomendações. Em contrapartida, a instituição não poupa críticas quando conclui que algo é ruim. A Microsoft sabe bem disso: recentemente, a Consumer Reports passou a não recomendar a compra de modelos da linha Surface.

Surface Pro

Surface Pro

Os critérios de avaliação da organização têm como base uma série de testes, mas também consideram pesquisas realizadas com os consumidores. É aqui que a situação ficou complicada para a Microsoft: um questionário respondido por mais de 90 mil donos de dispositivos Surface apontou que uma de cada quatro unidades da linha apresentou algum tipo de problema nos dois primeiros anos de uso.

Entre os problemas mais frequentes estão travamentos, desligamentos repentinos e tela que deixa de responder aos toques. São falhas que afetam severamente a confiabilidade da linha, afinal, o usuário fica sob o risco de perder as informações da última sessão ativa.

Por conta disso, a Consumer Reports decidiu remover os selos de recomendação do Surface Laptop (nas versões de 128 GB e 256 GB) e do Surface Book (128 GB e 512 GB). Como que para justificar a existência prévia desses selos, a entidade destacou que a Microsoft é relativamente nova no segmento de hardware e, por isso, somente neste ano foi possível colher informações suficientes para estimar a confiabilidade dos produtos.

Surface Book

Surface Book

Não demorou para a Microsoft reagir. A companhia enviou um comunicado à Consumer Reports e à imprensa dizendo que todas as gerações da linha Surface superam os seus predecessores em desempenho e confiabilidade. A companhia também afirma que as taxas de devolução da linha são compatíveis com a média da indústria para dispositivos da mesma categoria.

Na resposta, a Microsoft diz ainda que acredita que o levantamento não reflete com precisão as verdadeiras experiências dos usuários da linha Surface. A companhia não está sozinha: em redes sociais e fóruns, muitas pessoas questionam, por exemplo, o fato de a Consumer Reports não deixar claro quais os critérios considerados em suas avaliações.

Veja também: Surface Laptop bate recorde (ao contrário) no iFixit: impossível de abrir sem destruí-lo

Porém, Paul Thurrott, jornalista conhecido por ter fontes bastante confiáveis quando o assunto é Microsoft, teve acesso a um documento interno da empresa que indica que, se as estimativas da Consumer Reports não são precisas, também não fogem muito da realidade.

O documento aponta, por exemplo, que a taxa de devolução do Surface Book foi de 17% na época de lançamento e se manteve acima de 10% nos seis meses seguintes. Já o Surface Pro 4 teve taxa de devolução de quase 16% no lançamento e, alguns meses depois, passou a registrar menos de 8%.

Gráfico de revolução - Microsoft Surface

Mas há também sinais de otimismo no documento. Começa com a crença da Microsoft de que os resultados da Consumer Reports são inflados com opiniões de usuários que relatam problemas pontuais, que podem ser corrigidos com relativa facilidade.

Mais do que isso, a Microsoft reconhece muitos dos problemas na linha, mas aponta que os mais importantes foram solucionados progressivamente com correções de software. A expectativa, agora, é a de que esses esforços fiquem evidentes nas próximas avaliações da Consumer Reports e ajudem a linha Surface a ter o status de antes. Pelo menos é nisso que a companhia estará focada a partir de agora.

Com informações: The Verge

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Vitor Mikaelson
Não testei se com inf é possível.
Marcus Araújo
Então, meu laptop possui também uma tecnologia de áudio que não é aproveitada com o driver do WU. Quando o Mikaelson falou sobre o UPP, animei de ter que deixar de lado a reformatação, mas pelo visto não será bem assim ainda. Porém, se o problema for "só" um áudio com qualidade ruim, ainda é uma experiência melhor do que vários problemas que se apresentaram nas primeiras atualizações do W10.
Marcus Araújo
Finalmente!!! A instalação de drivers utilizando somente o INF será desabilitada no Windows 10 S? Porque até entendo essa cobrança quando se pensa em instalador executável e a restrição do W10S, mas o executável é um meio mais "amigável" ao usuário e também um meio de oferecer softwares extras que aproveitem melhor o hardware em questão, mas não o primordial quando se fala somente da instalação do driver em si. Aqui mesmo opto pela integração do driver da minha impressora à imagem do sistema para fugir das tranqueiras que eles chamam de software. De toda forma, integrando tudo ao Update, e acabando com a zona que era com os drivers ao atualizar a versão do Windows, já resolverá mais ou menos 80% das queixas que fazem ao W10, inclusive muitas das que foram feitas na época em que a MS promoveu agressivamente a migração (e de forma irresponsável, uma vez que não checaram o básico para o funcionamento dos dispositivos; bem lembro da enxurrada de gente desesperada na época porque não conseguia utilizar a máquina uma vez que o touchpad havia parado e não tinha um mouse USB por perto).
Diego Oliveira
Mas algo importante em levar consideração é fato de quem usa os computadores da Apple são normalmente pessoas que gostem de tecnologia. E outro ponto a configurações do produtos da apple são melhores que de outros concorrente, e claro o preço reflete um pouco disso. Então, queria saber qual a taxa de reclamação dos produtos acima de 5000 da samsung? Será que é ainda 16? E sinceramente os apple também param de responder e travam
Keaton
Que eu lembre, a unica coisa que a Proteste fazia era me encher de spam... e eu nem era afiliado.
Jorge Luis
Acho que a Proteste é parecida sim. eles fazem testes em produtos e dizem qual é o melhor. Só não tem o mesmo alcance.
Drax

