O Essential Phone nem chegou ao mercado, mas já é um grande sucesso. Pelo menos é o que a gente pode presumir com o valor de mercado que empresa responsável pelo aparelho alcançou recentemente: mais de US$ 1 bilhão, um feito e tanto para um negócio que não tem nem dois anos de existência.

essential phone

A Essential Products, como é chamada a companhia, foi criada por Andy Rubin, o “pai do Android”. O desenvolvedor deixou o Google em 2014 e, desde então, vem dedicando boa parte do seu tempo ao Essential Phone, aparelho que promete elevar a experiência de uso dos smartphones e, assim, causar uma revolução no mercado. Ou algo próximo disso.

Para tanto, o Essential Phone terá hardware avançado, que inclui tela LTPS de 5,71 polegadas, processador Snapdragon 835, 4 GB de RAM e duas câmeras de 13 megapixels na traseira (uma é monocromática e serve para ajudar a capturar mais luz).

Entre os demais atributos estão o uso de titânio e cerâmica no acabamento externo para reforçar a resistência do dispositivo e um conector magnético na traseira para facilitar o encaixe de diversos acessórios.

Essential Phone - acessórios

Do ponto de vista técnico, a ideia é interessante. Mas, até agora, tudo não passa de expectativas. E se o dispositivo não conseguir cumprir todas as promessas ou tiver uma falha importante não identificada na fase de projeto, por exemplo?

A desconfiança não é exagero, ainda mais se levarmos em conta que, até agora, ninguém pôde testar o Essential Phone. Mas os questionamentos não estão afetando o interesse pela empresa: de acordo com Tim Culpan, colunista da Bloomberg, a Essential acaba de alcançar US$ 1,2 bilhão de valor de mercado, aproximadamente.

Em julho, o valor da Essential era estimado em pouco menos de US$ 1 bilhão. Os novos números indicam que a companhia está ganhando força à medida que o lançamento do smartphone se aproxima: a expectativa é a de que o Essential Phone seja apresentado oficialmente no dia 25. Na semana passada, Rubin chegou a divulgar fotos do dispositivo em linha de produção.

Os detalhes acerca do projeto ainda são escassos, mas as poucas informações disponíveis indicam que a valorização da Essential não é mera sorte. Rubin tem fechado boas parcerias para tocar a iniciativa. As mais recentes envolvem Amazon e Tencent: ambas fizeram, juntas, um aporte de US$ 300 milhões na empresa, montante que deve ajudar a cobrir os custos iniciais de produção.

Vale frisar que, além do Essential Phone, Rubin trabalha no alto-falante inteligente Essential Home.

Com informações: The Verge

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

André Figueiredo
mais um produto "revolucionário".
Aloísio Júnior
Bateria, pois não adianta ter o melhor smartphone do mercado se a bateria não tem uma duração de excelência. Precisamos que haja uma evolução no mercado de baterias para que acompanhem a quantidade de recursos dos smartphones.
The Moon

Ele custa o preço de um Galaxy S8

Hail Hidra
Ele custa o preço de um Galaxy S8
Uriel Dos Santos Souza
Sinto cheiro de "vai floppar" kkk
Eric Ricardo
vai usar android ??
André G
Depende do usuário
André G
Um smartphone desconhecido só faz sucesso se o preço for baixo, foi assim que a One Plus ficou famosa. Se custar o preço de um Galaxy S8 todo mundo vai preferir apostar no S8.
leoleonardo85
Chuto que vai ser mais um no mercado, apesar do hardware potente.
Juaum
Acho muito engraçado essa coisa da empresa nem estar no mercado ainda e já valer bilhões.
woah Woah WOAH
Se eu conheço bem expectativas de produtos, o que vai acontecer é que ele vai ser xingado muito no twitter por não trazer tudo que propôs.
Marsupial radical
Acho que a ideia é dizer que ele será "essencial" pro usuário, não que ele possua apenas o essencial. Sei lá, é o que eu entendi do nome.
Perata

Aguardando ansiosamente uma chacoalhada no mercado. Tá precisando.

Amoeba
Aguardando ansiosamente uma chacoalhada no mercado. Tá precisando.
Magnosama
Perfeito.
Exibir mais comentários