Acredito que o único problema desse tipo de gráfico é que considera toda a gama de produtos. Pode ser que a empresa tenha determinada versão que é muito defeituosa e eleve os gráficos, como a própria empresa alega que as novas versões foram aprimoradas em relação as primeiras. Seria até mais interessante para os próprios consumidores se houvesse um gráfico por produtos, para evitar adquirir os mais defeituosos.
Não podemos esquecer que a Microsoft estreou no ramo de laptops a pouco tempo, sendo que as outras empresas são muito mais experientes...

Gnull
Acredito que o único problema desse tipo de gráfico é que considera toda a gama de produtos. Pode ser que a empresa tenha determinada versão que é muito defeituosa e eleve os gráficos, como a própria empresa alega que as novas versões foram aprimoradas em relação as primeiras. Seria até mais interessante para os próprios consumidores se houvesse um gráfico por produtos, para evitar adquirir os mais defeituosos. Não podemos esquecer que a Microsoft estreou no ramo de laptops a pouco tempo, sendo que as outras empresas são muito mais experientes...
Magnosama
Proteste e Reclame Aqui são só pras queixas de usuários, bem distante da proposta da Consumer Reports, que não se limita a opinião dos usuários.
Mateus B. Cassiano
Melhorou bastante com o UUP, mas ainda não é perfeito. Migram a maior parte dos drivers, mas ainda enrosca com um ou outro. Eu, por exemplo, tenho um notebook HP com Beats Audio e a menos que eu esteja usando o driver oficial do fabricante, a qualidade do som nos auto-falantes fica péssima. Pois bem, o Windows 10 insiste em SEMPRE remover esse driver ao realizar updates para novas versões do sistema (tanto nas oficiais quanto nas builds que liberam no Insider Preview), substituindo pelo driver de áudio genérico. Já reportei mais de uma vez pelo Hub de Feedback mas o comportamento continua o mesmo. Em relação aos drivers do Windows Update, eu nunca entendi o porque da Microsoft não disponibilizar logo tudo por lá, visto que até onde sei toda fabricante de hardware é obrigada a enviar os drivers para a Microsoft para que sejam testados e assinados digitalmente pelo WHQL antes que possam ser liberados para o público, caso contrário não teriam uma assinatura válida e quem já precisou sabe o inferno que é pra conseguir instalar um driver não assinado, principalmente nas versões mais recentes do Windows 10...
Molinex
Mas não era o hardware das estrelas, que a linha surface ia chutar bundas? Que conversa é essa, de que o negocio não é bom?
Gabriel Arruda
Eu compraria um Surface, ao invés de uma alternativa HP ou Dell, justamente porque eu esperaria menos problemas de instabilidade devido a drives e outros updates de sistema. Uma pena pecarem justamente nesse fator que eles poderiam ser os melhores.
Joseph Arimateias Diniz
A Proteste perdeu confiabilidade? (pergunta legítima. Há anos não acompanho mais)
Vitor Mikaelson
O problema em procurar drivers, está corrigido de agora em diante. A partir do Creators Update, usam o UUP. É delta, e funciona um pouco diferente para atualizar. Mas de forma basica: fazem backup do driver e instalam de forma correta. E sobre o outro, a Microsoft avisou que em breve vai obrigar todas as fabricantes, etc a colocarem os drivers no Windows Update. Provavelmente por causa do Windows 10 S: Com ele, não é possível instalar drivers de fora, inclusive de impressas.
Vitor Mikaelson
A questão foi que a equipe do Surface mentiu para o Nadella, culpando a Intel. Aquele acreditou e por isso perguntou para a Lenovo. Surface usa drivers customizados pela própria equipe.
Exibir mais comentários